sexta-feira, 20 de julho de 2012

É dia de descer a Serra, moçada!

 
Vista do andar inferior do Gigante do Itiberê: 
atleticano que se preze estará lá neste sábado.

A semana foi ótima.

Começou no domingão ainda com o gostinho da vitória com pequena goleada de 2 a 1 sobre o CSA.

E chegou ao ápice na terça, após a vitória sobre os catarinas lá em Floripa, a terceira seguida no Brasileirinho.
 
Pra fechar com classe, uma certeza: neste sábado o destino é Paranaguá.

Como dizia o Mauro Singer, em seus bons tempos, será nosso dia D:

"Vamos reconquistar o estado iniciando nossa invasão pelo litoral. Assim como os aliados nas praias da Normandia, a nação atleticana começa[em julho] seu ano tomando a cidade de Paranaguá".

Estamos de acordo.

Uma vitória sobre o Vitória nos aproxima ainda mais do grupo de classificação.


Então é hora de fazer qualquer sacrifício pelo Furacão.


Embora, meus amigos, eu vos diga: descer até a cidade litorânea, a mais antiga do estado, não está sendo nenhum sacrifício. Ao contrário: além do prazer de ver o Atlético em campo e apoiá-lo, ainda há  a vantagem de desfrutar de um belo passeio.

 Antes do jogo, dê um pulo na Baía, escolha uma mesa, peça 
uma porção de camarões e uma cerveja e curta a vida adoidado.

Para embalar a nossa invasão, eis aqui o breve guia do guerrilheiro para o torcedor rubro-negro no litoral, como eu prometera dias desses. 

Vamos lá.

Paranaguá, vista aqui do alto mais parece o céu no chão. Todos os caminhos nos levam para ver o nosso Trétis, mas quem vai de carro pode optar entre duas estradas. 

A BR 277 tem deslumbrantes vistas dos picos da serra como o Ciririca e o Itapiroca. E tem alguns botecos inenarráveis, mas tem o ignóbil pedágio. Sem falar das obras que podem quebrar a tua programação - se optar por este caminho, saia um pouco mais cedo.

Assim, minha trip ideal para o litoral é pela velha estrada da Graciosa e suas velhas curvas encantadoras.

Em qualquer das opções, a manha é sair de Curitiba pela manhã. Quem vai pela Graciosa tem também a opção de almoçar em Morretes. 

Quem passar por Antonina, dê um chego no Mercado da cidade. Lá, há um comércio que vende um livro chamdo "O Litoral e o Atlético Paranaense" - só pude vê-lo pelo vidro, no dia a loja tava fechada.

Em Paranaguá, é hora de partir pro choque:

O velho Danúnio Azul e sua vista para a Baía é uma dica quente para comer e se empanturrar como um rei.

Há  também às margens do Itiberê inúmeros bares que servem camarões e seus reservas - de preços e tamanhos variados.

Pouco antes das 4 da tarde, todos os caminhos levam ao Gigante do Itiberê. Garanto-lhes: é um estádio excelente para assistir a uma partida de futebol.

 Fim de tarde no Gigante do Itiberê: oxalá com mais uma vitória do Furacão.

Para quem se empolgar e quiser tomar um porre e pernoitar na velha Paranaguá, há hotéis excelentes por lá.

Um é o Camboa, com seu clima de máfia cubana em Miami. Este, um pouco mais caro.

O outro é o Ponderosa, cuja estrutura e o preço são ideais para levar a namorada - quartos amplos com várias camas e a preços de ocasião.
 
Sem falar em cada boteco bacana para se jogar uma sinuca e tomar uma cachacinha; em cada sorvete de banana para se oferecer à patroa e às crianças.

Então amanhã é dia, minha gente. Dia de desfrutar de todo o atleticanismo e ainda aproveitar para um belo passeio a Paranaguá.

VAMOS!

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Palmas para a Caixa

 Caixa: novo patrocinador do Atlético.

O Blog da Baixada sempre criticou patrocínios públicos esdrúxulos como o da Petrobras ao Flamengo ou o da Liquigas ao Botafogo. Primeiro, porque eram investimentos milionários em benefício de um só clube - e, nestes casos, de clubes tão ricos quanto endividados. Segundo, porque são empresas que detêm monopólio nas áreas em que atuam. Ou seja, a publicidade poderia ter sentido se fosse com caráter social, no intuito de beneficiar clubes pelo país, e não exatamente para ganhar mercado consumidor.

Lembro que em 2009 já sugeríamos para que Copel e Itaipu destinassem parte de seus recursos de marketing para patrocinar clubes do estado - assim como a Eletrosul o fez com times catarinenses e o Banrisul com os gaúchos. Infelizmente, o apelo não foi ouvido pelas autoridades paranaenses.

Agora,a Caixa Econômica Federal, que sempre teve grande ligação com o esporte do país, decidiu cobrir esta lacuna. Fechou contrato de patrocínio com Atlético e parece que também já acertou com o Avaí (SC). E, em breve, deve anunciar parceria com mais outros clubes fora do eixo.

Um importante apoio, de fato, para que o futebol no país seja mais harmônico e talvez menos desigual.

Agora vai?

Passado o fim de semana, tudo o que tinha de ser dito sobre a vitória contra o ABC já o foi. Mas ainda dá tempo de lembrar aqui o quão agradável foi o passeio em Paranaguá. Tarde de sol, festa na praça, tainha recheada, cerveja e... Saci.

As estreias já deram uma cara nova ao escrete - principalmente com dois laterais de verdade, Maranhão e Wellington Saci.

O time já tá com cara de time.

Pra completar a festa caiçara, Saci ainda estreou aprointando uma de suas traquinagens, disparando com o pé canhoto o balaço que estufou a rede no segundo gol atleticano.

Tem mais gente chegando - o volante Derley já está no pedaço.

E pra espantar de vez a má fase, o Furacão ainda apresentou hoje seu novo patrocinador-master, a Caixa.

Que os bons ventos que começaram na semana passada com uma brisa litorânea ganhem força e terminem o ano como um Furacão!

Pra fechar, uma misiquinha em homenagem  ao autor do gol da vitória no sábado: O Furaca vem aí! E não vem sozinho, vem na base do Saci: