segunda-feira, 26 de março de 2012

Parabéns pra nós

Neste 26 de março o Atlético Paranaense completa 88 anos. Mais do que parabenizar o clube, o Blog da Baixada presta uma homenagem a todos os atleticanos, homens e mulheres, crianças ou idosos, de todas as raças, de todas as cidades, de todas as classes sociais, que são parte integrante desta instituição fantástica e que fazem da Nação Atleticana a maior do estado. A mais bonita. A mais feliz.
Viva nós!




























segunda-feira, 19 de março de 2012

Isto é tremendo!


"VAI LÁ NO ERASMO CARLOS!"
Quando a gente inventa uma piada sobre o rival, e esta cai na boca do povo, já é massa. Mas quando a própria inspiraçao da piada a reconhece, principalmente se se trata de um ídolo do rock nacional, aí é demais.
Pois eis que, cinco anos depois deste Blog apelidar o Pinga-Mijo de "Estádio Erasmo Carlos, o Tremendão", o próprio cantor, ícone da Jovem Guarda e do rock nacional, chancelou a alcunha em cadeia nacional de TV!
Demais para o coração deste pobre Guerrilha.
O lance é assim: quando a brincadeira é inteligente e tem fundamento -- afinal o pinga-mijo é mesmo um tremendão danado --, a coisa pega de verdade.
Quando é uma babaquice típica dos porconautas, daí a coisa fica só entre eles mesmo.
Sacaram?
Depois de assumir o apelido de coxa-branca dado por um atleticano, o presidente Jofre Cabral, as cadelas bem que poderiam agora assumir os apelidos de seu "estádio".
Valeu pela força, Erasmão!
Por fim, vos deixo uma música do Tremendão em homenagem a todas as coxas-brancas.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Sem medo de crescer

O progresso está aí.
Infelizmente, o futebol não é mais o mesmo.
E quem quiser se manter entre os grandes, tem que crescer.
O Atlético está dando um passo largo para isso ao remodelar o histórico e tradicional estádio Joaquim Américo. A temida Baixada.
E, agora, as obras vão começar pra valer. Nesta noite, o Conselho Deliberativo aprovou, por unanimidade, a inclusão do CT do Caju como garantia para o empréstimo de R$ 45 milhões que o clube tomará junto ao BNDES para bancar a sua parte da reforma. Não pensem que foi uma aprovação-relâmpago. Primeiro, representantes da BDO, uma das principais empresas de auditoria do país, apresentou sua análise de viabilidade do negócio.
Segundo o estudo, os R$ 45 milhões, no tempo previsto de financiamento, excluindo-se já os três anos iniciais de carência, resultarão no pagamento de R$ 3 milhões por ano, mais juros.
A proposta foi insistentemente debatida por mais de duas horas, e foi registrado em ata o compromisso de colocar apenas o CT como garantia, e um teto de financiamento de R$ 45 milhões.
É compreensível a preocupação de alguns atleticanos sobre a possibilidade de o clube não conseguir pagar o financiamento. Mas, convenhamos: R$ 3 milhões é quase o rendimento advindo da mensalidade dos sócios - isso em um único mês! E levando em conta o número atual de associados, pois quando a Arena for reaberta certamente esta quantidade será bem maior, e a receita idem.
Enfim, amigos, sosseguem: esta etapa era apenas uma exigência técnica para que o BNDES possa liberar o financiamento.
Agora é aguardar para as obras deslancharem e para que, em 2013, tenhamos um dos melhores estádios do mundo.
Vamos em frente.
Sem medo de crescer.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Dia Internacional de las Atleticanas

Dona Gessy, 80 anos, não perde um jogo do Furacão.
E simboliza, em carne, osso e paixão, todas as atleticanas do mundo.

Como explicar o fascínio pela combinação do vermelho e preto? Não se assuste, passa longe de mim a idéia de trazer alguns dos incontáveis significados e usos das duas cores, mesmo porque são também incontáveis as linhas/orientações que pretendem interpretá-las. Mas vou arriscar uma incursão pela mitologia grega, plena de sugestões de interpretação do nosso imaginário. Orfeu canta a noite, "mãe dos deuses e dos homens, origem de todas as coisas criadas", e esse preto da noite "reveste o ventre do mundo, onde, na grande escuridão geradora, opera o vermelho do fogo e do sangue, símbolo da força vital". Resultado: uma operação/combinação que envolve as entranhas...

Tal é o caso de Dona Gessy, há mais de cinqüenta anos magnetizada pelas cores rubro-negras. Ela nasceu em Guarapuava e quando casou veio morar em Curitiba - sorte das sortes, bem pertinho da Baixada. "Por influência de tudo, acho que nasci atleticana: lá no interior meu pai já era atleticano, eu adoro o vermelho e o preto e morei 32 anos perto da Baixada. Tinha um barranco, era só terra ali, mas era nossa arquibancada. A gente levava banquinho, pipoca, água e bandeira. Não perdíamos um jogo, meu marido, eu e meus três filhos, domingo era sagrado para nós".

Dona Gessy tem sete filhos, 10 netos, 10 bisnetos e, com o orgulho de uma matriarca do futebol, contabiliza: "entre 27 pessoas na família, apenas quatro coxas e um paranista". Ambas comemoramos essa "goleada" e ela continuou: "Eu tenho muiita saudade daquela Baixada. Inclusive, eu tenho as pedrinhas da Velha Baixada, guardo ali na pratileirinha do meu quarto os pedacinhos, a lembrança. Uma saudade mesmo porque ali era o amor pelo time, os jogadores jogavam por amor, pela camisa do Atlético. Hoje são poucos os que jogam assim. Mas eu continuo apaixonada pelo futebol, pelo Atlético, uma coisa que não sei explicar. Você viu, né? Meu quarto, meu banheiro, é tudo vermelho e preto".

Trecho do livro Dez atleticanas e uma fanática, de Antonia Schwinden.

Derrota na estreia

Da Furacao.com:

O Atlético segue com a sina de não vencer na estreia da Copa do Brasil. Nesta quarta-feira (07), jogando em São Luís, o time entrou desatento em campo e sofreu a terceira derrota na temporada. Apesar do revés por 2 a 1 no Maranhão, uma vitória simples classifica o Furacão no jogo da volta.

Duas combinações de resultados garantem a classificação direta para a próxima fase da Copa do Brasil: vitória por 1 a 0 ou qualquer vitória com dois ou mais gols de vantagem para o Rubro-Negro.

Se o Atlético repetir o placar feito pelo Sampaio Corrêa na primeira partida (2 a 1), a vaga será decidida nos pênaltis. Se houver vitória do Furacão por apenas um gol de diferença, com placar superior a 2 a 1, empate ou vitória do Tubarão do Nordeste, o Furacão estará desclassificado.

A partida de volta será disputada no dia 15 de março, quinta-feira, às 19h30, na Vila Capanema.