sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Os que chegam chegando

Reforço bom é aquele que estréia metendo “golo”, como se dizia no tempo do Cireno. Portanto, deu gosto de ver o gringo Liguera usar a chapa da chanca para balançar a ecorede ontem em seus primeiros minutos com a peita do Trétis. Alegria que nos fez pensar numa lista de feras que já chegaram mostrando que não estavam para brincadeira quando vestiram pela vez primeira, e por amor, a camisa vermelha e preta. Nesta lista não entra o debut do grande Barcímio Sicupira JR. Este é “Hors concours”. Em seu primeiro jogo pelo Furacão, o bigode mais perigoso da história chegou metendo um gol de bicicleta aos 44 do 2° tempo contra o São Paulo, na Vila Capanema. Primeiro dos 157 gols (nos registros da historiadora oficial da nação) que marcaria por nós. De qualquer maneira, outros grandes personagens da nossa história também estufaram o barbante logo de cara. Eis o “TOP 5”aqui da casa, para os melhores estreantes goleadores:


5- Washington: o “Coração Valente” superou a diabetes, fraturas diversas e uma grave doença cardíaca para renascer no futebol no Furacao. Logo na reestréia, meteu bucha nos favelados. Agradecido, ajoelhou e bateu no peito curado.


4 – Cleo: Libertadores 2005. Eis que Cléo surge do nada para decidir uma embassadíssima parada contra o Cerro Porteño. Aquela campanha “psicodélica” merece um estudo mais apurado (quem sabe, um dia). Quanto ao Cleo, assim como veio partiu para sumir na poeira. Mas deixou o dele bem guardado.


3 – Wanderley: Nossa galera pegava no pé do velho Manguinha que fazia e perdia muitos gols. Então a diretoria trouxe, com honras militares, da reserva do Cruzeiro uma esperança. Na estreia contra o Londrina, no Pinheirão gelado, meteu o gol da vitória. No outro dia a Tribuna do paraná estampava: “Eis a solução”. Se a história não confirmou a previsão, pior para a história.


2- Abel Lobatón: Misto de artilheiro e comediante, o carismático peruano estreou da melhor maneira possível: estufando a tanga da coxarada. O resultado final não foi o esperado, mas o gringo entrou para o folclore atleticano. “Loba, loba, loba, loba, loba é Lobatón”.


1- Carlinhos "Pé de Vento": Esta "fera" chegou com panca, do Grêmio, para resolver nosso ataque no problemático ano de 1995. Na primeira bola alta na área, na inesquecível Baixada do Farinhaqui, um voleio plástico e ornamental que fez a terra tremer. Pena que o caboclo gastou todo o repertório neste lance e ficou sem recurso para o restante da campanha. Mesmo assim, encabeça nossa lista.



E o amigo, lembra de outros estreantes goleadores?

9 comentários:

Milene Szaikowski disse...

São 156 os gols do Sicupira, Guerrilheiro. Confirmados por ele e pelo prof. Heriberto no Círculo de História. Na verdade, são 157, mas a FPF não registrou um.

bjos

rodrigo pereira disse...

Denis Marques estrou com gol em 2004, fez o ultimo nos 5 x 0 contra o Galo na Arena.

Rubro-negro Bocaiuva disse...

Obrigado paquitas por essa goleada, esse é o jogo do "SOCO NA MESA" do Petraglia.

Bruno disse...

Tuta e Adriano Gabiru, em 1997, estrearam pelo Furaca metendo gol.(se minha memória não estiver me traindo...)

Bruno disse...

Desculpe, a estreia de ambos foi em 98!

Andre disse...

E a nova campanha do Atlético hein??? CARALHO!!! O CAP sabe fazer campanha mesmo...só de ver o vídeo quase comecei a chorar...hahaha

Guilherme Knopak disse...

Na campanha do Brasileiro em 2001 Ilan estreou com o gold vitória no 1 x 0 sobre o Galo. Detalhe que, quando chamado do aquecimento, foi tirar a calça do agasalho e baixou junto o calção, ficando só de cueca.

Anônimo disse...

O gol do Cléo foi contra o Cerro Porteno...

Abud disse...

O do Carlinhos pé de vento se não em engano foi contra o Arapongas ou Apucarana, no gol do ginásio.