sábado, 4 de junho de 2011

O mais adiantado

Se você acha que as obras na Baixada para a Copa estão demorando pra sair, imagine no resto do país. Segundo o Ministério do Esporte, o estádio do Furacão ainda é a arena em estado mais adiantado para o mundial, dentre todos os que receberão jogos da competição. A notícia é do Portal 2014:

Sem explicar os critérios técnicos adotados, o Ministério do Esporte divulgou ontem um balanço que mostra quanto evoluiu a construção ou reforma das 12 arenas da Copa de 2014.

O levantamento mostra que oito cidades estão em dia com o cronograma estabelecido pela Fifa e tocam as obras em ritmo considerado normal, enquanto as quatro restantes comem grama para cumprir o acordo estabelecido com a federação internacional.

No ranking das mais avançadas figuram Curitiba (45% das obras concluídas), Cuiabá (17%), Salvador (17%), Brasília (15%), Porto Alegre (14%), Recife (8%), Belo Horizonte (8%) e Rio de Janeiro (7%).

Na visão do ministério, mesmo com obras mais adiantadas que outras sedes, Fortaleza (13%) e Manaus (17%) estão entre as retardatárias na corrida pela inauguração das arenas. A lanterninha sobrou para Natal, que não começou a demolir o Machadão, e São Paulo, onde a terraplenagem do Itaquerão teve início apenas na última segunda-feira (30/5).

O levantamento foi apresentado pelo secretário-executivo do Ministério do Esporte, Waldemar Silva Souza, que substituiu o titular da pasta, Orlando Silva, durante seminário realizado pela Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados.

Segundo Souza, a previsão é que os oito estádios “mais adiantados” sejam inaugurados até dezembro de 2012. Assim, estariam credenciados para receber a Copa das Confederações –evento realizado em junho de 2013 para testar a infraestrutura das sedes.

A previsão do ministério é que os quatro estádios “atrasados” devem estar prontos somente em 2013 (Fortaleza em abril, Manaus em junho, Natal e São Paulo em dezembro), estourando o prazo para o ensaio-geral da Copa do Mundo.

6 comentários:

Alan Bike disse...

O fato é que atendendo todas as "exigências" da FIFA, as alterações e conclusão do setor BI da nossa Arena podem ser concluídas em um ano por uma construtora "normal" de médio porte, já prevendo intempéries. Nenhum outro estádio está nesta situação. Por isso, Estádio Joaquim Américo não se enquadra na solução política, portanto, podemos definir a obra sem estresse com precisão "arquitetônica". À toque de caixa tem que ser o entorno, tais como, desapropriações, hotelaria e sistema viário que não são da nossa alçada.
Ah, é claro, trazer-nos de volta o nosso Furacão!

CAVEIRAHHH DE TOLEDO-PR disse...

E vamos para o Canindé.

Com dois atacantes disponíveis no elenco.

Que situação.

Mas temos trocentos volantes no elenco.

Terceira rodada e 3 atacantes. Um machucado (vendido?) e só dois disponíveis.

Até na época do Farinhaqui tínhamos mais atacantes no elenco.

Retrato da administração (?) Mole-celli. Uma lástima.

Luiz Andrade disse...

Nisso o Malucelli está fazendo o oposto da era MCO/Fleury qdo chegamos a ter 12 atacantes no elenco. O melhor deles era o Pedro Oldoni.

Luiz Andrade disse...

Agora, como pode uma diretoria ir dispensando um por um dos atacantes por deficiência técnica sem reposição? Contratam para posições onde já existe "N" opções e deixam o ataque carente? Para que contrataram esse goleiro? Era prioridade? 2 atacantes apenas em um time profissional de 1ª divisão do Brasil? Não há nenhum nas categorias de base que possa ser convocado? Isso é um descalabro.

Fê Ferraz disse...

Eu sei que eu não posso mais com essa diretoria, é uma questão de limite, tá louco!

MIke disse...

Essa é a pior diretoria do CAP desde 1989.