quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Recepções com a marca do Trétis

A apresentação de Ronaldinho Gaúcho no Flamengo me fez lembrar algumas contratações do Atlético que mereceram recepções especiais da torcida. Nenhuma delas comparável à chegada do dentuço, marcada pela maior presença de papagaios de pirata, baba-ovos e desocupados que o Brasil já viu. Apesar disso, todas muito especiais...

Éder Aleixo - 1991
Dias antes a Tribuna estampou uma manchete sensacional: "Atlético contrata o míssil". Na capa, o meia ex-seleção brasileira chutava um Patriot, teleguiado preferido do Bush pai. A notícia cresceu, ganhou corpo e percorreu bares e esquinas até a convocação oficial do presidente José Carlos Farinhaque para a galera comparecer ao Afonso Pena.

No saguão do velho aeroporto, a rapaziada aguardava ansiosa o desembarque do responsável pelo chute mais ignorante do país. Eis que ele surge revelando uma simpatia incomum -- embora a eterna expressão de filha da puta estivesse lá. De bate-pronto, Éder despiu a flanelada e envergou a rubro-negra mais bonita: Adidas. Delírio.

Para receber a canhotinha selecionado para a Copa de 82, o Furacão destacou o Ford Del Rey do Airton Galina, com relógio digital no teto, retrovisores elétricos e proteção para a vista verde degradê no para-brisa. Farinhaque era o carona, de sapato branco. No retorno à Curitiba, a banheira de luxo assumiu a dianteira de uma interminável carreata.

Ainda na Avenida das Torres, o craque perguntou: "O Gilberto Costa está aí com vocês?". Resposta negativa. "Que bom, ele é chato pra caralho. O cara não para de falar". Cheio de má intenção, soltou outra: "Me falaram que tem muita mulher bonita aqui, presidente. Mas diz que é bom tomar cuidado". A afirmativa detonou uma interrogação geral no Del Rey até hoje não elucidada.

Chegando ao encontro da Engenheiro Rebouças com a Buenos Aires, na saudosa sede das janelas de vidro com o escudo do clube, era tempo de assinar o contrato. Jogo de cena, claro. Éder meteu a firma numa folha de papel toda rabiscada. Explosão de alegria, estancada por uma pedido inusitado. "Sabe presidente, na altura da minha carreira, talvez seja melhor eu ficar treinando falta e escanteio, ao invés de correr todo dia, fazer coletivo, essas coisas. É melhor pra todo mundo".

A partir daí, vimos um Éder irregular vestindo a camisa do Furacão, mas de categoria ainda intacta. Foi ele o nosso 10 na arrancada extraordinária daquele ano, no estilo ônibus espacial Challenger, quando decolamos firme com três vitórias implacáveis (sobre Flamengo, Grêmio e Fluminense) para, em seguida, explodirmos também espetacularmente.

Como última recordação, ficou um pênalti desperdiçado contra o Botafogo, com um petardo que balança a trave do Pinheirão até hoje.

Kita - 1990
O anúncio da vinda do Barba que fez furor no Rio Grande do Sul movimentou os atleticanos. O cara tinha faro de gol inquestionável, e nós nos ressentíamos de um 9 presença desde a partida do mítico Manguinha. Sendo assim, todos os caminhos levavam ao Afonso Pena para celebrar mais uma contratação com o selo José Carlos Farinhaque.

Por obra do destino, um amigo pintou mais cedo no aeroporto -- bem antes dos Fanáticos estacionarem o caminhão com batuques e bandeiras. E para decepção absoluta dele, que ficara entusiasmadíssimo com a negociação, nosso homem-gol acabou flagrado, muy tranquijo, incinerando um cigarro no saguão. Possivelmente, sacado de uma pochete que, pela pujança, deveria guardar todos os pertences pessoais do atacante, além de um par de chuteiras.

Apreensão sobre o futuro do Trétis, e a saúde pulmonar do jogador, só dissipada quando a recepção finalmente foi deflagrada. Graças ao múque do Mala, Kita foi alçado aos céus e ruidosamente saudado pelo povão, trajando uma genérica da Adidas fabricada pela Jumper.

Tudo enquadrado na foto que vocês podem curtir abaixo. Destaque para o tiozão com o piazote no ombro. Para abrir sorriso tão sincero, ele só pode ter visto em Kita a reencarnação crespa de Cristo.
Clique para vê-la maior.


54 comentários:

Anônimo disse...

Era legal esse tempo que qualquer cara que chegasse com um mínimo de fama era recepcionado como herói. Era uma paixão pura pelo Atlético.

Anônimo disse...

Dava um sofrimento também... mas era bom, torcer pelo simples fato de torcer, vencer era sempre muito valorizado.
Enéas

Mylla disse...

Muito legal o post, Guerrilheiro! Começou o ano em grande estilo!

bjs

Anônimo disse...

Genial !

Marcio Reszko disse...

Nesta época eu tinha uma carteirinha da federação e ia em todos os jogos.

Lembro desse jogo contra o flamengo em que a galera fez um corredor em ambos os lados da calçadinha que dava acesso aos vestiários do Pinheirão...maior pressão!

Passados alguns minutos, chegou a velha jabiraca com o time do furacão... lembro daquele dia como se fosse hoje!

Flávio Jacobsen disse...

Ê, Guerrilha! Texto bão! ;)

Eduardo disse...

Sensacional Guerrilheiro! Essas histórias sempre devem ser contadas. Parabéns!

RICARDÃO disse...

Beleza de post Guerrilha. Beleza pura. Saudade.

Kike Cardoso disse...

EXCELENTE!!!!!!!!!!!!!!! A memória ajudou nessa, relembrando alguns lances do Éder no Pinheirão...

Anônimo disse...

Sensacional, Guerrilha. Teu blog presta um serviço de valor inestimável ao povão rubro-negro. Parabéns.

Luiz CAP disse...

"Éder despiu a flanelada e envergou a rubro-negra mais bonita: Adidas. Delírio."

Se fizessem uma camisa retrô ao estilo desta, era venda na certa! Todo mundo fala desta camisa! As retrôs que temos como opção de compra, não acho legal.

Em tempo.. Belo texto Guerrilheiro!

Anônimo disse...

Eu também vivi e participei de todas essas maravilhosas situações que foram aí postadas.
E é por isso que sou um crítico ferrenho ao atual comportamento (consumeirista, exigente, crítico, chato) de parte da torcida do CAP. Realmente não sabem o que era torcer de coração.

______________
prof@ano-2011

CAVEIRAHHH DE TOLEDO-PR disse...

Um resgaste da história recente. Tempo de vacas magras, mas bons tempos. O sofrimento desta época aumentou a paixão de muitos com certeza.

Lembro de um Atlético 3 x 0 Umuarama, o Kita fazendo gol e eu piá ainda indo a loucura. Depois era só gritar Kita nos meus botões da época. Este jogo foi o do Pedrali...

Kita tinha chegado com um cartaz enorme. Mas já meio entregue.

O Éder chegou no fum de carreira, mas teve a honra de jogar no maior Atlético do Brasil.

"Boons não tão velhos tempos"!

CAVEIRAHHH DE TOLEDO-PR disse...

Agora, bonito mesmo está a placar deste mês. Simplesmente sensacional.

Primeiro ele humilhou o tal Robertão. E disse que se fosse hoje quem iria jogar era o Atlético dos Paranaenses que tem mais torcida.

Depois disse o CFC foi campeão da segundona, mas o que importava mesmo era a volta do Bahia.

Por fim, a Placar relacionou todos os campeões brasileiros agora com esta invenção de unificação de títulos e esqueceu o CFC. O clube verde é tão insignificante que acabaram esquecendo o campeão brasileiro com saldo negativo.

Disse aqui uma vez que iria cancelar a assinatura, mas depois desta última edição acho que não vou mais. No Paraná só existe um clube mesmo e a Placar, assim como todos, sabem disso.

Anônimo disse...

Alguem sabe onde vende esta camisa? Algum site especializado em camisas retrôs? Ouvi falar uma vez que tinha.

As retrôs oficiais são feias mesmo.

Anônimo disse...

Tenho uma dessa oficial. Não vendo por nada.

Rogerio

Anônimo disse...

Bem que podiam chamar um grande atacante pra gente fazer uma recepção dessas de novo.

Em vez de funkeiras, chamaríamos as polacas da Moon pra fazer pole dance em frente à Arena.

Que tal?

Farpa

Anônimo disse...

Convenhamos, aquelas funkeiras na apresentação do Ronaldinho.. tinham um corpão com uma bunda mortal.. mas são feias igual o diabo!

Aqui é o contrário hahahaha lindas, mas a bunda.. =/

Geca disse...

Esses posts resgatando a história são bons "bacarai". Na veia, Guerrilheiro.

Sou muito mais "roquenrou". Esse negócio de futebol e pagode ou futebol e "fãnque", dispenso. Baixo nível demais.

A Gazeta tá lançando uma tal de "liga da justiça". O super herói escolhido pro Coxa... foi o lanterna verde... (amanhã as paquitas vão chilicar). Na veia!

Anônimo disse...

Este Geca é um grande puxa-saco mesmo. Na veia. Na veia. É nóis mano.

Anônimo disse...

Lembro da festa que fizemos quando fomos recepcionar o Kleberson no retorno do mundial de 2002 !!! Foi maravilhoso !!!

Anônimo disse...

Geca gosta de mangue.

damin disse...

Teve a recepção do Vivinho e Éder Lopes também, foi épica.
Lembro da Tribuna no dia seguinte, na foto da capa tavam os 2 carregados nos ombros pela galera, e a frase: "As feras chegaram".
Bons tempos.

Anônimo disse...

Cara... tem dias que você é hilário.
Parabéns. Alemão.

Anônimo disse...

Teve também recentemente a apresentação dos polacos, maior rebu num sabadão de manhã...
E o vendido do váxinton se aposentou hoje, uma pena pois queria ainda ver um enfarte fulminante ao vivo para encerrar sua carreira de traíra.
Lhe demos a vida e pagou com traição, que se exploda.
Titio Enéas

Anônimo disse...

Na verdade o Geca é Pagodinho.
Fala que o negócio dele é ACDC mas ele é Geca é Pagodinho.

Peterson disse...

Será que quando a Arena tiver pronta para a Copa irão mesmo mudar o nome para Estádio Mário Celso Petraglia? Seria uma justa homenagem ao idealizados da Arena, o homem que nos tirou do ostracismo e que brigou pela Copa na Arena. Eu teria orgulho de dizer que estou indo na Arena Mário Celso Petraglia.

Anônimo disse...

Você pode ter orgulho de darocu, afinal é seu... ou de todos?
Cada uma...

Andre disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...o cara quer tirar o nome do Joaquim Américo Guimarães pra colocar do Metralha...não faltava mais nada...

Anônimo disse...

hey washington.................!!!!!!










VAI TOMAR NO CÚ !!!!!!!!

Anônimo disse...

Até que demorou um pouco para aparecerem os IDIOTAS de sempre com seus comentários fora do assunto do post.

O que tem a ver "arena mcp"?? Outro xingando o Washington.

Puta que pariu, como tem cara chato. Por isso sou a favor da castração de imbecil desse tipo.

Desculpe o desabafo, Guerrilha. É que não me conformo, num post sensacional como esse, palhaços aparecerem para tumultuar.

No mais, abraço e siga com o trabalho excelente de resgate da memória do Atlético.

Geca disse...

Enéas, conspícuo confrade, o grande uóxito, mostrou o grande cara que é.

"O ex-jogador também divulgou uma carta aberta aos torcedores (...)não fez NENHUMA MENÇÃO AO ATLÉTICO (grifo meu), clube que lhe abriu as portas no final de 2003, depois que foi dispensado pelo Fenerbahçe em função dos problemas cardíacos." (Furacão.com)

Tá aí. Lembro-me do início do ano passado. Um monte de confrades aqui exigindo a volta de Uóxito, fiz questão de ser contra. Foi excelente sua passagem por aqui, mas sua volta seria uma patacoada. Prova disso foi a GRANDE participação que o "Coração Traíra" teve no Flor Merdense. Nosso ataque foi uma merda, mas pelo menos não ganhavam 300 mangos por mês pra fazer nada.

O último gol do cara ficará na história. Foi aquele contra, jogando pelo FlorMerdense aqui. Fez a alegria da Arena. Coisa linda. Valeu, Uóxito!

O Atlético "SÓ" deu todo o suporte pro cara voltar a jogar futebol e um excelente time pra fazer do "Coração Ingrato" o maior artilheiro de uma edição do Brasileirão. E ele fez questão de ignorar.

Parabéns, Uóxito. Gratidão não é pra qualquer um mesmo.

Anônimo disse...

Uochito vá tomar no seu anelzinho de couro, FDP, traíra, mordedor de fronha!!!!

Anônimo disse...

Para mim a recepção mais marcante foi do Nivaldo e Didi que vieram do Grêmio Maringá.
Fizemos uma comemoração de título com os dois nos ombros.
Que saudades da Baixada velha e desses tempos heróicos do Furacão.

Charlie

Anônimo disse...

Eu apoio também a Arena Mário Celso Petralia.

Anônimo disse...

O CAP está preparando um grande museu para depois da conclusão da Arena. Acho que o Washington merece um lugar destaque: que tal o rostinho dele decorando cada mictório?

Farpa

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto!!!

Anônimo disse...

Eu apoio também a Arena Mário Celso Petralia II.

Sincero disse...

Se o Mário Celso Petraglia, pagar os naming rights que o Atlético pede, eu sou a favor também... afinal, pagando bem, que mal tem?




Pelo amor dos Deuses? Onde no post cita o Mário Celso Petraglia, pra alguém começar essa discussão?

Anônimo disse...

Já que os IMBECIS começaram com a discussão no lugar errado, também deixo meu registro.

Como disse o Sincero, eu também sou a favor da Arena MCP, desde que ele pague o naming rights. Dinheiro para isso certamente ele tem.

Marcos Malluceli disse...

Joaquim Américo foi importante e teve por 86 anos seu nome ao estádio. Agora é a hora de homenagear o idealizador da arena. Concordo.

Anônimo disse...

Já passou a época em que estádios e arenas tinham que ter nome de gente (geralmente generais, presidentes, ou até major em caso de times pequenos).Hoje em dia isso pega mal, vira puxa saquismo desnecessário.

Vejam como é ridículo: a maioria dos velhos estádios brasileiros acabam tendo dois nomes, tipo Morumbi - não sei o que de Pompeu de Toledo, Maracanã - Mario Filho, Arena da Baixada - Joaquim Américo... O espaço acaba ganhando dois nomes, o que é péssimo.

Os tempos mudaram, Joaquim Américo jamais será esquecido, mas a Arena tem que ter um nome comercial e que gere dinheiro, via naming rights.

Um nome que vire uma marca forte, mas só um, para quando publicarem o nome do estádio lá no Arzeibaijão, digam um só nome.

Farpa

Anônimo disse...

Se o Mário Celso Petraglia, pagar os naming rights que o Atlético pede, eu sou a favor também... afinal, pagando bem, que mal tem?

[2]


Concordo, com o Sincero e com o Farpa. O estádio tem que priorizar o Naming Rights. E outra, o cara mal saiu da presidência, deixem que o tempo cuide, quem sabe um dia ganhe uma homenagem.. mas eu bem prefiro uns "barão" pro Atlético engordar o caixa.

No Brasil o aproveitamento de estádios/ARENAS são pífios, o Atlético está a frente nesse sentido, mas ainda temos muito oque aproveitar. Bem que podia vir um Naming Rights denovo né? Copa e tal...


Ótimo texto Guerrilheiro! Sinto falta de um espaço atleticano que nos conte essas boas histórias do furacão. Eu não vivi está época, e me interesso muito em conhece-la. Por favor, continue com posts como este!

... disse...

Se o Mário Celso Petraglia, pagar os naming rights que o Atlético pede, eu sou a favor também... afinal, pagando bem, que mal tem?

[3]


Si joga esse debate na comu do CAP, hahahaha, sai porrada..

Anônimo disse...

Eu sou a favor de mudarem o nome para Arena Mario Celso Petraglia.

Paula Tejando.

Anônimo disse...

Mesmo com o nome do estádio passando a se chamar MCP nada impede o Naming Rights. Também apoio esta ideia como justa retribuição.

Geca disse...

Pronto... demorou. As viúvas desembarcaram por aqui. Vai ver é porque o capforevis fechou pra procurar assunto. Se bem que a metade do "eu apoio arena MCP" é de um anônimo só que aportou por aqui nos últimos tempos.

MCP é um grande cara, mais cedo ou mais tarde terá sua justa homenagem, mas agora, isso seria babação de ovo, puxa saquismo piegas. Ridículo mesmo.

To com os caras do NAMING RIGHTS.

Quanto ao post do GUerrilha, já disse antes, mas repito. Post sensacional. Essas histórias do CAP precisam ser contadas pra lembrar a essa galera da família dos CAPFORÉVIS, que acham que o Atlético só existe a partir de 95, que o CAP é o CAP, e não o MCPFutebol CLub. Parabéns, Guerrilha.

Anônimo disse...

a última quinta-feira, após o amistoso contra o XV de Piracicaba, no interior de são Paulo, Danilo soltou o verbo. Desde dezembro passado, o zagueiro tem sido envolvido em especulações sobre sua saída do sido envolvido em especulações sobre sua saída do Palmeiras para o futebol europeu. No clube desde o início de 2009, o defensor resolveu reclamar sobre os questionamentos quanto ao valor do seu salário.

Engulam essa porcarada, vao chupa o danilo vao

Anônimo disse...

Dois relatos emocionantes. Duuas grandes tacadas do Farinhaque, quando ainda não se assova o "marquetchim". è certo que os dois juntos não fizeram nem dez gols, mas o que importa????

Anônimo disse...

JOAQUIM AMÉRICO, ilustre parnanguara que doou o terreno para que você, jovem e arrogante atleticano, pudesse pisar ...

Anônimo disse...

Grande Jocamérico, imortal em suas boas intenções.
Já o outro bastaria pegar um pouco das doações que fez ao CAPA, à empresa do filhote e pagaria os naming rights devolvendo a César o que foi para Celso, 30% do alexsandro, 30% do Chico e de tantos outros.
Titio Enéas

Anônimo disse...

Eneas acusar sem prova é crime.

Anônimo disse...

Enéas, um pouco menos de rancor no coração vai fazer muito bem pra vc.

Anônimo disse...

Nâo é questão de rancor, é questão de quem paga a conta e de quem dá discurso, só isso... assim como não é acusação, é fato de domínio público, "deu" nas rádios e jornais...
Depois pode até arrumar andor e uns meia dúzia de seguidores babacas para desfilar com ele nos ombros, simples assim.