domingo, 24 de outubro de 2010

Fanáticos, 33

Alguns dos primeiros integrantes e fundadores d'Os Fanáticos, em frente ao velho ginásio...

... o "Templo da Caveira", num tempo em que os Fanáticos eram os guardiões de uma Baixada abandonada. Essa segunda foto é de 1991, e o símbolo de concreto, hoje uma relíquia, está atualmente guardado na sede da TOF.

... enquanto era preciso se deslocar até o Pinheirão para fazer a festa nos jogos do Furacão.
Quando conheci os Fanáticos, no final dos 80, início dos 90, as coisas não eram nada fáceis.
Tempo de vacas magras. Mesmo.
Sem sede própria, com caixa vazio e tendo que atravessar a cidade para levar material e os torcedores até o Pinheirão em dias de jogos. A diretoria ia na Kid 2 (uma kombi caindo aos pedaços, hoje restaurada), o restante se espremia na carroceria do caminhão que levava os instrumentos e as bandeiras. Quem não cabia, ia a pé mesmo. Um tormento. Mas todos se divertiam.
Por outro lado, eram anos bons. A sede ficava em território sagrado: o próprio Joaquim Américo, logo na entrada do estádio, numa salinha anexa ao ginásio. Na verdade, os Fanáticos tomaram conta da velha Baixada por anos a fio. Eram eles quem cortavam a grama, davam uma retocada na pintura. Até tomaram conta do bar do ginásio, por algum tempo. Em troca, as peladas da torcida eram ali mesmo, no solo sagrado do Caldeirão, todo sábado à tarde. Seguidas sempre de uma linguiçada assada num latão velho, debaixo da cobertura das sociais. Tive oportunidade de passar ali alguns dos sábados mais bacanas de minha adolescência.
Conheci ali Renato Sozzi e José Carlos Belotto, presidentes da torcida por anos a fio.
Dois abnegados.
Hoje a situação é bem diferente.
Julião, que também viveu esta época na torcida, preside hoje uma quase corporação. Com sede própria e dinheiro entrando em caixa, a questão financeira não mais um problema. Agora, o duro mesmo é cuidar de tanta gente que é da Fanáticos. Além daqueles que compram a camisa e se dizem integrantes. Uma multidão.
Os problemas hoje são outros e a sociedade está de olho gordo sobre as TOs.
O desafio é continuar a fazer uma festa de arrepiar no estádio, mas coibir a violência. Dar brilho ao espetáculo mas respeitando aqueles que só querem estar ali para ver uma partida tranquilamente.
Um grande desafio, diga-se.
Torcemos para que a Fanáticos consiga superá-lo e siga a fazer uma das festas mais encantadoras dos estádios de futebol do país.
Assim seja.
A começar por hoje, contra o Fluminense.

12 comentários:

Anônimo disse...

Pois é. O Julião está há muito tempo e deveria sair. LARGA O OSSO, JULIÃO!

Quem comprou a sede e fez a fanáticos crescer foram outros. O Julião só goza com o pau dos outros. Era um moleque de bosta que ficava zanzando em volta dos outros integrantes na década de 90 e continua sendo.

Por culpa dele, a Fanáticos não é mais a mesma. Que saudade de velha Fanáticos! CAI FORA GORDO FDP

Anônimo disse...

Já estou cansando de ser roubado dentro da Arena. Um dos bandeirinhas e o juiz estavam ajudando o Fluminense o tempo todo, não dava cartão, não deu penalty no Guerron e ainda por cima deu um penalty pro time do RJ num lance que não aconteceu a falta e ainda estava impedido.

O CAP tem mais de um milhão de torcedores. È justo por causa de um FDP perdemos tudo? Sou a favor de alguém descobrir o hotel onde este cara está e mandar um tiro na testa do juiz ladrão, também para dar exemplo para os próximos FDP que querem ajudar o eixo Rj-SP.

CHEGA!

Anônimo disse...

Pois é. As torcidas definitivamente eram show. Fui da Fanáticos durante anos.
Agora chega.
Tenho medo de ir ao estádio com amigos e familiares pois as gangues tomaram conta como hoje depois do jogo contra o Seneme.
O líder da torcida pregou a forra.Agora todo jogo é violência. Quem quer se tornar sócio de um clube que tem torcida que se degladia e coloca em risco os seus?
Não existe liderança positiva nas torcidas. E não é entregando fraldas e leite em pó em creches que isso vai mudar.
Brigar contra torcida rival é rídiculo. Brigar entre a própria torcida é o que?
Viramos motivo de piada. Felizmente não faço mais parte disso e não venham me dizer que existem pessoas de bem. Existem, mas não tem pulso e devem pular fora. E a polícia fazer o trabalho dela.

Anônimo disse...

Foi triste sair do estádio hoje e ver marginais da Fanáticos jogando pedras contra a torcida da Ultras, sem querer saber que a maioria que passava por ali eram pessoas de família só querendo torcer pelo querido Furacão. Tudo isso alimentado por um bandido e covarde que é o Julião. Gosta de andar armado e só sabe sair para cima dos outros acompanhado de bandos. Assim como vi hoje 5 vagabundos da Fanáticos chutando um membro da Ultras, sozinho, no chão. Duvido que sozinho o vagabundo do julião enfrentaria alguém. Assim como esses porcos da Fanáticos. Tem que acabar as torcidas organizadas. É bonito ver a história lá atrás, mas hoje é uma corporação de bandidos. E este site não deveria ser cúmplice com isso e sequer mencionar a existência atual destes ratos de esgoto.

Bruno disse...

Só tenho uma coisa a dizer:

Juizinho Filho duma P***A!!!

Sempre metendo a mão no Furacão esse bostão dos infernos!

Meu Deus, chega a me dar azia ver esse cabrão apitando jogo do furacão...inverte TODAS as faltas que pode, qualquer tromabada no goleiro adversario é falta, sem contar os penaltys que só ele vê ( e não vê...)

Disse isso dias atrás, esse péla-saco é bola cantada!

Anônimo disse...

20:44, você sonhou cara, não houve nada disto que você fala. Está querendo tumultuar? vá lá no esgoto brigar com os ratos. Aqui não, meu boy ou cow, sei lá!

Anônimo disse...

08:30
Sonhei nada. Tive que correr protegendo minha mãe contra pedras e fogos de artifício sendo lançados contra nós.
Não posso ir até o esgoto brigar com os ratos. Eles correm, a menos que estejam em bando. Aí eles são muito machos.

Anônimo disse...

13:20, de-me as coordenadas de onde aconteceu isto que você afirma que mandarei investigar a falha da nossa segurança.

Anônimo disse...

15:47
Aconteceu na esquina da rua em que é continuação da Engenheiro Rebouças com a rua da sede da Fanáticos. Na saída do jogo, enquanto o pessoal da Ultras passava em frente desta esquina, começaram a atirar pedras e fogos a artifício e a correrem para cima da multidão. Segundo um depoimento no site Furacão.com parece que acertaram uma menina de 15 anos.

Anônimo disse...

Os anjinhos da Ultras foram lá apenas para ir para suas casas...
Quem procura acha, infelizmente...
Titio Enéas, desfavorável à violência, mas que de inocente de passar num local de possível conflito - não tem nada...

Anônimo disse...

Aconteceu sim.. foi uma verdadeira palhaçada protagonizada por essas duas bandidagens organizadas!

Anônimo disse...

as 2 organizadas tem q acabar, pois tem dinheiro nas custas da imagem do Furacão