quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Apoio total

Nos ultimos anos, o final de outubro representava o início de uma fantástica mobilização por parte da torcida atleticana. O objetivo era um só: tirar o Furacão da zona de rebaixamento e manter o time na primeira divisão - lugar dos grandes.
Chegamos em outubro de 2010 e novamente o povão se mobiliza.
Desta vez, por uma causa bem diferente: levar o Rubro-Negro de volta à Libertadores da América.
A mesma concentração de esforços, mas por uma causa bem mais feliz e promissora.
E que começa no domingo, horas antes da partida contra o Fluminense, com uma grande carreata no trajeto do time entre o CT do Caju e a Baixada. A concentração dos atleticanos será a partir de 13 horas, no portão do Centro de Treinamentos, no bairro Umbará. De lá, os torcedores sairão junto com o ônibus do clube, invadindo as ruas de Curitiba com as cores atleticanas. Assim que o ônibus rubro-negro passar pelo portão do CT com destino à Arena, por volta das 14 horas, dezenas de carros seguirão atrás, formando uma carreatarubro-negra.
Os torcedores que não puderem se deslocar até o CT do Caju também estão convidados a participar da recepção aos jogadores assim que o ônibus adentrar ao estádio, cuja concentração será na Rua Coronel Dulcídio.
Depois, na hora do jogo, outra festa para recepcionar os jogadores: é a 17ª edição do Mosaico Furacão, o pioneiro. Serão cerca de oito mil painéis nos setores Getúlio Vargas Superior e Inferior, formando uma mensagem de apoio ao time. E desta vez com uma novidade: o Mosaico será patrocinado pela Coca-Cola e os painéis serão feitos de papel, como os utilizados na Europa, e cada torcedor poderá levar o seu para casa como lembrança após a partida.
Vai ser um domingão daqueles.
Prepare sua garganta!
* Com informações da Furacao.com

21 comentários:

Anônimo disse...

E que dessa vez a polícia não separe a torcida do ônibus, com armadilhas pra distribuir multas. Que prendam arruaceiros, ao invés de prejudicar uma manifestação pacífica.

Anônimo disse...

E que a Fanáticos e a Ultras não comecem bom babaquice.

Bernardo Wolf disse...

E da-lhe isca de peixe com original do "Peixinho"!!!

Geca disse...

Confrades... sensacional esse momento. Sabemos que o time não é phodidamente técnico, mas é, sobejamente e putaqueriumente raçudo. Isso me anima. Nós, guerrilheiros cansados de lutar pra não chafurdar na pocilga da 2ª divisão todo maldito ano, dessa vez, estamos lutando pra subir ao topo. Já não era sem tempo.

Mais phoda ainda é a mobilização dessa rutilante torcida furaconense, que encontra o mesmo ânimo pra levantar o time nas horas modafãquermente ruins, quanto nas horas boas. Torcida phoda bacarai, coraçãozuda, "batráquia" e inoxidável.

O Furacão tá completamente roquenrou. Esse é o verdadeiro Furacão, ao som de The Immigrant (Led Zeppelin).

Parabéns a essa diretoria, que ao contrário do ano passado, dessa vez acertou. Devem ter ouvido as infinitas reclamações do Caveira. Aliás, hoje você não quer homenagear o Adur, o Zimmerman, o Malu... osteoporósico amigo?

Fraterno amplexo, confrades.

Fran disse...

Domingo será mais um daqueles dias para apoiar com graça e raça. E rumo à Libertadores. A Baixada vai ficar pequena domingão.
Atleticana até morrer!!
Saudações rubro negras.

Anônimo disse...

...
O curioso é que a contratação de Marcinho foi a última conduzida pelo ex-presidente Mário Celso Petraglia antes de seu afastamento do clube. Dos 36 “reforços” que chegaram depois da saída de Petraglia, absolutamente nenhum rendeu algum valor significativo ao clube.

Nos últimos anos, o Atlético só conseguiu fechar suas contas graças à venda e outros negócios com jogadores contratados pela diretoria anterior. Casos de Danilo, Cristian, Ivan, Michel Bastos, Alex Sandro, Rafael Santos e Rogerinho.

Apenas com a participação de 20% que possuia dos direitos financeiros sobre Michel Bastos, o Atlético faturou o equivalente a R$ 8,6 milhões em julho de 2009, quando o atleta foi vendido pelo Lille, da França, ao Lyon, por 18 milhões de euros. Com as vendas de Danilo, Cristian e Alex Sandro, mais 5 milhões de euros (cerca de R$ 20,0 milhões) entraram nos cofres rubro-negros.

Além do elenco profissional, Malucelli assumiu o Furacão com um vasto grupo de jogadores em formação, espalhado pelas categorias de base. Entre esses atletas estão os poucos com perspectiva concreta de negociação futura na equipe profissional atual, como Neto e Manoel. Outro jogador que também deve dar um bom retorno financeiro ao clube é Rhodolfo, também revelado no CT do Caju e promovido ao time principal ainda em 2006.

Esses são os resultados da política da diretoria anterior quanto à contratações de atletas, acusada por Malucelli de ter transformado o clube em um “balcão de negócios”. Resultados atingidos também através das parcerias encerradas pelo atual presidente, que as classificou de danosas ao clube. Foi essa a verdadeira “herança maldita” deixada pela gestão de Petraglia ao CAP.

Baixada virou vitrine para outros clubes

Outra característica da gestão Malucelli foi a opção por contratar jogadores por empréstimo e colocá-los para atuar no time profissional sem nenhuma garantia de retorno ao Atlético. Foram vários atletas trazidos sem “passe” fixado nem qualquer percentagem de uma transação futura para o Furacão. Ou seja, a Arena da Baixada se tornou vitrine para valorizar atletas de outros clubes e de empresários.

Alguns até deram retorno técnico à equipe, como Wesley. Ele estava no Santos, sem muitas oportunidades de atuar, e encontrou no Furacão espaço para se recuperar e valorizar sua carreira. Voltou para o Santos, virou titular e foi vendido ao Werder Bremen, da Alemanha, por 10 milhões de Euros (R$ 22,6 milhões). Ao CAP, o negócio só rendeu alguns “trocados”, levando em conta o valor milionário do negócio: cerca de R$ 100 mil, valor que não se aproxima sequer das despesas que o clube teve com o jogador.

Agora, quem traça o mesmo caminho é o atacante Maikon Leite. Titular e um dos destaques do Atlético neste Brasileirão, o jogador certamente retornará para Vila Belmiro ao final da temporada. Sem novamente dar nenhum retorno ao time que lhe acolheu.

Além de Wesley e Maikon, foram mais de uma dezena de jogadores trazidos por empréstimo, sem nenhuma garantia de retorno financeiro. Alguns foram ou são titulares, como o volante Rafael Miranda e o lateral-esquerdo Paulinho. A grande maioria, porém, fracassou, como Tartá, Mithyuê, Lisa, Javier Toledo, Eduardo, entre outros.

http://www.cap4ever.com.br/raio-x-da-gestao-mais-chuteiras/

Anônimo disse...

...
O curioso é que a contratação de Marcinho foi a última conduzida pelo ex-presidente Mário Celso Petraglia antes de seu afastamento do clube. Dos 36 “reforços” que chegaram depois da saída de Petraglia, absolutamente nenhum rendeu algum valor significativo ao clube.

Nos últimos anos, o Atlético só conseguiu fechar suas contas graças à venda e outros negócios com jogadores contratados pela diretoria anterior. Casos de Danilo, Cristian, Ivan, Michel Bastos, Alex Sandro, Rafael Santos e Rogerinho.

Apenas com a participação de 20% que possuia dos direitos financeiros sobre Michel Bastos, o Atlético faturou o equivalente a R$ 8,6 milhões em julho de 2009, quando o atleta foi vendido pelo Lille, da França, ao Lyon, por 18 milhões de euros. Com as vendas de Danilo, Cristian e Alex Sandro, mais 5 milhões de euros (cerca de R$ 20,0 milhões) entraram nos cofres rubro-negros.

Além do elenco profissional, Malucelli assumiu o Furacão com um vasto grupo de jogadores em formação, espalhado pelas categorias de base. Entre esses atletas estão os poucos com perspectiva concreta de negociação futura na equipe profissional atual, como Neto e Manoel. Outro jogador que também deve dar um bom retorno financeiro ao clube é Rhodolfo, também revelado no CT do Caju e promovido ao time principal ainda em 2006.

Esses são os resultados da política da diretoria anterior quanto à contratações de atletas, acusada por Malucelli de ter transformado o clube em um “balcão de negócios”. Resultados atingidos também através das parcerias encerradas pelo atual presidente, que as classificou de danosas ao clube. Foi essa a verdadeira “herança maldita” deixada pela gestão de Petraglia ao CAP.

Baixada virou vitrine para outros clubes

Outra característica da gestão Malucelli foi a opção por contratar jogadores por empréstimo e colocá-los para atuar no time profissional sem nenhuma garantia de retorno ao Atlético. Foram vários atletas trazidos sem “passe” fixado nem qualquer percentagem de uma transação futura para o Furacão. Ou seja, a Arena da Baixada se tornou vitrine para valorizar atletas de outros clubes e de empresários.

Alguns até deram retorno técnico à equipe, como Wesley. Ele estava no Santos, sem muitas oportunidades de atuar, e encontrou no Furacão espaço para se recuperar e valorizar sua carreira. Voltou para o Santos, virou titular e foi vendido ao Werder Bremen, da Alemanha, por 10 milhões de Euros (R$ 22,6 milhões). Ao CAP, o negócio só rendeu alguns “trocados”, levando em conta o valor milionário do negócio: cerca de R$ 100 mil, valor que não se aproxima sequer das despesas que o clube teve com o jogador.

Agora, quem traça o mesmo caminho é o atacante Maikon Leite. Titular e um dos destaques do Atlético neste Brasileirão, o jogador certamente retornará para Vila Belmiro ao final da temporada. Sem novamente dar nenhum retorno ao time que lhe acolheu.

Além de Wesley e Maikon, foram mais de uma dezena de jogadores trazidos por empréstimo, sem nenhuma garantia de retorno financeiro. Alguns foram ou são titulares, como o volante Rafael Miranda e o lateral-esquerdo Paulinho. A grande maioria, porém, fracassou, como Tartá, Mithyuê, Lisa, Javier Toledo, Eduardo, entre outros.

http://www.cap4ever.com.br/raio-x-da-gestao-mais-chuteiras/

Anônimo disse...

11:32, reparou que você é autofágico?
O "cap-four-ever" é tão insignificante que precisa repetir aqui o texto de lá? Só para você mesmo!

Alan Bike disse...

Esqueçam esse "repetista", mecepista. A hora é de apoiar incondicionalmente o Furacão.
Domingo casa cheia!

Anônimo disse...

Esse texto do pet4ever, nesse momento, parece uma tentativa de desestabilizar o bom momento do CAP. Mas que se exploda, vamos participar da carreata e depois ganhar do florminense no grito!

Anônimo disse...

Tô "cagando e andando" p/ esse comentario do CAP4EVER, o negocio é ir no jogo e apoiar o Furacão do inicio ao fim.

Geca disse...

Cara... gente imbecil do inferno. O que tem a ver esse texto? Sempre acham alguma coisa pra reclamar. Antes a diretoria atual era "Móle", não contratava certo. Aí depois Zimmerman, Adur e outros só queriam sugar o clube, teria sido péssimo negócio repatriá-los.

Agora o time tá no topo, como não víamos há muito, e aparece um pseudo atleticano com esse papo raso numa ora dessas? Vá a merda! Sempre inventam um factóide pra "merdar" o próprio clube. Isso não é torcedor... é boneco de ventríloquo, repetindo discursos prontos de gente com dor de cotovelo.

Se isso tudo tiver uma ínfima verdade, a ora de discutir é outra. Agora é Furacão pra cima dos adversários, cagalhões.

Domingo estarei lá. Peita rubronegra rutilante, a gelada na mão... e depois... Furacão à plenos pulmões.

CAVEIRAHHH DE TOLEDO-PR disse...

Geca, a partir do momento que começamos a ganhar parei com as críticas e vc deve ter percebido. Mas isto não muda minha opinião, principalmente a respeito do Adur, que queria, como é cediço, parte na venda de jogadores.

Com certeza não ouviram minhas reclamações, até pq não iriam se importar com um pobre torcedor que sofre muito a cada insucesso do furacão e muito menos ler as bobagens por mim escritas.

Na minha opinião, o time encaixou mais por méritos do mercenário do Carpa do que por méritos da diretoria. Mas como a fase é boa (e até nas ruins, mais ainda!) devemos apoiar muito.

E como bem vc mencionou a respeito da diretoria "que ao contrário do ano passado, dessa vez acertou.

E por mais que o texo do forévis seja MCPfuncamentalista ao extremo, é inegável que até o momento não há muito o que comemorar na gestão MM. Como foi dito, os garotos da base já estavam no CAP e esse é um grande diferencial deste time. Lucro na venda de jogadores também não tivemos nesta diretoria.

Mas é louvável a contratação de Baier no passado e a de Branquinho e Guerrón este ano. Disse, se vc lembrar, que por mais que Guerrón desse errado era uma excelente aposta e investimento. E não são todos os investimentos que dão certo, mas é necessário investir para se ter um retorno (financeiro e títulos) em chuteiras como foi prometido.

O time ganhando e indo bem eu me acalmo pode ter certeza. A crítica tem que haver sempre. Lógico que algumas as vezes podem até ser infundadas mas sempre buscarão o melhor para o nosso amado CAP. Se MM "ouviu as minhas críticas" bem que Bruno Mineiro podia ouvir também e deixar uns 2 gols na rede do Florminense. Não ficaria nem um pouco triste pode apostar.

Anônimo disse...

FANÁTICOS E ULTRAS QUE PAREM DE BABAQUICE E QUE TAMBÉM NÃO IMITEM A TORCIDA DO FLUMINENSE COM AQUELA PORRA DA MÚSICA DO PAULO RICARDO.
VAI SER EM REDE NACIONAL, POR FAVOR SEM MAIS QUEIMAÇÃO DE FILME.
É GRITAR O NOME DO CAP QUE TÁ LOUCO DE BOM.

Antonio disse...

À viúva anônima das 11:32:
O grande objetivo de um clube não é arrecadar dinheiro, gerar lucro, e sim prezar pelo futebol. Traduzindo, criar um time para jogar, e não um elenco para vender.
Não vejo vantagem nenhuma em mandar jogadores embora, grandes superávits, sendo que o time está ameaçado pelo rebaixamento.
O grande mérito da atual diretoria é justamente esse: investir no time do Atlético. Não é uma seleção, mas ao menos podemos almejar as primeiras posições.
Então, parem de reclamar. Se quiserem um time estritamente capitalista, por que não torcem pro clube do Carpa-traíra? Se a felicidade é vender jogadores, voilà!

Eu prefiro é ir torcer domingo, com a esperança (realista) de que meu time possa terminar o campeonato no G-3,5.
Saudações!

Anônimo disse...

Tem mais...Essa diretoria tá dando jeito de recuperar o patrimonio dos parasitas através do "diretor!!!! de futebol Ocimar Bolicenho. Com Petraglia tinhamos moeda, jogadores revelados no clube com contratos longos. hoje o que temos são jogadores emprestados e refugos de outros times. O Cap de Mólecceli faz contrato de 3 meses ???? brincadeira !!!! Mas a festa acaba. Logo o profissionalismo voltará ao clube, o bolicenho terá de voltar a trabalhar eo CAp será grande de novo.

Geca disse...

O chiliquento das 15:56 tá descontrolado. Deve tá doendo o coraçãozinho por ver o time indo bem com outro presidente.

Como costumo dizer, MCP merecia seguidores melhores do que essas histéricas falando phezes com suposições sem embasamento... repetindo discurso dos outros. O cara deve estar por dentro da administração do CAP... dá-lhe teoria da conspiração.

Infelizmente pras chiliquentas... o Furacão voltou a nos brindar com uma excelente campanha. Isso devia se repetir todos os anos. Agora, já pensou se o esforçadinho MM consegue a proeza de uma Libertadores... meo Deos... as capforevianas vão se descabelar. Mas lá naquele sítio tá sem assunto, com o time indo bem, então eles tem que inventar moda.

Furacão acima de tudo! Domingo vamo pra cima do FlorMerdense. Estarei lá!

Amplexo aos furaconenses.

Julio disse...

Domingo estarei na carreata. Comprei uns sinalizadores "estrela vermelha". Vou estourar quando o onibus sair do portão do CT. Com este espírito de levar o time para cima conquistaremos esta vaga para Libertadores. Aliás, o movimento Libertadores, eu acredito, deve começar neste domingo!

Anônimo disse...

Antes de mais nada, quero dizer que nao sou parcial a nenhum diretor, mas sim parcial ao CAP.

Tem gente dizendo que é melhor ter um bom elenco e ganhar titulos e pouco lucro do que muito lucro e ameaçado pelo rebaixamento.

O Petralia fazia o clube ter lucros e ganhava titulos, isso sem nem falar do que ele fez em termo de estrutura.

Ja o Malucelli fez a gente, depois de varios anos, voltar a lutar la em cima e nós nos damos por satisfeitos. REPITO: Nós estamos lutando lá em cima, mas nao conquistamos nada de concreto ainda, alem de um fuga bem antecipada do rebaixamento.

Eu realmente nao ligo pros negocios do Atletico, desde que ele ganhe titulos, e é inegavel que na Era Petralia teve bastante titulos ou vices.

Mas claro, tem hora pra tudo, estamos na hora de apoiar, ou pelo menos, nao cornetear.

Caso conquistemos a vaga pra libertadores ( e vamos conquistar ) não há motivo para críticas à gestao Malucelli.

Como ja disse, é hora pra apoiar, entao vamos LOTAR a Arena.

Anônimo disse...

ah mulek

Anônimo Revoltado disse...

Caveirahhh é analfabeto em escrita erudita, portanto, alguém do four-ever deve ter escrito por ele.
Essas e outras tentativas de denegrir a presente diretoria só denigre a anterior.
É uma atitude antipática vista por qualquer um, menos aos nossos adversários. Em suma, servem apenas de risos aos coxas.
Tenho absoluta certeza que o próprio Petráglia não colocaria o seu crivo numa asneira dessa ditas por esses argumentos vetustamente infelizes.