quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Poeta maldito

Pichações de poemas de Paulo Leminski, poeta, atleticano, nascido há 66 anos, em 24/08/1944. Uma homenagem um pouquinho atrasada. Mas sempre válida:
O pauloleminski
é um cachorro louco
que deve ser morto
a pau a pedra
a fogo a pique
senão é bem capz
o filhodaputa
de fazer chover
em nosso piquenique
  • Para baixar o livro Distraídos Venceremos clique aqui.
  • Para baixar o livro Caprichos e Relaxos, clique aqui.

3 comentários:

Anônimo disse...

Paulo Leminski, o irreverente "poeta
atleticano", carregava em si o poder da palavra. Digo que, com isto, também contribuiu no crescimento do Furacão, positivamente, ao contrário do caveirahhh com seus berros de mula que hoje o prejudica.
Eu mesmo!

Geca disse...

Guerrilha, me permita, abaixo colocarei o meu poema preferido de Paulo Leminsky.

Mas antes, faço questão de lembrar que nós, paranaenses, assim como não valorizamos nossos clubes, torcendo pra clubes da mídia, sequer sabemos das nossas coisas, da nossa história, da nossa literatura. Em outros estados se sabe mais de Leminsky do que nós mesmos... e nossa identidade continua ralo abaixo.

“Este planeta às vezes me cansa
Almas pretas com suas caras brancas
Suas noites de briga braba,
Sujas tardes de água mansa,
Minutos de luz e vapor
Casa cheia de doce,
Ondas tinindo de dor,
Acabou-se o que era amargo,
Pisar esse planeta
Como quem esmaga uma flor”
(Paulo Leminski)

Anônimo disse...

Confesso que o pouco que conheço foi eternalizado pelo Ivo...
Saudades
Enéas