terça-feira, 20 de julho de 2010

Para melhorar a estatística e sair do sufoco

Dizem que a fria estatística, por si só, não representa exatamente o que é o futebol. Pode ser. Mas explica muita coisa.
No último post, falei sobre a incapacidade de o Atlético vencer fora de casa.
Mas o jogo desta quarta é na Baixada.
Vamos aos números.
Voltemos a 2001. Das 16 partidas na Arena (na época não havia returno, era apenas uma partida contra cada equipe além do mata-mata final), foram 12 vitórias e 3 empates. Apenas uma derrota. O retrospecto fora de casa também foi bom naquele ano, mas sem dúvida foi o efeito Caldeirão que fez a diferença para o título ficar em nossas mãos.
E em 2004, então? Agora sim, já na era dos pontos corridos. Foram 23 partidas em casa. Nada menos do que 16 vitórias, cinco empates e somente duas derrotas, ainda no início da competição. Resultado excelente. Embora tenha ficado o dissabor de apenas empatarmos com os coxas e os parasitas - pontinhos que fizeram falta lá no final.
De lá para cá, o saldo não tem sido tão positivo, mas ainda assim é o fator Baixada que tem nos salvo do rebaixamento iminente.
Em 2005, 21 jogos em casa e 13 vitórias; em 2006, 19 jogos e 9 vitórias; em 2007, 19 jogos e 10 vitórias. Em 2008, mesmo com a frequente, bizonha e infelizmente já costumeira troca de treinadores no meio da competição (Ney Franco, Roberto Fernandes, Tico Santos, Mário Sérgio e Geninho comandaram o time durante o Brasileiro), foram 19 jogos e 10 vitórias na Arena. E, ano passado, voltamos a registrar 9 vitórias, como em 2006.
Neste Brasileirão, o CAP disputou 4 partidas na Baixada; venceu duas, empatou uma e perdeu outra. Exatamente na média dos anos anteriores.
Mas, também como nos anos anteriores, o ridículo desempenho como visitante nos empurra para a maldita zona do rebaixamento.
Daí a extrema necessidade de vitória contra o Santos.
Uma vitória que, além de melhorar a estatística dentro do Caldeirão, dependendo dos outros resultados pode nos tirar desta maldita zona.
Pelo menos até o próximo jogo fora...
A luta contra a ZR:

13º São Paulo 11
14º Goiás 11
15º Botafogo 10
16º Atlético-MG 9
17º Grêmio 9
18º Vasco 9
19º Atlético 7
20º Atlético-GO
4

12 comentários:

Tiago disse...

DECLARAÇÃO DO CARPA : ¨estou esperando apenas o Guerrón pra acertar o time ¨. Pergunto: O Guerrón vai jogar nas onze posições??? O que poderá fazer o Guerrón pra que nossa defesa deixe de tomar tantos gols ??? Carpa, um time de futebol é composto por onze jogadores e um técnico que saiba armar um esquema tático condizente com o grupo que tem nas mãos. Por que Claiton, Vitor, Mithyuê, Maikon e Tiago não tem chances neste time????

Geca disse...

Leandro na zaga me deu medo... aliás, um jogador como ele vestindo a camisa do CAP é a cocretização da nossa situação horrenda defensivamente. O cara é perdido, lento, inseguro e ineficaz. Péssima contratação. No ritmo de expulsões que temos tido, correremos sérios riscos de continuar essa estatística frente ao leve e veloz time santista. Coitado do Rodolfo... vai ter que se virar.

De qualquer forma, muito pertinente o post, Guerrilha. A ausência do ganso é um alento... mas que vai ser muito phoda, vai.

Que o Furacão reencontre sua força no caldeirão, que o bicho pago pelo MM seja suficientemente bom pros boleiros mercenários e que Deus nos ajude.

Corneta centauro 1 disse...

Hoje o CAP vai mostrar se é um time ou A "teta" do campeonato. Aquele que é 3 pontos garantidos pra qualquer um. Tipo quem perde pontos com o Atletico chora porque todos ganham!!! Espero que não seja isso. Como estou em Ponta Grossa hoje, vamos reunir a maior galera pra acompanhar o jogo.
FORÇA FURACÃO. EU ACREDITO...ainda

Julio disse...

Vou com dois sentimentos hoje a noite. O primeiro de apreensão, já que o time não representa mais a mística do Caldeirão. O segundo é de indignação com os consumidores do Atlético. Sei que hj será o festival de chiliques, qualquer toque na bola, uma segurada a mais para ver um melhor posicionamento do companheiro será motivo de chiliques nervosos, ataque de viadice e tudo mais. Nervos a flor da pele, estarei lá!

JMK disse...

O Furacão está levando "azar" ou como dizem atravessando má fase. Que isto não traga insegurança e desentendimento no grupo, pois é comum, numa derrota um empurrar para outro a batata quente.
Em 2005 começamos mais ou menos como este ano mas, jogamos com reservas, pois os titulares disputavam Libertadores.
Ainda é tempo de reagir; temos que vencer a "maldição" que ronda o nosso Furacão.
No futebol a gente vence ou perde por "pequenos" detalhes.
Lembremos do jogo contra o Vasco: O 1º foi falha do Neto e sorte do Vasco, o 2º o Rhodolfo deu condição senão o atacante estaria impedido, O 3º ninguém deu combate ao cara que chutou livre e tranquilo. São meros detalhes... Ódio!

Tiago disse...

O CARPA vai ter que , urgentemente, arrumar nossa defesa.
Ela é a pior do campeonato com 20 gols tomados, seguida de perto pela defesa do xará mineiro com 19 gols tomados. Depois, só aparecem defesas com 14 gols tomados (a diferença é gritante). O nosso ataque fez 11 gols, estando na décima colocação do campeonato. Ou seja, acho que TÁ BEM FÁCIL pra perceber aonde está o nosso maior problema. E o CARPA apenas preocupado com a estréia do Guerrón.

Anônimo disse...

acho que perdemos...

Geca disse...

Acho que todos tem sua parcela de culpa. A maior fatia é da direção que esperou chegar a metade do ano pra fazer o que todos os torcedores sabiam que era urgente: contratar. O resto pode ser dividido entre elenco e técnico, pois o time não é tão ruim quanto está se mostrando. Carpa (que acho bom técnico) porque (na minha opinião) não tá sabendo escalar nem mexer no time, além de não ter aproveitado proficuamente os 40 dias pra definir um esquema titular e mostrar convicção. O elenco porque parece desinteressado, pouco coeso e mais preocupado em "se o bicho vale a pena".

Todavia, que venha o Peixe, pois se o adversário impõe respeito, também é uma barreira sensacional pra transpor, afinal, a vitória dará elevada moral pra sequência.

Apenas pra constar, alguém viu a garota furacão desse mês? Meo Deos, com todo respeito, deve ter sido escolhida conforme a situação do time, ou seja... precária.

E pra findar, um pedido: galera da Getúlio (logicamente não são todos), a gente vai a Baixada pra torcer. Pra vaiar vai a torcida adversária. Não precisamos de gente que reme contra, mas de furaconenses que estejam imbuídos do espírito da torcida do Furacão: apoio incondicional.

esou disse...

A gafe imperdoável desta diretoria é que os reforços estrangeiros, passados mais de mês e não ter a papelada para aparecer no BID, foi de moer! Haja paciência!

Quanto ao jogo de hoje, para mim, não pode haver essa de hoje tem que vencer. Contra o Cruzeiro o time mostrou que poderia ter vencido. Contra Vasco... há jogo de volta.

Torcer como Atleticano, sem "tumulto" que só prejudica e esperar lisura na arbitragem.

Bruno disse...

Concordo contigo, confrade Geca. A Garota Furacão ta mais para garota ventinho! Ja vi gatas mais bonitas na Baixada...

Qto ao jogo, só uma coisa a dizer: AVANTE FURACAO!!!

Anônimo disse...

Calma com a papelada, que o Bolicenho e o titio enéas estão providenciando. Mais segundo muitos mestres aqui (aqueles que não são cornetas) tem que deixar os caras trabalharem, rssssssss.

Anônimo disse...

Que tongo este anônimo...doído no sentador...
Enéas