quinta-feira, 17 de junho de 2010

Obrigações

Por Augusto Mafuz:
É um mandamento a diferença entre a exclusão do Morumbi para jogos da Copa e a Arena da Baixada. O Morumbi foi riscado porque o São Paulo é que formalmente assumiu o compromisso de oferecer as garantias financeiras exigidas pela Fifa. No caso da Arena, esse compromisso foi divido entre Atlético, município de Curitiba e governo do Estado do Paraná.

Existe uma lógica entre a obrigação do Atlético e dos agentes públicos. Enquanto esses se responsabilizaram por 70% da obra, o Atlético se responsabilizou por 30%. E já executou 20%.

Entendo que o Atlético deveria tomar uma providência: informar à Fifa, pela CBF, que o poder estatal não está cumprindo a obrigação que assumiu. O que não pode é o clube aparecer como o patinho feio de todo esse processo, quando a culpa é dos governantes.

10 comentários:

Anônimo disse...

primero

Anônimo disse...

A Copa é da Cidade de Curitiba, o vagabundo do Beto Richa, Ducci e vereadores que arrumem uma solução.
A mais viável é deixar nas mão do PETRAGLIA.

Anônimo disse...

E a TOF? Já morreu. Está nas mãos daquele gordo vagabundo, que com um cargo público não faz NADA a favor do CAP.

A TOF já foi uma torcida que dava exemplo, hoje é a empresa do Sr. Vereador Julião, um ignorante semi-analfabeto manipulador de adolescentes maloqueiros.

Este cara fez a TOF virar um câncer. Se ele sair e um dia a torcida voltar a existir, vou ser o primeiro a participar.

Anônimo disse...

E a Fanáticos? Já foi uma torcida de verdade. Hoje é a empresa do Sr. Vereador Julião, um semi-analfabeto que não tem condições nem de dirigir uma banquinha de jornais.

Esse manipulador de adolescentes de classe D e baixa educação não fez nada como vereador para ajudar o CAP. Ao contrário, cansei de ver no meio da tarde este gordo vagabundo andando de bermuda pela cidade.

O dia que a OTF voltar a ser uma torcida (eu duvido que este gordo vagabundo e explorador largue o osso) serei o primeiro a apoiar.

Anônimo disse...

Faltou o choro da viúva...

Anônimo disse...

Gente séria falando coisa séria:
Arena na Copa 2014


16/06/2010 por Marcos Vinicius Zarpelon Favero

Em verdade faço uso deste espaço fornecido pela Furacao.com para questionar aos demais atleticanos que eventualmente tenham conhecimento sobre o assunto 'processos licitatórios'. Eis a questão:

Curitiba e o Estado do Paraná têm total interesse em sediar a Copa 2014, uma vez que os investimentos na cidade e no Estado atingirão a marca dos bilhões, e englobariam melhorias nos aeroportos, nas rodovias, e em diversos outros setores que afetam diretamente à população como um todo.

No entanto, há um problema para se sediar um evento destas proporções, qual seja, a necessidade de construção de um estádio nos padrões exigidos pela FIFA, que de nada mais serviria ao Estado ou à Prefeitura senão para a própria Copa do Mundo.

Ou seja, a Prefeitura e o Governo necessitam de um estádio apenas para a realização da copa do mundo, pois perder a oportunidade de receber todos os incentivos financeiros que serão disponibilizados às cidades-sede, após receber o direito de ser uma delas, seria no mínimo uma 'burrice'.

Portanto, há que se reconhecer que estamos diante de um caso muito singular, que em toda nossa história só ocorreu por duas vezes, esta e a outra em 1950 quando recebemos os jogos na Vila Capanema.

No entanto, a situação possui diversas semelhanças, guardadas as devidas proporções, com diversos outros casos enfrentados pelos entes públicos. Explica-se:

Por exemplo, o Município de Curitiba e o Governo do Estado certamente possuem diversos helicópteros, digamos que possuam 10 aeronaves. Caso viesse a sediar um evento político de proporções globais, em que necessitasse de ao menos 50 outros helicópteros para transportar os líderes de Estado e realizar a sua segurança, o que seria feito?

Ora, certamente seria aberto processo licitatório, através do qual os entes governamentais receberiam diversas propostas de entidades privadas, que se propusessem, ou a vender, ou a alugar helicópteros para a realização do evento.

Após a análise das referidas propostas, seria escolhida aquela mais vantajosa ao Estado, ou seja, aquela mais barata, uma vez que os helicópteros seriam utilizados apenas e tão somente para a realização daquele evento.

Pois bem, o caso da ARENA é exatamente igual. O Estado do Paraná e a Prefeitura de Curitiba precisam de um estádio dentro dos padrões FIFA, pois bem, então que seja aberta uma licitação para a contratação de tais serviços, e que, após apresentadas todas as propostas, seja escolhida aquela que atenda da melhor forma os interesses dos paranaenses.

Por certo que a proposta a ser apresentada pelo CAP seria a vencedora, uma vez que não há qualquer possibilidade de alguma outra entidade apresentar projeto com custo menor que R$ 400 milhões para a construção de uma arena, enquanto o CAP propõe o pagamento de 'apenas' R$ 140 milhões.

Ou seja, deste modo a locação da ARENA para a COPA 2014 estaria sendo feita dentro de todos os ditames legais, bem como estaria sendo respeitado o interesse do povo paranaense, que ao invés de gastar R$ 400 milhões com a construção de um elefante branco, que jamais daria qualquer retorno decente, estaria despendendo R$ 140 milhões e após a realização da COPA 2014 não teria mais com o que se preocupar, além de economizar outros R$ 260 milhões para a realização de outras obras.

E para aqueles que dizem que o CAP estaria sendo beneficiado, então que saiam por ai reclamando de todas as empresas que, por investirem bem, e possuirem capacidade e estrutura, vencem processos licitatórios e recebem do governo para lhes prestar serviços.

Aguardo a análise dos especialistas.

Obrigado do Titio Enéas a quem recomendou a leitura no post de ontem. Os deputados, prefeito e governador já leram isto? URGENTE então.

Luiz Andrade disse...

Há semelhanças e preocupantes.
1) Ambas cidades apresentaram projetos de estádios privados;
2) Ambos clubes proprietários votaram contra o candidato "laranja" do Teixeira no Clube dos 13;
3) Nas 2 cidades a perda da copa, representaria um baque em candidatos de oposição ao governo federal de quem Teixeira é aliado.


Fala sério a reforma exigida do Morumbi era maior que R$ 600.000.000,00. Ou seja mais do a maioria dos estádios que serão construídos. A tal Arena coxa de galinha e gralha sairia por menos de 500.000.000,00.
O São Paulo propôs uma reforma de cerca de 300.000.000,00 que sequer foi analisada. Me parece politicagem pura.

Luiz Andrade disse...

Outra, cá como lá prefeitura e estado não poderiam se comprometer em arcar com a construção (a não ser talvez, através de fundos de incentivo ao esporte semelhantess aos da cultura e patrimônio histórico) já sabendo que tal prática seria considerada ilegal.
Tanto quem apresentou o projeto local, quanto os que analisaram e fizeram a seleção entre as cidades candidatas, saberiam disso e levariam em conta esse aspecto.

Julio disse...

Vejam só como é esta imprensa verde. O tal de Napoleão e André Pugliese estamparam ontem uma matéria que excluiu a Arena. Mas vejam só, com a exclusão da Arena em favor do Pangarezão o metrô em Curitiba não sairá. O dinheiro do PAC para o metrô está amarrado a Copa e a linha norte/sul atenderá a Baixada. Outro ponto. Florianópolis foi excluida pela Fifa pelos acessos aos estádios. O Pinheirão (credor do Atlético) possui apenas uma via de ligação com o centro e todos os bairros precisam convergir para um único caminho. A Baixada é central, com ampla rede hoteleira, de transportes, de gastronimia, de cultura e lazer, sendo possível chegar ao estádio de inúmeros caminhos. Duvido que a cidade prescinda do metrô pelo projeto meleca.

VANGUARDA DA BAIXADA disse...

Empresa estatal faz publicidade? SIM

Empresa estatal faz anúncios em jornais, rádios, revistas, TVs, internet, etc.? SIM

Empresas estatais podem patrocinar clubes de Futebol? NÃO??

WHAT, MOTHERFUCKER??

No Brasil, diferente de boa parte da Europa, os clubes de futebol, diferentemente de empresas de comunicação, são associações sem fins lucrativos, não são empresas cujo principal objetivo é resultar em lucro para seus proprietários.

Patrocinando o CAP, vinculando sua marca à Baixada, qualquer empresa terá uma considerável exposição, principalmente considerando a vinda da Copa para o nosso rincão.

Porque então tanta polêmica em relação a um eventual naming ratings entre a Copel e a Arena??

WHAT, MOTHERFUCKER??

Cade a indiguinação quando as empresas estatais pelo país afora investem em publicidade em empresas privadas, que ao invés de incentivar o esporte nacional, somente serve para deixar alguém mais rico??

Para terem uma idéia, somente o governo Federal prevê gastar em 2010 R$ 700 milhões, fora o restante do dinheiro público que é gasto por estatais (petrobrás, eletrobrás, etc.), governos estaduais e municipais. Cade a indiguinação em relação a isto, afinal é o mesmo dinheiro público, usado com fins muito menos nobres, afinal estamos em ano eleitoral.

SHIT!!

Quem critica e fica fazendo fervo sobre o patrocíno da Copel para o CAP e fica calado em relação às gastanças, ou é ignorante, ou é covarde, ou é conivente ou tá mamando na teta.

MOTHERFUCKER!!

Quem quiser ler mais sobre os gastos estatais com publicidade acesse: http://contasabertas.uol.com.br/WebSite/Midias/DetalheMidias.aspx?Id=1547

SRN