sábado, 19 de junho de 2010

O outro lado da moeda

Meus amigos, não quero cometer qualquer injustiça. E, antes que botem Marcos Malucelli num paredão, e não me refiro àquele do BBB, também faço aqui uma defesa.
A questão "Copa na Baixada" não é de solução assim tão fácil.
E se por um lado a declaração de Malucelli à rádio Transaméria foi extremamente infeliz, os motivos que levaram a ela é que devem ser refletidos.
Nem vou me ater aos motivos políticos - a rixa entre o atual presidente e o anterior, Mario Celso Petraglia, grande idealizador do Projeto Copa. Mas somente aos técnicos.
Além da dificuldade em levantar os recursos necessários, já que município e principalmente o estado tiram o corpo fora, há outros aspectos a serem analisados.
Por exemplo, eu não sabia que o Atlético vai precisar ficar dois anos longe da Baixada por conta das obras. Dois anos, meus caros. Duas longas temporadas. Inicialmente, nem se sabia se o Atlético precisaria sair de seu estádio. Depois, falou-se no prazo de um ano. Agora, dois. E vamos jogar onde nesse perído?
O Furacão já viveu vários anos no exílio, mesmo na primeira fase de obras da Arena, sempre acompanhado por sua fiel torcida. Foram jogos no Pinheirão e mesmo na Vila Capanema. O estádio da RFFSA, atualmente, pode não ser mais uma alternativa. Segundo o site do Atlético, o número de cadeiras adquiridas pelos Sócios-Furacão chega a 21.698 - número superior aos 20.083 lugares que dizem ter na Vila. Mas, como a diferença não é tão grande, pode até ser que um acordo seja possível.
Já quanto ao Pinheirão... O estádio da Federação Paranaense de Futebol está interditado há mais de 3 anos pelo Ministério Público por falta de segurança. Totalmente abandonado de forma criminosa pela administração Hélio Cury, está hoje aos frangalhos:

Uma saída possível seria o governo do estado se comprometer também a fazer uma reforma básica no Pinheirão e colocá-lo em ordem para receber jogos oficiais enquanto durarem as obras na Baixada. E esse compromisso precisa ser negociado desde já com a administração estadual.
Se nenhuma destas duas opções vingar, a situação fica bem difícil.
Essa é uma questão a ser ponderada na hora de tomar uma decisão. Toda essa briga para sediar a Copa é válida, mas não pode deixar de lado aspectos importantes como esse. Que, aliás, deveriam estar sendo debatidos com os sócios do clube já há muto tempo.
Aliás, o que é que os sócios pensam sobre ficar longe da Baixada por dois anos? Não me consta que qualquer pesquisa tenha sido feita nesse sentido.
Sem falar na situação dos lojistas da Arena.
Como se vê, a situação não é assim tão fácil. Não é apenas querer receber a Copa ou não querer.
Receber a Copa do Mundo tratá um bônus fantástico ao clube. Mas não nos esqueçamos do ônus.

17 comentários:

Luiz Andrade disse...

Enquanto o debate estava nesse nível, que vc coloca Guerrilheiro, eu estava até concordando, mas o que me ficou na cabeça é: "Não vejo qualquer razão para a Copa na Arena, MESMO COM RECURSOS".
MESMO COM RECURSOS?
Não há outra interpretação possível.
Ele não quer por que "interessava a quem comandava o clube na época" e pronto. Mesmo que alguém apresente a solução ele não quer, e pronto, bateu o pé e pôs as mãos na cintura. Ele se torna suspeito para conduzir as negociações, pois se a copa não vier para a Arena a grande maioria vai achar que foi por que ele não quis, afinal foi ele mesmo quem o disse.

Anônimo disse...

Não é bem assim, enquanto um lado passa pela reforma pode ser utilizado outro e assim sucessivamente.
O perído que ficaremos afastados será inferior a um ano.
Desde quando foi efetuada a proposta da Copa todos já sabiam que por um perído teríamos que ficar afastados da Baixada.
Planta-se para colher mais tarde.

Hélio Rubens Godoy disse...

Apesar de toda a má vontade do MM em relação à Copa na Baixada, avaliou que os atleticanos desejam sim a competição em nosso solo sagrado. Portanto, o restante da diretoria, os sócios, as organizadas e todos aqueles que desejam ver a Copa em Curitiba e no Paraná, sem distinção de Clube ou interesse político, temos de nos mobilizar, de forma articulada e eficaz, para fazermos prevalecer a proposta mais coerente e não deixar que factóides criados para favorecer alguns prejudiquem a sociedade curitibana e paranaense.

Como disse anteriormente em outro post, porque não viabilizarmos um FUNDO COM O DINHEIRO DO PLANO DE SÓCIOS, exclusivamente para a conclusão da Baixada? Só o fato de saber que o dinheiro está sendo empregado nesta obra, já será um grande incentivo para a massa atleticana adquirir uma cota do plano. Vide o que ocorreu com a com aconstrução da reta da Brasílio Itiberê no ano passado. Quando praticamente todos os lugares já estavam vendidos, antes mesmo da finalização das obras.

Teríamos de avaliar com mais detalhe, quanto seria o montante arrecadado, o total da dívida e o tempo para sua amortização. Mas, creio que com um empréstimo via BNDES com um prazo de 10 anos, seria completamente possível a conclisão da Baixada sem recorrer a dinheiro público a fundo perdido.

SRN

Geca disse...

Muito pertinente esse teu post, Guerrilha. Minha opinião no post anterior foi sobre a declaração do MM, que foi péssima e feita na pior hora.

A Copa na Arena é questão de opinião, não de grau de atleticanismo. Por isso sempre disse, se a copa vier sem ônus, ótimo, por que não? Todavia, se o clube tiver que gastar, a avaliação deve ser muito mais profunda... e eu, particularmente já sou contra. Pois o clube não tem que arcar com a Copa além de ceder a praça.

Contudo, MM, como presidente do clube, diante do fato da Arena já ter sido ofertada e ser o carro chefe da Copa em Ctba, não podia ter feito pior declaração.

De qualquer forma achei legal da tua parte esse post, porque mostra empatia e discernimento... coisas que faltam demasiadamente na sociedade.

Espírito Atleticano disse...

Eu sou o espírito atleticano, sem vínculo com nenhuma facção e desde o início estou batendo nesta tecla (do Guerrilheiro) no que diz respeito a Copa e CAP.
Tudo seria fácil e todos ganhariam se houvesse consenso, seriedade e dissernimento nesta questão.
O vil orgulho de cada um está pondo a perder um acontecimento histórico para o Estado.
Já não se trata de mero clubismo, trata-se de patriotismo regional que parece ter sumido nesta "Terra sem Deus".
Vamos lá Povão, UNIDOS VENCEREMOS!

Anônimo disse...

O clube deveria exigir ao Comite da Copa local que pagasse o aluguel de um novo estádio até a conclusão da Arena, por exemplo, se fossemos pra vila capanema com esse dinheiro melhorariamos o estadio pra se adequar ao no. de sócios do Cap e a serie A.
A diretoria já devia estar vendendo cadeiras, camarotes e principalmente os espaços comerciais da próxima fase do estádio. O Inter ja está nessa fase.

Anônimo disse...

Ao anônimo acima, a venda de cadeiras não tem que ser usada para adequação e sim para conclusão do setor BI.

CAVEIRAHHH DE TOLEDO-PR disse...

MITHYÛÊ?

O CARA FOI CRAQUE NO SALÃO E PROMESSA NO CAMPO.

SE MACHUCOU E FICOU MAIS DE UM ANO PARADO.

SERÁ QUE VIRÁ BICHADO IGUAL O JOÍSON

RESOLVERÁ NOSSOS PROBLEMAS? VAMOS APOSTAR E SE DER CERTO VOLTA PARA O GAYMIO. SEM GANHARMOS NADA.

NÃO SERIA MELHOR INVESTIR EM OUTRO JOGADOR E QUE SERIA NOSSO EM UMA EVENTUAL VENDA?

ESQUECI. INVESTIR NÃO É COM O O MOLENGACELLI.

COPA 2014 NA ARENA É OBRIGAÇ~AO.

DEPOIS VAMOS VER ONDE JOGAR. ISTO 'E DESCULPA.

OS S'OCIOS QUE V`AO AO JOGO NUNCA D'A 21000 PESSOAS. EU SOU S'OCIO E VEJO 2 JOGOS POR ANO.

QUEM QUER IR NA VILA PINBTIO POR EXEMPLO, E 'E S'OCIO QUE RETIRE UM DIA ANTES O INGRESSO NA ARENA.

OS S'OCIOS V~!AO ENTENDER.

ISTO 'E DESCULPA DE FRACASSADO!

HAY QUE RENUNCIAR.

REN'UNCIA OU MORTE.

MORTE INFELIZMENTE S'O DO ATL'ETICO...

Julio disse...

Como sócio. Sou contra. O Atlético está se desgastando demais com este assunto. Deveria estar focado somente no time, razão da sua existência. Copa é para a Fifa e o Gov Federal se preocupar.

Anônimo disse...

Desculpa Guerrilheiro, "Mas não existe OUTRO LADO DA MOEDA"

- 40.000 LUGARES é a capacidade minima para finais em competições internacionais (notamos que MM joga sem ler regulamentos) um fulano sem ambições.

- Se tiver recursos, por que não?

- Ainda teremos o estadio mais bonito ficou feio.

RECONHEÇA GUERRILHA, O MM É INCOMPETENTE, JAMAIS DEVERIA TER ASSUMIDO UM CARGO DESSA MAGNITUDE.

ELE FALOU MERDAS SIM, MOSTROU BEM SUA FACE, FICAREMOS ENTRE OS 12? DUVIDO!

TEMOS UM CECAP LOTADO DE CHINELOS RECEBENDO EM DIA E O OCIMAR TAMBÉM.

Guerrilha, você não mordeu o MM, então não precisa assoprar.

Corneta centauro 1 disse...

MM Não quer a copa mesmo com recursos. Simples, só não quer porque foi idealizada e trazida a Curitiba pelo MCP. Fico pensando aqui com meus botões se ao invés de Petraglia, Maluceli fosse o presidente em 1995 ? Certamente a construção de um estadio e um Ct seria utopia pra esse advogadinho amigo do Bolicenho. Com certeza não teriamos nem estadio e nem CT. Ia dizer que não teriamos nem time mas não temos mesmo. Vide suas contratações. Tiago e Paulinho e pra fechar o caixão Mituê...è pra acabar, rir ou chorar.

Mike disse...

Eu não me importo de voltar a ir ao Pinheirão por um tempo. Nem um pouco, pois saberei que a Arena estaria sendo reformada e ficar ainda mais linda.

Esse Malluceli é mal intencionado, maluco, teimoso, incompetente e perigoso. Está agindo nos bastidores. Têm que ser detido AGORA. Se ficarmos parados, vamos todos sair perdendo. Todos t
em que se mexer AGORA!

www.socioscap.com

Anônimo disse...

mike, CUPINCHA DO pet.

Anônimo disse...

Apenas uma pergunta aos que defendem Copa na Baixada:
É o CAP que está fazendo favor de ceder o Estádio ou é a comissão da Copa ao Atlético?

Marcos Malucelli pede pra Sair disse...

já ficamos 2 anos fora da baixada.

ninguém morreu!

se for para crescer vale o esforço.

o que não vale é dizer NÃO pelo simples fato de dizer NÃO!

Marcos Malucelli, olha para o relogio de 15 em 15 minutos e não vê a hora de chegar dezembro de 2011.

Um coitado que imaginou que o presidente tinha o mesmo fardo de um dir. juridico ou de futebol.


Não é para qualquer um a presidencia de um clube de massa.

Anônimo disse...

A conclusão da Arena nos moldes do caderno de encargos da Fifa, para a Copa de 2014, é um dos pontos fundamentais do plano de gestão resgistrado junto à Chapa Coração Rubro-Negro, nas eleições de 2009. Foi com base nesse plano que a chapa que atualmente compõe o Conselho Deliberativo foi eleita pelos sócios do CAP.
Foi para implementar o projeto escolhido pelos sócios do CAP que o Conselho Deliberativo elegeu os atuais membros do Conselho Administrativo. Malucelli, Fornea e Yara foram escolhidos para conduzir o clube de acordo com as diretrizes desse plano, eleito pela grande maioria dos atleticanos.
Ao renunciar à Copa na Baixada, a atual diretoria abandona uma das principais metas e dos mais explícitos compromissos apresentados e aprovados pelos sócios do CAP. Além de um dos principais projetos a que o clube se dedicou nos últimos 13 anos, com esforço e trabalho.
Ao abandonar as diretrizes e objetivos do plano de gestão escolhido pelos sócios, o atual Conselho Administrativo perde a legitimidade para continuar dirigindo o CAP. Pois é não é legítima a liderança que conduz o clube na direção contrária daquela definida e ditada pelos sócios atleticanos na mais democrática eleição já realizada pelo clube.
Diante da traição do Conselho Administrativo aos pontos fundamentais do programa de gestão eleito pelos sócios do CAP, é obrigatória uma atitude do Conselho Deliberativo, no sentido de defender o projeto democraticamente escolhido pelos atleticanos. Sob pena de o próprio Conselho Deliberativo perder também sua legitimidade.
O nome de cada membro do Conselho Deliberativo está registrado nos arquivos e na história do CAP ao lado do plano de gestão que aponta a Copa na Arena como um dos principais objetivos e compromissos para o triêno 2009-2011. Foi para garantir o cumprimento das metas e preceitos apresentados pela chapa Coração Rubro-Negro que os atuais conselheiros foram eleitos.
A omissão do Conselho Deliberativo diante da traição do Conselho Administrativo a pontos fundamentais do projeto escolhido pelos sócios, caso persistir, se configurará também em uma traição dos conselheiros aos sócios atleticanos, que os escolheram para garantir a condução do clube de acordo com o projeto apresentado pela chapa Coração Rubro-Negro. E abrirá espaço para uma ação direta dos sócios, que possuem, estatutariamente, a legitimidade para reunir o clube em sua instância suprema, que é a Assembléia Geral dos Sócios, soberana para definir a continuidade ou afastamento dos atuais dirigentes do CAP.

Anônimo disse...

POR FAVOR, ALGUÉM PODE EXCLARECER SE MM SIGNIFICA MARCOS MAFALDA QUE SÓ ABRE A BOCA PARA FALAR BESTERA?