domingo, 14 de fevereiro de 2010

As visões de Petraglia

Em entrevista à Gazeta do Povo deste domingo, o ex-presidente do Atlético Mario Celso Petraglia fala sobre a Copa 2014 e o término da Baixada, e volta a defender um estádio único para a dupla Atletiba - na verdade, na visão dele, a única forma única de conseguir um aporte milionário de dinheiro público para terminar o projeto nos padrões Fifa. Confira os principais trechos da entrevista:

O senhor prevê uma mudança na forma de ver o futebol no Brasil a partir da Copa de 2014. Será um novo espetáculo ao vivo em 12 es­­tádios apenas ou passa para os ou­­tros?

Isso já está havendo. É uma onda, é a pedra do lago. A cidade de Cu­­ri­­tiba, pluff, isso aí vai irradiar, já es­­tá irradiando. Na capital os outros clubes terão de fazer a mesma revitalização porque o assistente daqui vai comparar com a qualidade de lá e não vai se subordinar a assistir em outro nível. Ponta Grossa já está falando em fazer arena – claro, menor, com menos requinte –, Maringá, Londrina, interior de São Paulo, o Palmeiras está construindo uma nova. É uma onda que vai revitalizar o futebol brasileiro.

A conta dos estádios da Copa fechou com 94% de investimento público. O senhor vê gente disposta a investir nessa onda?

Eu acho que será 100%. E é investimento público, público. Quem tomará o financiamento não vai ser a iniciativa privada, vai ser go­­verno, para facilitar seu fluxo de caixa, seus orçamentos, para diluir isso em 10, 15, 20 anos. O investidor será o poder público.

Esse é um ponto que gera muitas críticas. A imediata é a de prioridades de investimento. Ao invés de investir em estádio, que se in­­vista em saúde, educação, segurança.

Isso é uma visão extremamente mío­pe. Quem levanta esse tipo de coisa não sabe o que é uma Copa do Mundo. Segundo estudos de viabilidade apresentados ao governo brasileiro, cada R$ 1 investido na Copa do Mundo tem R$ 10 de retorno no período de amortização do investimento. É prioridade zero o Brasil trazer uma Copa do Mundo, assim como a Olimpíada. Você não organiza um país para receber uma Copa do Mundo. Você recebe uma Copa do Mundo para reorganizar alguns setores do país. Serve como vetor.

Pretende participar como dessa operação Copa?

O que eu tinha de participar, já participei. Fomos superando obstáculo por obstáculo e acabamos conseguindo. Fiquei especialmente sa­­tisfeito, feliz e orgulhoso, dia 31 de maio, quando as 12 cidades foram anunciadas pelo presidente da Fifa e vi que Cu­­ritiba era uma delas. Ali, dei por encerrada a minha missão.

O senhor conseguirá se manter como mero espectador pelos próximos quatro anos e meio?

Não vou ser mero espectador no resto do Brasil. Aqui, em Curitiba, serei mero espectador, não quero me envolver, porque a aldeia é complicada. O nosso objetivo era de fazer um projeto, elevar o Atlé­­tico Paranaense a um nível de destaque estadual além do que ele tinha e nacional que nunca teve. O futebol paranaense, nos 100 anos de existência, sempre foi considerado de segunda classe. Quando as cinco cidades previamente foram escolhidas (como subsedes da Copa) – Brasília, Rio, São Paulo, Be­­lo Horizonte e Porto Alegre –, eu dizia ao Ricardo Teixeira: “Pre­­si­dente, por que não Curitiba?”. E ele: “Mário, qual é a representatividade que vocês têm no futebol? O que vocês representam no futebol nacional para ser naturalmente escolhido? É futebol que nós va­­mos disputar, não é qualidade de vida”. Cansei de ir a reuniões de entidades dos clubes em que o Pa­­raná e nada é a mesma coisa. Mui­­tas vezes, entre aspas, me senti li­­xo. Na divisão do bolo, na força po­­lítica, quando se atribui uma pena por algum ilícito, na formação de uma tabela, nas transmissões dos jogos. Lixo.

O futebol paranaense está regredindo?

Não. Nós crescemos em razão de um momento pontual, muito mais pelo enfraquecimento dos considerados grandes do que pela nossa força. Os grandes começaram a se reorganizar, se mexeram. Nós não temos estrutura nem condição de orçamento para estar en­­tre os maiores clubes brasileiros. A performance em campo, atualmente, é diretamente proporcional ao fluxo de caixa. Em 39 anos, o São Paulo tem seis títulos brasileiros. Em 35 anos, ganhou três. Nos últimos quatro anos, três. E quase foi de novo. Como nós, com um orçamento cinco, seis vezes me­­nos, vamos concorrer em uma atividade extremamente profissional, de altíssimos valores envolvidos, na mesma competição?

A realidade do futebol paranaense é essa: lutar para não cair na Série A e ter algum destaque na Série B?

Se não tiver alguma coisa realmente moderna, visionária, revolucionária, que una esforços, que crie a mais valia, alavanque receitas, vamos voltar na proporção àquilo que sempre fomos: times de segunda lutando para ser time de primeira. O Paraná Clube, com esse orçamento, não será nunca um clube de primeira. Pode até por um mo­­mento, num vento favorável subir, empinar lá (risos)... a pipa. Mas depois vai cair. Há uma atenção muito grande para que o Brasil não vire uma Inglaterra, uma Espanha, uma Itália, onde começa o campeonato e a gente já sabe que A, B ou C será o campeão e os outros, coadjuvantes.

Mas alguns se satisfazem como coadjuvante. O Everton acha o má­­ximo se ganhar uma vez do Liverpool e chegar na Liga Eu­­ropa.

Nós queremos isso? Eu não nasci para isso. Por que não podemos fazer um clube ou dois de representação nacional? Não entra na minha cabeça. Nós podemos (enfático). Foi provado que nós podemos, alcançamos um status. Então vamos daqui pra frente. Nós temos de nos profissionalizar.

Como o senhor visualiza isso passando diretamente pela Arena Atletiba?

Ficou muito claro, escrito e assinado que o Atlético não pagaria para uma Arena em nível de Copa do Mundo, não precisa disso. Para o nível do futebol nacional, não precisa do requinte e da qualidade que a Fifa exige. Foi definido que essa diferença entre o que o Atlético pro­­jeta para si e a Fifa exige será pago por quem for ter o benefício (estado e município). Por ser necessariamente dinheiro público, não é justo que esse benefício seja de um clube só. É muito difícil colocar isso, porque parece que estou de­­fendendo o interesse do Coritiba. Não estou. Eu só tenho um interesse futebolístico na minha vida, por paixão, o Atlético Paranaense. Temos de trazer energia para realizar isso.

Estou falando do complexo, vai custar 250, 300 milhões de reais, porque tem de desapropriar área no entorno, envolver a viabilidade, mobilidade, revitalização do bairro, remodelar a praça. A Areni­­nha tem o dinheiro disponível no Ministério do Esporte para Curitiba fazer um ginásio. Curitiba não tem projeto e terreno, vamos acabar perdendo esse dinheiro. Por que não fazer o complexo todo, se o di­­nheiro está disponível? Por que quando é público um clube pode compartilhar com o outro? Está aí o Maracanã: 50 anos quatro clubes compartilhando. Privado não pode? Não consigo en­­tender a irracionalidade que leva o pensamento das pessoas ao bloqueio.

Se o Atlético chegou até aqui sozinho, por que para terminar vai precisar do Coritiba?

Até aqui não serve mais. Essa é a visão que o atleticano não está tendo. Esse projeto é do caderno de 95. Nós vamos ficar para trás. Se o Atlé­­tico não revitalizar a Arena, começa já a curva da decadência. Daqui a dez anos ou a cinco, a história do futebol brasileiro será outra. E nós vamos ficar parados à sombra das conquistas de até aqui? Não serve mais para nada. Por que essa soberba, se o Atlético viveu a sua história em estádios de terceiros? Tem 85 anos, tem o seu estádio há dez e agora subiu à cabeça? Agora, se me disserem: “Mário, por que não fa­­zer sozinho?”. Claro. Temos força para fazer sozinho? Vamos fazer. Faça o complexo sozinho, convença a prefeitura, traga os 150 mi­­lhões da Areninha, traga os 150 milhões para terminar a Arena a fundo perdido, não se endivide... (bate palmas) vou aplaudir.

Consegue visualizar a Arena alviverde?

Não diria alviverde, mas uma cor neutra. Recebi de um torcedor e achei muito legal: “Presi­dente, ponha preto, vermelho, verde e branco numa lata, misture e a cor que sair pinte”. Pronto. O que eu quero que seja rubro-negro é o time. Estádio, CT, maca, torcida, é meio. A alma do nosso Atlé­­tico Paranaense é o time em campo, a vitória, ser campeão. Como se faz isso? Com grana.

O senhor tem alguma projeção de receita a ser gerada por um estádio único?

Não fizemos essas contas, mas pela nossa experiência de 14 anos com a pasta debaixo do braço tenho certeza absoluta de que essa união é geométrica. Um mais um é mais do que dois.

O senhor vê Curitiba comportando três clubes?

Zero, zero. (desenha dois retângulos paralelos em um flip chart, representando as Séries A e B do Brasileiro). Anti­ga­mente, eram 24, primeira e segunda. Agora são 20 com tendência de ser 18, deixa passar Copa, isso vai diminuir mais ainda. A distância dos primeiros para esses aqui (parte baixa do gráfico) fica impraticável. Quando nós pegamos o Atlético, estava aqui (aponta a Série B no gráfico). Éramos menores que o Ju­­ven­tude, Portuguesa, os principais do Nordeste, todo o interior de São Pau­lo.

Começo desse século, pelo buraco havido aqui, ocupamos um es­­paço que não era nosso. São 12 grandes clubes brasileiros de faturamento hoje, o Atlético está aqui (rabisca o número 13). Não tem ne­­nhum clube que fature mais do que nós fora esses 12. Esses 12 es­­tão se reorganizando, vão ocupar isso aqui de novo, então nós vamos ficar aqui, no nosso lugar. Qual é a tendência se não fizer nada? (Bate na Série B três vezes). Isso é aritmético. É surpresa o Paraná estar aqui? Não é. A tendência do Paraná, com a reorganização de alguns estados e clubes... Terceira Divisão (desenha um terceiro retângulo). Daqui pra cá e daqui pra lá (aponta a flutuação entre as Séries B e C). Não aqui (Série A). Acabou. Nós temos 12. Atlético, Coritiba, Goiás, a volta do Guarani, Ponte Preta. O que vai sobrar para o Paraná? Nordeste, Bahia, Forta­­leza, tudo com estádio novo, se re­­or­ganizando. Esqueça. Quem não tiver essa visão do que está acontecendo, estará morto.

Qual é a minha proposta? Fazer algo aqui. O Coritiba foi um acidente, era para estar aqui (Série A), o Fluminense deveria ter caído. Foi o Sobrenatural de Almeida que fez o Fluminense não cair, a magia do futebol. Eu tenho certeza, esse ano, que o Coritiba volta pela força do seu clube. Mas vai ficar aqui (parte de baixo). Aí vem a visão míope de deixar o Coritiba morrer. Eu não quero. A nossa briga é aqui (metade de cima da Série A), não é aqui (metade de baixo da Série A). Temos de passar dos 12. É com essa gente que nós temos de brigar. Vamos nos unir aqui para su­­bir lá, e aí é uma questão de competência.

E a Federação?

Não existe. É um modelo falido, que vem do Estado Novo, da Era Vargas. Os clubes profissionais dos estados não existem mais, estão falidos, os Estaduais acabaram. Já deviam ter sido excluídos do nosso calendário há muitos anos. Só serve para a satisfação das federações e seus feudos. Federação não contribui com nada, só ex­­plora os clubes. Para que nós precisamos da Federação Parana­ense de Futebol? Me dê uma ra­­zão. Registro é na CBF. Para quê? Para organizar o Estadual?

  • E aí, o que acha? Comente!

51 comentários:

Anônimo disse...

Quem sabe sabe, sem duvida o maior dirigente de futebol desse estado, O Leonardo Mendes fez uma brilhante estrevista, Petraglia sem polemica deu uma aula de conhecimento de gestão no futebol.

Como pode uma cabeça como essa ficar por fora das ações do Clube Atletico Paranaense?

Sempre vão aparecer os que jogam pedras, porque não entenderam um a sequer dessa entrevista.

o ponto que eu destaco é o noso crescimento em um momento de fraqueza dos grandes, ele tem razão quando diz que não somos grandes, outro ponto é quando ele cita que após a copa o brasil tera um futebol diferente e é por isso que deveriamos fazer uma arena com um bom projeto, e não apenas amplia - la.

Abraços, bom carnaval.

Jota

Anônimo disse...

Ele definitivamente enlouquceu.

Anônimo disse...

Está fazendo tudo que pode para aparecer...

Anônimo disse...

Sim, com a arena ATLEtiba teriam 8 jogos por mês, os camarotes e cadeiras seriam vendidos duas vezes, as lanchonetes duplicariam o serviço, mas o lucro também seria dividido em 2.
O grande beneficiado seriam os porquinhos, que ganhariam um estádio novo (de graça, diga-se de passagem), de primeira linha, provavelmente teriam um aumento no número de sócios (um bom estádio também atrai o torcedor), e novas possibilidades de patrocínio, naming nights que não seriam possíveis no tremendão.
Na teoria parece tudo muito lindo, mas na prática, estaríamos apenas dando força aos nossos rivais.
Fodam-se os coxas! Não quero nenhum porquinho sentado na minha cadeira.

Anônimo disse...

Por que mcp foi contra a união dos porquinhos, e federação paranaense de futebol para um estádio no pinheirão e, agora, quer fazer um estádio conjunto na arena?

JMK disse...

Partindo de Petraglia não devemos descartar sem antes proceder a uma análise profunda. Só que esta análise leva tempo e não dará tempo para praticar em 2014.

1a questão é Couto e Arena quanto vale cada um? Como é que fica a diferença?

2a questão: caso um transgrida a lei e o estádio ficar interditado como é que fica o outro? A despesa fica por conta do clube que provocou o incidente já foi dito mas, e o outro? Vai ter que ficar de fora também?

3a questão: Ambas as torcidas em quase sua totalidade é contrária a essa "unificação", como será a conciliação?

Anônimo disse...

Muito bom o post, JMK!

Outra questão é em relação as dívidas astronômicas do coritiba:
Se algum juíz resolver penhorar os bens alvi-verdes, como ficaria a arena?

Anônimo disse...

O Petralia eh foda...ele tah certo
pq eh soh ver o q eh nosso classico atletiba, duas formiguinhas brigando pra ver quer derruba o outro pra serie b...
o atletico quis ser grande...mas nunca conseguiu...vejamos todas as vezes q tentamos conseguir esse titulo de time grande:
em 2001 nosso titulo foi ridicularizado...em 2004 nosso time foi chamado de azarao...em 2005 tomamos um sapeco bonito e ainda nem pudemos usar a arena...
agente tem q pensar em uma nova revolução q nem a de 95...
pra isso temos q voltar a pensar q nosso time naum eh nada...para nosso proprio bem...

Anônimo disse...

ali ele expos um ponto crucial para os cornetas de plantao entenderem q a nossa realidade é muito diferente dos chamados times grandes, com a receita destes times é muito difícil encaralos de igual para igual, porém novamente este papo de arena atletiba.....esse cara nao entende q aqui a nossa rivalidade é maior doque qualquer receita, quem aguentaria ver a NOSSA querida arena colorida de verde e branco?
dai ele vem e diz q o maraca tem 4 times q jogam.....foda-se!!!
nós suamos demais para levantar esta arena, e entrega-la aos coxas é um absurdo sem tamanho, eles q joguem na merda do pinga-mijo, q oq eles mereçem.....quem nao se lembra da época em q eles nos humilhavam nos chamando de sem terra?
o problema é q para petragia a rivalidade nao existe, más para quem é atleticano de verdade e por exemplo perde um campeonato para o rival ela existe sim, e muito.
já passou da hora desse cara calar a boca e parar de falar merda!

Anônimo disse...

ahahha...nos suamos...comedia..quem suou foi o cara q vc tah falando pra calar a boca ¬¬

Anônimo disse...

lá no rio nao existe essa rivalidade, pergunte aos gaúchos se eles fariam tal estádio em comunhao, ou se palmeiras e curintia o fariam também.....em minas isto funciona, porque sempre foi assim, imagine se cada um com seu es´tadio iria querer se unir com o rival....sinceramente eu nao me entra na cabeça essa idéia....outra coisa na entrevista ele disse q o que importa é o time, e a torcida q se foda....para mim a torcida atleticana é o bem mor do atlético, e isto ele nao sabe ou nao consegue entender...entao muito obrigado por tudo, mas tchau, espero q com estas idéias inovadoras vc fique bem longe de como disse o cara de cima de NOSSA querida arena!

Anônimo disse...

o carinha disse nós suamos no sentido de ser o dinheiro do atletico q foi gasto, portanto atingiu a todos os atleticanos, os q estavam todos os dias no mirante vendo a obra sair do papel, e nao os bundoes q nao estavam nem ai, só falaram q legal na hora q estava tudo pronto

Anônimo disse...

o carinha disse nós suamos no sentido de ser o dinheiro do atletico q foi gasto, portanto atingiu a todos os atleticanos, os q estavam todos os dias no mirante vendo a obra sair do papel, e nao os bundoes q nao estavam nem ai, só falaram q legal na hora q estava tudo pronto

Anônimo disse...

o teu negócio é dividir cadeira com uma paquita?

Anônimo disse...

aki infelizmente eh a briga entre o pequeno, o pequenino, e o insignificante...
naum adianta vir com desculpa de torcedor de verdade...pra se fazer de cego...essa de torcedor de verdade foi o q fez akele bando de babaca invadir o couto e foder o time de la...
agente tem 2 opções...ou brinca de atletiba...ou pensa em ser campeao da serie A...naum da as duas coisas
vcs tem q pensar e descidir...
vcs querem um atletiba valendo o titulo ou um atletiba valendo a queda pra serie b?
ou acabemos com essa rivalidade por esquecimento...ou acabemos por uniao...
do jeito q tah...campeao...soh na sorte =\

Anônimo disse...

O anônimo que escreveu às 13:25 só pode ser coxa, desmerecendo nossas conquistas.
Vai lá, chafurdar no pinga-mijo e comemorar as "glórias" do ceternada!

Anônimo disse...

paquita vc define por?
uma gostosa q veste uma camisa esquisita?
um parceiro q tah la torcendo pelo time do lek?
ou um mano loko q vestiu um pano de chao pra ir fazer merda?
ahha tem dos 3 cara...
naum vem com essa de fazer os caras como se naum fossem pessoas...
o bom eh torcer contra o time...naum fazer uma guerra na cidade...
vai dizer q vc naum tem amigo q se diz coxa??
vai dizer q vc jah naum pegou uma guria q se diz coxa?
se vc tah escolhendo amigo ou guria por isso vc tah mal cara...

Anônimo disse...

tah quer q eu desmereça a conquista dos 3?
agente tem um titulo q foi na raça mas ninguem valorizou...
o coxa tem um titulo q ninguem sabe ou se lembra como conquistou...
e o parana se orgulha a ter ido a uma libertadores...

como competir contra 6 titulos serie A, 3 mundiais, 3 libertadores do sp
5 q por mais q agente fale eles vaum dizer q eh 6 do flamengo
4 do palmeiras...mundial do inter...
ehh muito poko o q agente tem...guarani tem titulo da serie A...bahia tambem...

Marcelo disse...

Eu acredito realmente que o Petraglia está cada vez mais louco e preparando o terreno para volta, que seria um passo atrás, na verdade acho que ele e os atuais ainda estão de acordo, não tem briga coisa nenhuma, é para tentar fazer ele voltar mais forte do que nunca e pelo jeito tem gente que acredita, caramba, ele fez coisas ótimas, mas, o FUTEBOL que todo mundo reclama, a política era a mesma da atual gestão, sem craques, só com desconhecidos, alguns deram certo a maioria não. Agora uma arena Atletiba, não seria má idéia desde que, cada um ficasse com o seu estádio e esta nova arena fosse do Governo ou da Prefeitura, com participação dos clubes.

Paulo Zorgib disse...

No Brasil as coisas não teM continuidade .. as arenas pelo país afora não serão conservadas e não sErão exploradas comercialmente por qualquer time simplesmente porque serão estatais. A bAIXADA É NOSSA E O FUTURO SERÁ CONSTRUÍDO AOS POUCOS !!!

Hélio Rubens Godoy disse...

Apesar de não concordar com muitas coisas que o senhor MCP já fez, concordo com muitas delas também, e não há como negar sua importância para a história recente do Furacão e sua torcida pelo CAP. Suas palavras merecem ser levadas em consideração, pois possuem lógica, e os fatos do futebol nacional contemporâneo parecem ser uma evidência disto. Realmente os clubes de SP, RJ, MG e RS estão se reorganizando, e estão em uma posição mais privilegiada que nosso Rubro-Negro para captar recursos, melhorar sua infra-estrutura, formar bons times, conquistar títulos e ampliar sua torcida. Temos de lutar contra isto, temos de ir para a batalha e estabelecer metas claras e irmos atrás delas com o "sangue nos olhos". Para que não sucumbamos, ou tenhamos de buscar alternativas desagradável como uma Arena Atletiba, temos de traçar objetivos claros e irmos à luta, literalmente. Por exemplo, fazer do Atlético o time com a maior torcida do Estado, superar todos os outros times que tem torcida no interior, ampliarmos a massa atleticana para o norte, nordeste, sudoeste do PR e fazer do nosso Estado o quartel-general para buscarmos ampliar nossa torcida para o resto do país. Isto é apenas um dos fatores para superarmos nossos rivais, existem muitos outros, mas todos eles necessitam que sejamos mais "agressivos", que sejamos obstinados e ostentemos sempre o orgulho de ser Rubro-Negro.

SRN

Anônimo disse...

Jamais deixarei uma paquita sentar em minha cadeira para assistir jogos, q vão assistir jogos lá no pinga mijo!!

Anônimo disse...

Porque, depois de ter construído mais de 3/4 da arena pegar a ajuda do coxa para terminar, sendo que já conseguimos até aqui e que logo que terminamos a primeira etapa da arena(1999) fomos campeões do Brasil(2001) então não há disculpa de que se o Atlético investir na arena não vai ter time. E ainda tem mais, o coxa vai continuar com o Couto, quando jogarem na arena vão quebrar tudo como sempre fazem (até no próprio estádio) e ainda vem falar que o Atlético vai receber dinheiro do governo para terminar o estádio para a copa do mundo, mas eles vão receber verba da CBF para consertar os estragos feitos no jogo de Dezembro de 2009 entre coxa e fluminense onde a torcida do coxa quebrou todo o estádio. Hoje em dia temos um dos melhores CTs do mundo, temos um dos estádios mais modernos da América Latina, porque é então que não conseguiriamos terminar a arena.
Agora vem dizer que somos times pequenos, pois bem, vale lembrar que nossa camisa está na CAPsula do tempo, todo time tem seus tempos de "fraqueza" onde não consegue se destacar, e vale também lembrar que os times denominados "grandes" são times do eixo rio-são paulo(com alguns de minas e rio grande do sul) sempre tem ajuda de patrocínadores praticamente os "levando nas costas" sem contar que a mídia acha que eles são os únicos, nosso país e todo o Brasil não apenas o EIXO. Sim, somos time grande e também temos uma linda cidade, só devemos dar mais valor para aquilo que é nosso, aquilo que é de "casa".
Já enfrentamos muitas dificuldades, e com concertza conseguimos superar muitos outros.

O ATLÉTICO É RUBRO-NEGRO, A BAIXADA TAMBÉM

Franck disse...

A entevista foi bem feita sim expaôs o que queria ,bem mas a nação rubro-negra não o quer e PONTO FINAL, sem cabimento por falta de assunto com a pausa no campeonato volta essa história de dividir com os coxas a arena,por favor essa pessoa agora quer apareçer,ja esta bom obrigado por tudo mas cale a boca MCP . Se quisecimos voçê lidando com ATLÉTICO voçê estaria lah até hoje e pare com 'escrota' mania de PAVÃO!!!



ATLÉTICO MINHA PAIXÃO ETERNA!!!!

Anônimo disse...

pelo visto a maioria não leu a entrevista, o tema que menos foi tratado na entrevista do Leonardo Mendes Jr. foi arena atletiba.

PESSOAL, UM CONSELHO:

Leia, vejam se entenderam o que estava escrito, se não, leiam novamente até entender, dae postem suas opiniões!!!

um monte de PPs criticando por criticar e não se deram o trabalho de parar 5 minutos e ler a entrevista.

Dai fica dificil.

Anônimo disse...

com o coxa eu não vejo vantagem.... agora, poderíamos pegar o Paranito...

enfim, o petralha é foda

Anônimo disse...

quanta ingenuidade queridos amigos atleticanos, quanta ingenuidade....s'o uma pergunta?
pq um dos homens mais ricos (e picareta) do Brasil nao quer largar o osso? ta tentando de tudo sugou o furacao at'e o ultimo, agora vem com essas teorias absurdas (que alguns dos ingenuos acima acreditam) ou tem algum interesse economico, o cara ta tentando de tudo quando 'e jeito....ta tentando no nordeste, ta tentando no centro oeste, agora com os coxas...vc sabem pq mudaram as cadeiras do nosso setor? pq a fabrica das cadeiras antigas era do filho do petraglia....o cara e um safado... so penso no bolso dele..... por favor abram o olho

saudacos rubro negra

Anônimo disse...

O Petráglia, na realidade, é a favor de uma fusão, para que Curitiba tenha apenas um time. Já deixou claro esta idéia diversas vezes. Acha que aí sim , com apenas um clube aquí, ele poderá se tornar grande e competitivo à nível nacional. Mas com esta rivalidade toda, esta idéia, a princípio, é utópica. A verdade é que, do jeito que está, realmente os grandes ficarão maiores e nós, pequenos ( não adianta tapar o sol com a peneira, pois à nível nacional, somos pequenos mesmo), iremos sumir aos poucos. O Paraná Clube é o primeiro candidato a isto. Se conseguíssemos analisar, deixando o coração de lado, como faz o Petráglia, a idéia é visionária.

Anônimo disse...

O sr. MCP é muito inteligente, mas não é o dono da verdade, ele tem que por os pés no chão e deve falar somente como torcedor e não como empresário do futebol.

Anônimo disse...

UM CONSELHO A VIUVA 20:42hrs :

escreva sobre a matéria ao invés de criticar comentários exponha o seu viuva do Pet!

'ser anonimo e facil viu'

esou disse...

Definitivamente:
O Sr MCP é um homem que dá audiência a qualquer órgão noticiário e a Gazeta está se aproveitando disto, nada mais.

É um empreendimento que "poderia" ser concretizado se fosse tratado no mínimo um ano antes da candidatura de Curitiba, isto é ainda na gestão do próprio.

Não acho ético ficar "empurrando" à atual direção a uma "união" desta natureza; mais coerente seria propor fusão do Paraná Clube sem mudar o escudo CAP como já se via o Petráglia dizendo há uns 10 anos passados.

Na presente conjuntura é deixar os políticos paranaenses buscarem patrocinadores para adequação da Baixada à Copa 2014, afinal a Arena é dos Atleticanos e a Copa é do Brasil, especificamente do Estado onde se realização a competição conforme plano enviado à FIFA.

Se MCP é atleticano como tenho certeza que seja, "acho" que deve zelar pelos interesses dos Atleticanos; e para realização da sua proposta Joaquim Américo tem que ser deixado longe do CFC.

Anônimo disse...

Só sei que os puxa puxa do CAP4Ever (que deveria ser CAP4Nothing) tão loucos, não pensam no CAP, só pensam no MCP.
Enéas

Atleticano Puro disse...

Soh tenho a dizer o seguinte, nos sofremos muito sem um estadio proprio muitos anos, fomos humilhados, no tempo do Evangelino, qdo o Coritiba tinha estadio, dinheiro, poder politico ganhava todas no campo e nos bastidores. Nao eh justo nos atleticanos, que agora que deixamos os coxas a anos luz, entregarmos o nosso estadio p/arqui rival, que se fod..., se nos temos que batalhar contra os times grandes, interessa que nos tremos a nossa casa, apos longos anos de sofrimento, quem eh atleticano, duvido que abra mao p/os coxas. Eu comprei uma cadeira no inicio da construcao da Arena, valida por 3 anos, ajudei o Atletico porque naquele tempo onde o dinheiro era curto, todos nos atleticanos que poderiam dar um pouco de sangue, foi dado p/construcao da Arena. Todo os atleticanos, sabem muito bem do sofrimento que nos passamos, agora nem pensar em dividir com qualquer outro clube, o nosso patrimonio. Tenho profundo respeito pelo Petraglia, mas temo que ele um dia volte a presidencia e faca uma cagada, c/esses s/pensamento (economicos) nos somos paixao, suor, sangue p/Atletico. Atleticooo...

Anônimo disse...

PET nos poupe e aproveite seu ostracismo.

Aparecido jose disse...

Sei que o assunto é pra lá de polêmico, talvez inaceitável para os atleticanos. Percebo que MCP está apenas dando uma ideia tentando salvar o futebol paranaense e com isso dar condições para termos um time forte. A situação atual é crítica e tem que ser buscado alternativas que possa reverter essa situação. Como dizia aquele famoso dirigente é uma faca de dois "legumes", existe os dois lados a serem analisados. Ele aborda a situação atual, temos o melhor CT, um dos melhores estadios e o time? Depois da copa será a mesma coisa, um puta estadio com time de 2ª divisão. Pelo menos é minha visão atual.

Anônimo disse...

PORQUE MCP NÃO PEGA A CASA DELE E DIVIDE COM SEU MAIOR INIMIGO . é brincadeira ouvir isso , este cara esta sem midia e só quer aparecer .

Anônimo disse...

Petraglia PORQUE NAO TE CALLAS

Anônimo disse...

Em vez de ficar falando aii querendo aparecer porque não pega e vai ajudar a diretoria do atlético , fica só tumutuando isso não ajuda em nada

João Scheleder Neto disse...

Até parece que vou esquecer tudo que este bando de Paquita FDP nos fizeram na década de 70, títulos ganhados no apito, FPF contra nós, e mais recentemente se negarem a emprestar o estádio para a final da libertadores...
Vão pro inferno junto com o Evagelino bando de babaca.

CAP AGAIN disse...

Aparecido Jose, vc nao me aparece um Atleticano, ja pensou em torcer p/um time Verde Vermelho e Preto? Vc acha que tem graca, torcer p/um time do estado do Parana!Um time tipo Estatal? Cara, eu sou vermelho e preto, morro pelo Atletico, nao me vejo torcendo p/outro time aqui no Parana, senao o Atletico, esse negocio do Petraglia, eh soh p/ele ganhar dinheiro!!!

CAP AGAIN disse...

Aparecido Jose, vc nao me aparece um Atleticano, ja pensou em torcer p/um time Verde Vermelho e Preto? Vc acha que tem graca, torcer p/um time do estado do Parana!Um time tipo Estatal? Cara, eu sou vermelho e preto, morro pelo Atletico, nao me vejo torcendo p/outro time aqui no Parana, senao o Atletico, esse negocio do Petraglia, eh soh p/ele ganhar dinheiro!!!

Anônimo disse...

MCP não quer salvar futebol paranaense, futebol paranaense é igual a outros estados com exceção ao futebol do eixo do mal, MCP quer ganhar mais alguns trocados como empresário!

Anônimo disse...

Se o preço pra colocar a arena na copa for esse, prefiro ficar de fora e terminar a arena com mais tempo e com recursos próprios a ter que dividir-la com os porquinhos.
Essa pode ser a solução mais lógica mas o futebol é paixão e o meu coração diz pra mandar os coxinha pros inferno. Se fosse pra ser racional Sr. Petraglia, eu seria sao paulino, corintiano etc.
A Baixada é nossa.

Anônimo disse...

ACEITO A IDÉIA, MAS SÓ SE O MCP LEVAR O REQUIÃO PARA MORAR NA CASA DELE!!! BRINCADEIRA TEM HORA!!!!!!

Anônimo disse...

o Guerrilha esqueceu de colocar a parte comentada pelo reporter e que explica bem a situação atual do estadio atleticano.

"A Arena da Baixada foi projetada para receber uma Copa do Mundo. Não a de 2014, mas a de 2006. Ca­­pa­­cidade, disposição dos vestiários, acesso, acomodações ao pú­­­bli­­­­co, todo o sonho atleticano foi balizado pelo Caderno de Encargos da Fifa de 1995. A primeira etapa seria concluída em 1997, a indicação do Brasil aconteceria em 2000 e, seis anos depois, a bola rolaria para o Mundial.

Pouco a pouco, todo o projeto foi sendo modificado. A situação econômica mundial no fim do século passado afastou a Copa do Brasil e a colocou nas mãos da sólida Alemanha.

A qualidade das instalações oferecidas pelos germânicos criou novos parâmetros para estádios. Um ano depois de a Itália sagrar-se tetracampeã mundial, a Fifa elaborou um novo Caderno de Encargos, mais completo e exigente. E a Arena, concebida dentro do mais moderno padrão de qualidade da sua época, ganhou um ar de estádio a um passo de se tornar ultrapassado.

A história acima é contada por Mário Celso Petraglia para defender uma mudança radical de ru­­mo no projeto da Baixada. Prin­­ci­­pal mentor da casa rubro-negra, o dirigente propõe compartilhá-la com o maior rival. Segundo ele, é a única ma­­neira de concluir o estádio e dar um impulso ao futebol pa­­ranaense.

“Se não tiver alguma coisa realmente moderna que crie a mais valia, alavanque receitas, nós va­­mos voltar na proporção àquilo que sempre fomos: times de segunda lutando para ser um time de pri­­meira”, afirmou.

Petraglia recebeu a Gazeta do Povo na manhã do último dia 5, em seu escritório, no centro de Curitiba. Sentado à frente de um quadro com a Arena completa, segundo o projeto original, falou por 92 minutos sobre o cenário atual e o futuro do futebol paranaense, Arena Atletiba e Copa do Mundo. "

sem dúvida que o projeto já está defasado, segundo as más linguas, Malucelli vai pegar 115 milhões emprestados para concluir o projeto no caderno de encargos de 1995, o que significaria uma divida para o clube de uns 100 anos, não temos grana para pagar e o estadio em 2014 não será nada de especial em relação aos outros 11 que serão reformados e construidos.

pertinente a preocupação de "quem fez o estadio" apesar de varios aqui tripudiarem as palavras do Petraglia, não sou dos mais pessimistas, mas ele toca em um ponto interessante, somos 13a. força no país, junto com ceará, bahia, sport, nautico (alias todos com mais torcida que nós) atrás dos 4 cariocas, 4 paulistas, 2 mineiros e 2 gauchos.

E da forma que as coisas andam, não consigo visualizar o CAP disputando titulos, perdemos o bonde da historia, os 12 grandes do Brasil que recebem da TV 17, 22 talvez 24 milhões diferentes dos 11 milhões conquistados pelo proprio Petraglia estarão sempre no pareo, esse ano ficamos atras do vitoria e do barueri.

Estamos fadados ao regionalismo de toda a nossa vida e alerto curtam cada 23 de dezembro, comemorando o aniversario do titulo, não acredito que teremos outro, voltei a pensar como pensava na decada de 80, com marola no gol, kita, fião e cia.

Passou a nossa fase boa, nossos dirigentes e tocida voltaram a pensar pequeno.

infelismente a verdade doi um pouco, mas é mais ou menos isso ai.

alias nossa verdade é a de 2006, 2007, 2008, 2009 e ja adianto, em 2010 não será diferente, darei um up nesse comentario para lembrar ao guerrilha, que precisamos fazer a torcida e os dirigentes pensar grande, como o entrevistado pensou um dia, mesmo quando a torcida ainda pensava pequeno.

abraços.

João

Anônimo disse...

Ok, João.
Vou me enforcar então...
Darmos de graça metade do que já temos aos porcos?
O que muda se tivermos o estádio "pronto"?
Mais despesa para manter?
Se é assim deveríamos "desde sempre" termos vendido o terreno para fazer shopping e termos investido no Pinheirão, despesa porconta dos outros...
Brincadeira tem hora e a foto do Tio Pet em frente ao quadro da Arena demonstra que está fora de si, triste mas chegou a hora de internar, não está ajudando nada e vem come esta balela de salvar os verdes.
É como se escutar o Clapton tocando e não conseguindo mais afinar o intrumento, triste.
Titio Enéas, fã do Tio Pet, mas que antes de tudo vê o Furacão.

Anônimo disse...

Petraglia porque não te callas 2

Anônimo disse...

tito eneas, não precisa se enforcar, mas um choquezinho de eralidade é bom...

acha que seremo bi campeões, principalmente com uma divida de 120 milhões e uma torcida que reclama de pagar 70 reais?

estamos mais para o inferno que para o paraiso.


a petrobras patrocina clube carioca, eletrobras também, nós ...

neca de peitibiribas, ou nos conformamos ou fazemos algo para mudar.

João

Anônimo disse...

Para que nós precisamos da Federação Parana­ense de Futebol? Me dê uma ra­­zão. Registro é na CBF. Para quê? Para organizar o Estadual?
....
essa frase foi foda......de resto não teria como o povo ja se acostumou com 3 estádios......mas ele é empreendedor e os jornais gostam de ouvir ....não que ele queira aparecer e sim o chamam para criar polêmica........
fl Bokao

Anônimo disse...

Caro João
Petráglia esteve 14 anos à frente e nunca trouxe uma Eletrobrás da vida para nos ajudar...
Fez muito mas critica o que nem ele foi capaz de fazer.
Se tivesse assumido uma função na chapa não teria sido "traído" (traduzindo: não quiseram ser fantoches como o Fleury, bom moço, mas fantoche), chamam os que foram colocados na chapa de incompetentes, pergunto: como ousaram colocar incompetentes na chapa?
Estavam brincando com o CAP?
Titio Enéas, que estima o que o homem fez, mas repudia o que faz atualmente - não acredito no pé de feijão, caro João

Anônimo disse...

Pessoal, vocês não achama que o titio pet também não correu atras de grandes estatais para receber patrocionio. Duvido que não!!! Ele é um empresário bem sucedido, tem um network fortissimo. Imagino as centenas de rodas de "negócio" que este que é o maior dirigente de futebol que essa terra ja teve para trazer bons patrocinois para esta aldeia como ele fala. De concreto, conquistou a Kyoreca, e por pouco não acertou outro grande patrocinio após meses de negociação com a Bom Bril, muitos devem lembrar disso. Só não acinou porque um dos Head da Bom Bril optou pelo Santos devido a maior visibilidade. E a questão toda do patrocinio, e a visibilidade. O que vale mais apena: Invistir 10, 20 milhões em visibilidade na camisa do Santos, ou em visibilidade na camisa do CAP. Quem a Globo, Revistas, Jornais, Portais darão mais espaço ? É por ai a questão.

Se a Globo por exemplo se comprometesse, a distribuir a sessão de espaços igualmente entre os clubes, ai sim a figura mudaria de lugar. Pois tanto faria para o empresario divulgar sua marca, pois sua marca estaria visivel por tempo igual. Só que isso nunca vai acontecer, só quem sabe se a Globo fosse para o raio que a parta.