sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Um pedido de paz

Da Furacao.com:
Logo após o acidente com o torcedor atleticano João Vianna, ocorrido no último dia 25/10 após o clássico Atletiba, torcedores dos três times da capital resolveram trabalhar em conjunto para dar um basta na violência dentro e fora dos nossos estádios de futebol.

A ideia inicial era fazer uma passeata que passasse pelos três estádios da capital (Arena da Baixada, Durival Britto e Silva e Couto Pereira), porém, após uma conversa com a Polícia Militar e com a Diretran, a organizadora da passeata, Camila Lopes Ferreira, resolveu em conjunto com os órgãos estatais diminuir este percurso e fazer a manifestação pelas ruas centrais da nossa cidade.

Portanto, a Campanha pela Paz irá acontecer amanhã (sábado), dia 07/11, com concentração às 10h na Praça Santos Andrade, em frente à Universidade Federal do Paraná. A passeata seguira por toda a Rua XV de Novembro e terá seu término previsto para o meio-dia na Praça Osório.

Segundo a organizadora da Campanha pela Paz, Camila Ferreira, o principal objetivo desta campanha é cobrar do Governo do Estado do Paraná uma ajuda para a Polícia Militar que há mais de 10 anos está com o seu efetivo defasado.

De acordo com Camila, em dias de clássicos a Polícia Militar não tem efetivo suficiente para fazer a segurança da população da nossa cidade. Além disso, incidentes ou acidentes como o que vitimou o jovem torcedor atleticano João Henrique Vianna poderiam ser evitados.

As pessoas que estiverem participando da passeata ou passeando pela Rua XV de Novembro e apoiarem a ideia poderão ainda participar do abaixo-assinado, feito pela organização da Campanha pela Paz e que será encaminhado posteriormente para os nossos governantes.

Quem quiser obter mais informações sobre a Campanha da Paz e sobre a manifestação que será realizada neste sábado, o telefone para contato da organizadora do evento, Camila Ferreira, é 9643-0627.

7 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Julio disse...

Caramba, não é assim não anônimo. Quem deve fazer a justiça é o poder competente, ou seja, o Judiciário em sua esfera criminal. Tenho familiares e amigos que torcem para outros times e nem por isso os odeio ou algo parecido. Chega de violência e estupidez né!

GUERRILHEIRO DA BAIXADA disse...

Deletado.

O mundo está mesmo cheio de ignorantes.

Julio disse...

Boa!

esou disse...

Linda iniciativa da Camila.

Faço votos que atinja todos os torcedores, principalmente os que por alguma razão não participarem do movimento.
A campanha certamente visa apenas a Paz portanto, remover do coração eventual ódio das torcidas sem eliminar a rivalidade Sadia, Como a que existe entre membros de boas famílias e de amigos.

Tudo pela Paz Dentro e Fora dos Estádios.

Anônimo disse...

ANÔNIMO DELETADO PELO GUERRILHEIRO
Não sou ignorante com diz o Guerrilheiro (aliás esse apelido não faz lembrar algo parecido com violência??). Todo Atletiba tem reunião das torcidas e blá-blá-blá. Toda Atletiba tem confusão, toda Atletiba tem depredação. Toda Atletiba um cidadão comum (que não gosta de futebol) tem receio de sair de casa com sua família para passear...Reparem como eles têm muita inveja do Atletico e gostam de provocar/incitar a violência. Sempre é a torcida dos troxa que começa(ex.: morte do nosso companheiro, bombas na Arena, extintores na gente no Esgoto Pereira,roubo das faixas, eles imitando macacos, capa da Tribuna (o redator devia ser troxa-branca ou irresponsável) etc). Não vejo tanta hostiliadade nossa em relação a eles, mesmo porque não tenho inveja nem ódio deles. Sinto pena. O que eu quis dizer é que nós atleticanos somos vítimas do ódio deles e saímos pedindo paz??? Faça me o favor. Devemos sim é pedir JUSTIÇA e cadeia pros criminosos e ai sim eu acredito que poderemos chegar a paz, através da punição severa a quem cometer algum delito, seja atleticano ou coritibano...

GUERRILHEIRO DA BAIXADA disse...

Agora o seu comentário não está tão ignorante. Antes, estava. Não estava pedindo justça, mas sim incitando a dar o troco e a "pagar com a mesma moeda". Ignorância pura. E, além do mais, nada impede que se peça justiça nesse caso e que se peça paz daqui pra frente.