segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O jogo do ano

Atlético x Goiás é um dos duelos mais equilibrados do país. Ambos fazem parte do seleto grupo de 8 times que nunca foram rebaixados na "era dos pontos corridos", desde 2002. Segundo as precisas estatísticas da Furacao.com, em 30 partidas foram 9 empates, 10 vitórias rubro-negras e 11 esmeraldinas. Destas, cada time venceu 8 jogando em seus domínios. A vantagem se dá nos jogos na casa do adversário: o Goiás conseguiu vencer três em Curitiba, e o Atlético apenas dois em Goiânia.
De 2002 para cá, foram 15 partidas. Sete delas na Baixada. E, pasmem: o Furacão venceu três, perdeu outras três e houve um empate.
Ou seja, é sempre uma parada dura.
Ainda mais sob o comando de Hélio dos Anjos. Lembro-me de um duelo em 2001, quando o mesmo técnico de agora treinava o Periquito. E deu um trabalho tremendo para o time que viria a ser campeão brasileiro meses mais tarde.

Em 2001, comandado pelo mesmo Hélio dos Anjos de agora, o
Goiás deu trabalho.
Klebão e Souza resolveram a parada.
No ano passado, duas goleadas: o Atlético meteu 5 a 0 aqui, mas os goianos deram o troco lá (4 a 0). Não foi a primeira vez que o Rubro-Negro goleou o adversário na Baixada. Em 2004, o jogo acabou em 6 a 0.

No ano passado, goleada por 5 a 0. Alan Bahia marcou dois. Reparem no pênalti bizarro cometido pelo zagueir0.
Este ano, no primeiro turno, 3 a 0 para os verdes. Um passeio.
Agora é nossa vez de dar o troco.
Portanto, meu amigo, domingo é dia de jogão na Baixada. E jogo decisivo. O que era para ser uma partidinha sem muitas pretensões, para cumprir tabela, acabou virando o jogo do ano. É dia de empurrar o Furacão e chutar de vez o fantasma do rebaixamento, que mais uma vez insiste em rondar as esquinas do Água Verde.

12 comentários:

Cana Brava disse...

Cada jogo que se faz pelo Atlético é uma decisão. O objetivo sempre é honar esse clube e vencer. Jogador começa a empurrar com a barriga não merece estar aqui. Precisamos dé 2 vitórias para sairmos dessa merda e garantir a vaga na série A pro ano que vem. Uma ambição ridícula mas fazer o que.

Bruno disse...

Esse jogo custe o que custe, esse jogo quero ver ganhar!!!
Pra cima dos caras Furacão!!!

esou disse...

Que volte a união e concentração total no jogo! Seguir a liderança que estava dando certo em campo e sem displicência do jogo anterior, com certeza passaremos pelo Goiás.

JMK disse...

Pois é, não há mais a desculpa de "pingamijo" e "ressacada", agora é na nossa casa, categoria: Primeiro Mundo.
Harmonia é fundamental para a força do Furacão!
Vamos lá Guerreiros apagar esse mal estar!

Julio disse...

Então pessoal, vamos descruzar os braços e cantar. Os xiliquentos que ficam dando murrinhos nas cadeiras a cada passe errado nem apareçam. Espero ver o Caldeirão repleto de torcedores vibrantes. Nota. Li uma opinião na Furacão.com onde um jornalista que está radicado em Floripa escreveu da torcida. O cara lá sentiu o que eu já venho batendo a muito tempo, que a torcida esfriou.

Anônimo disse...

que saudade do Alan Bahia!!

Anônimo disse...

Legal rever os 5x0. Foda mesmo é ouvir o Jasson...

esou disse...

Vejam só o que o "bruxo Fernando Gomes" falou:
"Atlético precisa melhorar muito, Coritiba melhorou bastante e mereceu ganhar!" - "Coritiba disputou 9 pontos e conseguiu 7, Atlético só conseguiu 1!" É verdade, mas sinto um ar de sadismo nisto que...grrrr!
Já que não podemos esperar muitcoisa desta competição, pelo menos desminta esse bruxo, que tira serragem ao fazer a barba!
Força Furacão, mostre nos jogos que faltam que somos melhores!

Anônimo disse...

O esou das 13:46 vc ainda continua dando ibope pra transmerda futebol, atleticano de verdade não houve este caras!!!

Conan disse...

Torcedor apóia, torce até o fim. Idiotas xingam, perdem a paciência com 10 minutos e partem pra briga. Vejamos o que teremos no domingo na Arena.

Ciro disse...

Para mim, em 2001, o maior craque do time era o Souza.

O Alex Mineiro foi o goleador, salvador, herói eterno do Furacão.

Anônimo disse...

Que baixe o espirito no alex mineiro igual a 2001 e tomara jogue um pouquinho mais do que está jogando, isto é, quase nada.