quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Arcos fala sobre as obras na Baixada

Perspectiva da nova saída dos vestiários para o campo na Baixada.
Da Furacao.com:
Em março do próximo ano o Atlético dará início à primeira das duas etapas previstas para a conclusão da Arena da Baixada no padrão-Fifa, com todas as exigências previstas pela entidade para a realização de jogos da Copa do Mundo no estádio. A definição do calendário para as obras segue o cronograma estipulado pela própria Fifa para a construção e reformas das praças que sediarão os jogos da Copa do Mundo de 2014, no Brasil. Na Arena, estão previstas obras divididas em duas etapas: o fechamento da reta oposta, com a construção do anel superior do setor Brasílio Itiberê, e a cobertura total de toda a área de arquibancadas.
Em entrevista
ao site Copa2014, o arquiteto responsável pela obra, Carlos Arcos, do escritório Carlos Arcos Arquitetura, de Curitiba, informa que a Arena da Baixada já está semi-pronta no padrão-Copa, restando apenas 30% de ajustes para atender a todas as demandas da Fifa para um jogo de Copa do Mundo. Para completar essas exigências, as obras no estádio atleticano estão orçadas em R$ 138 milhões.
A primeira etapa da construção, que terá início em março de 2010, segue o prazo limite estipulado pela Fifa e irá acrescentar 11 mil lugares ao estádio, somando-se aos 30 mil já existentes. Arcos explica que a estrutura será de um edifício, “com três pavimentos que duplicarão os quase 60 mil m2 de área construída”. O arquiteto revela, ainda, que durante essa etapa das obras o estádio continuará em funcionamento, abrigando jogos do Atlético Paranaense. A previsão é que esta etapa dure um ano, com a construção de estruturas para vestiários, camarotes e instalações de mídia, tudo no padrão exigido pela Fifa.

Interdição - Terminada essa etapa, o estádio precisará ficar fechado por um ano, para a última etapa da construção: a cobertura da área das arquibancadas. “Dois arcos metálicos de 220 metros servirão de suporte à cobertura, criando um grande vão livre. As quatro extremidades serão apoiadas sobre colunas localizadas atrás dos gols”, diz Carlos Arcos. O arquiteto diz que um escritório alemão, Schlaich Bergermann Und Partner (SBP), é o responsável pelos cálculos estruturais de toda essa estrutura. Ele explica que o fechamento será feito com placas metálicas presas aos arcos e apoiadas nas fachadas laterais do estádio.
Outra característica da nova Arena para a Copa é a aproximação, ainda maior, da torcida com o campo de jogo. Para isso, haverá a retirada completa do fosso, que separa o campo das arquibancadas, possibilitando a construção de mais três fileiras de arquibancadas. “A arquibancada ficará a seis metros do gramado, limite mínimo permitido pela Fifa. Transformaremos o fosso em reservatório de água da chuva, captada pela cobertura, que será usada para a irrigação do campo e águas secundárias, como em sanitários e limpeza de certas áreas”, revela Arcos.
Clique
aqui e confira a entrevista completa de Carlos Arcos ao portal Copa2014.

6 comentários:

esou disse...

Um projeto maravilhoso deste não merecia ser contestado por maus torcedores. Além destes tem conspiração estilo pague-me que aprovo e permito a realização.
Mas, no fim de tudo há de prevalecer o amor ao Clube, o patriotismo e principalmente o bom senso. Só assim se abrirá a fonte dos recursos.

Anônimo disse...

E os pontos cegos? Ficam pra Copa?

Anônimo disse...

Cego é quem não lê o que está escrito. Leia burro, depois pergunte. pelo jeito vamos ter que desenhar pro ervilha.
Titio Enéas desenha pro burrinho

Anônimo disse...

Cego é quem torce pro coxa...

Anônimo disse...

Esse é viado, hehe.

Anônimo disse...

cego é o teu pai que comeu a porca da tua mae...