terça-feira, 27 de outubro de 2009

Vínculo contratual pode ter afastado Ronaldo do Atletiba

O jonalista Augusto Mafuz levanta hoje uma polêmica envolvendo os direitos federativos de jovens jogadores do Furacão e ex-diretores do clube. O problema teria sido, inclusive, o motivo pelo qual o zagueiro Ronaldo, que vinha atuando como titular, sequer foi relacionado entre os convocados para o Atletiba. Se verídicos, são gravíssimos os fatos. Confira o texto:
Segredo de estado
O hino do Atlético diz a certa altura que a camisa rubro-negra só se veste por amor. Não sei, mas imagino que Ruy Paciornick, Pablo Xavier e Alexandre da Rocha Loures, tenham cantado várias vezes esse refrão.
Motivos nunca lhe faltaram: atleticanos fanáticos, além de altamente capazes, tiveram a sorte de adquirir e consolidar a profissionalização como executivos no futebol, no Atlético e por conta do Atlético.

Por força da execução de suas funções, aprenderam todos os segredos do clube. Sob o pretexto de que era a única forma de proteger o Atlético da ação de agentes e empresários, Alexandre da Rocha Loures foi nomeado “agente oficial”, dos jogadores do Atlético. Chegou a ter 40 procurações de atletas. Ruy Paciornick nunca iria imaginar que um dia viajaria representando o “seu Atlético” no exterior. Pablo se juntou a eles. Os três constituíam um dos orgulhos do clube, que era o “Departamento de Negócios Internacionais”, ou coisa similar. Não ganhavam pouco. Seus salários eram de grandes executivos. Nada mais justo pela qualidade do trabalho e pelo benefício que traziam.

Pelos mais diversos motivos, mas em especial por uma proposta milionária de emprego que lhes fez Mário Celso Petraglia, os três foram embora. Além da excepcional formação cara paga pelo clube, levaram os segredos e as procurações dos jogadores. Segredos, uma centena; procurações, 40 no mínimo.

Estranhei a ausência do menino Ronaldo na zaga, no Atletiba. Vinha se constituindo, com Manoel, no fato novo do time, dando ao setor a consistência, que há tempo não tinha. Perguntei: da mesma forma que apareceu de repente vai sumir de repente?

No cadastro da CBF, o contrato Ronaldo termina em maio de 2010. Não jogou o Atletiba por decisão da diretoria, que, aliás, foi implantada no clube por Mário Celso Petraglia, quando do episódio Dagoberto. Se há resistência para renovar o contrato do jogador, o melhor é afastá-lo. Atitude absolutamente correta.

Ronaldo não jogou porque seus procuradores passaram a criar impedimentos para a renovação. Pedem valores extraordinários para quem há duas semanas sequer treinava entre os titulares. Procurei saber quais são os seus procuradores. São eles: Ruy Paciornick, Alexandre da Rocha Loures e Pablo Xavier. O fato de serem atleticanos não os obriga a recusar benefícios do mercado. Ainda mais no caso específico, porque assim foram formados. No entanto, se o mercado permite que se ignore questões sentimentais, os impede negociar usando instrumentos que ajudaram a criar.

O Atlético, por todos esses fatos, virou um refém. Pode perder Ronaldo, e outros jogadores, por conta de alguns segredos, que seus criadores levaram. O caso é mais grave do que o de Dagoberto. Neste, pelo menos, os Malaquias não tinham nenhum compromisso pessoal com o Atlético.

◘◘◘
Nota do blog:
Tudo isso é grave, mas é também importante saber se os três diretores saíram mesmo do clube por terem recebido de Petraglia uma proposta milionária de emprego ou se, assim como outros executivos profissionais que estavam trabalhando no clube até 2008, foram demitidos pela atual gestão devido ao alto valor de seus salários.

12 comentários:

Anônimo disse...

Do MCP eu não duvido nada. Estranho nenhum veículo de comunicação ter falado sobre o e-mail que Petraglia mandou para todos os sócios justo na semana do Atletiba, tentando desestabilizar a atual diretoria e querendo voltar para tocar o projeto da copa. Eu respondi o e-mail e a resposta dele foi abominável.

Esses são alguns "atleticanos" que pensam primeiro no bolso e depois no clube. Vergonhoso!

Santiago

Anônimo disse...

O MCP está por tráz de muita robalheira, como por exemplo a venda de jovens talentos sem terem ao menos jogado pelo no time principal. Fora o que ele pretendia levar na construção da arena pra copa.
O coronel dizia que jogador é tudo pilantra, que quando precisava deles eles davam as costas pra ele. Quem pensa assim dos jogadores não pode esperar que os mesmos estejam em tranquilidade para jogar, e aí começam as brigas que racham o time decorrendo em vários anos sem qualquer chance de estar entre os primeiros.
As coisas estão começando a serem consertadas agora. É só ver que nenhum jogador quer deixar o elenco pro ano que vem, isto significa que o clima só vai melhorar, e enfim teremos um ano melhor, apesar de que aquela praga vai tentar minar o Atlético da mesma maneira que faz hoje.
Aquele discursinho desesperado, em busca da presidência só mostra que o que importa é a volta pra presidência, como se ele fosse a salvação para o Atlético.

Sai fora coronel tua hora já passou.

El Sayed disse...

como sempre "nunca sabemos" o que acontece no Atlético.

Anônimo disse...

e como sempre somos tratados como os otários da história. a torcida serve pra isso. e nunca vamos fazer alguma coisa. já foi a época de termos uma torcida de verdade. enquanto isso "eles" estão com os bolsos abarrotados

Ciro disse...

Não sei se o MCP ganhou dinheiro às custas do CAP, nunca foi provado nada. Mas que ele é um cara que se tornou agressivo com o tempo, isso é verdade.
Mas entendo ele também, porque quando uma pessoa realiza de verdade sempre faz inimigos. E MCP tem muitos inimigos invejosos loucos para destruí-lo, o que é uma pena, porque torna o MCP uma pessoa mais incessível e quem perde com isso é o Atlético.

Uma pena se o fato do Ronaldo for verdade. Desanima e dá vontade de abandonar o amor pelo futebol.

esou disse...

No Mundo do futebol profissional todos atletas tem empresários/procuradores. Será que há quem pense Corinthians é "dono" do Ronaldo, o ggordo? Mas, nem por contrato; é apenas uma "locação"!
Assim sendo, não haveria nada de mais e até desejável que o "empresário" fosse alguém ligado ao Clube. Isto naturalmente "desde que" não contrarie os interesses do CAP tampouco seja em seu detrimento.
O caso merece investigação mais profunda antes de qualquer conclusão.

Victor disse...

Alguém duvida de quem um dia quis compartilhar o solo sagrado com os coxas????? Isso é coisa do Tio Patinhas do Petraglia, DINHEIRO, é só isso que passa na cabeça dele. Atlético aos atleticanos de berço, e não aos empresários!

Julio disse...

Não sei como proceder como sócio. Posso solicitar uma Assembléia Extraordinária para os conselheiros explicarem este assunto? Alguem poderia me responder? Se o cara trabalha no clube e recebe de presente a procuração de 40 atletas, o mínimo que deve fazer quando sair é revogar estas procurações a alguem que continuará no clube. Agora, o cara ganha de presente e sai usando contra o próprio clube deve se constituir em um crime. Não sei se é ético ou legal se utilizar de um cargo dentro do clube para fazer riqueza.

Anônimo disse...

etlin@terra.com.br

esse é o e-mail do MCP, caso queiram pedir explicações diretamente a um dos envolvidos no caso...

Julio disse...

Pra que? Para ele vir com toda sua educação e fineza? O cara se acha a última bolacha do pacote, um Deus encarnado. Então, para não ouvir ladainha, devaneios e insultos, prefiro ouvi-lo cara a cara em uma assembléia do clube. Desta vez ele não poderá mandar o segurança tirar ninguem de lá.

Geraaaaaaldo disse...

Não se esqueçam que quem escreveu isso foi o Mafuz, desafeto do Petraglia. E que ninguém até agora confirmou estas informações...

Thiago P disse...

Nunca li tanta mentira junta...