domingo, 4 de outubro de 2009

Troca

Entrevista publicada neste domingo pela Gazeta do Povo como o vereador Mário Celso Cunha, presidente da Comissão Especial da Copa na Câmara de Curitiba:
Como está funcionando a Comissão Especial da Copa?

Não estamos tendo tempo para respirar. Acompanhamos todos os eventos relacionados ao Mundial, com viagens a Brasília, Salvador, Rio e Porto Alegre. Na segunda-feira (amanhã), por exemplo, vou falar na abertura do seminário na Assembleia Legislativa (evento organizado pela Comissão de Turismo e Desporto da Câmara dos Deputados e pela Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado). Nosso objetivo é organizar tudo e elencar prioridades, como a Arena e o metrô.
E qual é a situação da Arena?

Veja, sem a Arena não tem Copa em Curitiba. Para concluir a obra será preciso recursos. O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) tem uma linha de crédito para estádios públicos, com isenções e juros baixíssimos, quase zero. Entendemos que é preciso o governo federal ampliar isso para os privados. O Atlético não pode fazer esse empréstimo, pois – como todos os clubes – tem dívidas fiscais e dificuldade de apresentar garantias. O ideal seria o governo estadual ou municipal avalizar. Pegar o dinheiro e repassar para o término da obra.
Dinheiro público em obra privada?

É a única saída. Se não viabilizarmos a Arena, não tem outro estádio. Foram enviados 200 kg de documentos à Fifa para aprovar o estádio. Curitiba não apresenta outra saída. Sem a Arena, perdemos a Copa.
Quanto o Atlético precisa?

Na ordem de R$ 100 milhões.
Haverá uma reação negativa da opinião pública, não?

Acho que não. O legado para Curitiba será enorme. Não é só o bairro do Água Verde o beneficiado, mas sim todo o município. No total, a cidade vai arrecadar em investimentos federais algo próximo a R$ 4 bilhões, com obras viárias, quem sabe o metrô, turismo... Isso em troca de R$ 100 milhões para o Atlético, entende? A troca é muito boa!

5 comentários:

Fernanda disse...

Obviamente vai ter um pessoalzinho, da parte verde e podre da city, que de repente, vai ficar bravo...

Bruno disse...

Bom, eu já paguei tanto imposto na vida, boa parte dessa grana não vi aplicação prática...pelo menos agora sei q meu dinheirinho será bem gasto!!!hehehehhehe

JMK disse...

Afinal, Copa em Curitiba não é pública? Então, qual é a implicância? Não temos dinheiro para doação em "obras" públicas! Está mais que lógico o dever do governo em assumir o custo total da realização. Não da conclusão de nossa Arena, mas do remanejamento e ônus que teremos com a paralisação dos nossos jogos no Joaquim Américo.
É obrigação dos coxas também de não conjurar como fazem costumeiramente e ir a favor, pois só têm a ganhar, se é que são pelo Estado do Paraná.

Anônimo disse...

Eles não são pelo estado, nunca foram, mas apenas pelo umbigo (se é que porco tem umbigo, não entendo da "geogafia" pig-pork).
Grana do governo e tenho dito.
Titio Enéas, que votou "neles" até hoje para quê afinal??

esou disse...

Não sei se é boato, mas disseram-me que o BNDES reservou 4,8 bi exclusivos para atender as necessidades no quesito estádios, inclusive particulares. CAP vai receber o que precisa para adequar a Arena para Copa, sem ter que oferecer garantia penhorável, apenas com aval do governo municipal e estadual.