quarta-feira, 28 de outubro de 2009

"Não vi nem a cor do carro"

O site Curitiba Agora, feito por estudantes de Jornalismo da PUCPR, entrevistou Caio Budola, atleticano que estava ao lado do colega João Henrique Vianna quando ele foi atropelado na volta do Atletiba de domingo. Segundo Caio, um grupo de torcedores voltava pacificamente do Couto Pereira e o veículo que atingiu João Henrique trafegava em alta velocidade. "Estávamos andando e conversando; tínhamos atravessado a rua e já estávamos sobre a área de estacionamento. Não vi sequer a cor do carro, marca, nada. Passou a uns 50 centímetros de mim e acertou o outro menino e o João. Só vi meu amigo 'voar', muito alto", contou.
Para ouvir a entrevista, clique aqui.

7 comentários:

Anônimo disse...

Foi um ato criminoso!

Guigo disse...

Guerrilheiro!
só um detalhe, não é Jornalismo da UFPR, é da PUC! hehe

mas fato é que foi um ato criminoso e o motorista deve ser punido!

Ricardão disse...

Quanto à solução para este problema de violência entre torcidas, ela certamente não passa pelo jogo de uma só torcida. Muitos dos envolvidos nas arruaças, a maioria, nem no jogo vai. O jogo é só um pretexto para os baderneiros.
A violência passa pela punição dos infratores, me parece que neste caso a polícia está agindo com total correção, até onde sei o sujeito permanece preso.
E a solução definitiva é EDUCAÇÃO. Vê-se que está longe de alcançá-la, infelizmente.
E hoje, em paz, vamos fritar um peixe logo mais à noite.
SRN

esou disse...

Revoltante, mas o revide também só piora a situação. A passeata conjunta pela paz entre as torcidas é válida porém, levada ao extremo vira jogo de compadres e perde o sabor. A rivalidade tem que existir pela natureza humana. Acaba-se este, inventa-se outro confronto esportivo as vezes pior, está no sangue.

O que talvez a coexistência mais pacífica seja a de as organizadas eliminarem do repertório os xingamentos e apologia à violência, pois fora dos estádios há muitos que se inspiram e distorcem a mensagem e partem para verdadeira guerra; também, os marginais se aproveitam e se fingem de torcedor para usar como desculpa aos atos criminosos: "Fiz em defesa da honra do meu time".

Não podemos assistir a esses acontecimentos e sermos omissos. Algo tem que ser feito, é a realidade!

Lucas disse...

Quando um colunista que se esconde por detrás de um personagem, como um que tem um blog vinculado ao site coxanautas escreve um texto cujo o título se chama é guerra, antes do penúltimo atletiba, conseguimos entender o nível de responsabilidade que alguns torcedores, supostos alfabetizados, tem sobre seus argumentos. Na minha opinião, como dito em comentários de outras noticias desse site, pessoas que tem o poder de mídia e não agem com ética, deveriam ser punidas mesmo que longe dos grupos, por formação de quadrilha.
Mas á lei não permite que isso aconteça, e qualquer suposto colunista pode escrever o que quiser da maneira que quiser, sem se responsabilizar pelo que fala, e sem ter responsabilidade alguma por quem pode ser seu leitor ou ouvinte.

Lucas disse...

Não é seu caso guerrilheiro, o apelido é seu, você existe...

Trapos de LUXO disse...

Isto é o que eu temia e infelismente está acontecendo, agora só o João tem Mãe, é inocente, um coitado, ou até um herói!

Gente, uma coisa é certa, há muito milagre pra pouco santo nessa historia!

E se não tomarem atitudes drásticas, isto continuará acontecendo, amanhã a vítima poderá ser um paranito, mesmo que participe até de emboscada, se morrer vai virar herói, ou então, um Coxa Branca, mesmo que esteja em bando massacrando algum infeliz, se morrer vira herói.
Atropelar uma pessoa pra se defender é crime, mas apedrejar carros bater em torcedores tudo bem…
Qualquer pessoa faria oque Krystopher fez..Se sentindo ameaçado pela torcida atleticana, que quando viram o caro começar a gritar COXAA COXAA!(relato de andre o outro trocedor atropelado) a intençao concerteza naum era atropelar ninguem, era apenas sair do local, se os meninos naum estivessem fervendo no meio da rua CONCEERTEZA não seriam atropelados!
Porque convenhamos…COITADINHO É QUEM MORRE DE BALA PERDIDA DENTRO DE CASA! é lamentavel que joao tenha falecido! ,menino novo com um futuro pela frente mais que infelizemnte estava no lugar errado, fazendo coisas erradas!
Chega! Basta! Investiguem, achem todos os irresponsáveis pela baderna, puna-se todos.

Mas, isso é Brasil, basta enterrar a vítima como herói e tudo bem.!