quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Furacãozinho segue atropelando

A nova e boa safra de jogadores do Furacão continua fazendo bonito. Na tarde desta quarta, os juniores do Atlético golearam o Paraná por 5 a 1 no CT do Caju e mantiveram a liderança do grupo A do Campeonato Paranaense. O destaque do jogo foi o atacante Éderson, que marcou três vezes. Os outros gols foram marcados por Harrison e Willian - meia que fez uma excelente Copa São Paulo em janeiro.
A propósito, na segunda-feira a Gazeta do Povo já destacava o bom desempenho do Furacãozinho e o surgimento de uma nova promessa. Leia a matéria:
Harrison comanda o melhor do sub-20
O meia Harrison em lance na partida de domingo, quando o rubro-negro
venceu o
falso corinthians no Janguito Malucelli: novo destaque do Furacãozinho.


O acesso em massa dos garotos que brilharam neste ano na Copa São Paulo para o time profissional do Atlético poderia desestabilizar o time de juniores para a disputa do estadual da categoria. En­­­tretanto, em três rodadas da competição, com apenas dois remanescentes da equipe que chegou à inédita decisão da Copinha (perdendo a final para o Co­­rinthians), o Atlético mostra capacidade de renovação e com jovens promessas vindas dos quatro cantos do país lidera o grupo A, com sete pontos.

No sábado, na última apresentação do time, na vitória de 3 a 0 sobre o Corinthians-PR, no Janguito Malucelli, um baixinho habilidoso que cresceu na pequena Santa Fé, interior do Paraná, chamou a atenção e foi responsável por quebrar a monotonia da partida. Enquanto as duas equipes, empatadas até então na primeira posição, travavam um duelo tático, com marcação cerrada e pouca objetividade, o garoto Harrison destoava do futebol pragmático arriscando dribles e chutes de fora da área, invariavelmente perigosos.

Com facilidade em bater na bola, Harrison já havia mandado uma na trave, antes de cobrar uma falta próxima da área e abrir o placar. Ainda juvenil, com 17 anos, o garoto escapava com mobilidade dos marcadores e era um tormento para a zaga adversária. Do outro lado, Leomar, o camisa 10 do Corinthians sumia, sob a vigilância do volante Bruno Testa. Apesar de não ser tão notado pela torcida quanto o companheiro, Bruno, 19 anos, tinha uma torcedora especial nas arquibancadas. “Meu filho está correndo muito, olhe lá”, apontava a mãe do camisa 8, dona Carmem que veio de Rio Claro-SP para prestigiar um jogo do filho.

Sempre que pode, Carmen acompanha de perto os passos do filho na carreira que ele escolheu logo aos 13 anos quando, sozinho, veio para Curitiba para jogar no Coxa.“Ele ficou quatro anos no Coritiba e há dois anos está no Atlético. No último jogo ele estava de capitão”, disse orgulhosa a mãe do jogador.

Mesmo sem a braçadeira, Bruno voluntarioso, e em coro com o goleiro paraibano Santos, orienta o time dentro de campo. Apesar dos vários sotaques, sob a batuta de Harrison, o conjunto atleticano ampliou com Éderson e Edgar Júnior e fechou a tarde sem desafinar.

2 comentários:

JMK disse...

È o Furacão do futuro próximo!

Anônimo disse...

Enquanto o principal está virando brisa!!!