quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Fim da megalomania

Parece que a ordem agora é cortar custos para evitar obras megalômanas e esparrame de dinheiro. E não é só o Atlético que pretende reduzir os custos para terminar a Arena. Hoje, o governo de Minas Gerais anunciou uma "versão enxuta" do novo Mineirão, também mais barata que a inicial.
Pelo que pude perceber, o Minerão passará por uma reforma realmente muito boa, mas nada de excepcional. Ganhará nova cobertura translúcida, cadeiras, área de imprensa e setor VIP, novas vagas de estacionamento. Um estádio usável, com um bom padrão aceitável.
A revisão nos projetos com vistas a uma redução de custos está sendo discutida com emissários da Fifa, no Rio, em evento que começou ontem e vai até amanhã.
O seminário é dividido em encontros individuais entre a comitiva da Fifa membros do Comitê Organizador Local da Copa e os comitês de cada cidade, com duração de até 1h20 cada, com ênfase na apresentação pela FIFA dos elementos críticos em relação ao projeto definitivo dos estádios, incluindo aspectos econômico-financeiros.
O projeto da Arena da Baixada foi debatido nesta tarde. A expectativa é reduzir os custos em pelo menos 30% em relação à previsão inicial.

3 comentários:

JMK disse...

Que papelão dos governantes!
Disputou sediar a Copa como disto dependesse a própria vida empenhando tudo. Agora que foram escolhidos, lamentam e alegam faltar verba para o cumprimento integral do projeto...
A Copa não é dos políticos e sim dos que os elegeram isto é do Povo. O governo tem sim que abrir o cofre e bancar a sua realização; é ou não é dinheiro do povo? Orçamento e de onde sairia o dinheiro é algo que já deveriam estar planejados. Deve sim é que impedir o desvio de verba. O país do Futebol tem que dar o exemplo para si e para o Mundo.

Anônimo disse...

A culpa é do povo, de novo? Pelo menos o ônus sempre é!
Enéas.

Anônimo disse...

A culpa é do povo, de novo? Pelo menos o ônus sempre é!
Enéas.