terça-feira, 18 de agosto de 2009

Custo da Baixada pode cair quase R$ 40 mi

Da Gazeta do Povo:
A 13 dias da data final para a entrega de todos os documentos relacionados aos 12 estádios para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, os dirigentes de Curitiba seguem trabalhando nos bastidores para tornar a conclusão da Arena da Baixada, como manda o caderno de encargos da Fifa, uma realidade. Na véspera da apresentação que será feira no II Seminário das Cidades-Sedes, que começa para os curitibanos na quinta-feira, um encontro na Assembléia Legislativa aumentou o otimismo.
Neste almoço, realizado no início da tarde desta terça-feira, estiveram presentes o vice-governador do estado e presidente do Comitê Executivo de Curitiba para Assuntos da Copa,
Orlando Pessuti, o prefeito Beto Richa, os deputados Nelson Justus, Luiz Claudio Romanelli e Alexandre Curi, além dos presidentes do Atlético Paranaense Marcos Malucelli e Gláucio Geara, além de outros envolvidos na candidatura curitibana.
“O encontro ajudou sim, discutimos a questão do orçamento para a conclusão da Arena”, afirmou Marcos Malucelli, por telefone, à
Gazeta do Povo. Inicialmente prevista por R$ 138 milhões, a conclusão do estádio atleticano poderá sair por bem menos e já se fala na adequação por valores próximos a R$ 90 milhões. A retirada de alguns itens que não são considerados vitais e a isenção de impostos no material de construção utilizado podem contribuir decisivamente neste sentido. O Ministério do Esporte já colocou que alguns pontos do caderno de encargos da Fifa podem ser desconsiderados e excluídos, algo que pode baratear consideravelmente o nosso projeto. Vemos coisas exageradas no que eles pedem, mas ainda não ficou definido o que eles aceitam que seja retirado. É algo que será definido na semana que vem. A dedução dos impostos também pode ajudar muito, comentou o presidente do Atlético.
Mesmo com a diminuição do orçamento inicialmente previsto para a conclusão da Arena, um investidor precisa aportar com pelo menos dois terços do investimento, com o restante ficando por conta do Furacão. Neste sentido, como já havia adiantado
o gestor Luiz de Carvalho, as conversas estão avançando e até dezembro, data-limite para a apresentação dos contratos de construção ou reforços dos estádios da Copa de 2014, o estádio deverá ter o seu parceiro conhecido. “Paralelamente às conversas para deixar o orçamento mais enxuto nós estamos conversando com alguns interessados. A Fifa também está auxiliando nesta parte e eu acho que é bem possível que tenhamos este parceiro definido em breve. Ainda precisamos definir o que poderemos tirar daquele projeto inicial para saber o valor exato e então definir de onde virá o que. Mas já estimamos um barateamento de 20% ou 30%”, destacou Malucelli.

11 comentários:

JMK disse...

Agora sim!Tratado pela cúpula de cada setor, Paraná não vai perder os benefícios da Copa 2014. Estados do Sul, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul, (três Estádios particulares) destes "acho" que somos os primeiros a mostrar real interesse.

JMK disse...

Aos que estão preocupados que São Paulo não se encontra no Sul, pergunto: Onde fica a Região SUDESTE? No Norte, no Centro ou no Sul do Brasil?

Anônimo disse...

Hehe Fica no Sudeste, algo entre o Sul e o Leste, e não no sul, geografia e português ainda são duas ciências interessantes, recomendo a todos.
Agora falando sério: grande ajuda essa de isentar os impostos, afinal se o principal interessado é o governo (tá, é o povo, mas o governo o representa - ou deveria), não tem sentido que ganhe inclusive na construção do evento. As organizações Enéas que o digam o quanto os impostos jogam os sonhos mais à frente na escala do tempo. Alguém já sabe do que se trata o barateamento? Tipo, o que deixará de ser realizado?
Titio Enéas agradece o esclarecimento.

Anônimo disse...

O Estado é péssimo.
Devemos privatizar tudo. Mas na hora que a água bate na bunda, é o Estado que segura a ponta.
Vide isenção de IPI pra indústria automobilística, ajuda aos bancos e etc...
Sou contra a colocação, mesmo que indireta (isenção de impostos), de recursos no estádio do Atlético Paranaense (o meu Furacão), mesmo porquê a ralé (leia-se escória verde) vai querer se adiantar e levar vantagem de alguma forma nesta fita.
Falei?
___________
profano.

Anônimo disse...

Na realidade seremos "usados" pelo governo, então que banquem a festa.
Enéas

TIAGO disse...

Porra... mas este titio Enéas é mesmo meio marrentão... o cara pegou valendo no pé lá do Paulo March e agora vem querer tirar uma com o JMK. Daqui a pouco ta todo mundo sendo monitorado aqui. Na boa... vamos parar de ficar querendo ser mais que o outro aqui. Somos todos atleticanos e isto que importa.

buenooo disse...

nada contra o estado cortar impostos para o novo pinga-mijo em igual tamanho $$ aos da baixada.

o problema é que mesmo assim eles não vão conseguir um estádio novo.

se fosse fácil o gremio, corinthians, palmeiras já tinham um estádio foda. como a gente também já teria o nosso concluído.

no fim. seria ótimo se todos os clubes tivessem estádios fodas e dinheiro pra manter um futebol caro. ficar com essa idéia pequena aí é que ferra o futebol brasileiro.

Anônimo disse...

O IMPORTANTE QUE O ESTÁDIO DO MEU QUERIDO FURACAO VAI BONITO PRA CACETE!!!!!!

Julio disse...

Concordo em isentar impostos para materiais de construção e serviços relativos a construção de estádios para copa, como também, o governo ajudar na busca de uma parceiro ou oferecer dinheiro a juro zero através do seu banco de fomento. A Copa não é do Atlético é do Estado. Se o Estado quer a festa, banque, mas de forma positiva, deixando a festa para o povo e não no orçamento e no bolso de políticos e empresários inescrupulosos.

Anônimo disse...

Sobrinho Tiago March, quanto tempo!!!
Somos todos atleticanos, que bom, fico mais a vontade para ajudar informando que a região sudeste ainda fica no sudeste, parece simples para você que é muito bom em pontos cardeais, isso não é pegar no pé.
E não tem que cortar impostos para o pinga mijo, alguém vais no devolver o imposto que já pagamos? Ou alguém vai fazer "eles" pagarem os impostos dos bingões que fizeram para erguer o tremendão?
Tô fora, sem sentido os outros se beneficiarem se não têm participação em nada.
Enéas

Anônimo disse...

Cara brigando porque o sudeste não fica no sul, hahahaha.
Mobral já galera!!