quinta-feira, 11 de junho de 2009

Um novo estilo

Waldemar Lemos chegou e já comandou o primeiro treino no CAP.
Da Gazeta do Povo:

A nova comissão técnica do Atlético começou a trabalhar ontem, no CT do Caju. Após ser apresentado aos jogadores, o técnico Waldemar Lemos já foi para o campo. Quem tinha do treinador a imagem de uma pessoa pacata, paternal e tranquila, surpreendeu-se – ele comanda o Rubro-Negro no jogo de sábado, contra o Sport, às 18h30, no Recife.

Pelo menos durante o treinamento, no meio dos atletas, o comandante dava muitas instruções de uma maneira bem agitada. Às vezes, chegava aos berros no trabalho de ataque contra a defesa. Isso quando não corria junto ao atacante para quase finalizar para o gol.

Certamente sem conhecer pelo nome todos os novos comandados, Lemos foi na base do “zagueirão tem de tirar de chapa” ou o “o cruzamento do lateral tem de chegar aqui”.

O novo chefe também deixou claro para o time que não gosta de corpo mole nos treinos. Se naturalmente os primeiros dias com um novo “professor” já são bem movimentados, imagina após uma forte cobrança. “Não é para ir devagar, não. Tem de chegar junto, não deixa fácil. Tem de dar porrada”, gritou, na linguagem do futebol que nem sempre significa o mesmo da vida cotidiana.

“Queremos que com o trabalho do Waldemar a equipe passe a ganhar os jogos. O que não vinha ocorrendo até agora”, comentou o presidente Marcos Malucelli, único representante do clube a se pronunciar ontem – por ordem da direção, comissão técnica e jogadores só pensam em trabalho até a viagem ao Recife, marcada para esta quinta, às 13 horas, quando ocorrerão as entrevistas no aeroporto.

Junto ao novo treinador, o preparador físico Riva Carli (trocou o Flamengo pelo Furacão) e o preparador de goleiros Marcos Tedeschi (foi promovido dos juniores) também não deram moleza para o elenco. Assim que terminavam uma série de chutes e cruzamentos, os jogadores tinham que vencer um circuito com zigues-zagues e cambalhotas ao redor do campo.

À noite, toda a comissão se reuniu com os profissionais que já estavam na Baixada. Entre estes, André Souto, filho e auxiliar do demissionário Geninho que continua no Rubro-Negro até o fim da semana. Na pauta do encontro, uma avaliação completa do plantel, nome por nome, e a definição de quem viaja e da equipe que joga no Nordeste.

“Só conversarei detalhadamente com o treinador sobre a necessidade de reforços na segunda-feira”, confirmou Malucelli, reconhecendo que nem mesmo a saída de alguns jogadores do elenco está descartada.
Baier liberado

Com o nome registrado no BID, o meia Paulo Baier será a principal novidade do Atlético, sábado, contra o Sport.
“Fiquei 10 dias parado. Estava treinando fora do grupo. Já estou ai e pronto para ir para o jogo sim. Esse negócio de ficar 10 dias treinando (em separado) não funciona comigo. Quero estar no grupo, trabalhando e à disposição. Eu vinha treinando só na sala de musculação, nas bicicletas. Não é a mesma coisa que trabalhar com o grupo. Estou aqui para jogar e, se tiver que ir para o jogo, estou pronto”, declarou.

Já o atacante Eduardo, também recém-contratado, está fora da partida. O jogador vai casar no religioso, amanhã, em Belo Horizonte.

6 comentários:

JMK disse...

Que a cobrança não venha já no próximo jogo por parte da torcida.
Mas, os atletas têm que se empenhar e mostrar ao Lemos o seu verdadeiro estilo de jogo. Levantar a cabeça sem ser arrogante, humildade sem ser um derrotado e cada um cumprindo a sua função, o resultado virá.
Não indo na concepção da Transamérica, sairemos com vitória de lá.

Marcelo disse...

Será que eu entendi bem ? O que o Malucelli quis dizer com: "Queremos que com o trabalho do Waldemar, a equipe passe a ganhar os jogos. O que não vinha ocorrendo até agora”. Será que ele se referia a falta de vitórias ou a falta de trabalho=treino.

Anônimo disse...

eu fui opositor a esse presidente, e tb não gostei mto da contrataçao desse waldemar, mas acho que é hora de darmos um tempo, vamos dar credito e ter um pouco de paciencia com esse treinador, vai que dá certo!!

Johnny

Anônimo disse...

Ele está certo em dizer que com o trabalho do WALDEMAR o time tem que ganhar,porque com o GENIUS o time fisicamente está uma bosta, não treinava jogadas, jogadores no primeiro tempo já tinham caimbras, escalava mal o time, jogava quem estava na sua panelinha não tinha jogadas ensaiadas.

Anônimo disse...

Agora começa tudo de novo. No mínimo 6 jogos para vermos o que o Waldemar pode fazer.
Até lá, mais paciência e sem acabar o mundo por qualquer passe errado, por favor.

Boa sorte, Waldemar Lemos.
Boa sorte, FURACÃO!

E muito trabalho!

Rico

Anônimo disse...

Acho que com o trabalho do Riva começaremos a ganhar jogadas e consequentemente os jogos.