sábado, 16 de maio de 2009

De onde vem o déficit

Meus amigos, o Clube Atlético Paranaense divulgou ontem seu balanço patrimonial referente a 2008. Não sou contabilista, tampouco matemático, mas vou tentar resumir o documento aqui.
O número final já resume bem a situação: déficit líquido (leia-se prejuízo) de R$ 18 milhões.
Mas, de onde vem esse número? Grosso modo, dá pra dizer que o Furacão também sentiu os efeitos da crise mundial, que resultou na falta de grandes patrocínios e na diminuição brutal nos valores de transferências de atletas ao exterior. Mas não é só.
Vamos lá. A receita do clube no ano passado foi de R$ 30 milhões. O item que mais colabora para a entrada de recursos é o das "receitas esportivas": R$ 15,3 milhões. Estimo que este seja o dinheiro total recebido pelas cotas de TV divididas pelo Clube dos 13, além de premiações recebidas pelas próprias competições.
Em segundo lugar aparecem as "Receitas com transferências de atletas", com "R$ 13,2 milhões. Depois, bem abaixo, vem as "Receitas do estádio" (R$ 3,9 milhões); "De associados" (R$ 2,8 milhões), "Patrocínio e concessão do uso da marca" (R$ 2,2 mi) e "Receitas administrativas da Arena" (R$ 2,07 milhões).
Já as despesas principais do clube são "Proventos e encargos", com R$ 19,3 milhões; "Serviços especializados" (R$ 13,4 milhões); "Despesas administrativas - sede, Arena e CT" (R$ 8 milhões); "Transferência de atletas" (R$ 6,7 milhões).
Bem, prossigamos.
O item "Contas a receber" aponta para mais dificuldades ainda para o próximo ano. Se de 2007 para 2008 havia ficaram mais de R$ 10 milhões para receber, proveniente de pagamentos parcelados de sócios ou mesmo de negociações de jogadores; para 2009 este valor diminuiu para cerca de R$ 6,6 milhões.
Por outro lado, há também um outro campo, o de "Direitos realizáveis", que mantém como contas a receber também recursos provenientes de ações judiciais, num total de R$ 14 milhões. São R$ 7,8 milhões de uma ação contra a FPF e R$ 6,1 milhões do caso Dagoberto, além de dívidas menores, como se vê abaixo. Porém, estes recursos ainda não têm data para entrar no caixa do clube.
Bom, isso tudo por si só não quer dizer muita coisa. Exceto que o dinheiro dos sócios está sendo bastante importante para cobrir os gastos do clube, mas é insuficiente para poder investir em contratações. E que nem mesmo um bom patrocínio, no momento, pode tirar o clube do vermelho.
Trajetória de queda
Interessante mesmo é olhar o balanço no contexto dos últimos anos. Daí, a situação dá uma clareada. No quesito "transferência de atletas", por exemplo, comparando 2008 com 2007, nota-se que o custo para trazer jogadores manteve-se estável, na casa dos R$ 6 mi. Mas as receitas diminuíram quase pela metade, em cerca de R$ 10 milhões:

A coluna da esquerda refere-se a 2008; a da direita a 2007.
Outro ponto interessante de se destacar é que toda esta excepcional estrutura do CAP tem um custo fixo bastante elevado, que gira em torno de R$ 8 milhões por ano:
A coluna da esquerda refere-se a 2008; a da direita a 2007 .
Neste aspecto, clubes que não tem estrutura alguma mas que recebem recursos várias vezes superiores da TV ou em patrocínios, como Flamengo, Corinthians e todos os clubes do Rio de Janeiro, por exemplo, têm uma vantagem competitiva mosntruosa, em relação ao CAP, na hora de contar a bufunfa disponível para contratar jogadores.
Mais interessante ainda é olhar os balanços anteriores e traçar um panorama dos últimos 4 anos. Enquanto todas as principais fontes de receita encolheram, os principais gastos cresceram consideravelmente:
Receitas esportivas

2005 = R$ 18,9 mi (Libertadores)
2006 = R$ 15,9 mi
2007 = R$ 14,06 mi
2008 = R$ 15,3 mi
* Note-se que o Furacão recebeu uma quantia maior em 2005, devido às premiações conquistadas com a boa campanha na Libertadores. De lá para cá, estes recursos estão praticamente estagnados. Parece que em 2009 haverá um reajuste interessante em termos de cotas de TV.
Receita com transferências de atletas

2005 = R$ 33,2 mi
2006 = R$ 29,5 mi
2007 = R$ 23,5 mi
2008 = R$ 13,2 mi
* O Furacão, que no começo da década sempre teve na venda de jogadores - principalmente ao exterior - a sua principal fonte de receitas, vê esses recursos diminuírem ano após ano. De 2005 até 2008, a receita caiu a menos da metade. Um duro golpe. Fosse uma empresa, com estes resultados, já teria fechado ou mudado de ramo.
Custos proventos e encargos

2005 = R$ 16 mi
2006 = R$ 13 mi
2007 = R$ 17,7 mi
2008 = R$ 19,3 mi
* O pagamento de salários e encargos de um clube de primeira divisão, mesmo sem grandes estrelas no elenco, também é bastante alto. O crescimento nos últimos anos vem acompanhando a tendência inflacionária do período.
Custos Serviços especializados

2005 = R$ 5,06 ,mi
2006 = R$ 9,6 mi
2007 = R$ 10,7 mi
2008 = R$ 13,4 mi
* Uma despesa que cresceu consideravelmente é esta, com "serviços especializados". O balanço não especifica quais são estes serviços.
Despesas administrativas

2005 = R$ 4,7 mi
2006 = R$ 5 mi
2007 = R$ 7,2 mi
2008 = R$ 8,7 mi
* Os custos para manter um estádio moderno e um CT de primeiro mundo também são bastante grandes. E crescem ano após ano.
Resultado final
2005 = R$ 25,5 mi (superávit)
2006 = R$ 15,5 mi (superávit)
2007 = R$ 1,5 mi (superávit)
2008 = (-) R$ 18 mi (déficit)
Daí, chego à seguintes conclusões:
1) O Atlético precisa conseguir urgentemente um bom patrocínio, após a confirmação da Baixada como estádio-sede da Copa de 2014;
2) Essa nova geração de jogadores surgida no time de juniores do ano passado pode ajudar o clube a voltar a fazer boas vendas ao exterior, principalmente se a crise mundial começar a se dissipar e os clubes europeus voltarem a investir;
3) Em breve o clube precisará reajustar o preço da anuidade dos sócios. E precisa acelerar o quanto puder as obras para concluir o estádio, aumentando sua capacidade e o número de associados;
4) Não sei quais são exatamente os "serviços especializados" contratados pelo CAP, mas acredito que se possa cortar um pouco estas despesas, ou ao menos evitar o seu crescimento contínuo, a não ser que sejam realmente de extrema importância para o clube;
5) Com o custo de manutenção de toda a fantástica estrutura do CAP, acho que vai demorar bastante até que tenhamos os recursos suficientes para aumentar o investimento em chuteiras. E a torcida precisa levar tudo isso em conta na hora de exigir contratações impossíveis para o momento - que, como se vê, não é de bonança.

15 comentários:

Anônimo disse...

Então Guerrilheiro, vou aproveirat o espaço pra fazer um desabafo.Ao assistir o jogo Sport e Palmeiras, tirando o Marcão que é idolo, pude ver Danilo com Moral e jogando bola. Durval com Moral e jogando bola. O time do Sport é de longe melhor que o nosso e é composto por bagaço atleticano. Edno vem sendo disputado a tapa. A torcida que ver netinho longe do CAp. Alguns já chiam e pedem a saida do Gallato, ignorando o fato de que se não fosse ele, estariamos jogando contra Bahia e Paraná. Alguns pedem a saida de Geninho. Outros e mais um pouco, pedem agora a saida de Mallucelli e pedem a volta antecipada de Petraglia, como se o "Dono" tivesse feito grande coisa pelo futebol. As contas do CAp vem ai demonstrar que não é facil fazer Futebol. Sei lá como vai ser o Corinthians daki um tempo e qual é o tamanho do rombo. Titulos hoje a base de gasto até com juiz mas, o mercado pune, assim como punirá o flamengo pela loucura que está fazendo. Onde quero chegar é que nossa torcida precisa mudar. Somos torcedores e não clientes. Pagamos o socio torcedor porque amamos o Atletico, nem que ele não preste. To enjoado de abrir post e so ler o pedido da cabeça de alguém!! Ufa.

Fred

André disse...

Além de abrir post e ler pedidos da cabeça de jogadores, comissão técnica e direção do Atlético, é de doer e passar raiva os "sócios" do clube que a qualquer passe errado, começam a nos irritar profundamente com gritos de "Vai embora Geninho, sua farsa!"; ou "PQP Gallato sua M****, vá embora!"; ou ainda "Esse time é uma M****! Essa direção só está acabando com o Atlético!". Esse tipo de coisa tenho que ouvir sempre de corneteiros tanto dentro da Arena, que, por não ter mais lugares disponíveis, vou ter que ouvir por um bom tempo e passar raiva quieto, quanto fora do estádio, de pessoas que não sabem o quanto é difícil gerir um Clube sério de futebol. Acho absurdo que essa massa de "sócios" que se sentem como clientes não INCENTIVEM o time em momento algum, é só levantam seu traseiro da cadeira pra xingar nossos bons jogadores (bons...não contando nossos juniores). Espero que aqui comece um movimento real pró-atlético, de pessoas que incentivem incondicionalmente nosso CAP, "mesmo ganhando, mesmo perdendo, sendo rubro negro de coração!"

Anônimo disse...

pois é...alem da onda de jogadores razoaveis que são injustamente queimados na arena (podemos fazer uma lista de quase um time inteiro se destacando em outros clubes) a tão comemorada saida do MCP já está trazendo seus reflexos.

para um empresario (patrocinador) é mto mais seguro saber que por tras do clube há um cara como o MCP, que tem $$ para bancar as coisas se precisar.

outra coisa são as negociações de jogadores, sem ele por perto estamos de mal a pior e daqui a pouco ficamos piores que os coxas.

e com o clube "quebrado" vamos pagando um salario absurdo a Geninho que não mostra os resultados esperados.

resumo: tá tudo errado.

Anônimo disse...

Obrigado pela análise Guerrilheiro!!
Quem pode valorizar nosso jogadores somos nós mesmos, qualquer profissional por melhor ou pior que seja não trabalha melhor sendo xingado o tempo todo.
Xaropada: peçam para sair!! quem sabe um verdadeiro atleticano (seja "petraglista" ou Malucellista" ou o "caralhista" compre sua cadeira...
SRN.

Guilherme Reis disse...

Os custos de serviços especializados, são as contas que o Petraglia está cobrando do CAP. Como acha que crescemos deste jeito de 1995 pra cá?

Luiz Andrade disse...

Desculpe eu discordar anônimo das 16:49hrs, mas os balanços se referem até 31/dez/08, ou seja tio Pet ainda era o presidente, o resultado de exercício atual só será conhecido ano que vêm. Outro mito, o cidadão não vai colocar dinheiro do bolso no clube.
Então a queda nas receias com venda, que vem acontecendo ANTES DA CRISE, SÃO RESULTADO DA POLÍTICA (final) DO MCP, de comprar dúzias de jogadores e não revelar ninguém da base.

José Augusto disse...

Dívida não se paga rola-se!!! Ainda mais em futebol é assim mesmo, temos que contratar e trazer gente boa (Juninho Pernambucano está para voltar para o Brasil) queremos o Atlético grande e forte. Se quer disputar e não pagar mico na primeira tem que trazer jogador. Será que se tivermos jogadores como Juninho Pernambucano na meia, com um time de respeito não iremos vender bem Raul, Patrick, Fransérgio e outros? Agora se tivermos um time medíocre quem é que vai pagar caro por nossos garotos? Por quanto o Coritiba vendeu bons jogadores como Alex, Rafinha, Adriano, Miranda, Henrique? Por bagatela, porquê? Por que tinha times medíocres que não conseguiam valorizar seus jogadores. Nossos dirigentes precisam aprender com Grêmio e Inter, que revelam um jogador atrás do outro e quando é preciso contratam para manter a qualidade do elenco e desta forma são respeitados no continente inteiro
Agora para cobrir o deficit vão jogar a conta para cima dos torcedores, enquanto isto a Arena fica cada vez mais eletizada e nossa torcida cada vez mais fria, no futuro próximo dentro da Arena estarão clientes do Atlético (aqueles que estão comprando um produto, e que no primeiro minuto de jogo começam a vaiar o time) e não torcedores. Penso que hora do Atlético dar um passo adiante contratar bem colocar os meninos para jogar e disputar títulos nacionais/internacionais. Se pensar pequeno vamos ser os Juventudes, Figueirenses da vida. A segundona o ano passado não aconteceu por um triz, acho que não teremos um a segunda chance. Vida ou morte!!!

Anônimo disse...

Uma pergunta ao Guerrilheiro: será que a tribosta também vai "homenagear" a torcida verdinha que tomou de 4 do time do marcelinho carioca?

buenooo disse...

complicadíssima a situação. espero que fechem um contrato de patrocinio logo. porque infelizmente eh verdade, eh melhor gastar pra nao cair do que depois ter que subir. quem cai e sobe direto tem patrocinio da globo, o resto (coxinha e coitadinhos da vila) sofrem e infelizmente conosco nao seria diferente. foda.

boa sorte pro clube e que o futuro seja melhor.

Anônimo disse...

será que a tribosta também vai "homenagear" a torcida verdinha que tomou de 4 do time do marcelinho carioca?
[2]

EU ME PERGUNTEI ISSO TAMBÉM, MAS PELO JEITO, NÃO FIZERAM NADA...

Maumau Ecos Aventura disse...

Na questão patrocínio será que existe um privilégio por parte de empresas estatais. Veja o Flamengo recebe ou recebia de subsidária da Petrobrás no casa a Lubrax e o Vasco está sendo patrocinado pela Eletrobrás que é um conjunto de empresas que incluem a Eletronorte, Eletrosul, CHESF, Itaipu e Eletronuclear e outras. Que critérios fazem com que uma estatal patrocine o Vasco, se a empresa é Nacional poderia escolher qualquer outra de cada região de suas subsidiárias assim fica fácil contato com simpáticos de tais clubes. Questiono esse critério e um advogado aqui seria interessante.
Quanto aos clubes que estão indo bem com ex-atleticanos que a torcida hostilizava, digo e repito cuidado com a imprensa e rádios tipo "T" que no afã de provocar audiência expõe os jogadores ao ridículo fazendo a torcida de manada para acabar com o clube. Torcedor é "TORCEDOR" e não algoz. Pensar que hostilizávamos Kleber nessa balada.
Na torcida.

esou disse...

É como Maumau Ecos Aventura disse, a grande parte da nossa torcida vai pelo que lê e ouve. Basta ler post de alguns anônimos querendo ser adivinho, tipo: "2009 SAFARÁS NÃO MORRERÁS NA PRAIA", entenderam?
As Estatais dependem dos políticos para patrocinar Clubes de Futebol. E os políticos vão atrás de "números de eleitores" (torcidas grandes). O CAP entrou na "briga" dos grandes há muito pouco tempo, mas ainda é considerado pequeno, esta é a realidade.
Que o CAP tinha e tem deficit anuais de dez milhões que têm que ser cobertos com venda de craques o próprio MM já afirmou. Mas 18mi citados no texto é do ano passado, não é necessariamente o que ocorrerá sempre; e é bagatela em vista dos outros do grupo da Elite.
É dar um jeito neste e nos próximos anos e conseguir seguir bem na LIBERTADORES que tirará nosso Furacão de ver o buraco virar cratera.
O que nós meros torcedores podemos fazer, se só sabemos reclamar e queimar atletas (que é o cheque do Clube)?

Marcelo disse...

Guerrilheiro, gostaria de sugerir um texto sobre o pq o Atlético não consegue fazer grandes contratações, ou trocas de jogadores no minímo viáveis para a nossa equipe. Assim poderíamos discutir esta situação, tenho a minha em particular, mas, vou esperar. Um abraço.

Anônimo disse...

Pessoal, serviços especializados acredito serem despesas com Projetos e consultorias visando a Copa 2014 principalmente Arena e CT, e ampliação da Arena reta Brasílio Etiberê;
Porque não fizemos um patrocínio de apenas 1 ano, quando não renovamos mais com a Kyocera? Seriam aproximadamente 2 milhões na conta...
Nos últimos anos tinhamos time fraco e poucas revelações que eram vendidas; hoje temos um time razoável mais com muitos garotos com futuro, que se fizerem um bom campeonato serão vendidos e cobrirão os déficits, e ficaremos sem time... mas não mais no vermelho...
Solução? Um patrocínio forte agregado a Copa do Mundo (Marca forte, de presença "Nome") e sacrifício (Investimentos mais arriscados no ano de 2009/"Onde existe crise para uns existe oportunidades") para continuarmos com os garotos e com mais experiência para 2010 - Ano Promissor-. Patrick e Manoel são os melhores jogadores dos juniores, quem acompanha há um bom tempo, sabe disso...podem esperar!
Rodrigo R.

Anônimo disse...

Concordo com Jose Augusto. O Atletico tem que entrar na roda dos times grandes, que disputam título. Para isso, tem que ter jogador de ponta, de renome, um ou dois. Vejam que o Atletico saiu da Copa do Brasil por falta de experiencia. Um cara de nome no jogo iria falar com a piazada, pedir pra enrolar, não tomaríamos de jeito nenhum 2 gols em 5 minutos. Time vencedor vende fácil e ganha dinheiro para reforçar elenco, o ciclo fica mais estável, como São Paulo e Inter andam fazendo. Outra cagada: não quiseram renovar com a kyocera achando que ia chover patrocínio no Furacão. Até agora, nada.

Ricardo