quinta-feira, 30 de abril de 2009

Casa cheia. De rubro-negros

O torcedor do Atlético Paranaense que ficou frustrado após o anúncio de que todas as cadeiras disponíveis para sua torcida na Arena da Baixada foram adquiridas pelos sócios teve uma boa notícia nesta quinta-feira. Os cerca de 2,5 mil bilhetes destinados aos visitantes poderão ser vendidos para atleticanos para o jogo decisivo deste domingo (3), a partir das 15h45, contra o Cianorte, pela última rodada do Campeonato Paranaense.

Isso porque a diretoria do time visitante não solicitou a reserva de bilhetes para sua torcida para este jogo. “Eles precisam se manifestar sobre os ingressos, mas não o fizeram. Por isso começamos a venda dessa carga para nossos torcedores”, explicou o coordenador de segurança e eventos do Atlético, Pericles Souza, à Gazeta do Povo.

Por outro lado, o clube mandante não pode impedir que torcedores visitantes assistam aos jogos. Por isso, quem não torcer para o Atlético e quiser acompanhar o jogo pode comprar o seu ingresso sossegado, pois será destinado um espaço para estes torcedores nas arquibancadas da Arena da Baixada. “Já vendemos alguns bilhetes e certamente esses torcedores terão toda a segurança e conforto para assistir ao jogo”, concluiu Souza.

Os ingressos

As bilheterias da Arena não funcionarão neste feriado, mas estarão abertas normalmente no sábado e, caso sobrem ingressos, também no domingo. Os ingressos custam R$ 40, com meia entrada a R$ 20 e as bilheterias irão funcionar das 10h às 18h de sábado e a partir das 10h de domingo.

Também existem ingressos de camarotes à venda. São três modalidades de preços: tipos A, B e C. O tipo A contempla uma poltrona na reta da Getúlio Vargas e o valor é de R$ 250. No B a poltrona fica localizada em um dos camarotes do setor Buenos Aires e o custo é de R$ 200. Por fim, existem os camarotes do setor Madre Maria e Buenos Aires 4º andar ao preço de R$ 150.

Fenômeno é o Possesso

Senhoras e senhores, com vocês Wallyson, o Possesso!
(Foto Rodolfo Buhrer/Gazeta do Povo)
Meus amigos, acabo de assistir ao melhor jogo do ano até agora. E o país todo que ligou a TV para ver Ronaldo, o Fenômeno, acabou sendo apresentado a Wallyson, o Possesso.
Invicto havia 25 jogos, o Corinthians, apontado como favorito pela mídia, sucumbiu ao Furacão e foi derrotado pela primeira vez na temporada, por 3 a 2 - mesmo sendo acintosamente ajudado pelo árbitro da partida.
O bom futebol apresentado pelo rubro-negro, resultado direto das alterações no time titular, chegou a ser sublime no primeiro tempo: empurrado pela torcida, o Atlético botou o tal do timão na roda. Wally deu show: driblou, lançou, deu assistências e marcou um gol, abrindo o placar. Inacreditável como o Possesso somente agora está ganhando a titularidade.
E fundamental, novamente, foi o artilheiro Rafael Moura. Não só pelo gol, mas pela raça.
No começo do segundo tempo, Chico ampliou para 3 a 0, e parecia que o Atlético chegaria a uma surpreendente goleada.
Foi aí que o árbitro Nielson Nogueira Dias resolveu dar uma mãozinha ao time paulista. Além de um pênalti que não existiu, marcou insistentemente faltas nos gambás em toda e qualquer bola dividida. Em compensação, a gambazada bateu como quis sem ser molestada. Dentinho e Otacílio chegaram a partir pra cotovelada. Mas, aí, o Nielson fez que não era com ele.
Mas que não se bote somente a culpa no juiz. Houve uma falha crucial no comportamento do time atleticano: recuou demasiadamente, deixou a gambazada vir pra cima e não conseguiu manter o domínio de bola, sendo muito afoito nos contra-ataques. Acabou tomando dois, mas mesmo assim leva importante vantagem para a partida de volta, na quarta que vem, em São Paulo. Um empate garante a classificação às quartas-de-final da Copa do Brasil.
Se a classificação vier, terá que ser com sofrimento. Como manda o figurino rubro-negro.
Eles têm São Jorge? Nós temos Nossa Senhora da Salette.
Eles têm Ronalducho? Nós temos o He-Man.
Eles têm Dentinho? Nós temos o Possesso.
Então, vamos com fé pro Pacaembu. É difícil jogar lá? É. Mas no último confronto lá, empatamos em 2 a 2. Em 2004, metemos 5 a 0 nos gambás lá mesmo. Em 2003 também ganhamos. E em 2002. E em 2000...
Antes disso, uma pausa na Copa do Brasil porque nós temos mais um título estadual para ganhar no domingo!
Troféu
ZIQUITA
Wallyson e Rafael Moura. Menção também para Marcinho e Raul.

Troféu
TIÃO MACALÉ
Pra esse juizinho safado chamado Nielson Nogueira Dias e também para os bandeiras, principalmente o corno que estava na lateral da Getúlio Vargas, que só faltou entrar em campo para bater falta para os gambás. Nojeeeeeeeentos!
•••

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Repúdio oficial

O Atlético publicou em seu site oficial uma nota de repúdio ao jornal Tribuna do Paraná, na qual informa também que o atleta Júlio César irá acionar judicialmente a editora que publica o periódico. Confira a nota:
CAP repudia atitude do jornal Tribuna do Paraná

O CLUBE ATLÉTICO PARANAENSE vem a público externar repúdio e indignação à capa do jornal "TRIBUNA DO PARANÁ" de 27 de abril e à "Opinião" publicada pelo seu Diretor de Redação no dia seguinte.

A imagem grosseira e altamente ofensiva exposta na referida capa agride não só ao Clube, ao jogador ali fotografado e à massa de atleticanos, como também à comunidade paranaense em geral, forçada a encarar na capa de um dos jornais de maior circulação no Estado uma cena de extremo mau gosto. Mesmo torcedores de outros clubes reconheceram o abuso e sabem que, mais cedo ou mais tarde, a postura inconseqüente do jornal poderá atingi-los de forma direta, transformando um lance casual de jogo de seu time numa imagem degradante.

A "Opinião" assinada pelo Diretor de Redação e publicada no dia 28 de abril reforça ainda mais o descaso do jornal. Ao invés de aproveitar a oportunidade para reconhecer o absurdo da situação e desculpar-se perante todo o seu público, notadamente em relação aos torcedores atleticanos, optou por insistir na ofensa, demonstrando de forma induvidosa que considera aceitável o uso de expedientes sórdidos para tentar humilhar uma instituição.

O jogador retratado na capa, de sua parte, está constituindo advogado para acionar a editora responsável pelo jornal.

Da parte deste Clube, por ora aguarda-se uma retratação pública do jornal, em respeito aos nossos 23 mil associados e outros milhares de torcedores espalhados pelo Brasil.

Marcos Augusto Malucelli

Presidente

Fenômeno

O Atlético cresce quando o adversário é bom. Com o time que temos, não acho que possa ser nada etéreo, uma experiência extra-sensorial. Acredito que vai ser mais por causa do selo do Atlético, que é a raça. Faz parte de nosso hino, da alma do clube. Faz parte de nosso grito, faz parte de uma torcida que nunca desiste, mesmo quando está em dificuldade. O fenômeno será o Atlético em campo. Este é o momento
Fernanda Romagnoli, em sua coluna de hoje na Furacao.com

Para nunca esquecer

Campanha da torcida atleticana no fim dos anos 60.

Atlético enfrenta Ronaldo e seus invictos

Do portal Bem Paraná:
O Atlético enfrenta na Arena, hoje às 21h50, seu maior desafio em 2009. O time terá pela frente o Corinthians, único invicto na temporada entre os 40 integrantes das Séries A e B do Campeonato Brasileiro.
O confronto é a partida de ida das oitavas-de-final da Copa do Brasil. Nessa fase, o regulamento não prevê mais a eliminação do jogo de volta no caso de vitória do visitante por dois ou mais gols de diferença. A segunda partida entre as equipes será em 6 de maio (quarta-feira), em São Paulo.
Em 2009, o Atlético só enfrentou um adversário da primeira divisão nacional, o Coritiba. Na 1ª fase do Campeonato Paranaense, empatou em 0 a 0, no Couto Pereira. No domingo, pelo octogonal final, perdeu por 4 a 2, na Arena.
Além de invicto, o Corinthians vem com Ronaldo e todo o time titular. O atacante Jorge Henrique é o único desfalque. “Não podemos dar espaço para ele (Ronaldo)”, disse o técnico Geninho. “É um jogador diferenciado, com o menor espaço possível ele consegue fazer jogadas e gols. Mostrou isto contra o Santos”.
“Temos que ter consciência do poder do adversário”, declarou o treinador. “Vamos com o time mais equilibrado, e vamos povoar mais o meio-campo”, afirmou Geninho, confirmando mudanças na equipe.
Em relação ao Atletiba de domingo, são três alterações. O volante Fransérgio, o lateral-esquerdo Márcio Azevedo e o atacante Wallyson entram na equipe. Saem Julio dos Santos, Netinho e Julio César.
Wallyson vem se destacando nos últimos jogos. Em 2009, disputou seis partidas – apenas duas como titular –, marcou quatro gols, fez uma assistência e sofreu um pênalti.
Tática —
O treinador contou que assistiu a quatro jogos completos do Corinthians e preparou um vídeo de uma hora com lances dessas partidas. O material seria exibido ontem para os jogadores. “Se o Corinthians usar apenas um atacante, o Chico adianta para fazer a função de volante”, explicou Geninho. “Mas provavelmente o Dentinho vai jogar e ele tem mais característica de atacante”.
ATLÉTICO - Galatto; Rhodolfo, Antonio Carlos e Chico; Raul, Jairo, Fransérgio, Marcinho e Márcio Azevedo; Wallyson e Rafael Moura. Técnico: Geninho
CORINTHIANS - Felipe; Alessandro, Chicão, William e André Santos; Cristian, Elias, Douglas e Morais; Dentinho e Ronaldo. Técnico: Mano Menezes
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)
Local: Arena, às 21h50
Ingressos: esgotados

terça-feira, 28 de abril de 2009

Sensacionalismo não se justifica

Esdrúxula a tentativa de se justificar, da parte de um diretor da Tribuna do Paraná, pela infeliz primeira página que publicaram na segunda-feira. Só tentou, porque não justificou. Quis comparar o conteúdo do periódico ao sentimento de uma torcida. Quis alegar que, se a própria torcida às vezes xinga um jogador, a avacalhação daquela capa está então dentro do mesmo espírito. Sobrou até para a patuscada ocorrida no site oficial do Atlético. Como se isso justificasse a falta de noção de quem editou aquela capa de jornal. Sobrou até para o Netinho! Mas o que tem isso a ver?
Eu nem ia falar sobre este assunto - ontem simplesmente ignorei o ocorrido -, mas a "justificativa" foi pior do que a capa em si.
Outra pérola: o diretor diz que essa reação é coisa de torcida brasileira, passional e, de certa forma, idiotizada. E que na Europa não é assim. Engana-se. Como bem citaram no Fórum Furacao.com, a torcida do Liverpool promove um boicote ao The Sun há 20 anos! Pra quem não sabe, o Sun é um tablóide sensacionalista destes tipo a Tribuna. Tudo começou após a tragédia de Hillsborough, ocorrida há duas décadas, quando 96 torcedores morreram em um estádio, na maior catástrofe do futebol inglês. O jornal fez uma cobertura ridícula, tendenciosa, desrespeitosa. Há poucos dias houve um evento para relembrar os mortos naquela tragédia , e lá estava uma bandeira da torcida do Liverpool contra o The Sun, que é bem vendido em todo o país mas tem uma circulação ridícula em Liverpool (para se ter uma ideia: eles vendiam 200 mil exemplares por dia na cidade em 1989; hoje, vendem só 12 mil/dia. E olhe que a circulação nacional é de 3 milhões/dia). Várias bancas se recusam a vender o Sun. Tentaram distribuir de graça uma época e as pessoas queimaram os jornais nas ruas. O site oficial do Liverpool se recusa a reproduzir notícias do jornal.
Enfim, uma reação destas contra um jornaleco marrom, que chega a se transformar em um boicote, não é só coisa de torcedor brasileiro, passional, agitador e semi-analfabeto.
Aliás, seguindo a lógica do diretor, como a Tribuna cobre os crimes mais medonhos, sem se preocupar sequer em preservar o sentimento das famílias das vítimas, então seria lógico também que estampasse em sua capa uma campanha pela matança generalizada. "Compre sua arma e mate hoje mesmo um traficante". Afinal, é assim que pensa boa parte dos brasileiros, não é mesmo?
Um jornal não é um site de torcedores, como este, como os dos coxas. Ou como tantos outros que têm por aí. Um jornal é feito por jornalistas e deve respeitar regras e ter limites. Mesmo os tais blogs tiram sarro de maneira mais jocosa, usando um humor mais negro, mas mesmo assim com algum limite. Se a Tribuna continuar a tentar concorrer com blogs de torcedores, estará dando um passo largo rumo ao fracasso.

Marcio Azevedo, Fransérgio e Wally enfrentam o Corinthians

No treinamento de hoje o técnico Geninho definiu o time que enfrentará o Corinthians amanhã, na Baixada, pela Copa do Brasil. São três alterações frente ao time que iniciou o Atletiba: Márcio Azevedo, Fransérgio e Wallyson ganham as vagas de Netinho, Julio dos Santos e Júlio César.
Nos ataques de ambas equipes, duplas que propiciarão um duelo bastante interessante: Wally e Rafael Moura x Dentinho e Ronaldo.

Ronaldo e a rapa

Mano Menezes confirmou: Ronaldo jogará amanhã. Ele e a rapa. Só um ex-atleticano, Jorge Henrique, será poupado. "Nós sabemos que o Atlético tem mais qualidade que nossos dois adversários anteriores, além de ter mais tradição e um ambiente mais favorável. Vamos respeitar essa condição. Em um jogo de 180 minutos, não podemos desprezar os primeiros 90", argumentou o treinador, referindo-se também ao duelo de volta contra o Furacão, no dia 6 de maio.
Pois, que venham!
E que a derrota para os coxas, somada à chacota a que Julio Cesar e todos os demais jogadores foram submetidos com aquela capa da Tribuna, sirvam de motivação extra pra que o time mostre vergonha na cara, raça e superação.
Tirar o "Poderoso Timão" da Copa do Brasil é também uma forma de dar o troco à eliminação do rubro-negro em 1997. Na primeira partida, no Morumbi, mesmo na presença de 22 mil corinthianos, o Furacão venceu heroicamente, com gols do zagueiro Andrey e do polonês Nowak. Uma semana depois, em 22 de abril, com quase 40 mil atleticanos entupindo o Pinheirão, o rubro-negro era eliminado após uma goleada histórica por 6 a 2.
Então, essa é a chance de matar dois coelhos com uma só paulada: dar a volta por cima e erguer o moral do grupo rumo ao título estadual e abrir caminho para a classificação na Copa do Brasil.
  • O Atlético tem bola para despachar o Corinthians? Palpite!

Nietzsche , o eterno retorno e o futebol

Artigo do escritor Cristovão Tezza publicado hoje na Gazeta do Povo:

No último domingo, pela manhã, deixei prontinha uma bela crônica falando sobre Nietzsche, a teoria do eterno retorno e sua relação com o futebol – e, é claro, a vitória espetacular do Atlético sobre o Coritiba, o que já teria lhe garantido a taça por antecipação. Imaginei entrevistas alegres e calorosas no final do jogo, antecipei a festa aqui em casa e a comemoração com os vizinhos. Fiquei calculando até o que ia dizer ao dentista coxa-branca, que, um ano atrás, usou a broca como vingança, enquanto eu, amarrado na cadeira, não podia responder.
Texto pronto, feliz da vida, foi só abrir a cerveja e esperar o jogo. Bem, antes de falar da partida vou retomar um pouco o paralelo que tentei fazer, mesmo com a cabeça inchada – e não mais de cerveja. O filósofo Nietzsche esboçou o conceito de “eterno retorno”, que, numa síntese leiga, é a ideia de que a vida repete sempre os mesmos fatos e sensações e essa repetição eterna nos limita. Talvez uma boa explicação didática possa ser encontrada no futebol, já que as partidas não funcionam como entidades isoladas – aliás, ninguém dá bola para amistosos. O que interessa mesmo é a cadeia dos campeonatos, a dura sequência de jogos em que se contam pontos para a vitória final. O ciclo dos torneios tem assim o poder de controlar o tempo, medi-lo e organizá-lo em temporadas que eternamente se repetem. Porque, também no futebol, a vida continua e, conforme a surrada mas sempre útil sabedoria popular, nada como um dia depois do outro.
No ano passado, o Atlético ganhou o jogo e perdeu o campeonato. Neste ano, perdeu o jogo, mas pode ganhar o campeonato. Aliás, tenho certeza absoluta de que vai levantar a taça, depois de um longo tempo de sofrimento – é a lei do eterno retorno, misturando um pouco a teoria do filósofo com o desejo do torcedor. Mas, como nada é fácil, ainda teremos de encarar amanhã o Corinthians de aperitivo, que vem embalado com o gol do Ronaldo – por falar em eterno retorno –, o gol mais bonito dos últimos tempos. E na Copa do Brasil cada partida é uma batalha quase irremediável. Pode ser o grande momento para o Atlético se centrar, um momento épico (como aliás o momento que os coxas devem ter vivido domingo passado). Sinto que a equipe parece sempre cair mais por falta de equilíbrio emocional que por carência técnica, e transparece ainda uma indecisão sobre qual é afinal a formação titular do time. O problema é que no futebol parece que todos os santos são de barro, e é para eles que temos de rezar e sofrer durante o jogo. E vejam só, pessimistas: continuamos em primeiro lugar.
Pois eu ia comentar o Atletiba. Mas com o espaço chegando ao fim, melhor dizer das vantagens do romancista sobre o cronista. Aquele cria a realidade; este se arrasta atrás dela, escravo fiel. E a realidade digamos que está mais à frente, domingo que vem, quando se fecha um ciclo.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Coxas jogaram 10 bombas na torcida do Atlético. Com a palavra, o TJD

O Atlético, ou melhor, sua torcida, teve de aprender com os próprios erros. Precisou perder muito mando de jogo até TODA a galera compreender que não dá para jogar um copo vazio no gramado, sequer uma balinha sete-belos, que corre-se o risco de perder mandos de jogo. Aliás, o CAP se livrou de ter de jogar fora da Baixada por várias vezes graças à ação rápida dos seguranças e da torcida, que identificou o meliante para ser encaminhado às autoridades.
Hoje, o povão nem grita muito perto do alambrado com medo de que um perdigoto salte boca afora na cabeça do bandeirinha e que isso acarrete numa punição.
Pois bem.
Ocorre que o artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) prevê uma punição também à torcida visitante que promover tumultos:
"Caso a invasão ou o lançamento do objeto no local do evento esportivo, que possa causar o gravame aos que deles estejam participando,
seja feito pela torcida da entidade adversária, sofrerá esta a mesma apenação (perda de mando de campo de um a dez jogos e multa)".
A suinarada, que há pouco tempo incitou a violência no pinga-mijo ao ignorar qualquer prática do fair-play e lançar pó de extintor sobre a torcida atleticana, fez pior neste Atletiba de domingo: foram cerca de 10 bombas caseiras arremessadas contra a torcida rubro-negra.
Uma vergonha, um absurdo. Tudo filmado e presenciado por dezenas de jornalistas que são testemunhas oculares. Nos programas esportivos desta tarde, foram vários os relatos de que os porcos abundantes jogaram diversos artefatos explosivos, sem que houvesse qualquer reação violenta por parte dos atleticanos. A TV, evidentemente, deve ter as imagens.
O mundo todo viu.
Improvável, pra não dizer impossível, que apenas o procurador-geral do TJD/PR, Ramon de Medeiros Nogueira, não tenha visto o que aconteceu no maior clássico do estado.
Se viu, tem obrigação de denunciar os coxas.
Sob pena de, se não fazê-lo, estar colaborando para a continuidade da violência e sobretudo da impunidade no futebol paranaense.
Se não viu, cabe a nós alertá-lo. Mande um e-mail para ramon@loyolanogueira.com.br e exiga que providências sejam tomadas.
Se quiser ainda mandar um e-mail para o presidente do TJD, que é também procurador-geral do município de Curitiba, fique à vontade. O endereço dele é o ibonilha@pgm.curitiba.pr.gov.br.

FAÇA SUA PARTE.

Ninguém pode vir na Baixada promover vandalismo e ficar impune.

Lotação

Ao contrário dos coxas, os corinthianos compraram todos os 2 mil ingressos colocados à disposição para a torcida adversária para a partida desta quarta, na Baixada, pela Copa do Brasil. A torcida paulista vem embalada pelo bom desempenho do time, que venceu o Santos por 3 a 1 na primeira partida da decisão estadual, e que está invicta este ano. Além, é claro, pelo rendimento excepcional do atacante Ronaldo. Mas o técnico Mano Menezes ainda não decidiu se o camisa 9 viajará para Curitiba - pode ser poupado para a finalíssima do Paulistão.
Agora, cabe aos Sócios-Furacão lotarem a Baixada para empurrar o rubro-negro. Se a coisa já tá difícil, sem apoio esse time não chega alugar algum.
Um resultado em casa será importantíssimo tanto para tentar passar de fase na Copa do Brasil quanto para levantar a moral do elenco para a decisão do Paranaense, no domingo.

Aprendizado e condicionamento

Se o Wally teve de ficar um ano afastado do time principal para fazer um trabalho de condicionamento físico e ganhar massa muscular, e parece que o resultado foi bom, o mesmo deve ser feito com Netinho. O meia/ala não consegue derrubar um jogador adversário para matar a jogada na intermediária nem que pule no pescoço do caboclo. Os caras passam por cima. Poderia aproveitar o período para treinar cruzamentos e cobranças de faltas e escanteios. Quem sabe assim poderia reaprender a fazer aquelas jogadas que volta-e-meia resultavam em gol do Furacão.
Porque, por enquanto, não dá mais pra ele jogar.

domingo, 26 de abril de 2009

Terça tem encontro do Círculo de História

Nesta terça ocorre o 6º encontro do Círculo de História Atleticana. O tema é "O Atlético de 49 e o técnico Motorzinho", com a presença de Carlos Roberto Antunes dos Santos (filho de Motorzinho), além do historiador Heriberto Machado e dos ex-jogadores Jackson, Cireno e Nilo Biazetto.
Data
: 28/04/2009
Horário: Das 19 às 22 horas
Local: Artha - Rua Mateus Leme, 2823
Indispensável confirmar presença pelo e-mail circuloatleticano@yahoo.com.br até esta segunda-feira. As vagas são limitadas e não há custo para participação.
Atualizado às 20h45 de 27/04

O que vale é a taça

Há 14 anos, o Atlético perdia para os coxas na penúltima rodada do octogonal decisivo da Série B. Três a zero, no pinga-mijo. Mas, o que é que todos lembram daquele ano de 1995? Disso:

Na última rodada, o Furacão venceu o Central de Caruaru na Baixada, sagrou-se campeão e garantiu a vaga na série A de 1996.
O que fica para a história é isso: a taça, o pôster de campeão, a faixa no peito. Algo que só depende de nós conquistarmos.

O título vem no domingo

Torcida Os Fanáticos homenageou ídolos como Ziquita, Washington, Assis e Ricardo Pinto.
Chegando em casa agora, após algumas cervejinhas com os amigos e de cabeça mais fria.
As conclusões de uma tarde horrorosa:
1) O título vem, e foda-se a coxarada. Na Placar especial dos campeões, na Gazeta e na Tribuna só sai pôster do campeão, e não do vice. Portanto, é só ganhar do Cianorte no domingo e levantar a taça;
2) Foi uma bela festa dos Fanáticos, que levou à Baixada novas bandeiras homenageando grandes ídolos do Furacão;
3) Me rendo. Netinho não tem mais condições de ser titular do Atlético;
4) O time que está terminando o campeonato é praticamente o mesmo que começou, mas sem Valencia e com o limitado Jairo na cabeça-de-área, e com Raul na lateral-direita no lugar do Alberto. Nesse período, contratações pífias de jogadores que não têm gabarito para ser titular do CAP. E os jovens jogadores que se destacaram, como Wallyson e Alex Sandro, ainda não convenceram Geninho de que devem ser titulares...

Troféu
ZIQUITA
Wallyson, que deu o passe para o primeiro gol do Furacão e sofreu o pênalti que resultou no segundo. Sua ausência no primeiro tempo leva a um dos homenageados aí embaixo...
Troféu
TIÃO MACALÉ
Netinho, que foi um fiasco neste domingo; Julio dos Santos, que mais atrapalhou do que ajudou no primeiro tempo; Geninho, que cometeu a proeza de deixar Wally fora do time que começou a partida e jogou com apenas um volante, dando o meio-campo de presente para os coxas; e principalmente para o incompetente que colocou no site oficial do CAP, mesmo antes do Atletiba começar, matérias falando sobre uma vitória do Furacão, inclusive com "declarações" de jogadores comemorando o título. Isso foi de um amadorismo que chega a envergonhar. Quem não se lembra da coluna publicada ano passado, no mesmo site oficial, chamando o Fluminense de "time de palhaços"? Pois é, tal coluna deu arma para o tricolor carioca vir com gana pra cima do rubro-negro. Agora, a mesma coisa: deram a arma necessária para o discurso motivador do Inspetor Clouseau. Pelo amor de Deus! Incompetência tem limite. Lamentável.

Bora pra Baixada!

Do site dos Fanáticos:

“Precisamos de todas as vozes e de todos os corações atleticanos que estarão presentes na Baixada. Como todos sabem, não haverá venda de ingressos para este jogo e apenas os sócios do Clube poderão acompanhar esta partida, portanto, os verdadeiros “donos do Clube” é que farão a diferença. Cada sócio ali presente, deverá provar o seu valor e provar que merece realmente ser “dono” de uma cadeira no Caldeirão. Domingo, esqueça de tudo!!! Apenas sinta, apenas seja!!! Sinta a emoção, a vibração!!! Seja atleticano, seja o Atlético, seja a diferença!!!”
Esse é o espírito! Vamos nessa, moçada!

Oh, meu pai!

Há lugares imantados por uma força superior e a Baixada é um desses. Nós acreditamos nisso! Bendita a declividade do terreno onde nosso estádio foi implantado, deu lugar a um Caldeirão que ultrapassa a própria definição que dele encontramos: "Um recipiente de metal, utilizado principalmente para o preparo de caldos de doces e frutas, mas também para os cozimentos mágicos e demoníacos: daí as caldeiras do diabo e os caldeirões de feiticeiras de nossas lendas". É na Baixada que cozinhamos nossos adversários e a nossa paixão!
Trecho do livro Dez Atleticanas e uma fanática.

Domingo é dia de cozinhar porco no Caldeirão do Diabo!
Vamos lá, moçada, empurrar o Furacão pra cima dos coxas!

Diferenças

Desde que os clássicos da capital destinam apenas 10% do total de ingressos para o time visitante, a torcida do Furacão jamais abandonou o time e nunca deixou de comprar toda a sua carga para os Atletibas no Pinga-Mijo (relembre aqui, aqui e aqui).
Em compensação, a partida deste domingo é praticamente uma decisão de campeonato e os coxas compraram apenas 1.400 dos 2.400 bilhetes disponíveis.
Esses coxas, às vezes, se gabam daquilo que não são...

sábado, 25 de abril de 2009

Dois anos no ar

É pessoal, neste mês de abril o Blog da Baixada completou dois anos de vida. E o contador ali de baixo já contabiliza quase 500.000 visitas (isso desde janeiro de 2008, quando começou a contagem).
Valeu, rapaziada!

Mais 1.000 ingressos pro povão atleticano!

Os coxas só compraram 1.400 ingressos dos 2.400 colocados à disposição pelo CAP. Agora, os atleticanos não-sócios terão uma chance de ir ao Atletiba, pois as mil entradas restantes serão colocadas à venda amanhã para a galera rubro-negra. Veja a nota do site oficial:
Mil ingressos para o clássico Atletiba na Arena serão colocados à venda neste domingo, a partir das 10h, nas bilheterias do estádio atleticano. Os bilhetes são remanescentes da carga destinada para a torcida visitante. Dos 2.400 lugares, apenas 1.400 foram adquiridos pelos torcedores rivais, restando mil entradas. Os ingressos serão vendidos a R$ 40 a inteira e R$ 20 a meia.
Camarotes - Ainda restam ingressos para camarotes para a torcida atleticana. São poltronas nos camarotes tipo A, B e C, que também estarão à venda a partir das 10h. Confira os valores por poltrona:
- Camarote tipo A - Reta da Getúlio Vargas - R$ 250 por poltrona;
- Camarote tipo B - Setor Buenos Aires - R$ 200 por poltrona;
- Camarote tipo C - Setor Bueno Aires e Madre Maria 4º andar - R$ 150 por poltrona.
Vamos lá moçada! Serão mais mil vozes a empurrar o Furacão pra cima dos coxinhas!

Último treino

Como todos já sabemos, Coritiba significa "abundância de porcos" e em 1770, com uma verdadeira infestação de porcos pela cidade, as autoridades autorizaram que fosse feita uma matança destes animais pela então vila. Pois agora, séculos depois, a porcarada quer tentar sair de seus buracos novamente.
Então, mãos à obra! No último "treino" para o Atletiba de amanhã, vamos mandar a porcarada de volta para seus buracos!

Wally ou Julio César? Fransérgio ou Dos Santos?

Geninho faz mistério sobre o time que enfrentará os coxas amanhã na Baixada. No treinamento de ontem, o treineiro pôs na equipe titular os mesmos jogadores que iniciaram a partida contra o ABC, com uma mudança apenas: Júlio César no lugar de Wallyson. Na segunda etapa do coletivo, trocou Julio dos Santos e Netinho por Fransérgio e Márcio Azevedo.
Marcinho, pelo jeito, não sai mais do time. Netinho eu não creio que seja sacado.
As grandes dúvidas do Mestre Gênio, portanto, são justamente os dois Julios.
Na frente, a intenção com a entrada de Julio César parece ser dar um pouco mais de experiência à equipe, e ainda contar com uma arma-secreta no banco de reservas - o Possesso.
No meio, a entrada de Fransérgio dfaria mais força à marcação, já que os coxas devem "povoar a meia cancha" como dizem os nossos doutos cronistas desportivos.
O próprio Geninho já avisou que quer o time marcando forte: "Temos uma preocupação porque vamos enfrentar um time de qualidade e muito rápido. Então a marcação é fundamental, para não darmos espaços".
Enfim, difíceis escolhas. Antes da entrada de Wally como titular, nas duas últimas partidas, Julio César vinha muito bem. Qualquer que seja a escolha de Mestre Gênio, será uma boa para formar a dupla como artilheiro Rafel Moura. Particularmente, eu entraria de cara com o Possesso pra infernizar a zaga dos verdes.
A grande dúvida fica mesmo para a meia-cancha. Julio dos Santos tem sido fundamental à equipe, principalmente nos contra-ataques, com lançamentos precisos que ultimamente têm dado origem a gols. Não foi tão bem, realmente, no segundo tempo contra o ABC.
Geninho quer melhorar a marcação, já que o paraguaio não faz tão bem o "cerca-lourenço". Minha dúvida é se Fransérgio o fará com qualidade. Se essa é a intenção, uma boa saída era colocar o Gustavo na zaga e Chico como volante, ao lado de Jairo.
Particularmente, eu manteria Rrrrrrrrrrrulio na meia-cancha. E começaria o Atletiba com a mesma equipe que entrou em campo contra o ABC.
As possibilidades de Geninho para o clássico:
1) Galatto; Raul, Rhodolfo, Antonio Carlos, Chico e Netinho; Jairo, Julio dos Santos e Marcinho, Wallyson e Rafael Moura.
2) Galatto; Raul, Rhodolfo, Antonio Carlos, Chico e Netinho; Jairo, Julio dos Santos e Marcinho, Julio César e Rafael Moura
3) Galatto; Raul, Rhodolfo, Antonio Carlos, Chico e Netinho; Jairo, Fransérgio e Marcinho, Wallyson e Rafael Moura.
4) Galatto; Raul, Rhodolfo, Antonio Carlos, Chico e Netinho; Jairo, Fransérgio e Marcinho, Julio César e Rafael Moura.
5) Galatto; Raul, Rhodolfo, Antonio Carlos, Gustavo e Netinho; Jairo, Chico e Julio dos Santos; Marcinho e Rafael Moura.
  • E aí, qual é o time ideal para começar o jogo contra os coxas? Palpite!

Rivais fazem fila por ingresso. E que fila!

As paquitas passaram a noite em frente ao pinga-mijo a fim de conseguir um ingresso para o Atletiba de domingo, como mostra a foto enviada pelo Geraaaaldo, leitor do blog. Uma fila bem peculiar, diga-se... É muita baitolagem pra um time só, não é mesmo?

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Cadeira “na planta”. Só mesmo na Baixada...

No mercado imobiliário é bastante comum os mutuários comprarem um imóvel na planta. Ou seja, antes da obra ficar pronta. Mas a paixão pelo Atlético é tanta que a galera rubro-negra acaba de inventar a "cadeira na planta": todos os lugares da futura reta da Brasílio Itiberê, ainda em fase de construção e que será inaugurada somente em julho, já foram adquiridas pelos Sócios-Furacão.
Segundo informa o site oficial do CAP, "agora, para conseguir assistir às partidas do Furacão na temporada 2009, somente no setor do visitante (2600 cadeiras) ou em um dos 1200 lugares nos camarotes do estádio atleticano. Para quem não se associou, há ainda a chance de conseguir cadeiras que sejam liberadas por inadimplência. Porém, por enquanto, resta torcer e esperar".
“Nós só temos a agradecer a torcida atleticana pelo grande apoio neste momento. Esse engajamento dos torcedores mostra que todos estão mobilizados para transformar o Atlético Paranaense em um clube cada vez mais forte. A ocupação total da Arena, mesmo do setor que ainda será entregue, mostra a força da nossa torcida, destacou o vice-presidente do Conselho Administrativo, Enio Fornea.
Agora, como especulam os forunistas do Fórum Furacao.com, após 31 de maio, quando a Copa de 2014 for confirmada para a Baixada, já dá pra começar a vender as cadeiras da Brasílio Superior!

Atletiba: alegria do povo

Adaptado de post publicado em janeiro de 2008:
Atletiba é sempre Atletiba, e os coxas vêm como franco-atiradores: não têm mais nada a perder; já jogaram fora a possibilidade de título e agora a única esperança que resta é tentar tirar o campeonato do Furacão. Ou seja, no ano do "sem-ter-nário", a maior alegria que podem ter é dar um título ao Jota Malucelli.
Mas, enfim, Atletiba é sempre um clássico inesquecível, na vitória ou na derrota. Sempre fica uma marca. Nunca contabilizei quantos clássicos eu já assisti na minha vida, mas minhas lembranças me dão a certeza de que a minha geração ganhou muito mais do que perdeu contra os coxinhas. Principalmente nos jogos decisivos. Das seis finais de Campeonato Paranaense que eu pude assistir, por exemplo, o Furacão saiu campeão em 5 delas (83, 90, 98, 2000 e 2005). E se deu mal em 2004 e em 2008. Teve também a seletiva da Libertadores, em 99, que não deixou de ser uma decisão.
Enfim, já perdi as contas de quantos Atletibas eu assisti. Mas sempre tem aquele mais marcante para cada um. Pra mim, os cinco Atletibas inesquecíveis são os seguintes:
1)
1990. Final do Campeonato Paranaense no Couto Pereira. 2 a 2, Atlético campeão graças a um gol contra do zagueiro Berg. Sim, o melhor Atletiba da minha vida não terminou em vitória, mas foi inesquecível tirar o doce da boca dos coxinhas, que já gritavam "é campeão" feito paquitas loucas;
2)
1996. Brasileirão. A antiga Baixada lotada. 1 a 0, aos 46 do segundo tempo, com o Oséas escalando o alambrado;
3)
1997. Campeonato estadual. Pinheirão. O que era pra ser uma partida sem maiores pretensões acabou se transformando no "jogo da vingança": 5 x 2, com direito a dois gols de Jorginho Pé Murcho;
4)
1999. Seletiva da Libertadores no Couto. Esse eu não fui, mas assisti na TV. 4 a 1, de virada, com um golaço do Cocito e gols dos carrascos Adriano Gabiru, Luizinho Neto e Kleberson;
5)
1998. Segunda partida da final do Paranaense no Pinheirão. 4 a 1, uma verdadeira festa rubro-negra com direito a gol olímpico e um cala-a-boca do Nélio.
  • E para você, quais foram os seus Atletibas inesquecíveis?
•••

Leia mais sobre Atletibas:

Game: mande os coxinhas pro inferno!



O Atletiba de domingo é no Caldeirão do Diabo, então vamos treinando para mandar os coxas de vez para o inferno!
Espere o véio gagá empinar bem a bundinha e... zás! Meta-lhe uma garfada com gosto!

Por mais um show da maior e mais vibrante torcida do estado


A torcida rubro-negra está se mobilizando para realizar uma festa inesquecível na Baixada, domingo.
“Provaremos mais uma vez que a torcida atleticana é a mais vibrante. Vamos fazer de tudo para sair com o título já no domingo. Prometemos inovações”, avisa Juliano Rodrigues, vice-presidente da Fanáticos. “Fizemos uma mobilização com nossos sócios e teremos dez bandeiras no estádio. Faremos muita festa com fumaça. Será um espanto”, antecipa Marcelo Rato, presidente da Ultras.
Mas não são apenas as organizadas: todos os torcedores estão convocados a vestir vermelho-e-preto, levar sua bandeira, cantar o tempo todo e mostrar como é que se torce de verdade!
Você está convocado! Vamos ferver o Caldeirão!
Leia mais:

Vieri?

Parece ser mais um boato "daqueles", mas está na Gazeta do Povo desta sexta:
O Atlético está negociando com o atacante italiano Christian Vieri, que vem sendo oferecido a vários clubes brasileiros. Segundo fontes ligadas ao Rubro-Negro, a contratação do jogador seria importante para a exposição da marca do Atlético na Europa. Vieri se destacou principalmente na Internazionale de Milão. Seu último time, porém, foi a modesta Atalanta.
  • Será verdade ou apenas mais um boato? Palpite!

Possesso

Da coluna de Augusto Mafuz desta sexta, na Tribuna:
Certa vez Nelson Rodrigues escreveu que a bola é muito mais inteligente do que se pensa por saber distinguir, perfeitamente, o craque e o perna-de-pau. Lembrei do grande Nelson vendo esse atacante Wallyson, que ainda não passa de um adolescente, jogar pelo Atlético.
É verdade que os tempos eram outros. Existiam craques que se moldavam às exigências do conceito; hoje, por conta da regra do mercado de empresários, craque pode ser qualquer um.
Mas Wallyson não é qualquer um, dá pra ver. São animadores os atributos que revela a cada jogo: moderno sob o aspecto tático, não permite que a sua técnica absorva a obrigação de renunciar determinados espaços em campo, para combater. Se preciso, torna-se um comum para combater.
A bola procurou e chegou em Wallyson com insistência nos últimos jogos.
No exercício das suas virtudes naturais, é que o menino cativa, encanta e empolga. É daquele que como poucos, sabe que é possível pensar e jogar ao mesmo tempo. Aliás, o menino só joga bem, exatamente porque pensa e executa como se tudo fosse natural. Não é de graça, que os potiguares o chamam de “Possesso”, porque lembraria Amarildo, ídolo do Botafogo e substituto de Pelé no bicampeonato mundial no Chile, em 1962.
Irão pensar que é cedo demais para tamanha exaltação.
Mas Wallyson, posso estar enganado, não é daqueles que pode deixar alguém com o pincel na mão.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Vitória


Veja os gols fo Furacão contra o ABC, pela Copa do Brasil.
Mais que a classificação, a partida desta quarta contra o ABC representou a confirmação de uma vitória pessoal: a vitória de Wallyson.
O atacante, que veio ainda jovem coincidentemente do mesmo ABC há quase dois anos, acabou relegado a um time B, e submetido a um treinamento físico especial, para suprir a magreza e ganhar massa muscular.
Parece que conseguiu o porte físico necessário. Mas não perdeu a agilidade e nem o faro de gol. Marcou três nas últimas três partidas, e parece ter conquistado definitivamente um lugar no time titular, formando a dupla de ataque com o artilheiro Rafael Moura.
E não só apenas os gols marcados por Wally que conquistam a torcida. Nesta quarta, ele justificou o apelido de "Possesso" e infernizou a zaga de seu ex-clube; deu o passe para o segundo gol após bela jogada e ainda marcou o terceiro.
Aliás, a afirmação de Wallyson como titular mostra também que Geninho acertou ao esperar a hora certa e apostar no jogador no momento em que ele está "voando" em campo, sem correr o risco de queimá-lo como foram queimadas tantas outras promessas do Atlético.
Da mesma forma com o lateral Raul, que hoje alternou bons e mal momentos.
Possivelmente, o ala terá nova oportunidade contra os coxas. Tem tudo para se firmar, mas precisa ter um pouco mais de calma, respirar fundo antes de arriscar um passe. Até talvez ainda não fosse a hora de Raul, na visão de Geninho, mas as contusões de Alberto e Zé Antônio aceleraram o processo. Tem potencial, sem dúvida. Só precisa de um pouco mais de calma.
A partida
O gol no comecinho da partida, marcado pelo artilheiro Rafael Moura, novamente deu uma dose extra de tranquilidade ao Furacão, que se classificaria até com um empate. E chamoou o ABC para cima, o que resultou na formação de contra-ataques daqueles que a torcida se acostumou a ver na Baixada. Não ainda com a qualidade de tempos passados, mas pelo menos a saída em velocidade voltou a acontecer, principalmente com os lançamentos em profundidade de Julio dos Santos.
E assim saiu o segundo gol, marcado por Marcinho após boa jogada de Wally e Netinho pela esquerda.
O mesmo Wally que marcaria o terceiro gol num chute certeiro de fora da área, poucos minutos após Rafael Moura ter perdido um pênalti, bisonhamemte cobrado por cima da meta.

Wally comemora seu gol com o técnico Geninho: atacante
parece ter conquistado a posição definitivamente.
Que venham os coxas!

Com a classificação, o Furacão enfrentará agora o Corinthians de Ronalducho pela próxima fase da Copa do Brasil. A primeira partida do duelo será na próxima quarta, dia 29. Mas o local do jogo - se em Curitiba ou em São paulo - ainda depende de sorteio que será realizado pela CBF.
Antes disso, o Rubro-Negro terá uma partida decisiva, no domingo, pelo Campeonato Paranaense. Recebe os coxas e pode até se tornar campeão, caso vença o time do pinga-mijo e o J. Malucelli não ganhe do Nacional, em Rolândia.
Será um domingão para lotar a Baixada, mostrar aos coxinhas como se faz uma festa de verdade e, se Deus quiser, vestir a faixa de Campeão Paranaense de 2009.
Troféu
ZIQUITA
Wallyson.

Troféu
MACALÉ
Márcio Azevedo. Entrou no final da partida e acabou errando as poucas jogadas que passaram por seus pés.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Rafael Moura joga o Atletiba

Da Furacao.com:
O atacante Rafael Moura foi absolvido nesta quarta-feira em julgamento do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR). Com isso, o artilheiro do Campeonato Paranaense está liberado para jogar no clássico Atletiba deste domingo, que pode definir o título do Estadual 2009.

Dia de decisão. E de chutar a zebra pra bem longe

Xô, disgramada! Volta pra Natal!
Ano passado, ela veio lá de Alagoas para azucrinar os atleticanos. Estava na bagagem do Corinthians-AL, que eliminou o Furacão da Copa do Brasil em plena Baixada.
Agora, é hora da torcida se vingar e mandar a zebra para bem longe. Embora o adversário seja outro - o ABC de Natal -, a obrigação de vitória é a mesma.
O rubro-negro entra em campo com uma equipe ofensiva, que para muitos é a melhor formação do atual elenco.
Portanto, todos à Baixada esta noite. O jogo começa cedo: é só sair do trampo e pegar o rumo da Arena.
Nos vemos lá!

Brasílio quase tomada pelos sócios

Caríssimos, vocês já entraram no site do Sócio-Furacão? Quando me associei ainda não havia essa forma de adesão via web. Por isso não tinha visto direito, ainda, o seu funcionamento.
Bem, entrei lá agora pra dar uma espiada. O site, ficou bom pacas. Demorou pra sair, teve aquele bug inicial, mas valeu à pena.
Depois, espantado digo o seguinte: é impressionante, mas as cadeiras dos novos setores na reta da Brasílio Itiberê já estão quase todas comercializadas! Isso que ainda faltam alguns meses para sua inauguração. Confira:

Mesmo na reta da Brasílio Itiberê, a maioria dos acessos já está lotada. Exceção é
a entrada de número 122, onde algumas cadeiras ainda estão livres.
Então, se você pretende assistir aos jogos do Furacão no Brasileirão e na Sul-Americana, corra. Dentro de alguns dias, não haverá nem a possibilidade de reservar um lugar no futuro setor Brasílio Itiberê.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Raul e Wally ganham chance contra o ABC

Meus amigos, a quarta-feira promete. Na partida decisiva contra o ABC, os jovens Raul e Wallyson - lateral-direita e atacante, respectivamente - terão a oportunidade de iniciar como titulares. Além disso, o técnico Geninho optou por dar mais ofensividade ao time, colocando o recuperado Marcinho no lugar de Fransérgio, que cumpre suspensão devido à expulsão em Natal.
Raul, que fez excelente partida contra o Paraná, nos minutos em que esteve em campo, substitui Zé Antônio, contundido.
A grande surpresa está na escalação de Wally, apesar da boa fase pela qual passa o atacante Júlio César. Wallyson, porém, é quem tem resolvido. Marcou contra o próprio ABC, na partida de "ida", e contra os parasitas - um golaço.
Assim, o Atlético deve entrar em campo na Baixada amanhã, às 19h30, com Galatto; Raul, Rhodolfo, Antonio Carlos, Chico e Netinho; Jairo, Julio dos Santos e Marcinho; Rafael Moura e Wallyson.

Wally fala sobre a nova oportunidade como titular. Clique e ouça!
  • E aí, o que acha desse time? Comente!

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Já era: Sócios-Furacão já adquiriram todas as cadeiras da Baixada!

Do Site Oficial do CAP:

O sonho transformou-se em realidade e o Atlético Paranaense conseguiu ocupação total de suas cadeiras na Arena. Os últimos lugares disponíveis no setor Madre Maria Inferior foram adquiridos pelos novos sócios nessa segunda-feira pela manhã. Agora, quem não quiser ficar de fora do estádio rubro-negro nos jogos do Furacão no restante da temporada precisa correr para garantir um lugar no setor Brasílio Itiberê, que será inaugurado em julho.

"É a concretização de um sonho. A união do Atlético com o torcedor, formando um só corpo, uma só identidade. É uma perfeita simbiose com o torcedor se associando ao Clube e lutando de todas as formas para transformar o Atlético em um verdadeiro campeão também dentro de campo", destacou o presidente do Conselho Administrativo, Marcos Malucelli.

Com as recentes associações, o CAP chegou a 22.772 cadeiras ocupadas por 21.501 sócios. Os últimos lugares estão na Brasílio Itiberê. Restam menos de mil lugares para que o setor também esteja com 100% de ocupação.

"Com essa harmonia vamos longe nos campeonatos e torneios que disputarmos. A presidência agradece o voto de confiança da torcida na direção do Clube. Vamos, agora, lotar também a Brasílio Itiberê, ainda que em construção. A partir de julho, teremos toda a Arena pertencendo aos associados, os verdadeiros donos do nosso Atlético", ressaltou Malucelli.

Para quem ainda não se associou é melhor se apressar. Nos últimos dias, o Espaço Sócio-Furacão tem recebido dezenas de atleticanos querendo garantir o seu lugar na Arena. "Estamos com uma procura muito grande. No final de semana, a procura foi intensa, além das associações pela Internet. Agora, todos querem um lugar na Brasílio Itiberê", conta a coordenadora do Sócio Furacão, Fernanda Mafra.

Serviço:

Para atender a grande demanda da torcida, o Espaço Sócio Furacão estará aberto neste feriado de Tiradentes. Confira os horários de atendimento:

- 20 de abril - segunda-feira - 11h às 20h;
- 21 de abril - terça-feira - 9h às 13h;
- 22 de abril - quarta-feira - das 11h às 17h;
- A partir de quinta-feira - horário normal das 11h às 20h.

Espaço Sócio Furacão - Rua Bueno Aires, 1260, anexo à Arena
Telefone: 41 2105 5682
E-mail:
sócio.furacao@atleticopr.com.br
Website:
www.sociofuracao.com
•••
Agora, só resta aos atleticanos que não são sócios comprar ingressos no setor dos visitantes... Vamos tomar conta de 100% da Baixada!

Um importante reforço na direita

Raul infernizou a zaga paranista e levantou a galera (Foto Valterci Santos/Gazeta do Povo)

No primeiro grande teste, Raul, 19 anos, não decepcionou. Após ter estreado como profissional por poucos minutos na vitória contra o Iraty (3 a 1), no último dia 5 de abril, o ala ganhou a chance que esperava para mostrar seu futebol no 2.º tempo do clássico, na vitória de 3 a 0 contra o Paraná. Jogo difícil, de marcação e nervosismo. Mas a jovem revelação não sentiu e mostrou personalidade.

Em campo fez o que sabe fazer melhor. Foi pra cima do adversário e criou espaços. Agradou a torcida, que o tem como xodó, e o treinador, que viu que tem à disposição um jogador de qualidade. Com o possível veto de Zé Antônio e com as baixas de Alberto e Nei, todos lesionados, Raul pode ganhar nova oportunidade e realizar o sonho de ser titular já na quarta-feira contra o ABC, partida difícil e que vale classificação à próxima fase da Copa do Brasil.

Tudo vem acontecendo rápido na vida desse jovem talento. Em janeiro deste ano, Raul era apenas reserva da equipe de juniores na Copa São Paulo. Mas o seu futuro começou a mudar quando ele entrou em campo ainda no primeiro jogo daquela competição. E entrou para se destacar. Com boas atuações e gols chamou a atenção da mídia e da torcida rubro-negra, tornando-se uma das peças principais para a conquista do vice-campeonato da Copa São Paulo, feito inédito para equipes do Estado.

Após merecidas férias, voltou a treinar nos juniores, mas as lesões dos atletas profissionais fizeram com que o treinador Geninho o convocasse para integrar o grupo principal, juntamente com os colegas Fransergio e Carlão.

No dia 5 viveu um fato inédito e marcante em sua curta carreira. Ao entrar em campo para fazer a estreia no Paranaense, teve seu nome gritado por 10 mil pessoas na Arena, isso sem nunca ter jogado antes como profissional.

“Quando o Geninho quiser”

Na semana que passou, ele falou da expectativa de integrar o grupo atleticano, sobre essa empatia com a torcida e também sobre o protecionismo do técnico com os jovens jogadores. “Se o Geninho opta por preservar, acho que está certo. Estamos trabalhando aqui em busca de um dia ter a oportunidade e aproveitar (...) Agradeço à torcida por todo o carinho que tem por mim, mas tudo ao seu tempo. Quando o Geninho achar que chegou minha hora, vou estar lá para ajudar a equipe”, disse Raul, sem saber que jogaria no sábado.

A chance apareceu no clássico e ele demonstrou, ao menos nesta partida, estar apto a vestir a camisa rubro-negra. Ao final do jogo, na entrevista coletiva, Raul era só entusiasmo. “Queria agradecer o professor Geninho e o grupo que me acolheu muito bem e deu confiança para eu entrar e mostrar o que sei. Tinha dito que tudo tem seu tempo e estava trabalhando em busca da oportunidade. Hoje fiz boa partida e ajudei a equipe na vitória, que foi muito importante para a continuidade do campeonato”, destacou o garoto, que soube aproveitar o momento.

Revelações terão espaço no Brasileirão

O Atlético volta a campo na quarta-feira, desta vez no jogo de volta contra o ABC-RN, pela Copa do Brasil. Mas Raul espera conseguir mostrar seu valor no Brasileirão, que está próximo. Aliás ele e outros jovens ganharão oportunidade nessa competição, já que o clube está sem dinheiro para fazer grandes contratações e a aposta será na juventude.

“Haverá contratações para o Brasileiro. Estamos fazendo contatos, não estamos de braços cruzados. Mas não podemos errar. Os atletas, virão para ser titulares, não para compor elenco. E haverá também a promoção dos jovens. Pode ter certeza que meia dúzia irá integrar o (grupo) principal”, afirmou o coordenador de futebol rubro-negro, Luiz Fernando Cordeiro.

Para rir

Los 3 Inimigos e Tricornetas desta segunda:

Túnel do tempo: há sete anos...

Em 20 de abril de 2002, há exatos 7 anos, o Atlético enfrentou o Grêmio pela semifinal da Copa Sul-Minas. E, em pleno Olímpico, sapecou um retumbante 5 a 1. Vendo o vídeo, é possível notar que a violência gaudéria não vem de hoje; tampouco os olés aplicados pelo Furacão ao tricolor dos pampas. Relembre:

Em cinco dias, duas decisões para lotar a Baixada

Quarta e domingo o furacão encara duas decisões. Uma pela Copa do Brasil, contra o ABC, e outra pelo Paranaense, ante os coxas.
Sorte dos felizardos Sócios-Furacão, que já puderam assistir a quatro partidas este mês na Baixada, e agora acompanharão as duas decisões confortavelmente, sem enfrentar filas para comprar ingressos nem ficar na expectativa se vai ou não conseguir um bilhete.
Mas o grande número de sócios causa situações inusitadas, como no jogo de sábado contra o Paraná: diversos atleticanos ficaram à espera de um ingresso do lado de fora e não conseguiram, enquanto havia diversos lugares vagos no estádio, pertencentes a sócios que não compareceram.
Portanto, fica aqui o apelo: se você é sócio e não pode ir a uma destas duas partidas, empreste seu smart-card para um atleticano conhecido.
Vamos lotar o Caldeirão!
•••
PS: Se os sócios não precisam mais sofrer para comprar ingressos, ainda não conseguiram fugir das enormes filas e aglomerações para entrar na Arena. A diretoria bem que poderia colocar mais catracas na entrada da Baixada (espaço para isso há, tanto na Buenos Aires quanto na Getúlio) e organizar melhor as filas, fazendo com que os seguranças orientem melhor o público.

domingo, 19 de abril de 2009

Faltou Vialle e Valdonedo

Os coxas jogaram desfalcados de seus principais "craques", João Carlos Vialle e Valdonedo Xavier, e acabaram perdendo em casa para o brioso Iraty por 1 a 0. A dupla, pra quem não se lembra, foi responsável por tentar comprar o goleiro do mesmo Iraty, em 1998, na semifinal do Paranaense, para garantir a presença dos coxas na final do campeonato contra o Atlético. Foram condenados pela Justiça Desportiva e afastados do futebol por um ano. Na época, o canto que mais se ouvia nos Atletibas finais no Pinheirão era: "Essa eu nunca vi! Comprar goleiro pra ganhar do Iraty!". Comédia total.
Desta vez, provavelmente sem dinheiro em caixa pra comprar o goleiro adversário, os coxas sucumbiram dentro da própria casa.
Mas, falando sério: a derrota dos coxas facilitou bastante a vida do Furacão no Paranaense. Agora, com apenas uma vitória nas duas partidas que restam, o rubro-negro não pode mais ser alcançado pelo tradicional rival.
Após esta rodada, o grande adversário na disputa do título é mesmo o J. Malucelli, que está a apenas um ponto do Furacão na classificação.
Ou seja: se o Atlético não vencer o Atletiba e o Jota ganhar sua próxima partida, contra o Nacional, em Rolândia, o time do Barigui assume a ponta da tabela, restando apenas uma rodada para o final da competição.
Portanto, para não depender de outros resultados, o Atlético precisa vencer os coxas de qualquer maneira no próximo domingo, na Baixada.
E pode até ser campeão antecipado, caso o Malucelli não vença o Nacional.
  • Confira a classificação do Paranaense, faltando duas rodadas para o final:

01ATLÉTICO14
02J. Malucelli13
03Coritiba11
04Nacional8
05Paraná Clube7
06Cianorte4
07Iraty3
08Paranavaí0

sábado, 18 de abril de 2009

Mais um passo

O zagueiro Rhodolfo comemora a goleada sobre os fregueses prediletos.
(foto Valterci Santos/Gazeta do Povo)
Meus amigos, a freguesada não deu nem pro cheiro. Conquistamos mais uma vitória importante em cima do time da RFFSA e agora temos pela frente um Atletiba que praticamente decidirá o campeonato apesar de o J. Malucelli estar correndo por fora.
E, se os coxas estavam se "gambando" por ter vencido os favelas, nós ganhamos por uma diferença ainda maior.
E olha que o Furacão não jogou um futebol sublime. Mas pelo menos convenceu - até porque, segundo o Lenílson, meia parasita, "esta foi a melhor partida do Paraná na segunda fase do Paranaense".
O time esteve bem como um todo, mas bastante acomodado e apático após ter marcado o segundo gol, deixando a posse de bola com o adversário e obrigando o excelente Galatto a trabalhar bastante.
Destaque, além do atacante Rafael Moura, que se isolou ainda mais na liderança da competição, para os dois Julios - Júlio César e Julio dos Santos -, e para a firmeza da zaga, onde brilhou a figura de Chico, que esteve excepcional hoje. Mas, principalmente, para a entrada dos jovens Raul e Wallyson, velozes e habilidosos, que significam a esperança de tempos melhores para o Furacão no restante da temporada. Raul, aliás, que pode ganhar a posição de titular ccontra o ABC, pela Copa do Brasil, com a contusão de Zé Antônio. E Wally deve se firmar definitivamente como a primeira opção de ataque do técnico Geninho no banco de reservas.
Agora, a semana nos reserva mais dois jogos decisivos, ambos na Baixada: quarta-feira contra o ABC, pela Cops ado Brasil, e domingo contra os coxas, um clássico de verdade que pode decidir o estadual.
Troféu
ZIQUITA
Rafael Moura, não só pelos dois gols mas porque se dedicou ao máximo, marcando, ajudando a zaga, roubando bolas, prendendo a pelota no ataque e sofrendo muitas faltas; Waaaaaaaaaaalyson, pelo golaço
(eu não disse qie o íá é foda?) e Raul - fez mais em 40 minutos do que todos os outros laterais que
estavam em campo fizeram em 90. Foi pra cima e não perdeu nenhuma disputa: conseguiu driblar o
marcador em todas as jogadas. Menção honrosa para Galatto, que fechou o gol.
Troféu
TIÃO MACALÉ
Vai para a torcidinha medíocre do time da RFFSA. O CAP colocou 1.500 ingressos à
disposição dos parasitas, mas os caboclo não conseguiram comprar nem 400! É por isso
que jogo contra a favela nunca será considerado um clássico. Nojeeeeentos
!

Todos à Baixada para receber a freguesada

Sabadão de sol, dia propício para lotar a Baixada; afinal nossos maiores fregueses estarão lá e merecem receber aquele tratamento vip de sempre.
É dia de cantar

E não se esqueça também de gritar:

Vamos lá! O Furacão precisa da vitória contra o time da RFFSA! É mais um passo rumo ao título!
Nos vemos daqui a pouco na Baixada!

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Arena tomada

Espaço Sócio-Furacão esteve lotado hoje: povão segue se associando
e quase não há mais cadeiras disponíveis na Baixada.

Do site oficial:

O torcedor atleticano vem demonstrando dia após dia sua paixão incondicional pelo Atlético Paranaense. Além da promessa de uma grande festa para apoiar a equipe na partida decisiva contra o Paraná, neste sábado, a massa rubro-negra vem respondendo ao chamado para fazer a sua associação.

Em apenas um dia mais de 300 cadeiras foram ocupadas por novos sócios na Madre Maria Inferior. Na segunda-feira, o Clube disponibilizou 1.100 lugares no setor. Quatro dias depois, menos de 300 lugares sobraram, que devem ser esgotados neste final de semana.

"É a grandiosidade da torcida e a identificação do torcedor com o seu clube do coração. Ele participa de todos os momentos. É muito bom, é uma satisfação enorme ver essa força e a identificação da torcida. Estaremos mais fortes com esse apoio maciço, pois os torcedores irão lotar a Arena em todos os jogos", destacou o presidente do Conselho Administrativo, Marcos Malucelli.

O presidente do Conselho Gestor, Gláucio José Geara, que visitou o Espaço Sócio Furacão no final do dia, ficou impressionado com a grande procura da torcida. Dezenas de torcedores faziam fila para garantir um lugar na Arena.

"Esta é a resposta que nós tínhamos certeza que a grande comunidade rubro-negra daria, sabíamos que a torcida se manifestaria em favor do Clube. Já é uma tradição, de pai para filho, sempre que o Clube se manifesta, os torcedores têm respondido com grande intensidade", afirmou Geara.

Com os números desta sexta-feira, o Atlético Paranaense já conta com 21.087 sócios que ocupam 22.307 cadeiras na Arena. No setor Madre Maria restam menos de 300 lugares e no novo setor Brasílio Itiberê, que será inaugurado em julho, são menos de mil cadeiras livres.

"O orgulho de ser sócio é muito grande. Ter um lugar em um dos melhores estádios do mundo nos faz correr atrás. A torcida atleticana é uma das mais fanáticas do Brasil. Tudo isso cria um ambiente em que todos querem participar e fazer do Atlético algo muito maior", declarou o sócio Luiz Eduardo Wormsbecker.

Furacão pronto para o duelo de amanhã

Da Gazeta do Povo Online:
Como já era esperado, o técnico Geninho confirmou o atacante Júlio César como titular do ataque do Atlético diante do Paraná Clube, neste sábado, às 16h, na Arena da Baixada. O jogador volta a atuar ao lado de Rafael Moura graças à contusão de Marcinho, que não está totalmente recuperado da lesão no tornozelo e por isso será poupado. Nesta nova oportunidade, o avante espera corresponder e seguir na equipe.

“Eu vinha como titular, mas acho que quando eu saí da equipe, fiquei fora por contusão. Eu fiz uma seqüência boa de jogos marcando gols. Mas por opção do Geninho ele mudou o time. Será uma chance de voltar a ser titular e vou tentar aproveitar”, disse Júlio César, em entrevista ao site oficial do Furacão.
Com esta formação de ataque, o Atlético já marcou 15 gols nesta temporada. O retrospecto é positivo e Júlio César, humilde, promete fazer o possível para ajudar o artilheiro do Estadual a marcar ainda mais gols.
“Tenho que tentar ajudar o Rafael a conquistar a artilharia juntamente com o título, porque senão não adianta de nada. E vou fazer de tudo para ajudar principalmente a equipe do Atlético para sairmos vitoriosos”, afirmou o atacante. Nas demais posições, Geninho não fará alterações, e a única mudança é o retorno do zagueiro Antônio Carlos à zaga após cumprir suspensão automática.
O Atlético vai a campo neste sábado com Galatto; Rhodolfo, Antônio Carlos e Chico; Zé Antônio, Jairo, Julio dos Santos, Fransérgio e Netinho; Júlio César e Rafael Moura.