sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Patrocínios: uma alternativa

Nesses tempos em que o Atlético busca um novos patrocinadores, e que pelo jeito dinheiro em caixa será muito bem vindo, fica o exemplo. Enquanto não fecha com um patrocinador-master, pode tentar outros patrocinadores por pouco tempo, e com valores menores. O texto é do site Olhar crônico desportivo:
Para surpresa e curiosidade dos espectadores em todo o Brasil, o Independiente Medellín chega entrou no Morumbi com quatro patrocinadores brasileiros em sua camisa e calção:
  • Locaweb, nas mangas da camisa;
  • no peito, a Rota do Mar, empresa de Pernambuco que tem seu maior mercado no surf;
  • nas costas da camisa, a Colonial Pneus, de São Paulo;
  • e, no calção, a Zíperes Rubinho, que além dos zíperes também trabalha com botões, naturalmente tendo em vista o mercado de confecções.

Esses patrocínios foram acertados a toque de caixa, contou-me o Fabio Wollf, profissional de marketing de 31 anos de idade, que fez mestrado em marketing esportivo na Inglaterra e dirige a Wollf Sports, empresa que agenciou os patrocínios. Durante sua temporada na terra de David Beckham, ele conheceu e fez boas relações com profissionais de times latino-americanos, o que até hoje facilita sua atuação na área.

Além do colombiano Independiente, também o chileno Audax e o paraguaio Luqueño tiveram patrocínio brasileiro em seus jogos no Brasil com transmissão direta pela televisão aberta, na Copa Santander Libertadores 2008.

A pergunta inevitável é se vale a pena tal investimento, ainda mais sabendo que essas empresas não são patrocinadoras regulares. Essa pergunta parte do torcedor sem ligação com o marketing, e parte, também, de profissionais de propaganda e marketing, acostumados com campanhas mais longas e estruturadas. Outra pergunta, esta mais direta, é se esse patrocinador vende mais com isso, se ele ganha alguma coisa com isso. Fábio diz que sim, mesmo porque essas empresas não têm como preocupação maior um aumento de vendas, um retorno comercial. Elas estão interessadas no retorno de branding, ou seja, retorno da marca, querem aumentar o conhecimento de suas marcas entre os espectadores.

Para isso, o marketing esportivo de oportunidade, como nesse caso, é perfeito, pois o cliente aparece em rede nacional, e volta a aparecer em reprises e “melhores momentos”, sem falar nas aparições em outras mídias, como jornais, sites e, naturalmente, blogs.

Parte do sucesso dessa estratégia está no seu baixo custo. Fábio também agenciou a aparição da Locaweb nas mangas da camisa do Corinthians em três jogos, o que rendeu à patrocinadora uma grande exposição, tanto que já no primeiro jogo o valor investido foi recuperado, segundo levantamentos de mídia. No caso do Corinthians, cada jogo custou cerca de 125 mil reais para a empresa, conforme informações do próprio clube e cálculos deste blogueiro. Wollf não fala sobre o valor do jogo de hoje, mas diz que está muito, muito distante dos supostos 300 mil reais anunciados por alguns veículos.

Não importa, se 300 ou 100, para o Independiente foi um bom negócio que talvez se repita no jogo da volta, em Medellín. Isto, é claro, se tiver TV aberta.

Em 2007, no início do Campeonato Paulista, a Wollf Sports fez trabalhos semelhantes em seis ou sete partidas, com times do interior.

O marketing esportivo vai além dos grandes negócios. Para fazer um bom trabalho de marketing não é necessário contar com os muitos milhões dos grandes patrocinadores.

Mas precisa contar com inteligência, visão, agilidade e conhecimento de mercado.

Porque as oportunidades estão por aí, é só saber aproveitá-las.

Com ou sem crise.

5 comentários:

Filipe disse...

Seria interresante que empresas paranaenses tivessem essa ideia, é uma pena. em uma terra aonde todos os clubes pensam peguenos, quem pensa grande é taxado de arrogante... foda

100tenario 100 nada hahahahahahahaha


CONTRATAÇOES URGENTE!!!

Filipe disse...

Seria interresante que empresas paranaenses tivessem essa ideia, é uma pena. em uma terra aonde todos os clubes pensam peguenos, quem pensa grande é taxado de arrogante... foda

100tenario 100 nada hahahahahahahaha


CONTRATAÇOES URGENTE!!!

Fernanda disse...

Acho absurdo um clube com a projeção do Atlético com participação nas principais competições do cenario nacional, ter ficado tanto tempo sem patrocinio, essa coisa de não retroceder, e de não aceitar migalhas e ao mesmo tempo, apresentando futebol medíocre... Então é melhor acumular dívidas?
Agora tem a situação da Copa,vamos ver o que vai rolar, caso não dê em nada é mais uma coisa para a atual diretoria rever.

Gustavo disse...

Com essa letra em italico fica difícil de ler....

GUERRILHEIRO DA BAIXADA disse...

Resolvido, Gustavo. Vou abolir o itálico em textos grandes.