terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Selvageria acontece, com ou sem cerveja

Torcedor do Atlético-MG baleado após clássico contra o Cruzeiro foi enterrado nesta segunda.
Ferido, corinthiano é levado para a ambulância.
A divisória de vidro do Morumbi foi destruída pelos vândalos.
As cenas registradas acima são retratos da partida entre São Paulo x Corinthians, ontem, no Morumbi. E do enterro de um torcedor do Atlético Mineiro, morto com um tiro após o clássico com o Cruzeiro. Lá, como cá, não vendem cerveja nos estádios. E isso não impediu, mais uma vez, que o pau comesse solto, colocando em risco a vida de torcedores. Ou seja: o problema, caras autoridades, não está na lata de cerveja vendida a R$ 3 nas praças esportivas. Parem de jogar a sujeira para debaixo do tapete tomando medidas paliativas para tentar ganhar a opinião pública! A violência no futebol só terminará identificando, punindo e prendendo os vândalos , afastando-os dos estádios. E não proibindo a venda de cerveja.
Depois de mais este triste episódio, o Ministério Público paulista decidiu intervir novamente. E sugeriu que a carga máxima de ingressos para as torcidas visitantes seja restrita a 5% da capacidade do estádio. Mais uma bobagem! Trezentos vândalos infiltrados no meio de 6 mil torcedores causam tanto estrago quanto trezentos vândalos infiltrados no meio de 3 mil torcedores. "Quanto menos gente, mais facilidade para a polícia trabalhar", diz um procurador paulista. Olha, já vi Atletibas com bem menos público terminarem em confusão daquelas.
Chega de hipocrisia! Proíbam os vândalos de entrarem nos estádios, e não a cerveja!

3 comentários:

Anônimo disse...

Assino embaixo.

Rico

geraaaaaaldo disse...

É um absurdo essa situação. As pessoas não têm a menos segurança para ir a um clássico, em qualquer grande capital do país. E o poder público, ao invés de dar-nos segrança, proíbe-nos de toomar cerveja! Como pode um negócio desse? "Foge ao entendimento"...

geraaaaaaldo disse...

É um absurdo essa situação. As pessoas não têm a menor segurança para ir a um clássico, em qualquer grande capital do país. E o poder público, ao invés de dar-nos segurança, proíbe-nos de tomar cerveja! Como pode um negócio desse? "Foge ao entendimento"...