sábado, 31 de janeiro de 2009

A bizarrice e o sonho do Joel

Após algum tempo sumido, o Peçanha, colaborador e conselheiro do blog, nos envia um e-mail para comentar sobre a bizarra transformação do J. Malucelli em "Corinthians Paranaense", que vai mesmo acontecer. E comenta:
- "Bem, o Joel Malucelli já foi presidente dos coxas e agora é do Jota Maluceli. Não me admira que ele tenha o sonho de comandar um time com uma torcida grande uma vez na vida."
É, faz sentido...

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Adiós, Pedro!

Pedro Oldoni: temporada na Espanha.
Do site oficial do CAP:
O atacante Pedro Oldoni vai atuar até o final da temporada 2008/2009 do futebol espanhol. O jogador, revelado pelo Atlético Paranaense, foi emprestado para o Real Valladolid, da primeira divisão espanhola, até 30 de junho de 2009. O Furacão receberá 190 mil euros pelo empréstimo do atacante. O pagamento será dividido em três parcelas, a primeira delas no dia 5 de fevereiro.
Com isso, o técnico Geninho ficará com 5 atacantes à disposição: Rafael Moura, Julio Cesar, Lima, Jorge Preá e Wallyson.

A primeira vez a gente nunca esquece

O figurinha aí é o Noel Marques, três anos, atleticano de linhagem pura e que ontem, pela primeira vez, assistiu a um jogo ao vivo na Baixada.
Vejam a cara de embasbacado, a curiosidade no olhar, a observação da jogada, vibrando com o clima do jogo e a batera da Fanáticos. Garoto de sorte: comemorou três gols do Furacão logo em sua estréia oficial como torcedor - um deles uma obra prima de Julio dos Santos. É claro que não esquecerá jamais.
Me faz lembrar daquela tarde chuvosa de mil novecentos e setenta e pouco, quando pisei no velho Joaquim Américo pela primeira vez, para ver a um Atlético x Rio Branco do Acre das arquibancadas de tijolinho.
  • E você, lembra qual foi o primeiro jogo do Furacão que você assistiu? Conte pra gente!

O Atletiba do porco

A Gazeta do Povo tem publicado esta semana a opinião de algumas personalidades atleticanas e coxas para saber qual foi o seu Atletiba inesquecível.
Hoje, quem conta é o vereador Julio Sobota, o Julião da Fanáticos:
“É o do dia 1.º/5/1990, que perdemos por 3 a 0. Como eu era responsável por soltar os foguetes, fui ao vestiário e um dirigente perguntou se eu tinha coragem de soltar no campo um porco que ele tinha levado. Nunca vi a torcida do Atlético tão feliz e a do Coritiba com tanta raiva".

Hahaha! Ótima lembrança! A torcida quase explodiu quando Julião soltou o leitãozinho verde-e-branco no gramado do Tremendão.
E você, se lembra desse episódio? Eu gostaria mesmo é de ver uma foto com a cena...
Pois é, agora aquele porquinho cresceu, já virou um leitãozão e treina todos os dias no magnífico Centro de Treinamento da coxarada para manter a forma com o resto da porcarada:

A frase

De novo, o centroavante Rafael Moura queimou a minha língua. Agora, devo admitir, o He-Man se encontrou na Arena da Baixada.
Do jornalista Lédio Carmona, um dos principais críticos de Rafael Moura desde que ele chegou ao Furacão, rendendo-se à boa fase do artilheiro.

Boa nova

Os lojistas de estádios de futebol de Curitiba, juntamente com os clubes, terão uma reunião na próxima semana (provavelmente na quarta-feira) com o Ministério Público a fim de liberar a venda de cerveja nas praças desportivas da capital.
Já não era sem tempo.
Ontem, por exemplo, grupos de atleticanos e coxas se enfrentaram pela cidade, causando tumulto e quebra-quebra. E a confusão, é óbvio, não foi causada pela venda e consumo de cerveja no estádio.
Vândalo é vândalo, dentro ou fora do estádio, e tem que ser detido e punido. Independente de ter bebido ou não.
Além disso, chega a ser um acinte aos cidadãos curitibanos de bem ver que a venda de cerveja está sendo permitida em estádios do interior paranaense e também de outros estados, sem problema algum, e aqui os curitibanos que se paguem o pato. Na partida contra o Foz, um calor infernal na Baixada e a galera lá, de goela seca.
Bem, se tudo der certo e o MP admitir que esta é uma medida inócua e preconceituosa, a partir da quarta rodada já poderemos tomar uma gelada na Baixada.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Festa na Baixada

A primeira partida na Baixada este ano acabou com uma vitória tranqüila do Furacão sobre o fraco Foz do Iguaçu. O resultado foi construído logo cedo - aos 18 minutos do primeiro tempo o Furacão já fazia 2 a 0, com gols dos atacantes Rafael Moura e Julio César. Depois disso, foi só no "banho-maria".
Na segunda etapa veio o gol mais bonito da partida - e do campeonato, até agora: o paraguaio Julio dos Santos marcou um golaço, matando a gorducha no peito e ao mesmo tempo encobrindo o zagueiro; em seguida arrematando de canhota na gaveta do gol adversário. Valeu o ingresso (ou a mensalidade dos sócios).
Depois disso, Geninho fez algumas alterações na equipe. Lima, um ídolo da galera, entrou no lugar de Julio César e Marcinho estreou com a camisa rubro-negra, substituindo o colombiano Ferreira.
E esta segunda formação ainda vai dar o que falar...
Marcinho mostrou ser um maestro: é um legítimo camisa 10, que faz a bola circular e distribui bem as jogadas; não prende tanto a pelota quanto o Ferreira e acaba sendo mais útil ao time. E Lima... bem, é o Lima!
Os jovens laterais Alex Sandro (Netinho, com dores, foi cortado) e Douglas Maia também foram gratas surpresas.
Mas a zaga não agradou tanto. Se o time continuar com apenas um volante de ofício (o leão Valencia), talvez seja necessário abrir mão de um lateral que parta muito ao ataque, colocando o Zé Antônio ali pela direita - onde fez boas partidas no último Brasileirão.
Mas este é só um pitaco de um pobre "zé ruela"; o Geninho sabe o que faz e com certeza com ele no comando o time só vai melhorar daqui pra frente.

Troféu
ZIQUITA

Julio dos Santos, autor de um golaço de placa. Mas a boa atuação do paraguaio
não se limitou ao gol: construiu jogadas, deu bons passes e lançamentos. Aos poucos, está ganhando
confiança e recuperando o bom futebol que o levou à seleção de seu país e ao Bayern de Munique.


Troféu
TIÃO MACALÉ
Pro sistema de som da Baixada. Está fanho! Não dá pra ouvir nada! Tá
pior do que o carro do sonho que passa aqui perto de casa... Um estádio
como a Arena não pode ter um equipamento de som tão sem-vergonha!

•••
Confira os gols do Furacão contra o Foz:

CAP explica dificuldade para trazer Claiton

Do site oficial do CAP:

O clube japonês Consadole Sapporo enviou um comunicado na manhã desta quinta-feira ao Atlético Paranaense informando os motivos para a não liberação do volante Claiton. "O Sapporo não terá tempo suficiente para contratar um jogador do mesmo nível para substituir o Claiton", informou o comunicado.

Apesar disso, o Atlético Paranaense continuará insistindo na contratação do jogador. "Vamos continuar buscando um acerto e vamos aguardar uma resposta definitiva do clube japonês até o final de semana, já que a temporada deles se inicia dia 2 de fevereiro", declarou o presidente do Conselho Administrativo do Atlético Paranaense, Marcos Malucelli.

Ou seja, a culpa é do Tanaka.

Todos os caminhos...

Coluna de Augusto Mafuz de hoje, na Tribuna do Paraná:
Lembranças do presente

Na calada da tarde, (19h30), contra o Foz, o Atlético volta a jogar na Arena. É bom um jogo cedo, à noitinha. Não afoga os interesses e os encantos da noite. Essa fica longa, e a alegria pela vitória do time do coração a empurra para frente, mesmo que chegue a madrugada. A derrota, às vezes, eterniza a noite.

Mas teve um tempo, era um tempo de pobreza sem luzes, que o Atlético só tinha a luz natural. À tarde, a Baixada entupia de gente de gravata e sem paletó justificando a volta ao trabalho para bater o ponto da saída. Quando não trabalhava, ficava na curva da laranja, e lá esperava pelos gols de Sicupira.

Mas hoje é à noitinha. Lá estará o Atlético de Galatto a Rafael Moura, comandado por Geninho.

Só não compreendo a insistência com Julio César. Pode até jogar bem hoje, mas não será o titular na seqüência. Marcinho irá jogar.

Sou do tempo que em um jogo assim, o grande tinha obrigação de golear. E alguns cumpriam a obrigação: o Coritiba de Hidalgo, e o Atlético de Washington e Assis.

Só que os tempos mudaram. A ausência de craques valorizou o treinador, que se obriga a multiplicar variações táticas, como se o futebol fosse uma caixa de segredos. A goleada passou a ser consequência de uma circunstância do jogo, e não da superioridade natural do grande.

Fernando Pessoa diria: todos os caminhos nos levam à Baixada.

É dia de Baixada

Brava gente rubro-negra, hoje é dia de rever o Furacão e a sagrada Baixada - novinha em folha, após a habitual minirreforma de férias. Dia de reencontrar os amigos de arquibancadas, as beldades atleticanas, os cornetas da Getúlio e a batera da Fanáticos. E, é claro, dia de rever a esquadra-rubro-negra em campo, comandada pelo ídolo Geninho.
O técnico, aliás, colocará em campo contra o Foz o mesmo time que venceu o Rio Branco na estréia do Paranaense, à exceção de Alberto, que cumpre suspensão e dá a vaga ao jovem Douglas Maia.
É dia, então, de rever Galatto; Rhodolfo, Antônio Carlos e Chico; Douglas Maia, Valencia, Julio dos Santos, Ferreira e Netinho; Rafael Moura e Júlio César.
Mas é dia de rever, também, um outro grande personagem da história do Furacão. Sérgio Moura, lateral-esquerdo de ouro daquele timaço de 1982/83 (veja fotos abaixo), e campeão novamente em 1985, é hoje o técnico do Foz do Iguaçu - com informa a Gazeta do Povo de hoje. E olha o que ele diz, em entrevista ao jornal: “Uma vez atleticano, sempre atleticano. Onde eu estiver, serei lembrado como jogador do Atlético, e isso me enche de orgulho”.
Grande Sérgio Moura, personagem histórico do nosso Furacão, seja bem-vindo de volta ao lar!

TIMAÇO 82
Em pé: Miro Oliveira, Roberto Costa, Mauro, Aírton, Jorge Luís e Sérgio Moura;
Agachados: Capitão, Assis, Washington, Detti e Abel.

TIMAÇO 83
Em pé: Detii, Oliveira, Jorge Luís, Rafael, Jair Gonçalves e Sérgio Moura.
Agachados: Capitão, Lino, Washington, Nivaldo e Assis.

Claiton só em julho

Da Gazeta do Povo:
O desejo da torcida atleticano em rever o volante Claiton com a camisa do clube terá de esperar pelo menos até agosto. Tanto o jogador quanto a diretoria rubro-negra praticamente descartaram, ontem, o acerto com o Consadole Sapporo-JAP, time com o qual o atleta tem contrato até o fim de 2009. O presidente Yoshiaki Tanaka não aceitou parcelar os US$ 150 mil (cerca de R$ 345 mil) oferecidos pelo Furacão, e vai enviar uma contraproposta hoje. Contudo, um acerto é remoto.

“Não existe chance de aumentarmos a nossa proposta, fomos até o limite que podíamos”, disse o presidente do Atlético, Marcos Malucelli. Por sua vez, Claiton já fala em voltar ao Japão e cumprir seu contrato. Ele, contudo, deixa em aberto a chance de reabrir negociação no meio do ano.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

E a Itaipu? E a Copel?


Se as estatais estão entrando no jogo,
por que as nossas não fazem o mesmo?

Se por um lado critica-se o fato de empresas estatais federais como a Petrobras ou a Liquigas patrocinarem times cariocas, por outro deve-se cobrar mais empenho das autoridades paranaenses na busca de patrocínios para os nossos clubes, principalmente os que estão na Série A e têm mais espaço na mídia.
É óbvio que estes patrocínios não levam em conta apenas aspectos técnicos, mas são impulsionados por uma boa dose de interesse político.
No Rio Grande do Sul, por exemplo, o banco do estado - o Banrisul - patrocina os dois clubes de Porto Alegre, Grêmio e Inter. Lá, o governo do estado sabe da importância de fortalecer os times locais, e ao mesmo tempo ainda dar visibilidade ao banco.
Comenta-se também que quando a GM patrocinou a dupla Grenal o fez por imposição do governo do Rio Grande, em troca dos incentivos fiscais que a montadora recebeu lá nos pampas.
Aqui, Renault e Volks até hoje desfrutam de isenção fiscal. Mas jamais, em momento algum, pensaram em dar, como contrapartida, um apoio aos nossos times. E o governo estadual nunca agiu politicamente para que isso ocorresse.
Bem, voltando à onda dos patrocínios estatais.
Temos sediada aqui no Paraná uma das maiores empresas do mundo, a hidrelétrica de Itaipu.
O presidente da binacional, além de tudo, é um atleticano: o petista Jorge Samek. Que, especula-se, tem o desejo de ser o candidato do partido ao governo do Paraná, em 2010. E que é amigão do peito presidente Lula.
Com um orçamento anual acima dos R$ 3 bilhões, será que não dá para a Itaipu bancar um patrocínio da dupla Atletiba? Mesmo tirando os 60% deste orçamento que precisam ser usados para o pagamento da dívida da hidrelétrica, que só acabará de ser paga em 2020 (se não me engano), sobra muita, mas muita grana. E a usina tem mais motivos para se promover do que, por exemplo, a Liquigas ou a Eletrobras, pois é também um grande destino turístico, junto com as Cataratas do Iguaçu - recebe cerca de 700 mil visitantes por ano!
Quer outro exemplo? Maior empresa do estado, a Copel obteve lucro recorde em 2007, acima de um bilhão de reais. Isso mesmo: lucro de R$ 1,107 bilhão em 2007, o maior da história da companhia. Será que dentre os gastos com publicidade não dá para prever uns R$ 20 milhões para Atlético e Coritiba?
Os dirigentes da dupla Atletiba - e também as torcidas - deveriam cobrar mais apoio dos nossos políticos para conseguir um patrocínio decente.
E Jorge Samek e o governador Requião poderiam tirar suas bundas das respectivas cadeiras, assim como os demais políticos e autoridades do estado, e ajudar a tornar o futebol paranaense mais forte.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Claiton: depende do Tanaka!

Da Gazeta do Povo Online:

A chegada do volante Claiton ao Atlético Paranaense é aguardada com expectativa pelo torcedor rubro-negro e pelo próprio jogador, mas um ponto fundamental das negociações já transformou a contratação em uma verdadeira “novela”. Após as conversas em torno de valores, agora o presidente do Consadole Sapporo, Yoshiaki Tanaka, está reticente em parcelar os US$ 150 mil (cerca de R$ 345 mil) que o Furacão aceita pagar pela saída do Predador do time japonês. O desfecho do caso ficou para quarta-feira.

“Eles agora nos pediram um fax oficial do Atlético, e nós enviamos o documento, oficializando a nossa oferta. Agora estamos aguardando se eles aceitam ou não o que foi proposto”, disse o presidente do Atlético, Marcos Malucelli.

Círculo de História Atleticana e os Atletibas históricos

Será realizado na próxima terça-feira o 4º encontro do Círculo de História Atleticana, com o tema Atletibas Históricos. Novamente, o convidado é o professor Heriberto Ivan Machado, historiador oficial do Clube Atlético Paranaense. O evento ocorre das 19 às 21 horas na Artha Curitiba (Rua Mateus Leme, 2823) e quem quiser participar deve confirmar presença pelo e-mail circuloatleticano@yahoo.com.br.
Você pode conhecer o resultado dos três encontros anteriores clicando aqui.

Inveja

Dando uma espiada no Bahêa minha porra descobri que lá na Bahia, no campeonato baiano, continuam a vender cerveja nos estádios, mesmo na capital.
Ah, que inveja.
Desse jeito eu me mudo pra Maracangalha.

Liberação de Claiton pode chegar na madruga

Deu na Gazeta do Povo Online:
A manhã desta terça-feira pode trazer uma boa novidade para a torcida do Atlético. O presidente do Conselho Administrativo do clube, Marcos Malucelli, aguarda para as 6h desta terça-feira um fax do Consadole Sapporo, do Japão, assegurando ou não a liberação do volante Claiton para retornar ao Furacão nesta temporada.
Clique aqui para ler a matéria completa.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

O Apartheid do futebol brasileiro

O blog Olhar crônico desportivo mostra como funciona a divisão das cotas da TV, somando o correspondente às emissoras de sinal aberto e fechado e o pagamento referente aos jogos vendidos pelo sistema Pay Per View. Para 2009, a verba destinada aos clubes é de R$ 300 milhões por parte das emissoras abertas e fechadas (Globo e SporTV) , e mais R$ 110 milhões por parte do PPV (Premiére).
Uma boa grana, principalmente levando-se em conta o valor irrisório o que era pago há menos de uma década.
O problema está mesmo é na divisão deste bolo.
Para distribuir os R$ 300 milhões da TV aberta e fechada, o Clube dos 13 dividiu os clubes em alguns grupos, desta forma:

I) Flamengo, Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Vasco;

II) Santos;

III) Grêmio, Inter-RS, Cruzeiro, Atlético-MG, Fluminense, Botafogo;

IV) Atlético, Coritiba, Goiás, Sport e Vitória;

V) Portuguesa;

VI) Bahia, Guarani;

VII) Convidados: Náutico, Avaí, Santo André, Barueri.

Já a distribuição do bolo do PPV segue os percentuais obtidos com a tal pesquisa feita junto aos assinantes do Premiére, como citado em alguns posts abaixo.

Com base nisso tudo, o Olhar crônico publicou a seguinte tabela, mostrando qual é o quinhão que caberá a cada clube este ano:

Tipo Cota fixa PPV % Total
TOTAL 300.000.000 110.000.000 100%
Clubes Cota 2009 Cota 2009 % Pesq. Valor total
Flamengo 21.000.000 15.224.000 13,84 36.224.000
Corinthians 21.000.000 10.747.000 9,77 31.747.000
São Paulo 21.000.000 10.131.000 9,21 31.131.000
Palmeiras 21.000.000 9.053.000 8,23 30.053.000
Santos 18.000.000 2.662.000 2,42 20.662.000
Vasco* 10.500.000* 7.106.000 6,46 17.606.000
SUBTOTAL 112.500.000 54.923.000 49,93 167.423.000
Grêmio 15.000.000 8.987.000 8,17 23.987.000
Internacional 15.000.000 7.557.000 6,87 22.557.000
Cruzeiro 15.000.000 7.216.000 6,56 22.216.000
Atlético MG 15.000.000 6.534.000 5,94 21.534.000
Fluminense 15.000.000 6.105.000 5,55 21.105.000
Botafogo 15.000.000 5.137.000 4,67 20.137.000
SUBTOTAL 90.000.000 41.536.000 37,76 131.536.000
ATLÉTICO
11.000.000 1.991.000 1,81 12.991.000
Coritiba 11.000.000 1.650.000 1,50 12.650.000
Goiás 11.000.000 1.650.000 1,50 12.650.000
Sport 11.000.000 1.650.000 1,50 12.650.000
Vitória 11.000.000 1.650.000 1,50 12.650.000
Portuguesa 5.500.000 1.650.000 1,50 7.150.000
Bahia 3.450.000 1.650.000 1,50 5.100.000
Guarani 3.300.000 1.650.000 1,50 4.950.000
SUBTOTAL 67.250.000 13.541.000 12,31 80.791.000
TOTAL 269.750.000 110.000.000 100% 379.750.000
(*)Vasco:
o clube faz parte do Grupo I e teria direito à cota de 21.000.000. Como foi rebaixado para a Série B, terá direito, em 2009, a 50% da cota, tal como ocorreu com o Corinthians em 2008 e com os outros clubes rebaixados.

Olhando a última tabela, com os valores totais recebidos por cada clube, vê-se o tamanho da disparidade. Do Botafogo para cima, todos recebem pelo menos o dobro (arredondando grosseiramente) do que o Atlético, todos acima de R$ 20 milhões. A diferença para Palmeiras, São Paulo, Corinthians e Flamengo, então, é absurda.
O Atlético receberia exatamente a mesma verba de Coritiba, Goiás, Sport e Vitória, mas acabou recebendo uma bagatela a mais - cerca de R$ 300 mil - por conta de ter ficado um pouco melhor colocado na tal pesquisa do PPV. Porém, note que estes cinco clubes recebem recursos da ordem dos R$ 12 milhões, enquanto no próximo "degrau", a partir do Botafogo, os clubes passam a ganhar a partir de R$ 20 milhões, chegando a R$ 36 mi no caso do Flamengo. O Vasco, mesmo na segundona, receberá R$ 5 milhões a mais este ano do que ganharão estes cinco clubes, que estão todos na Série A.
Uma diferença colossal e absurda.
E depois ainda aparece neguinho reclamando da diretoria, queixando-se que "não entende" como é que estes times tiram jogadores daqui com a maior facilidade, e ainda se dizem "indignados" com a passividade dos clubes paranaenses nestes casos...
Bem, se o quadro aí de cima não for suficiente para explicar, nada mais explica.
A questão que fica é: como concorrer em pé de igualdade no Campeonato Brasileiro? Será que uma divisão igualitária das cotas da TV aberta não seria uma medida mais justa e honesta, deixando apenas para o PPV o repasse diferenciado?
O problema é saber quem, fora nós paranaenses e um ou outro nordestinos, têm interesse nisso. Até porque, se dividirmos igualitariamente o valor total de R$ 379 milhões pelos 24 clubes da tabela, daria cerca de R$ 15,8 mi para cada um - ou seja, paulistas, cariocas, gaudérios e mineiros veriam suas receitas diminuírem...
Enquanto isso, vamos fazendo nossa parte, lotando a Baixada e não deixando o Furacão cair, como caíram Grêmio, Palmeiras, Corinthians, Vasco e outros lá do topo da tabela da segregação. E, de quebra, chegando vez ou outra à disputa de títulos nacionais e até internacionais.

Cerva liberada

Informa Juarez Villela Filho, na Furacao.com: no estádio Carangueião, em Paranaguá, os bares venderam cerveja normalmente durante a partida de ontem. E não houve qualquer tumulto, confusão ou quebra-quebra.
Tomara que a liberação valha também para a Baixada, e para todo o campeonato estadual.

domingo, 25 de janeiro de 2009

Para uma estréia, até que tá bom...


Veja os gols do Furacão contra o Rio Branco, em Paranaguá, na estréia do Paranaense.
O Atlético ainda estava em ritmo de férias, com o freio de mão puxado, até que, no segundo tempo, uma jogada de 2008 abriu a temporada de 2009 para o Furacão: falta na lateral, cruzamento de Netinho e gol de Rafael Moura.
A partir daí, a partida ficou mais fácil e os outros dois gols vieram ao natural. Um com a estrela de Lima; outro com a qualidade de Alex Sandro, que mostrou raça e habilidade para marcar um golaço. Ambos, aliás, mostraram a Geninho que podem tranqüiliamente assumir uma posição de titulart nos lugares de Jílio César e Alberto.
No geral, não dá pra dizer que o rubro-negro fez um partidaço. Ao contrário: o Rio Branco teve diversas oportunidades de gol, muitas delas frustradas pelo habitual bom desempenho de Galatto.
Mas, para uma estréia, vencer fora de casa por 3 a 0 não foi nada mal.

Troféu Ziquita
Valencia, um leão na meia cancha, e Galatto, segurança na meta.
Troféu Tião Macalé
Alberto, que além de deixar um corredor em suas costas ainda fez duas faltas infantis,
em seqüência, levando dois cartões amarelos e acabando expulso.

  • E você, o que achou da estréia do Furacão no Paranaense 2009? Comente!

Parabéns, piazada!

O título não veio, mas valeu. Na partida de hoje, o Furacãozinho sucumbiu, não à pressão dos 34 mil corinthianos, mas à sacanagem do árbitro que expulsou o Bruno Costa numa jogada normal de disputa pela bola. Até poderia entender que foi falta, mas expulsar o cara foi muita sacanagem! Naquele momento, com um jogador a menos, já no segundo tempo, o Atlético recuou e o time paulista ainda contou com a sorte de acertar dois balaços indefensáveis para o goleiro Santos. Mesmo em minoria, o Furacãozinho foi valente e marcou o seu gol, com Patrick.
Se fica o gosto amargo da única derrota na Copinha acontecer justamente na decisão, por outro lado surge a satisfação de ver o rubro-negro ter revelado tantos craques, caras que ainda vão dar muitas alegrias à Nação atleticana.
O Blog da Baixada parabeniza Santos, Raul, Manoel, Marcão, Guilherme, Bruno Costa, Denis, Fransergio, William, Lucas Sotero, Bruno, Eduardo Sales, Marcelo, Patrick, o técnico Marquinhos Santos e todos os demais jogadores do elenco que participaram desta campanha memorável - a melhor de um time paranaense na Copa São Paulo.
E também à torcida rubro-negra presente ao Pacaembu, que por várias vezes fez o grito de "A-tle-ticooooo" ser ouvido na transmissão da SporTV.
  • Quais dos jogadores que disputaram esta Copa SP devem ser integrados de imediato aos profissionais? Opine!

Domingão rubro-negro

Meus amigos, hoje é um dia especial. Não bastasse o Atlético voltar a jogar, após longas férias, o Furacãozinho disputa a final da Copa São Paulo de Juniores.
Pra quem reclamava que os jogos do rubro-negro não passavam na TV, hoje o domingão na telinha será todo rubro-negro: ambas as partidas serão transmitidas.
Neste momento, a SporTV já mostra flashes ao vivo direto do Pacaembu, onde os jogadores do Atlético fazem o reconhecimento do gramado. É um grande clássico: afinal, estarão em campo os dois times de maior torcida no estado do Paraná!
À tarde, a partida do time principal contra o Rio Branco, em Paranaguá, será transmitida para todo o estado pela RPC.
Bom, chega de papo. Deixa eu abrir a primeira gelada do dia e me postar em frente à TV.
Boa sorte ao Furacão e à piazada do Furacãozinho!

sábado, 24 de janeiro de 2009

A frase da semana

Não há dinheiro hoje que me faça jogar em outro time do Brasil.
Claiton, o Predador, em entrevista à Gazeta do Povo. Ele confirma ter recebido propostas melhores de outros clubes, mas que quer mesmo é jogar no Furacão.
E completa:
Voltar para o Atlético é como voltar para casa. Estou com saudade. O presente de aniversário que mais peço a Deus é que feche a negociação logo e eu possa comemorar com a torcida.

Desigualdade

O blog Olhar crônico desportivo publicou todos os números da pesquisa que definiu a divisão do bolo das transmissões por pay-per-view. E também explicou que o levantamenmto não foi feito diretamente pela Globosat - dona do canal Premiére -, mas sim pelos institutos Ibope e Datafolha, junto aos assinantes do PPV.
Volto a repetir: por se tratar de um público fechado e conhecido (os assinantes), é ridículo fazer um levantamento por amostragem, semelhante aos que são feitas para buscar informações junto à população em geral, como para medir tamanho de torcidas em determinada região ou a intenção de voto nas eleições. Qualquer empresa, hoje em dia, consegue montar um banco com dados de todos os seus clientes. Não dá para entender porque a Globosat não o faz.
E, repito: não conheço um só assinante do Premiére aqui de Curitiba que tenha sido consultado. Além do mais, o presidente do Ibope já foi presidente do Botafogo...
Bem, vamos aos dados.
A Globosat juntou os dados das duas pesquisas e criou um rankling baseado na média de cada clube:


ClubeMédiaIBOPEDatafolha
Flamengo13,8413,1414,53
Corinthians9,7710,259,29
São Paulo9,218,449,98
Palmeiras8,238,248,21
Grêmio8,177,758,58
Internacional6,877,006,74
Cruzeiro6,566,876,25
Vasco da Gama6,466,456,47
Atlético MG5,946,485,40
10ºFluminense5,555,455,65
11ºBotafogo4,675,503,84
12ºSantos2,422,262,57
13ºAtlético
1,591,291,88
14ºFigueirense1,421,361,48
15ºCoritiba1,411,651,17
16ºSport1,211,141,27
17ºVitória1,051,031,06
18ºBahia0,931,090,77
19ºNáutico0,700,690,70
20ºGoiás0,680,780,58
21ºAvaí0,680,640,71
22ºParaná0,550,530,56
23ºAmérica MG0,510,330,68
24ºSanta Cruz0,380,430,32
25ºVila Nova0,350,360,34

Outros0,900,881,00

Total Geral100,0100,0100,0
O Atlético ficou na 13ª colocação, e receberá módicos 1,59% dos recursos no rateio.

Interessante notar que o Furacão é uma espécie de "divisor de águas" entre os ditos grandes e os "não-tão-grandes-assim". Está atrás dos clubes de SP, RJ, MG e RS, mas é o primeiro dentre a "rapa". Na frente de Figueirense, Coritiba, Sport, Vitória, Bahia, Náutico, Goiás, Avaí, Paraná, etc.
De qualquer maneira, a diferença é muito gritante.
O Flamengo recebe pelo menos dez vezes mais dinheiro do que o Atlético.
Justo? Justo nada.
Alguém comentou aqui que na Premier League - o campeonato inglês - os recursos da TV são divididos igualitariamente entre todos os participantes. O mesmo ocorre, por exemplo, na NFL - a liga de futebol americano dos EUA.
Isso sim é igualdade.
O time com maior torcida que consiga mais recursos com cotas de poatrocínio e venda de produtos para sua torcida, por exemplo. Isso sim, é justo.
•••
Aliás, falando em patrocínio,
há 24 anos a Petrobrás patrocina o Flamengo. É estranho. Como pode uma empresa estatal, mesmo de capital misto, patrocinar um clube que está devendo impostos? O Flamengo é o campeão brasileiro do calote, com um débito fiscal que chegava a R$ 141 milhões em 2007. Mas recebe uma bolada da Petrobrás e ainda ganhou uma mamata sem tamanho com a Timemania.
E o que o Flamengo dá em troca? Isso:


Esse é o clube que mais recebe recursos da TV. O que fazem com o dinheiro? Bom, não sei. Para pagar os atletas pelo jeito não é. E nem os impostos...

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Piazada arretada na final da Copinha!


Confira o gol da virada, marcado por Marcelo.
Emocionante! O Furacãozinho virou o placar pra cima dos bambizinhos e está classificado para a final da Copa São Paulo de Juniores.
Os pequenos bambis fecharam o primeiro tempo com vantagem, vencendo por 1 a 0. Mas a brava rapaziada rubro-negra virou o placar, com Raul e Marcelo - o novo Ziquita.
Pra finalizar, o goleito Santos pegou um pênalti a favor dos bambinos aos 46 do segundo tempo.
E a bambizada ainda saiu chorando de campo! Não tem preço!
Pela primeira vez, um time paranaense disputará uma final da Copinha. A grande decisão será no domingo, às 11 horas da manhã, contra o Corinthians - que eliminou o Avaí nos pênaltis.
  • Assistiu a partida? Comente!

O predador está voltando?

Agora é pra valer: Claiton pode vestir de novo a camisa rubro-negra!
Acaba de ser publicado na Gazeta do Povo Online:

O meia Claiton está próximo de vestir novamente a camisa do Atlético. A informação foi confirmada pelo presidente do Rubro-Negro Marcos Malucelli, em entrevista, por telefone à Gazeta do Povo Online, nesta sexta-feira (23). Segundo o dirigente, a confirmação oficial deve ser feita no máximo até a próxima terça-feira (27). "Agora só depende da liberação do clube japonês. Com o jogador está tudo certo", garantiu.

Claiton tem contrato com o Consadole Sapporo, do Japão, até dezembro 2009. O Atlético quer a liberação do jogador em definitivo para confirmar o reforço. “Seria um presente para a torcida. Queremos um jogador vibrante e com identificação com a torcida”, explicou Malucelli.

O jogador foi um destaques do Furacão na campanha do Paranaense 2008, considerado o articulador do time dentro e fora de campo. Ele ajudou o time a quebrar o recorde histórico de 12 vitórias consecutivas em estaduais ao vencer o Cianorte por 1 a 0. O recorde anterior, pertencente ao time de 1949 (que fez uma campanha invejável, com 11 vitórias e 42 gols) e que recebeu o apelido de Furacão, foi quebrado.

Clube negava interesse

No início do mês, embora o presidente do Conselho Administrativo do Atlético, Marcos Malucelli, tenha negado o interesse em Claiton, informações davam conta que o jogador estaria insatisfeito no time japonês, o mesmo que o tirou do Furacão na temporada passada. Porém, cifras e a atual composição do elenco dificultariam o retorno do ídolo da torcida rubro-negra.

•••
O negócio ainda não está fechado, segundo a nota da Gazeta. Mas só digo o seguinte, meus amigos. Se o time na minha opinião já está bom, com o Predador fica próximo de ser um timaço.
Vamos esperar e ver se a notícia se confirma. Que assim seja!

As migalhas - II

Sobre esta questão colocada pelo Mafuz (post abaixo), a tramóia é ainda maior do que aponta o colunista.
Consta que, para fazer o rateio das cotas de PPV, o Clube dos 13 teria encomendado uma pesquisa junto a assinantes do canal Premiére, de forma que cada clube receberia o correspondente à participação de seus torcedores na compra dos pacotes.
Pois bem.
Recentemente, o blog Olhar crônico desportivo divulgou o resultado de tal pesquisa:

Pos.

Clube

%

Flamengo

13,84

Corinthians

9,21

São Paulo

8,77

Palmeiras

8,23

Grêmio

8,17

Internacional

6,87

Cruzeiro

6,56

Vasco da Gama

6,46

Atlético MG

5,94

10º

Fluminense

5,55

Não, você não leu errado. Na lista divulgada pelo Clube dos 13 constam apenas 10 agremiações. Os torcedores de metade dos clubes da primeira divisão não sabem como seus times ficaram colocados. Sequer foi divulgado o percentual mínimo a que um clube terá direito na distribuição da verba do PPV - dados agora informados pelo Mafuz no post abaixo, pelo menos no que diz respeito a Atlético e Coritiba.

E mais.
Não sou assinante Premiére. Mas conheço várias pessoas que são, inclusive os donos dos botecos onde vou assistir aos jogos. E nenhum deles foi entrevistado.
Opa! Peralá! Este levantamento foi feito onde então? Junto aos assinantes de SP? Você aí, leitor do blog, é assinante Premiére? E respondeu esta pesquisa? Conte pra gente.
Bem, pesquisas furadas à parte, o que fica claro é que está aumentando cada vez mais a distância já colossal entre os recursos distribuídos aos clubes ditos "grandes" e os "não-tão-grandes-assim".
O rateio do dinheiro da TV aberta, então, é ainda mais absurdo e incompreensível.
Trata-se de um jogo absolutamente desleal, abençoado pela CBF e pela grande mídia do eixo.