quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Para quebrar um tabu

Que eu me lembre, o Atlético não conseguiu quebrar nenhum tabu este ano. Quase o fez contra o Vasco - pois o Furacão nunca venceu em São Januário, e estava ganhando a partida do returno até os 45 do segundo tempo. Não quebrou o tabu, mas o empate foi um bom resultado, no fim das contas.
Agora, o Rubro-Negro encara uma parada que sempre lhe foi indigesta. De quatro partidas disputadas contra o Náutico no Recife (três pelo Brasileiro e uma pela copa do Brasil), foram quatro derrotas. Detalhe que nem todos os jogos foram disputados nos Aflitos - dois deles tiveram como palco o Mundão do Arruda, estádio do Santa Cruz.
Três derrotas por 1 a 0 e uma, a do ano passado, por um humilhante 5 a 0.
Nunca marcamos um gol sequer contra o Náutico lá pelas terras de Pernambuco.
Pois a hora para se quebrar um tabu não poderia ser mais propícia.
Se o Atlético vencer o Timbu, estará na série A de 2009 e ainda disputará, na última rodada, uma vaga na sul-Americana.
Curioso é que, sob o comando de Bob Fernandes, hoje no comando do adversário de domingo, o Atlético perdeu todas as 7 partidas que disputou fora de casa. Agora, com Geninho, o Rubro-Negro não perdeu as 3 últimas (venceu uma em Floripa e empatou duas no Rio).
É, pelo menos agora não entramos mais derrotados em campo, como nos tempos de Bob. Sinal de que o tabu pode, finalmente, ser quebrado.

2 comentários:

Renato disse...

como não?
e o que foi todas aquelas vitórias no começo do ano? quebrando o maior recorde do nosso furacão??

GUERRILHEIRO DA BAIXADA disse...

Não encaro aquela seqüencia como tabu, mas sim como uma quebra de recorde...