quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Depoimentos sobre um épico

“De tudo aquilo, o que mais me marcou naquele dia foi um senhor humilde que chegou pra mim e disse: ‘esse dinheiro é do leite do meu filho e vou te dar.’ Eu disse que não queria, que não poderia aceitar. Mas ele insistiu porque precisava retribuir tanta alegria que eu tinha dado à torcida.”
Gilberto de Souza Costa, o Ziquita, em entrevista publicada hoje pela Gazeta do Povo.
A reportagem, aliás, está recheada de depoimentos de personagens que participaram dó épico 4 x 4 contra o Boca-Negra.
“Nunca vi alguém ganhar tanto dinheiro. A torcida estava tão feliz que invadiu o vestiário e começou a dar dinheiro para o Ziquita. Ele fez uma trouxa com a camisa do Atlético e encheu de dinheiro”, conta Dionísio Filho, comentarista esportivo e na época lateral-esquerdo do Furacão. “Foi absurdamente extraordinário. Épico. Foi aquela farra no estádio, uma bagunça. Um jogo tão antológico que anos depois as pessoas vinham me contar que tinham se emocionado com o jogo, e nem eram atleticanos, moravam até em outros estados, porque a Rádio Clube era ouvida no Brasil inteiro”, relembra Carneiro Neto, que narrou a partida. “Foi a atuação mais sensacional que eu vi de um jogador na minha carreira em 40 anos no futebol”, arremata Hélio Alves, o “Bruxo”, então supervisor de futebol do Furacão.
Em Governador Valadares (MG), Ziquita conta ao jornal que acompanha o Rubro-Negro mesmo de longe e dá a receita para o Atlético se safar do rebaixamento nas rodadas que restam no Brasileirão: “Aquele jogo mostrou a força do Atlético e o poder de uma torcida. Tem de acreditar até o fim que tudo pode acontecer. O time conta com uma torcida maravilhosa, que merece todo o nosso respeito. Estou aqui torcendo muito por eles. Se Deus quiser, vão escapar do rebaixamento.”

6 comentários:

Anônimo disse...

acabei de ler essa matéria no jornal aqui em casa e confesso que fiquei arrepiado.

pena que eu não ainda 'era vivo' nessa época e não pude acompanhar essa partida histórica.

de qualquer forma, valeu ziquita!!!
=D


saudações
jair

Anônimo disse...

se o cap nao faz nada para homenagea lo, pq nao criamos um movimento para o proximo jogo em casa contra o vitoria, e a fanaticos faz uma faixa, um bandeira como tem varias na europa com o desenho de um rosto... gritamos o seu nome em varios momentos do jogo... se o clube nao faz nada, a amada nacao pode se mexer e conseguir uma grande, e com certeza melhor homenagem...

Nikolas P.

Anônimo disse...

ANTES DE FAIXAS E FESTA...PRIMEIRO GANHAR DO FIGUEIRENSE...BOKAO

Luiz Andrade disse...

Como não se emocionar com uma narrativa desta? Como não se orgulhar? Como não sentir nostalgia de um tempo em que o futebol não era um mercado altamente profissionalizado (e mercenário) como hoje?

VIVA ZIQUITA, HERÓI ETERNO, VC ESTARÁ SEMPRE NA MEMÓRIA DE NOSSA TORCIDA.

P.S. SERÁ QUE NÃO HÁ COMO FAZER CHEGAR UMA HOMENBAGEM (NEM QUE SINGELA) A ELE?

Anônimo disse...

com certeza bokao, mas uma faixa com um nome, com uma frase, com certeza nao mudaria em nada o jogo, mas sim para um idolo, uma homenagem, entao no jogo de sabado em floripa mesmo, uma faixa mais ou menos assim...

" ZIQUITA O HEROI DE 78 "

abracos Nikolas P.

fernanda disse...

Uma faixa homenageando Sao Ziquita nao mudaria o resultado do jogo, concordo.

Emocionante a reportagem, eu gostaria de ter estado neste jogo... Bons tempos... Nao existe mais este espirito de luta nos jogadores de hoje. Apenas muita grana, carro importado e vontade de jogar bola compativel aos seus rendimentos, contratos, direitos de imagem, bicho, etc.