segunda-feira, 20 de outubro de 2008

A estréia de Geninho

Coluna de Augusto Mafuz, hoje, na Tribuna:
Esperança

Para a derrota, não existe consolo. Mais ainda se a derrota tornou-se um elemento indissociável da vida de um time. O Atlético Paranaense voltou a perder. Foi sábado, no Beira-Rio, para o Internacional - 2 a 1.

Mas, para as derrotas, mesmo que sejam previsíveis e de rotina, existem explicações. Nas anteriores, o Atlético perdeu porque jogou mal; em Porto Alegre, perdeu porque neste campeonato é inferior em tudo aos colorados. Foi aquele jogo regido pela lógica, em que o time com melhores jogadores ganha.

Mas, no mais, mesmo na mesmice, vem a novidade, diria Guimarães Rosa. O Atlético precisa dissociar o jogo de uma derrota como essa, em que o adversário é manifestamente superior. Aí, vai encontrar uma pontinha de esperança: o que está quase perdido, não pode ser jogado fora.

Jogou surpreendentemente bem no Beira-Rio. Foi a estréia de Geninho. A defesa expandiu-se pelo setor, com Gustavo Lazaretti cobrindo os lados, Bahia e Chico combatendo para ter a bola, ao invés de simplesmente marcar, permitindo que o excelente Julio dos Santos prendesse a bola e o Inter no seu campo, permitindo um rigoroso equilíbrio no 1.º tempo. O gol de Nilmar não foi produto da superioridade do Inter em campo, mas da qualidade de Alex que o lançou.

E o 2.º tempo não foi diferente. O Inter jogava ao natural, portanto, superior. O Atlético continuou jogando bem, dentro do limite do seu time, que era alcançado no momento mais importante do jogo, que é o do gol. Geílson e Pedro Oldoni não sabem fazer gols. O gol de Ferreira serviu para mostrar que, às vezes, as diferenças entre o limite pela natureza e o limite pela superação, não são tão extraordinárias.

8 comentários:

Anônimo disse...

SEGUNDO O MAFUZ:
"...permitindo que o excelente Julio dos Santos prendesse a bola e o Inter no seu campo, permitindo um rigoroso equilíbrio no 1.º tempo..."

;)

Bruno disse...

Gostei da atuação do "Rúlio" dos Santos!!!Boa visão de jogo, passes precisos, criou boas jogadas...axo q ele é o melhor q há nesse elenco pra jogar na meia cancha!Ta certo q errou uma virada de jogo BISONHA, dando um contra-ataque pro Inter q qse resultou no 2 gol...

Anônimo disse...

só isso né!!!

Anônimo disse...

O Júlio dos Santos joga futebol pra ele e não pro time. Só fica dando de calcanhar, virando umas bolas bizarras, querendo se fazer enquanto temos que ganhar os jogos. Nenhum lance visando o gol. Volta pra Ponte da Amizade sacoleiro!

Saulo Milleri Biral disse...

Sabemos que essa derrota para o Inter complicou a vida do Atlético-PR, mas ainda tem chances para sair do rebaixamento. É preciso jogar com mais raça, vontade e muita determinação em campo. Ainda não acabou.

Anônimo disse...

É só colocar a culpa na imprensa por mais uma derrota e continuar achando que o petralia e deus que fica tudo certo.

Anônimo disse...

Para mim Moura e Ferreira ataque meio Netinho e Julio dos Santos......Valencia e ????? .......atrás ???? e Antonio Carlos, Alex fraga..........tah foda a escalaçao do proximo jogo ta foda mas o que ficou provado eh que com 3 volantes o time pode ficar com maior posse de bola.......e o Julio tem q ser titular pelo toq de bola acima dos que tao jogando .......BOKAO

Anônimo disse...

Acho que o Julio dos Santos e O Pedro Oldoni deveria ter maior permanencia de jogos, não é que eles sejam bons, mas poderia pegar maior ritmo de jogo e ajudar a sair deste abismo.
O Julio dos Santos mostrou bom toque de bola edeveria ter maiores chances.

O Pedro Oldoni deveria jogar dentro da area onde ele incomoda a zaga adversaria. Sempre qdo jogou ele voltou muito pra buscar o jogo, e aí não é a dele, acho que ele ainda pode ser mais aproveitado e com chances reais de gol.

É o que vier agora é lucro e o Geniho não tendo grande opções deve coloca-los juntos no proximo jogo. Ainda resta uma esperança, mas...