domingo, 28 de setembro de 2008

Petraglia detona Cury e pede mais empenho pela Copa

Primeiro foi o secretário de estado do Turismo, Celso Caron, que desautorizou o presidente da Federação Paranaense de Futebol por cogitar a hipótese de que a Baixada pode não ser o palco de jogos da Copa do Mundo caso Curitiba seja mesmo confirmada como sede para Curitiba. Agora é a vez do Presidente do Conselho deliberativo do Atlético, Mário Celso Petraglia, se pronunciar, em entrevista à Gazeta do Povo, sobre as declarações do sr. Cury. “Não vou responder a este idiota. A Federação não faz parte do processo”. Petraglia diz também que a capital paranaense, apesar da ótima estrutura que oferece, está atrás de outras cidades-candidatas no que diz respeito ao empenho político e pede uma mobilização real. Confira a entrevista:
Petraglia diz que rivais estão mais atentos

Mário Celso Petraglia está preocupado com a possibilidade de Curitiba – e por conseqüência a Arena da Baixada – não receber os jogos da Copa do Mundo de 2014. De acordo com o presidente do Conselho Deliberativo do Atlético, a capital paranaense não está “fazendo a lição de casa corretamente”. “Outras cidades estão trabalhando, politicamente e tecnicamente, muito mais do que nós”, alerta.
Nesta entrevista, concedida por telefone na quinta-feira, o cartola rubro-negro fala ainda da conclusão do estádio, de sua divergência recente com o presidente da Federação Paranaense de Futebol (FPF), Hélio Cury, um pouco de futebol e muito de Mundial no Brasil.
Na quarta-feira passada, durante a reunião que definiu como será a apresentação de Curitiba no seminário da CBF, o senhor discutiu com o presidente da FPF, Hélio Cury. O motivo, revelado pelo próprio Cury, teria sido o fato de a Federação ainda trabalhar com a possibilidade de trocar a indicação do estádio para a Copa de 2014. O sr. quer comentar o que aconteceu?

Absolutamente. Não vou dar resposta a esse idiota.
Existe mesmo a chance de a Arena não ser o estádio da Copa?

Se as pessoas honrarem o que assinaram, não. A Federação não faz parte do processo. Lá atrás, ela impôs para que fosse o seu estádio, quando induziu o governo ao erro, o que resultou naquele absurdo de indicação do Pinheirão, falido, sucateado e endividado, como todos nós sabemos. Acho estranho que se levante novamente esta questão. Não sei o que procuram, se promoção pessoal ou criar alguma divergência.
Os políticos envolvidos na candidatura paranaense estão otimistas. Curitiba caminha mesmo bem para ser sede do Mundial?

Não dá para saber. Tivemos um movimento em maio do ano passado e lamentavelmente não se fez mais nada. Realmente é muito pouco.
Então a cidade corre mesmo o risco de perder a disputa?
Absolutamente que sim. São 18 cidades candidatas, com cinco previamente escolhidas, de forma política, que são Rio, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre e Brasília. Restam 13 e precisamos ser melhor do que oito. Não estamos fazendo a lição de casa. Sabemos que outras cidades estão trabalhando, politicamente e tecnicamente, muito mais do que Curitiba.
É a questão política que ainda atrapalha?

Não sei, o Atlético é apolítico.
Há dois projetos de conclusão da Arena, um para a Copa e outro não?

Obviamente que sim. A exigência para uma Copa é infinitamente maior do que a exigência para uma final da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol), por exemplo.
Como estão as obras de ampliação do estádio?

O andamento vai muito bem, obrigado. Temos caminhado muito mais do que as outras capitais. Já iniciamos as obras do anel inferior do lado da Buenos Aires. Teremos, mais tardar no começo de 2009, um estádio para 30 mil pessoas.
Já há negociação em andamento com investidores para a conclusão da Arena?

Não temos nada oficial neste momento.
Há uma onda de times falando em construir arenas. O que o sr. pensa disso?

Os estádios no Brasil são da década de 60, do século passado, estão sucatedos. Todo mundo vê a necessidade de construir a sua arena, mas poucos terão condição de fazer. Acho graça quando ouço pretensões sem nenhuma viabilidade.
O sr. conseguiu se afastar realmente do futebol ou ainda dá uns pitacos?

O doutor Marcos Malucelli assumiu gentilmente essa função de vice de futebol, fazendo as vezes do Conselho Gestor junto ao técnicos, à comissão técnica e aos jogadores. Nós nunca estivemos lá.

♦♦♦
Atlético volta a mostrar projeto à Fifa
amanhã

Primeira apresentação do projeto, ano passado, impressionou os delegados da Fifa.
Parte do Comitê Paranaense Pró-Copa de 2014, formado pelos governos estadual e municipal e pelo Atlético, já está no Rio de Janeiro para apresentar, amanhã, detalhes de sua candidatura em evento promovido pela Fifa. Segundo a Gazeta do Povo, o secretário estadual de Turismo, Celso Caron, abre o evento falando de questões como infra-estrutura, segurança e transportes. Na seqüência, será a vez de a supervisora de informações do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC), Susana Lins Afonso da Costa, ressaltar os projetos da capital paranaense, como a implantação do metrô e o sistema viário nos arredores da Arena. O Atlético fecha a exposição dando os detalhes do projeto de conclusão de seu estádio.
Ainda segundo o jornal, após o seminário Curitiba será visitada por técnicos da Associação Brasileira da Infra-Estrutura e Indústrias de Base (Abdib), ainda sem data confirmada. O Ministério do Esporte e a CBF fecharam uma parceira com a entidade, que irá avaliar até dezembro a estrutura dos 18 municípios concorrentes, cruzando os dados com o que cobra a Fifa em seu manual de encargos. A partir desta vistoria, a Abdib saberá o que de fato precisa ser feito pelas cidades. O levantamento será fechado em março e ajudará os delegados da Fifa a escolher quais serão as sedes.
Neste aspecto, Curitiba com certeza apresentará condições infinitamente melhores que seus rivais diretos, o que pode garantir definitivamente sua participação como sede da Copa 2014.

4 comentários:

Carangueijo disse...

Já disse pra vcs, a Copa tem que ser no Carangueijão, em Paranaguá, perto da praia, do calor, do Barreado. Alegria total e chinelo de dedo pra ver Itália X Paraguai, além é claro aquele balinha de banana. É pedir muito?

Rui disse...

Realmente não dá para entender estes nossos dirigentes (i)rresponsáves deste nosso Paraná.
E nem agora na campanha os políticos tomam vergonha na cara e defendem Curitiba na Copa abertamente.
Com um presidente da federação como esse imbecil, não tem como nas próximas décadas chegarmos nem perto do nível de influencia das outras. Lamentável.

Geraaaaaldo disse...

Esse taL de Cury não serve nem pra presidente da Liga de Bocha do Abranches!

buenooo disse...

autofagismo maldito.