domingo, 31 de agosto de 2008

Fiasco

É, perdemos outra. E a situação torna-se mais dramática a cada rodada. Milagrosamente, o Atlético não entrou ainda na zona de rebaixamento - o que não quer dizer nada, pois o que nos separa da turma da degola são apenas alguns detalhes, como o saldo de gols.
Duro é ver o time jogar mal pacas, não deixando um fio de esperança de melhora.
Acho que a única contratação que resolveria atualmente seria o Hélio Alves, o Bruxo. Sim, aquele famoso supervisor que enterrava sapo no gramado e que fazia uns trabalhinhos no terreiro antes das partidas. Por que só muita reza brava pra tirar essa catiça.
E a próxima partida é uma "molezinha": o ascendente Goiás, lá em Goiânia. Pelo menos já sei, com antecedência, o que vou fazer na quarta-feira à noite: pegar um cineminha.

Sob pressão

This is ourselves
Under pressure
Under pressure
Pressure
Daqui a pouquinho o Atlético enfrenta o Palmeiras na Baixada. Debaixo de enorme pressão, pois está a 16ª colocação, com 23 pontos, a apenas 2 do lanterna Ipatinga. Qualquer resultado que não seja uma vitória pode jogar o Furacão para a zona de rebaixamento. Portanto, vamos todos empurrar o time para cima do Porco, e resgatar a mística vitoriosa do velho Joaquim Américo!
Nos vemos na Baixada!

sábado, 30 de agosto de 2008

Atleticano na final

O atleticaníssimo escritor Cristovão Tezza é um dos finalistas do mais tradicional prêmio de literatura brasileiro, o Jabuti, com o seu último livro, O filho eterno.

Trata-se, provavelmente, de seu romance mais autobiográfico. O tema principal gira em torno da doença de seu filho Felipe: a síndrome de Down. A obra narra justamente a história de um jovem escritor que tem um filho com Down e o resultado é uma interessante mescla entre autobriografia e ficção.
Coloque na conta da autobiografia o trecho em que ele cita o Furacão. Assistindo a uma partida do Atlético ao lado do filho, torcedor fanático do time, o narrador resume: "O jogo começa mais uma vez. Nenhum dos dois tem a mínima idéia de como vai acabar, e isso é muito bom".
Em entrevista quando do lançamento do livro, Tezza falou de seu relacionamento com o filho: "Somos grandes companheiros. Inclusive de sofrimento, pois ele, como eu, é torcedor do Atlético Paranaense".
O Filho Eterno já foi publicado na Itália e tem edições contratadas na Espanha, na França e em Portugal. Desde março deste ano, Cristovão Tezza é colunista do jornal Gazeta do Povo. Seus textos são publicados todas as terças-feiras, na página 3.

Atleticanismo paranaense

Dados divulgados ontem pelo IBGE sobre estimativa populacional nas cidades brasileiras nos levam a refletir. Curitiba é a sétima cidade mais populosa do país, com 1,8 milhão de habitantes. À frente, por exemplo, de Recife e Porto Alegre. Se considerarmos a população dos estados, veremos que o Paraná é o quinto mais populoso, com 10,5 milhões - e já está prestes a ultrapassar o Rio Grande do Sul.Ou seja, nossos times, teoricamente, deveriam ter muito mais torcedores que os pernambucanos, certo? E, no mínimo, o mesmo número de torcedores que os gaúchos, certo?
Pois é. Mas as pesquisas mostram uma distância enorme entre o tamanho das torcidas dos times gaúchos e dos paranaenses. Mesmo sobre a torcida do Atlético, que é de longe a maior do estado. A torcida do Furacão em Curitiba, podem ter certeza, é do mesmo tamanho que a de Inter ou Grêmio em Porto Alegre. O que faz a diferença, a favor dos gaudérios, é a torcida do interior do RS. O Atlético paga o pato por estar num estado colonizado não só por imigrantes mas por migrantes de outros locais do Brasil, principalmente de São Paulo (Norte) e do Rio Grande do Sul (Oeste). Não há uma identidade paranaense una, e isso se reflete nos times de preferência do povão no interior.
Os dados mostram, porém, que há bastante espaço para crescer. A população está crescendo tanto em Curitiba quanto no interior. Gente nova, que pode se identificar mais com o estado do Paraná e, porque não, com o Atlético.
Para isso, tem que se trabalhar de forma constante com essa gente. O Atlético já deu o primeiro passo com as dezenas de escolinhas espalhadas pelo estado. Mas ainda é pouco. A presença na mídia também precisa ser uma constante - o Atlético chegou a fazer algumas campanhas marcantes, como a do "Clube Atlético (dos) Paranaense(s)", mas de um tempo para cá nada tem sido feito nesse sentido. Ações com a garotada de todo o estado também são importantes, nas escolas e nos bairros.
Afinal, qual é a diferença para um garoto de, digamos, Umuarama, torcer para o Atlético, ou para o Internacional, ou para o Corinthians, se ele provavelmente nunca irá ver um jogo destes times no estádio mesmo? O que pode fazer a diferença é justamente esta aproximação, esta identidade com as coisas daqui e com as cores rubro-negras.
Sem falar no óbvio: a montagem de grandes esquadrões ajudará, e muito, na criação de um Atleticanismo verdadeiramente paranaense.
O Povão Rubro-Negro já domina a capital; agora falta o interior!

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Alberto está de volta

Quase 10 anos após deixar o Furacão, um dos jogadores mais queridos da torcida atleticana está de volta à Baixada: o lateral-direito Alberto. A informação foi confirmada há pouco pelo site oficial do CAP. "Eu chego em Curitiba domingo de manhã. Quero ver o jogo contra o Palmeiras e reencontrar a torcida. Para mim vai ser muito emocionante. Depois de nove anos, voltar ao Clube será muito bom. Espero que seja um reencontro bem legal com a torcida e também com o Atlético", disse o jogador em entrevista ao site do clube.

Casa cheia contra o Palmeiras

Pessoal que passou agora há pouco em frente da Baixada informou o blog: a fila para comprar os poucos ingressos que restam para não-sócios está gigante.
Domingão, teremos casa cheia contra o Porco paulista.
O povão vai empurrar o Rubro-Negro para um renascimento no Brasileirão.

Força da Sula

Ontem assisti a duas partidas da Sul-Americana: o Grenal e Universidad Catolica (CHI) x Olympia (PAR). Duas boas partidas, com os times empenhadíssimos e jogando com garra pela vitória. é o espírito de uma competição continental, e é com esse espírito que o Atlético deve encara a Sula a partir de agora.
Aliás, nas oitavas-de-final o Furacão deverá encontrar um velho conhecido: o Chivas Guadalajara. No fórum dos torcedores do time na internet, já estão comentando o confronto contra o "El Paranaense" - embora ainda não garantido a classificação: ainda ocorrerá o jogo de volta contra o venezuelano Aragua pela primeira fase. Os gringos falam em revanche pela semi-final da Libertadores 2005 e torcem para que a primeira partida seja no estádio Jalisco.
Será um partidaço e a garantia de mais uma festa fantástica na Baixada.

Uns falam, outros fazem

Em um dos posts abaixo, lembrei que quando o Brasil se candidatou para ser sede da Copa de 2014 pipocaram pelo país dúzias de projetos mirabolantes de novos estádios modernosos e arenas luxuosas. Governos estaduais, federações de futebol e clubes ditos "grandes" como Corinthians, Grêmio, Flamengo e quetais, anunciaram a intenção de erguer estruturas milionárias.
Agora, leio que o Corinthians anunciou o fim do acordo com o consórcio que seria responsável pelo novo estádio do clube, na capital paulista. O motivo: segundo o clube, o consórcio "não conseguiu garantir uma carta de crédito para a realização das obras". É, tá mesmo difícil tomar crédito no mercado, ainda mais para um clube sem patrimônio e endividado, que mesmo após o fiasco da parceria com a MSI ainda acredita que dinheiro cai do céu. Pior é lembrar o tamanho do espaço que esta nova parceria e o pretenso novo estádio do "Timão" ganhou na mídia - em sites como o Globoesporte.com e em jornais como o Lance. O resultado agora está aí: mais um fiasco.
Se bem que até o bisonho projeto do trio Gionédis/Onaireves/Gomyde ganhou espaço na mídia, não é mesmo?
Volto a repetir: o único clube do país que está tendo a coragem de botar a mão na massa é o Atlético Paranaense. Com ou sem Copa, com ou sem recursos governamentais ou de parcerias privadas, o Furacão vai terminar o seu estádio graças à sua torcida.
Mas e a mídia, não fala nada sobre a conclusão da Baixada? Ora, a mídia que se dane!

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Na frente

Mesmo com a péssima campanha no Brasileirão, o Atlético é o melhor colocado nas apostas de Timemania. No acumulado de todos os concursos, o Furacão ocupa a 18ª posição, com 441.825 apostas. Em seguida, vem o Coritiba, com 432.542. As informações são da Caixa Econômica Federal.

Vamos continuar a mostrar a força da Nação Rubro-Negra apostando no Atlético como Time do Coração!

Vivos

Após uma partida horrorosa, o Atlético eliminou os bambizinhos nos pênaltis e manteve-se vivo no primeiro mata-mata da Copa Sul-Americana. Graças ao goleiro Vinícius, que defendeu muito bem duas cobranças.
Pouco a falar dos 90 minutos de bola rolando. Exceto pela estréia do bom volante Fernando, que entrou quase aos 40 do segundo tempo e, em cinco minutos, fez mais do que o resto do time durante toda a partida. Márcio Azevedo também esteve razoavelmente bem, levando o time ao ataque pelo lado esquerdo em várias ocasiões - porém falhando na hora do último passe. E o próprio Vinícius, que também praticou algumas importantes defesas antes das penalidades. No mais, com Ferreira e Julio dos Santos poupados, além de todos os desfalques por contusão, o rubro-negro esteve sofrível.
Importante foi se classificar. Agora, pelo andar da carruagem, o Furacão deve encarar o Chivas Guadalajara, reeditando a semi-final da Libertadores 2005. O time mexicano venceu a primeira partida contra o Aragua, na Venezuela, e agora joga em casa com a vantagem do empate.
Troféu
JOINHA

Vinícius

Troféu
TIÃO MACALÉ

Rodriguinho

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Prioridade

Vejo na Furacao.com a declaração do Edinho Nazareth de que "a Sul-Americana não é prioridade".
Pois eu digo: é sim. Qualquer competição oficial é uma prioridade para o Atlético. Ainda mais uma competição internacional, para a qual o Furacão se classificou com tanto sacrifício no ano passado, após uma fantástica arrancada no segundo turno, com quase 100% de aproveitamento na Baixada sob o comando de Ney Franco (8 vitórias e 1 empate).
Na última rodada, contra o mesmo São Paulo que a gente vai jogar amanhã, 25 mil atleticanos comemoraram feito loucos a classificação para a Sula com um gol de Antônio Carlos aos 47 do segundo tempo, numa partida emocionante na Baixada.
Agora, não venham me dizer que a Sula não vale nada. Vale sim, e é obrigação jogar pra vencer.
Até porque é impossível jogar pior do que jogou na partida contra o Atlético-MG. A torcida não admitirá que os jogadores vão a campo com aquela mesma sonolência mórbida, sem demonstrar mínima vontade.
Pois te digo, Edinho: poupem quantos jogadores quiserem poupar para o Brasileirão - até porque ninguém sabe mesmo quem são os titulares nesse time do Atlético.
O que se exige é que quem estiver em campo tenha a mesma gana de vitória que tem a torcida, mesmo que se esteja no mais fundo dos buracos.
Com a camisa rubro-negra em campo, até torneio de bocha na Urca é prioridade.

Há copos e copos...

Copo pode dar perda de mando às paquitas: só a grande imprensa paranaense não viu.
Foto: Franklin de Freitas / Craques e Caneladas
Um copo ou uma balinha são transformados numa verdadeira tempestade pela imprensa quando arremessados no gramado da Baixada. Domingo, todo mundo viu pela TV um torcedor-paquita jogando um copo pra dentro do campo no estádio Erasmo Carlos, o Tremendão. O juiz da partida imediatamente pegou o artefato e levou ao quarto árbitro, relatando na súmula o ocorrido. Curiosamente, a imprensa nem tocou no assunto. Apenas uma notinha de rodapé no Jornal do Estado.
Bem, dizem os coxas que o suíno meliante foi identificado pelos seguranças. Sei não, porque pelo que vi no último Atletiba que fui lá no chiqueiro, nem mesmo num clássico local de final de campeonato eles são capazes de colocar seguranças para orientar os torcedores e evitar tumultos ou palhaçadas como arremesso de extintores na torcida adversária, então quem dirá num jogo de baixo risco como contra o Bambi FC. Tá cheirando a cascata da grossa. E, se não foi feito um Boletim de Ocorrência, os coxas devem perder um - ou mais - mando de campo.
Bem, de qualquer maneira, minha opinião é que um copo de plástico vazio arremessado jamais deveria dar perda de mando para clube algum. É uma idiotice gigantesca. Mas que fique registrado aqui no blog a gritante diferença de tratamento, pela imprensa, entre um copinho arremessado no chiqueiro e um copinho - ou uma balinha - arremessado na Baixada.

domingo, 24 de agosto de 2008

Sem palavras

...
.......
..
........ . .. .

.. . ..
...........

. . .............
.......... .. ..

.
....
....
..
...................
... ..
... .
. ..........

........ . .. .

.. . ..
...........

. . .............
.......... .. ..

.
....
Que fiasco. Se não ganhamos desse time dos galinhas, pelo menos já sabemos que não vamos vencer nenhuma partida fora de casa nesse campeonato. Já podemos programar outros afazeres em dia de jogo do Furacão. Um cineminha tá 1.000 vezes mais em conta. Perder faz parte do jogo, mas eu não imaginava ver o Atlético jogar uma partida de forma tão bisonha.
►►► Esse é um espaço democrático a serviço da Nação rubro-negra. Sendo assim, todos os comentários, críticas e elogios de atleticanos são bem-vindos. Entretanto, não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou ofensas pessoais.

Onde assistir o duelo dos Atléticos

Hoje, a partir das 18h10:
Prajá
Na Baixada.
Bar da Caveira

Na sede dos Fanáticos.
Bar da Tia Lili
Av. Manoel Ribas, ao lado do Fornão. Quase esquina com Visconde do Rio Branco.
Bar do Toninho
Também conhecido como Mercearia Stella. Na Angelo Sampaio.
Bar do Carioca
Silva Jardim, 4138.
Moreira Lanches
Av.Erasto Gaertner, 2078 - Bacacheri - Próximo a lombada Eletrônica. Fone: 3356-6026
Bar do Teco
Iguaçu com Bento Viana.
Ball Bull

Fica na Avenida Água Verde, 82 – perto da Baixada.
Beck’s

Brasílio Itiberê, 3645 – também lá pelas bandas do Joaquim Américo.
Zezito’s

Bento Vianna, 118 – Água Verde.
Aos Democratas

Dr. Pedrosa, 485 – Batel. Mais central e um pouco mais refinado.
Beps

Esse é pra quem mora do outro lado da cidade. Fica na rua Lívio Moreira, 443 – São Lourenço.
Galeteria Caxias

Avenida das Torres, quase em frente ao Restaurante Per Tutti.
Pakau Espetinho Snooker Bar
Rua Chile, 1.847, Rebouças, Curitiba (esquina com Alferes Poli), telefone (41) 3077-2526.
A lista está aumentando. E você, tem alguma dica de boteco pra ver os jogos do Furacão? Mande sua sugestão, e não se esqueça do endereço!

►►► Esse é um espaço democrático a serviço da Nação rubro-negra. Sendo assim, todos os comentários, críticas e elogios de atleticanos são bem-vindos. Entretanto, não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou ofensas pessoais.

sábado, 23 de agosto de 2008

No jogo dos esfarrapados, aposto no nosso!

A gente apanha, apanha, mas não aprende. Pois não é que, após nove derrotas consecutivas fora de casa, eu ainda acredito numa vitória amanhã? Pois se o Atlético quiser ganhar pelo menos mais uma, uminha, partida como visitante neste Brasileirão, tem que ser contra o Atlético Mineiro. No jogo dos esfarrapados, aposto no Furacão.
O Atlético-MG vem caindo de produção a cada jogo. Na última rodada, empatou em casa contra o Goiás, para um medíocre público de 3.700 pessoas. Foi a quarta partida seguida dos galináceos sem vitória. E, pra piorar a situação, Petkovic foi vetado e não joga neste domingo.
E tem mais. O Furacão estará defendendo amanhã uma invencibilidade de cinco anos contra o genérico de Minas. A última derrota do rubro-negro para o Mineiro foi em 2003. De lá para cá, foram oito partidas:
16/08/2003 - Galinhas 1 x 2 Furacão - Mineirão
27/06/2004 - Galinhas 0 x 1 Furacão - Mineirão
02/10/2004 - Furacão 5 x 0 Galinhas - Baixada
17/07/2005 - Galinhas 2 x 3 Furacão - Mineirão
22/10/2005 - Furacão 2 x 0 Galinhas - Baixada
02/06/2007 - Galinhas 1 x 1 Furacão - Mineirão
02/09/2007 - Furacão 1 x 0 Galinhas - Baixada
25/05/2008 - Furacão 1 x 1 Galinhas - Baixada
Ou seja, nos últimos quatro confrontos entre os dois times no Mineirão, o Furacão venceu três e empatou um.
Os números não mentem: nos últimos anos, o "grande" no confronto entre os Atléticos é o Clube Atlético Paranaense.
Mas... só otimismo não basta. O Atlético Mineiro joga sob uma enorme pressão pela vitória, e certamente os jogadores farão o jogo de suas vidas. Portanto, que não se espere jogo fácil. Será dificílimo. Mas, no papel, avaliando a produção das galinhas mineiras neste campeonato, não tem como não pensar que dá pra beliscar três pontinhos, mesmo com os novos desfalques - Galatto, Danilo e Kelly sequer viajam a Belo Horizonte.
O Atlético deverá entrar em campo com Vinícius, Antônio Carlos, Alex Fraga e Chico; Rodriguinho, Alan Bahia, Renan, Julio dos Santos e Márcio Azevedo; Ferreira e Pedro Oldoni.
A hora é agora! Uma vitória contra a galinhada fora de casa pode representar a virada do Furacão no Brasileirão.
Vamos lá!

Igual a tudo na vida

Peçanha, conselheiro deste blog, não tem carro. Nem ao menos sabe dirigir. Prefere a carona dos amigos ou, quando está só, vai a pé mesmo ou de táxi. Aliás, deve conhecer a maioria dos taxistas da cidade. Afinal, uma corrida é sempre acompanhada de uma conversa fiada.
Essa semana, Peçanha ligou pro 3333-3333 e tomou um laranjinha com destino a um trabalho que arrumou, nas Mercês. Como sempre, já conhecia o motorista de algumas viagens. Senhor simpático, pouco falante mas sempre disposto a dar algum conselho aos passageiros.
O papo enveredou para o futebol.
- E aí doutor, pra onde vamos?
- Mercês!
- Jóia.

- Tenho pressa.

- Sim senhor, farei o possível... Mas e essa cara amarrada, doutor, está com algum problema?

- Com o time na 15ª colocação, fica difícil sorrir por nada.

- Não me ligo muito em futebol... O senhor é atleticano ou paranista?
- Atleticano, claro. Tenho cara de favelado?

- Hum.

- O problema, meu caro, é essa fase terrível. O Atlético não ganha um jogo fora de casa. A cada rodada, um jogador se machuca. O time, comparando com os outros, não é ruim. Mas parece que às vezes nada dá certo!

- É. Igual a tudo na vida...

E seguiram em silêncio a corrida.

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Destaques

O paraguaio Julio dos Santos, aos poucos, vai retomando seu bom futebol dos tempos de Cerro Porteño. Ontem, fez a assistência para o gol de Pedro Oldoni e ainda deixou outros jogadores na cara do gol, com passes milimétricos - duas dessas oportunidades foram desperdiçadas por Rodriguinho.

E Pedro Oldoni mostrou novamente que, se tiver uma seqüência, pode confirmar a fama de matador. Guardou o seu, de novo, e merece um voto de confiança.

Troféu
JOINHA
Dos Santos e Oldoni merecem o troféu Joinha pela partida de ontem.

Troféu
TIÃO MACALÉ
Vai para a zaga atleticana. Mesmo jogando com quatro zagueiros, os atacantes são-paulinos apareceram livres na cara do Galatto em várias oportunidades.

* Post atualizado em 21/08, às 19h08.

SPFC 3 x 1 Furacão

Chegando agora em casa, levemente manguaçado, e totalmente sem saco de escrever sobre a derrota para as moças do Morumbi. Pelo que vi nos comentários dos posts abaixo, os cornetas já estão descendo a lenha no Mário Sérgio. Peraê, o cara começou a treinar o time há menos de uma semana e não é nenhum santo milagreiro. Mais uma derrota fora de casa, contra um dos times que estão brigando pelo título, era o resultado mais provável - apesar de toda a esperança da Nação Atleticana. Sejamos realistas.
Da mesma forma que não é certo endeusar o time porque venceu o Ipatinga em casa, é errado crucificar porque perdeu para o São Paulo fora de casa.
O time é mediano e precisa de todo o apoio para vencer o maior número possível de jogos na Baixada.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Time jogará com quatro zagueiros

Eu esperava que a vaga de Nei, que não joga mais neste Brasileirão devido a uma contusão no joelho, seria naturalmente ocupada por Márcio Azevedo na lateral-esquerda.
Mas, pelo que indica o site oficial, o técnico Mário Sérgio optou por escalar Alex Fraga para a partida de amanhã, contra o São Paulo, no Morumbi. Assim, o time atuará com uma linha de quatro zagueiros: Danilo, Antônio Carlos, Alex Fraga e Chico.
Para que o time não fique capenga, com Rodriguinho apoiando pela direita e um vácuo na ala esquerda, o treinador deverá liberar um pouco mais o Chico para atuar naquele setor.
  • O que você acha desta formação? Opine!

Fiasco olímpico

Peçanha, conselheiro e colaborador do blog, não é assíduo telespectador da Olimpíada de Pequim, mas fez questão de assistir às partidas do futebol masculino. Portanto, acordou cedo hoje e presenciou na telinha o fiasco da seleção do Dunga. E mandou esta:
- Também, com um ex-coxinha e um ex-favelado no time, não se poderia esperar outra coisa desta seleçãozinha...
Faz sentido.

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Associações liberadas pela internet; Madre Maria ficará para os visitantes em 2009

A Baixada em 2009: sem fosso, novo setor na Brasílio Itiberê
para os atleticanos e Madre Maria destinada aos visitantes.
Finalmente, a Nação atleticana já pode se associar ao clube pelo site www.sociofuracao.com.br.

Mas corra: segundo o site oficial, restam apenas 1.694 cadeiras disponíveis na Baixada. Ou seja, estão quase esgotadas.

Entrei no site do Sócio-furacão agora há pouco e pude notar que, das cadeiras que estavam disponíveis, algumas já foram adquiridas pela web por futuros sócios. Ou seja: muito em breve, a Baixada estará 100% ocupada por associados.
Novidades: torcida adversária ficará na no setor Madre Maria
As cadeiras do novo setor Brasílio Itiberê só serão comercializadas numa segunda etapa de vendas. Mas já está definido que o setor irá de uma curva a outra e, somado à retirada do fosso dará espaço a 7.697 novos lugares. A grande mudança ocorrerá no começo de 2009: o setor Madre Maria inferior (reta atrás do gol, nas entradas 112 e 113) será destinado provisoriamente à torcida adversária. Por isso, não serão mais vendidas cadeiras nestes setores e os atuais proprietários terão de escolher um novo lugar no estádio. O clube entrará em contato em breve com estes sócios. Detalhe: o novo lugar a ser escolhido já pode ser no novo setor, na Brasílio Itiberê, pois no começo do ano que vem a nova arquibancada já estará pronta para ser usada.
•••
Quando o Brasil se candidatou para ser sede da Copa do Mundo de 2014, pipocaram por todo o país projetos mirabolantes de novos estádios modernosos e arenas luxuosas. Governos estaduais, federações de futebol e clubes ditos "grandes" como Corinthians, Grêmio, Flamengo e quetais, anunciaram a intenção de erguer estruturas monumentais. Balela, piada de mau gosto, oportunismo barato. Os projetos, todos eles, sem exceção, foram todos esquecidos nas gavetas dos cartolas, à espera de alguma ajuda governamental ou mesmo privada para que saiam do papel.
O único clube do país, meus caros, o único, novamente, que está tendo a coragem de botar a mão na massa é o Atlético Paranaense. Com ou sem Copa, com ou sem recursos governamentais ou de parcerias privadas, o Furacão vai terminar o estádio mais tesão do país graças à sua fanática torcida.
Associe-se você também e ajude na finalização do estádio Joaquim Américo, o Caldeirão do Diabo!

domingo, 17 de agosto de 2008

Bruxa solta

Embora o Atlético tenha exorcizado um pouco de seus demônios na goleada contra o Ipatinga, a bruxa ainda anda solta pelos lados da Baixada. A última vítima foi o lateral-direito Nei, que segundo a Furacao.com sofreu uma lesão no ligamento cruzado anterior do joelho direto e ficará afastado dos gramados por aproximadamente seis meses.
Enquanto isso, a torcida ainda espera a liberação de jogadores como Netinho, Valencia, Joãozinho e Júlio César, que também seguem no Departamento Médico.
Ao Nei, desejamos uma rápida recuperação.

sábado, 16 de agosto de 2008

Descarrego

Danilo comemora seu gol, o primeiro da partida, junto a Pedro Oldoni - que marcou outros 3.
O Atlético aproveitou que a partida era contra o fraco Ipatinga para dar uma bicuda na urucubaca que rondava a Baixada. O resultado: 5 a 0, numa boa apresentação de todo o time. Claro, levando em conta que o adversário é o limitadíssimo lanterna da competição. Mesmo assim, um banho de descarrego.
Mário Sérgio colocou em campo praticamente o mesmo time que vinha jogando - apenas sacando Márcio Azevedo e deslocando Rodriguinho para a lateral. Mas a postura já foi diferente, com triangulações pelas laterais e com Pedro Oldoni jogando mais fixo na área. Resultado: Ferreira e Julio dos Santos cresceram de produção, as jogadas de linha de fundo voltaram a acontecer e Oldoni guardou três bolas na rede adversária - vai até escolher uma música no Fantástico amanhã.


Reveja os cinco gols do Furacão.
Comemoremos hoje, porque amanhã o time já vai estar com a cabeça nos três jogos seguidos fora de casa - dois pelo Brasileirão (bambis e Atlético Mineiro) e um pela Sulamericana (bambis de novo). Quem sabe agora conseguimos beliscar uns pontinhos longe da Arena?
Troféu
JOINHA
Ferreira e Pedro Oldoni.

Troféu
TIÃO MACALÉ
Vai para a CBF, porque obrigar a galera a tomar Liber e Kronenbier é uma puta sacanagem! Nojeeeenta!

Só dois atacantes

Choco está entre os convocados
para a partida de hoje.
Entre os convocados para o jogo de logo mais contra o Ipatinga, chama a atenção o fato de haver apenas dois atacantes de ofício entre os relacionados: Choco e Pedro Oldoni.
Será que ambos começarão jogando, ou o estreante técnico Mário Sérgio colocará Ferreira ou Julio dos Santos jogando mais à frente, como estava fazendo o Tico?
Se bem conheço o Mário, ele é eadpto do 3-5-2 e gosta do futebol de Alan Bahia e de Rodriguinho.
Mas não me surpreenderei se ele jogar com apenas dois zagueiros contra o lanterna do campeonato, em casa.
Portanto, acho que ele mandará a campo Galatto, Nei, Antônio Carlos, Danilo e Márcio Azevedo; Alan Bahia, Chico, Rodriguinho e Julio dos Santos; Pedro Oldoni e Ferreira. Se ele optar pelos 3 zagueiros, deve sobrar para o Chico.
Kelly e Choco devem entrar no segundo tempo. O primeiro, porque é craque mas ainda não está apto a jogar 90 minutos. O segundo, porque o Mário ainda não o conhece suficientemente bem para colocá-lo como titular.
  • E você, acha que o Choco merece uma oportunidade desde o início da partida? Que time você escalaria para a partida de logo mais? Opine!
•••
Há um ano, Mário Sérgio era destaque na Baixada
Na abertura do segundo turno do Brasileirão 2007, no dia 18 de agosto, o Atlético recebia o Figueirense na Baixada numa tituação muito semelhante à atual: em 16º colocado na tabela, beirando a zona do rebaixamento. E, você lembra quem foi um dos personagens daquele jogo? Mário Sérgio Pontes de Paiva, que comandava o Figueira na ocasião. O Atlético foi para o intervalo vencendo por 1 a 0, mas Mário colocou em campo os atacantes Otacílio Neto e Alexandre e arrancou um empate, quase virando a partida.

Coincidentemente, o Atlético com aquele empate acabou a rodada com 23 pontos - mesma pontuação que o rubro-negro atingirá hoje caso vença o Ipatinga.

Na partida do ano passado, involuntariamente Mário Sérgio deu impulso à reação do rubro-negro: o empate em casa derrubou o técnico Antônio Lopes e o Furacão começou a subir na tabela. Desta vez, esperamos que o Mário faça o Atlético subir - desta vez, intencionalmente.

Finalmente: adesões ao Sócio-Furacão pela internet. Até no setor Brasílio Itiberê!

"Até que enfim": adesões ao Sócio-Furacão poderão ser feitas pela internet.
Após alguns meses de espera, finalmente os atleticanos - principalmente aqueles que moram fora de Curitiba - poderão se associar ao CAP pelo site www.sociofuracao.com! As adesões pela internet poderão ser feitas a partir de segunda-feira.
Acessando o endereço eletrônico, o torcedor consegue ter todas as informações sobre as quatro modalidades de Sócio Furacão, que tem mensalidades de R$ 25 e R$ 50. Além disso, o torcedor consegue visualizar a cadeira que pretende escolher para assistir aos jogos.
E tem mais: também a partir de segunda, estarão disponíveis para venda os assentos do setor Brasílio Itiberê Inferior, que ficará pronto até o final do ano e trará inovações como ausência de fosso em toda a Arena, vidros em vez de grades e uma aproximação maior com os jogadores. "Serão mais de 5 mil lugares novos que estarão disponíveis no setor Brasílio Itiberê e no restante da Arena, com a retirada do fosso. Além disto, faremos reformas nos camarotes do Primeiro Anel, da área vip. A Brasílio Itiberê, por exemplo, será um setor moderno e com uma ótima visão, já que os postes de iluminação serão deslocados", disse ao site oficial o diretor de Relacionamento, João Sousa.
Dos lugares já existentes na Baixada, restam poucos para venda. Até agora, 18.789 cadeiras já são ocupadas pelos Sócios-Furacão.
E você, tá esperando o quê? Associe-se e ajude a fazer um Atlético ainda mais forte!

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Uruca

Daqui a pouco o DM do Atlético vai precisar de uma enfermaria gigante como essa aí.
Dentre as tantas parcerias que o Atlético faz por esse mundão afora, sugiro que a próxima seja com o Hospital de Clínicas da Universidade Federal. Porque o que está acontecendo no CT do Caju não é brincadeira:
  • Júlio César - Duas partidas disputadas e direto para o Departamento Médico;
  • Joãozinho - Duas partidas disputadas e direto para o Departamento Médico;
  • Rafael Moura - Três partidas disputadas e direto para o Departamento Médico.
  • Fernando - Nem estreou e já ocupa uma vaguinha no Departamento Médico.
Desse jeito, o Atlético vai ter que comprar uns terrenos ao lado do CT só pra aumentar a enfermaria do DM.
Não sou do ramo, não entendo bulhufas de condicionamento físico ou de medicina desportiva, mas é no mínimo intrigante o fato de que os três atacantes recém-contratados, além do volante Fernando, mal tenham jogado e já estejam contundidos, todos ao mesmo tempo. Ou é muita urucubaca, ou a contratação do trio foi mal avaliada pelo DM.
Sem falar no Valencia, contundido, que também segue em tratamento.
Seja como for, é bom que se recuperem logo porque a coisa tá braba.

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Os novos chefões

Mário Sérgio e Moraci Sant'Anna se chegaram hoje ao CT do Caju e passam, a partir desta quinta, a dar as cartas no futebol profissional do Furacão. A experiência de ambos será importantíssima para tirar o time do buraco. (foto: Albari Rosa - Gazeta do Povo)

terça-feira, 12 de agosto de 2008

O ano do quase

Na Copa Sul-Americana, organizada pela Conmebol, a venda de cerveja tá liberada.
Mas até isso querem tirar da galera.
Se a alegria de ver um time decente, boas jogadas, belos gols (!!!!!) já nos foi roubada há tempos, agora o time parece pedir para ser eliminado da Sula, tirando até o nosso "chopps".
Brincadeira à parte, hoje o resultado foi injusto. Mesmo o time não sendo uma Brastemp, merecia ter vencido. Mas, de novo, ficamos no quase. Aliás, pelo menos até agora, 2008 é o ano do quase. E, se não nos classificarmos na Sulamericana, continuará sendo.
Esta noite o time juvenil do São Paulo deu um verdadeiro cansaço no Atlético. Cada vez que um rubro-negro pegava na bola, apareciam de imediato pelo menos dois marcadores.
Espera-se que, com a chegada de Moraci Sant'Anna, o furacão também tenha esse fôlego em breve.
Troféu
JOINHA
Rodriguinho e Chico

Troféu
TIÃO MACALÉ

Nei e Márcio Azevedo

Moraci vai botar a turma pra correr

O Atlético anunciou hoje a contratação do preparador físico Moraci Sant'Anna, prosissional renomado com seis Copas do Mundo no currículo.
Quem sabe agora pare de acabar o gás da rapaziada!

No geral, um bom retrospecto

Lendo a excepcional cobertura da Furacao.com sobre a contratação do novo treinador, descubro que Mário Sérgio tem um aproveitamento de 58,5% dos pontos disputados em suas duas passagens pelo Atlético. Um bom aproveitamento, diga-se.
Os números são ainda melhores em sua segunda temporada no clube, em 2003/2004: o aproveitamento chegou a 61,63%. Foram 21 vitórias, 9 empates e 9 derrotas pelo Brasileirão 2003 e o Paranaense 2004. Deixou o clube com uma mancha negra em sua passagem - a perda do título estadual para o Coritiba, tendo deixado Washington no banco na primeira partida da decisão e sacado Jádson no segundo jogo. Essa invenção custou o seu emprego e rendeu a ele o apelido de Professor Pardal.
Mas, de maneira, geral, os números são pra lá de bons sob seu comando.
No Brasileirão de 2003, pegou o time na zona de rebaixamento, também na metade do campeonato, e no returno conquistou 10 vitórias e 5 empates em 23 rodadas. Nada excepcional, mas o suficiente para afastar o time da degola.
Uma destas vitórias no Brasileirão foi contra os coxas, com dois gols de Ilan. Relembre:

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Mário Sérgio é o novo técnico

O Atlético divulgou nesta noite o nome de seu novo treinador para o restante da temporada 2008: Mário Sérgio Pontes de Paiva. Um nome que não é uma unanimidade entre a torcida, ao contrário - é muito elogiado por uns e muito criticado por outros. Mas é um treinador que sabe exigir dos jogadores, e parece que este grupo atual está precisando mesmo de alguém com este perfil.
Confira trechos da entrevista de Mário Sérgio ao site oficial do CAP:
Retorno ao Atlético
"Sou muito amigo do Dr. Mario Celso Petraglia. Tenho por ele grande estima e consideração. Um pedido dele é quase uma ordem para mim. Além do mais, fui treinador do Atlético em 2001 e depois entre 2003 e 2004. Está faltando um título para essa trilogia. Fico feliz por poder agora ir atrás deste título em 2008 e 2009. "
O grupo
"É muito difícil fazer uma avaliação quando se está longe. Seria até leviano de minha parte. Eu tenho pavor quando vejo uma pessoa esbravejando e falando sobre algo que não conhece. Quero conversar com todos os jogadores, sem exceção. Quero ver de perto o que está ocorrendo. Minha tônica sempre foi essa: olho no olho."
Objetvos no Brasileirão
"Vamos procurar buscar nossos objetivos. Prometer para o torcedor que vamos chegar no G4, não posso. Até porque não sou político. Mas vou buscar resultados suficientes para isso. Em 2003, cheguei no Atlético com risco de rebaixamento e terminamos em 11º lugar."
Juventude e inexperiência do elenco
"O atleta quando vem da base vem mais pronto como homem e como profissional. Se temos uma grande estrutura no Atlético, não tem como esses garotos não chegarem no profissional com todos os fundamentos de futebol muito bem resolvidos. Têm que saber técnica e tática de jogo, têm que estar bem dotado fisicamente, com grau de exigência adequado."
Fama de "pé-frio"
"Quantos técnicos têm títulos importantes? Nem falo estadual, quero saber títulos brasileiros. No máximo cinco treinadores têm. E eles vão bem num ano, e não conseguem repetir isso no outro. É normal. Vou trabalhar por título e vou implementar minha marca de trabalho que é sempre de muita disciplina e leitura tática."
  • E aí, o que achou? Comente!

domingo, 10 de agosto de 2008

Outra vez na América


Guantanamera nas ruas de Barcelona: é o Furacão da Caveira na Sula.
Time paranaense que mais disputou competições internacionais oficiais, o Atlético dá a largada nesta terça-feira para mais um campeonato inter-fronteiras: a Copa Sul-Americana 2008. Se o time está mal no Brasileirão, é bom disputar outra competição, respirar novos ares. Passar pelo São Paulo na primeira fase pode dar ao time a confiança que precisa para se reerguer no campeonato nacional.
Portanto, terça-feira, todos à Baixada! É o Furacão na Sula!

Na porta da zona

O Atlético fechou o primeiro turno do Brasileirão na "porta" da zona do rebaixamento, com 20 míseros pontinhos conquistados em 19 rodadas. Atrás de nós, somente Vasco (19), Santos (17), Fluminense (16) e Ipatinga (16).
Como logo, logo a "máquina" começa a funcionar para que paulistas e cariocas não sejam rebaixados, é bom colocar a barba de molho. Barba, cabelo e bigode.
O segundo turno promete ser de intenso sofrimento para a Nação atleticana. Com esse desempenho pífio, não adianta se iludir: agora, o Furacão entre em campo, a cada rodada, com o objetivo de fugir da segundona. E a torcida será fundamental para que não ocorra uma desgraça. Jogo em casa tem que ser jogo ganho.
Senão, a vaca vai pro brejo.
•••
Roberto Fernandes re-estréia no Náutico. Com uma vitória sobre o Santos, nos Aflitos.
Ney Franco no comando do Botafogo: quatro vitórias nos quatro últimos jogos.
Vitória goleia o Vasco com gols de Dinei e Ramon.
É dose.

Perda de tempo

Comentar jogos do Atlético fora de casa é chover no molhado. Por isso, este blog só volta a falar de uma partida na casa do adversário quando o Furacão conseguir os três pontos. Sobre o jogo de ontem, o Troféu Tião Macalé vai para o time todo.
Troféu
TIÃO MACALÉ
"Ih! Nojento!"
E o Troféu Joinha vai para a torcida Os Fanáticos, que se descambou para o Rio de Janeiro para incentivar o time e acabou presenciando mais um fiasco do Furacão.

sábado, 9 de agosto de 2008

Onde ver Flamengo x Atlético

Hoje, a partir das 18h10:
Bar da Tia Lili

Av. Manoel Ribas, ao lado do Fornão. Quase esquina com Visconde do Rio Branco.
Bar do Toninho

Também conhecido como Mercearia Stella. Na Angelo Sampaio.
Bar do Carioca

Silva Jardim, 4138.
Moreira Lanches

Rua Erasto Gaertner - em frente à lombada eletrônica.
Bar do Teco

Iguaçu com Bento Viana
Ball Bull

Fica na Avenida Água Verde, 82 – pertinho da Baixada. Tem ótimos petiscos, mas a gauchada tomou conta do bar recentemente.
Beck’s
Brasílio Itiberê, 3645 – também lá pelas bandas do Joaquim Américo.
Zezito’s

Bento Vianna, 118 – Água Verde.
Aos Democratas
Dr. Pedrosa, 485 – Batel. Mais central e um pouco mais refinado.
Beps
Esse é pra quem mora do outro lado da cidade. Fica na rua Lívio Moreira, 443 – São Lourenço.
Galeteria Caxias

Avenida das Torres, quase em frente ao Restaurante Per Tutti.
Prajá

Na Baixada.
Bar da Caveira

Na sede dos Fanáticos.
  • A lista está aumentando. E você, tem alguma dica de boteco pra ver os jogos do Furacão? Mande sua sugestão!

E não é que eles não vêm de novo?

"Ufa! Eu já estava me borrando!"
O São Paulo anunciou que vai colocar um time reserva para disputar a Copa Sulamericana. Com isso, Dagobambi (foto acima) e Aloísio não vão, novamente, reencontrar a torcida atleticana na próxima terça, quando os times se enfrentam na Baixada. Mas que coisa!
Agora, falando sério, é uma lástima o Atlético iniciar a Sula assim, ainda sem um técnico definido e cheio de jogador no DM. É claro, com o time paulista escalando os reservas a coisa fica mais fácil. Mas é bom manter os pés no chão e jogar sério, bem sério. O Furacão enfrentou diversos times desfalcados recentemente e teve dificuldades enormes. Ano passado, na última partida do Brasileirão, encarou este mesmo São Paulo desfalcado de um monte de titulares, na Baixada, e teve de suar muito para vencer por 2 a 1 - o gol da vitória, marcado por Antônio Carlos, veio aos 47 do segundo tempo. Curiosamente, foi esta vitória que garantiu a classificação à Sula.
Então, terça-feira é dia de lotar a Baixada e empurrar o Furacão pra cima da bambizada!

Técnicos em baixa

Nessa fase de sondagem para a contratação de um novo treinador, o que mais se ouve por aí são especulações sobre prováveis nomes que estariam acertando com o Furacão. Brotam do nada, no noticiário, figuras que sequer foram cogitadas pela diretoria do clube. O chutômetro da torcida também cria contratações "certas", segundo fontes seguríssimas.
Isso é normal em qualquer clube que está trocando de técnico.
Mas o que chama a atenção, mesmo, é o descrédito da galera com os técnicos brasileiros. Não há, praticamente, nenhum nome unânime. Mesmo figuras já tarimbadas e experientes não conseguem empolgar a torcida. Cuca, Mário Sérgio, Ivo Wortmann, Toninho Cerezzo, Mancini, Bonamigo, Leão, Antônio Lopes... Nos fóruns de internet ou mesmo nas rodas de conversa entre torcedores, a repulsa a estes nomes é muito maior do que a aceitação. Nem mesmo Geninho, idolatrado por boa parte da galera devido à conquista do título nacional em 2001, é um nome unânime. O menos criticado, até agora, é Paulo Autuori.
Essa péssima imagem da categoria é fruto de um mercado saturado e frágil, onde se vê uma ridícula dança de cadeiras no comando dos times em um mesmo campeonato. Técnicos chegam a treinar três equipes na mesma competição. Neste Brasileirão, alguns já estiveram no comando de dois times e já estão no olho da rua. Como Cuca e Gallo, por exemplo.
Do jeito que a coisa anda, daqui a pouco os técnicos de futebol vão estar mais em baixa com os brasileiros do que os políticos.

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Atlético teria sondado Mancini

Está no UOL:

Wagner Mancini revela sondagens de Santos e Atlético-PR
De acordo com notícias dos bastidores, o técnico Vagner Mancini foi sondado pelo Atlético-PR e pelo Santos. O presidente do Vitória S.A, Jorge Sampaio, afirmou que o treinador disse que foi procurado e recusou a proposta do Santos.
"Mancini me disse que foi procurado pelo Santos, mas negou a proposta. O Atlético-PR também o sondou. Vamos manter o treinador até o final do campeonato. Ele já se tornou um amigo dessa diretoria", declarou o cartola.
No entanto, a proposta do Atlético-PR é considerada irrecusável, e Sampaio afirmou que não se surpreenderia se Mancini resolvesse deixar o comando rubro-negro.

"É um treinador bastante competente e que desperta o interesse das outras equipes, seria natural se ele fosse treinar outro grande clube", finalizou o cartola.
Santos e Atlético-PR ocupam a parte de baixo da tabela e sofrem com a ameaça de rebaixamento. No time paulista, Cuca pediu demissão após a derrota por 3 a 2 para o Atlético-MG na quarta-feira. O paranaense também está sem técnico, comandado pelo interino Cleocir Santos.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Só especulação?

A notícia de que Zico visitará o CT do Caju nesta sexta deu asas à imaginação da imprensa local e de boa parte da torcida atleticana. Oficialmente, o Galinho vem apenas conhecer a estrutura do CAP, a convite do diretor de Futebol Edinho Nazareth.
Mas quem não lembra do caso do alemão Lothar Mattäus, que esteve no CT do Caju "apenas para conhecer a estrutura" no dia 4 de janeiro de 2006 e, uma semana depois, era confirmado como o novo treinador do Furacão?
Mas parece que o fato de Zico, atualmente sem clube (ele deixou em junho o Fenerbahçe, da Turquia, onde permaneceu por 2 anos), estar visitando o Atlético justamente na semana em que o rubro-negro demitiu o seu treinador, é mesmo mera coincidência.
O site oficial do ex-jogador e agora técnico afirma que, "ao contrário do que foi anunciado em rádios paranaenses, a visita nada tem a ver com um possível convite para dirigir a equipe. Zico já disse algumas vezes em entrevista que não pretende atuar como treinador no Brasil."
Ainda segundo o site, o objetivo da visita "é estreitar laços com o clube paranaense para um possível intercâmbio envolvendo o CFZ do Rio". O CFZ é presidido por seu filho, Bruno Coimbra.
Mas que a visita, por si só, já gerou uma tremenda expectativa, isso é bem verdade.

Musas

"Me vê uma bera aí!"

Tomando um arzinho fresco.

"Tem vaga na kombi?"

Sai da frente, Julião!
Esse ensaio da Márcia Magalhães, candidata a Musa do Furacão 2008, na sede da Fanáticos matou a pau.
Para ver mais fotos dela, clique aqui.
Para conhecer as outras beldades atleticanas, como a Natália Portugal (foto abaixo), clique aqui.
E não adiaaaaaaaaaaaanta, coxarada! O timeco de vocês pode estar melhorzinho, por enquanto, mas no esgouto pereira só vai mocréia!

Moribundo não respeita morto!

O Atlético se especializou na arte de bater chutar cachorro morto nesse campeonato. Só ganhou de times que estão na rabeiral: Ipatinga, Goiás, Santos, Vasco e agora o Náutico. Embora eu ache que Goiás e Santos podem ainda sair do lamaceiro. Os demais, o diabo está puxando pela perna e não vislumbro nenhuma salvação no horizonte.
Mas vamos ao jogo desta noite - a esta altura, na verdade, já de ontem à noite. Foi bom contar com Cleocir dos Santos, o Tico, como treinador. Acostumado a orientar a gurizada no time sub-23, e conhecedor das qualidades de cada um dos moleques do Furacão, ele não se intimidou ao deixar um selecionável como Julio dos Santos no banco e botar sangue novo na parada. O time, se não foi brilhante, já teve uma outra cara e mais iniciativa. E, porque não, testosterona!
Chico foi o melhor em campo, Douglas Maia, Renan e Aquino tiveram uma boas participações. Renan "Foguinho" só precisa ser um pouco menos afobado. Deve ser a puberdade.
Dentre as novidades, a grande surpresa foi a reaparição de Rodriguinho - sim, aquele mesmo. E não é que ele jogou bem? Principalmente no primeiro tempo.
Outro grande momento foi o reencontro do ídolo Kelly com a Nação Atleticana. Jogou pouco, mas acredito que com o tempo ainda pode nos dar alegrias novamente.
Mas, pés no chão: a vitória contra o Náutico não foi nada de mais. Como já disse, chutamos cão morto. O Náutico, além de ruim, ainda veio desfalcado. Mas o importante mesmo foi a vitória.
Com os 3 pontos conquistados, o Furacão abriu os olhos e deixou a UTI. Mas ainda não está fora de perigo.
Troféu
JOINHA
Chico
- Excelente volante, daqueles que saem para o jogo. Foi o melhor em campo e é o mais novo candidato a ídolo.
Galatto
- Voltou a fazer defesaças importantes.
Troféu
TIÃO MACALÉ
Antonio Carlos
- Não que tenha ido mal, mas deu uma entregada no segundo tempo que quase resultou no gol de empate do Náutico. Não pode!
Ferreira
-Bem marcado, perdeu muitos passes e foi pouco produtivo. Dele se espera muito; quando faz pouco, o time sente.

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Saideira

Nos EUA, vendedores de cervejas nos estádios têm associação e até site.
Minha vida de torcedor sempre foi acompanhada da velha e boa cervejinha. Na Baixada, sempre geladíssima e com a possibilidade de se escolher entre tantas marcas, nos bares da praça de alimentação. Clara ou escura. Bock ou malzbier. Bohemia, Skol ou a velha e boa Caracu.
Nem sempre foi assim. Lembro-me dos tempos de vacas magras, quando o Atlético jogava no Pinheirão inacabado, onde vendiam, sabe Deus porquê, o precioso líquido em saquinhos plásticos com canudinhos! Nunca vi na vida coisa mais sem sentido, os caras não eram capazes de fornecer sequer um copo plástico ao consumidor, a cerveja vinha num saco! E, geralmente, ainda vinha quente.
Mas o povo, sem escolha, mandava ver assim mesmo.
Afinal, futebol combina com cerveja, não é mesmo?
Combinava.
Hoje, pela última vez em competições organizadas pela CBF, haverá venda de cerveja na Baixada. O clube e os lojistas da Arena tiveram que sucumbir à nova determinação da Confederação, que, para passar uma imagem politicamente correta à opinião pública, resolveu proibir a venda de bebida alcoólica nos estádios de futebol de todo o país. Mais um factóide ridículo que criaram nesse país de Deus.
Engraçado é que, em países civilizados, se alguém apronta, estando bêbado ou não, vai preso e é punido. Arrumou briga, vai é detido. Arremessou algo no campo? É detido. Aqui, a saída encontrada foi proibir todo mundo de tomar sequer uma latinha de cerveja e ponto final.

Mas é claro, temos que dar o exemplo para estes países atrasados, como os Estados Unidos, não é mesmo?

Lá, nos EUA, cumpre-se a lei: aprontou, vai em cana. Mas respeita-se também o direito de quem quer vender e de quem quer consumir uma cervejinha honestamente.
Aliás, os vendedores de cervejas nos estádios por lá são famosíssimos, e têm até um site (www.beervendors.com).
Quem não lembra daquele tio do sorvete dos estádios aqui de Curitiba, aquele do "Chocolate, côco e mangaaaaaa"? Pois é, lá existem vários figuraças como esse, que vendem cerveja pra galera sedenta. Existe até um concurso pra ver quem é "o mais rápido no gatilho" e serve a Bud em menor tempo para o torcedor-freguês.
Quer conhecer alguns deles? Aí estão:
O mais rápido no gatilho:

O gritão:

Dose dupla:

Ice COOOOOLD Beeeeeeeeeeeeeeeeer (o "chocolate, côco e mangaaa" deles):

Figurão cantor dos Yankees:

Ópera beer:

É... quem sabe um dia a gente possa beber nossa cerveja em paz, sem incomodar nem ser incomodado. Como no primeiro mundo.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Eta mundão véio sem portêra!

Tem uma ferramenta na internet chamada Google Analytics que é um barato. Você instala no seu site e o bichinho te fornece tudo quanto é dado: quantos usuários acessaram por dia, quantos acessos por usuário, o tempo que dura cada visita, que navegador o visitante está usando, o escambau. Te diz, também, onde está o amigo internauta que visita a sua página. E, aí, descobri que tem atleticano em tudo quanto é canto do país e do mundo visitando o Blog da Baixada - e, pelo jeito, muitos torcedores de times adversários também.
Pela ordem de visitação, aparecem usuários de Curitiba, São Paulo, Cascavel, Rio de Janeiro, Brasília, Apucarana, Blumenau, Cuiabá, Floripa, Ponta Grossa, Joinville, Porto Alegre, Belo Horizonte, Navegantes, Goiânia, Londrina, Salvador, Campinas, Belém, Campo Grande, Chapecó, Jundiaí, Joaçaba, Tangará da Serra (!!!), Santo Antônio da Platina, Guarapuava, Apucarana, Rondonópolis, Umuarama e outras dezenas de cidades pelo país afora, além também de localidades no exterior como Illinois, Carolina do Norte, Flórida, Califórnia, Texas (EUA); Toronto, Ste-Foy, Thornhill, East York, Montreal (Canadá); Nagoya, Shibuya, Nisshin (Japão); Manchester, Londres (Inglaterra); Bordeaux, Paris (França); Lisboa, Porto (Portugal); Frankfurt (Alemanha); Milão, Rossano Venetto (Itália) e até mesmo Suzhou (China).
À Nação Atleticana espalhada pelo Brasil e pelo mundo, aquele abraço!

Um novo time

O adversário de amanhã, o Náutico, vem bastante desfalcado. E daí? Enfrentamos Sport, Vitória e Botafogo desfalcados e tomamos bucha! Portanto, é bom pôr as barbas de molho, não dar mole e jogar sério.
Fora os lesionados, o técnico interino Tico não contará também com o volante Alan Bahia.
Por outro lado, parece que Kelly está apto a jogar.
A Furacão.com traz a notícia de que Rogerinho, que estava treinando com Tico no time sub-23, pode pintar como titular.
Sei lá.
Eu tentaria outra coisa. Jogaria no 4-4-2 e promovia a estréia de Kelly, se ele estiver mesmo pronto. E entraria com Galatto, Nei, Rodolfo (Danilo), Antônio Carlos e Márcio Azevedo; Renan, Chico, Julio dos Santos e Kelly; Ferreira e Rafael Moura. Se não der pro Kelly, recuaria o Ferreira e botava na frente um dos atacantes que estão à disposição: Willian, Wallyson ou Pedro Oldoni. Menos o Aquino.
O fato é que o Furacão precisa ganhar de qualquer maneira, mas não pode se afobar nem se desesperar - provavelmente, enfrentará a maior retranca do ano na Baixada. E tomar todo o cuidado do mundo com os possíveis contra-ataques.
Afinal, moribundo não respeita morto. E, se alguém tiver que sair morto da peleja, que seja o time dos Aflitos.

Existe toda a sorte de imbecis neste mundo

O Atlético foi julgado novamente pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva, hoje, porque um idiota arremessou um copo no gramado, na partida contra o Vasco. O clube foi absolvido, porque o infrator foi identificado e levado à polícia. O que é de espantar é como pode haver, ainda, entre os atleticanos um imbecil que faz esse tipo de coisa. Não sei de que forma, mas os caras que fazem essas asneiras deveriam ser impedidos de entrar no estádio. Não só quem joga objeto em campo, mas quem arruma confusão na arquibancada. Dias atrás - no Atletiba, acho - quase sai uma briga no setor Getúlio Vargas Inferior, porque uns manés insistiam em ficar em pé em cima das cadeiras. Porra, tudo bem querer ver o jogo em pé - já é um costume assimilado no primeiro anel da Arena. Mas sobre as cadeiras, aí também já é demais. No domingo passado, contra o Botafogo, també houve um princípio de quiprocó na arquibancada - sabe Deus o porquê.
A esperança é que, com o estádio todo tomado de sócios, o respeito passe a imperar. E que quem aprontar, sendo sócio, seja identificado e punido.

Há 18 anos

A colunista Patrícia Bahr, da Furacao.com, relembra em sua coluna de hoje uma data memorável: há 18 anos, o Atlético sagrava-se campeão paranaense de 1990 em cima dos coxas, com um gol contra do zagueiro Berg. Só quem estava lá sabe o que foram aquelas finais - não só o último jogo, mas também o primeiro, que o Dirceu Carrasco empatou aos 45 do segundo tempo. O vídeo abaixo mostra como foi a segunda partida, que deu o título ao Furacão. Vale a pena conferir.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Maculan e Carlos Gomes também estão fora

As mudanças no futebol do Atlético vão além da demissão do técnico Roberto Fernandes: o diretor desportivo Alberto Maculan e o diretor técnico e de fisiologia, Antonio Carlos Gomes, não estão mais em seus cargos. A informação foi noticiada nos programas esportivos das rádios e confirmada pelo site oficial do CAP. No lugar de Maculan, assume o ex-jogador Edinho Nazareth. Já o assessor científico Oscar Erichsen cuidará da área de fisiologia.
Extra-oficialmente, as rádios noticiaram que Maculan permanecerá no CAP com a função de supervisionar as obras da Baixada, mas esta informação não foi confirmada pelo clube.
Gomes estava no clube desde novembro de 2000, e sempre teve carta branca de Mário Celso Petraglia para implantar suas metodologias. Doutor em Educação Física pela Academia Nacional de Cultura Física da Rússia, é conhecido com "cientista" por implantar um método científico na área de preparação dos atletas, e sempre teve sua atuação questionada por parte da torcida.
Em entrevista à Furacão.com em 2006, ACG afirmava que "o futebol era regido por algumas leis: a lei da emoção, a lei do interesse financeiro, a lei do interesse político, a lei dos mitos (reza, vela, santo), a mídia e o entendimento que a mídia faz do esporte ao longo dos anos. Essas leis estão dentro de um conhecimento popular e não são possíveis para dirigir um esporte de alto rendimento na atualidade".
Na prática, o que se viu nestes anos é que a ciência também não foi suficiente para trazer bons rendimentos ao time do Atlético - pelo menos no futebol profissional.

Caiu

Como era esperado, Roberto Fernandes não é mais o técnico do Atlético. Saiu do cargo com o pior aproveitamento já visto na Baixada: ridículos 28,88%.
Agora, começa a corrida especulativa para tentar adivinhar quem será o substituto.
No Fórum Furacao.com, o tópico das especulações já está bombando: Antônio Lopes, Geninho , cuca, Ivo Wortman, Toninho Cerezzo, Paulo Bonamigo, Mário Sérgio, Leão e Paulo Autuori são alguns dos citados.
A diretoria não confirma, mas o nome do novo treinador pode ser conhecido ainda hoje.

Fato novo

"Os jogos para quem está na parte baixa da tabela são mais difíceis, os erros mais freqüentes, a falta de sorte vira uma rotina, ao contrário do que acontece com os líderes, para quem, às vezes, tudo parece dar certo. Tudo isso, evidentemente, é bastante subjetivo, mas o futebol é subjetivo. No futebol não há justiça ou injustiça, só resultados".
Bem verdadeira essa análise feita pelo blog Um olhar crônico desportivo. E parece ter sido feita sob medida para o Atlético, que já entrou naquele espiral, aquele redemoinho que puxa o time para baixo e deixa a todos desnorteados, sem conseguir respirar.
Por isso é tão importante um fato novo. Uma mudança certa. O Atlético precisa de um técnico, agora, que dê um padrão tático a esse time e que, principalmente, transmita confiança aos jogadores.
O momento é crucial. Além de entrar na zona de rebaixamento do Brasileirão, na semana que vem o rubro-negro já encara uma Copa Sul-Americana contra o São Paulo. E passar de fase na Sula pode dar o empurrão que esse time precisa para se recuperar no Campeonato Brasileiro.
Quem deve ser esse novo comandante, que terá a missão de levar o Furacão a ser novamente vencedor? Cada um tem suas preferências. A minha é Leão - mas esse é impossível de vir agora, pois está ganhando os tubos no mundo árabe. Por estas bandas estão à disposição Geninho, o preferido da galera, Ivo Wortmann (da escola gaúcha, que me parece ser uma opção melhor para o momento atual) e alguns outros.
A hora é essa. Cada hora que passa sem um novo treinador é uma hora perdida.

domingo, 3 de agosto de 2008

Mural

E vou dormir na zona!

S.O.S.

Não há muito o que dizer, de novo. Só a torcida se salvou. O time foi um arremedo em campo, uma apresentação lastimável. Uma jornada que envergonha a todos os rubro-negros - não só pelo resultado, porque no futebol não se pode ganhar sempre, mas pela forma como jogou: sem um mínimo de organização tática, mas também sem garra, com um certo desprezo até.
Deste jogo, que fique para a história apenas a atitude da Nação Atleticana, que empurrou o time até ser nocauteado pelo terceiro gol botafoguense para, só então, protestar pela saída do técnico Roberto Fernandes.
Por outro lado, foi duro ver o time de Ney Franco, demitido há pouco tempo do Atlético, jogando tão certinho, organizado, com cada jogador sabendo o que precisa fazer e cumprindo o seu papel dentro das quatro linhas.
Agora, resta a esperança de que finalmente a diretoria faça o que teve de fazer nos últimos anos: após o fracasso dos treinadores "experimentais" que vieram parar no CT do Caju, tiveram que abrir o cofre para trazer algum comandante mais experiente e gabaritado - além de alguns reforços. O Atlético já está na zona de rebaixamento e, se continuar no ritmo atual, a tendência é de cair ainda mais.
Sob o comando de Bob Fernandes, o Atlético ganhou uma nova cara.
A cara da derrota.

sábado, 2 de agosto de 2008

Sem corneta

Vá à Baixada, mas deixe a corneta em casa.
Amanhã é dia de empurrar o Atlético pra cima do Botafogo e fazer valer a fama que a Baixada conquistou de estádio mais temido do país. Dê um voto de confiança ao time e espere o resultado final para vaiar - e, se tudo correr bem, as vaias serão desnecessárias. Vamos fazer valer o mando de campo. Um Atlético unido é muito mais forte.

Novidades contra o Botafogo

Finalmente abriu-se a janela de agosto e duas novidades devem pintar no Atlético na partida de domingo, na Baixada, contra o Botafogo de Ney Franco: o atacante Rafael Moura e o volante Fernando. Segundo a Furacao.com, este último deve inclusive começar como titular no meio-campo, ao lado de Alan Bahia e Ferreira.
Vamos saber se, realmente, valeu esperar tanto tempo pela estréia destes reforços.
Outros dos últimos recém-contratados pelo Furacão não puderam ajudar muito o clube: Joãozinho e Júlio César chegaram a jogar algumas partidas, mas ambos contundiram-se e ficam de fora até o final do mês. Kelly sequer chegou a estrear. O único que se firmou como titular foi o bom lateral Márcio Azevedo.
De qualquer maneira, qualquer reforço é bem-vindo para ajudar a tirar o Atlético do buraco. Pelo pouco que me lembro de Fernando quando jogava no Vitória, trata-se de um bom jogador. Rafael Moura, se não foi no Corinthians e no Fluminense o mesmo goleador que revelou-se no Paysandu, sempre jogou com muita determinação - é daqueles para quem não existe bola perdida.
Pois que façam isso por aqui. Vistam a camisa rubro-negra com orgulho e joguem com raça que terão o apoio da Nação Atleticana!
Aos dois estreantes, os votos de sucesso e boa sorte.