sábado, 19 de julho de 2008

Pato velho X pato novo

Antônio Lopes, o "Pato Velho", vai reencontrar a Baixada.
Muitos torcedores não podem nem ouvir falar em Antônio Lopes. Eu sou um dos que gosta do Pato Velho, do seu estilo delegado. Sua passagem pelo Furacão em 2005 foi quase brilhante. Mas, como técnico que se preza gosta de reinventar a roda, justamente na final contra o São Paulo ele colocou o André Rocha como titular, sacando o Alan Bahia do time. Uma erro imperdoável. Se resultado seria outro com o Alan em campo eu não sei. Mas que não se deve inventar moda numa final de Libertadores, disso eu tenho certeza.
Mas ele é, definitivamente, o treinador mais figura do futebol nacional e o mais folclórico entre os que estão em atividade. Cheio de manias, credos e superstições, sempre com suas correntinhas e crucifixos e a camisa sempre da mesma cor. Sem falar nos gritos esganiçados à beira do gramado. E quem não se lembra do teatro por ele protagonizado, quando era técnico dos coxas, e saiu rolando pelo gramado da Baixada para "segurar" o jogo na final de 2004?
Esteve de volta ao Furacão há um ano. Comandou o Atlético por 16 partidas, mas não resistiu à derrota para o Vasco por 4 a 2, em plena Baixada, pela Copa Sul-Americana, sendo demitido após o empate em 1 a 1 com o Figueirense, na largada do segundo turno – resultado que colocava o clube cada vez mais na zona de risco do rebaixamento na competição.
Naquela partida, Lopes substituiu Netinho, que era o melhor jogador em campo, por Fernando Mineiro, mantendo no jogo os fracos atacantes Dinei e Marcelo. Imediatamente, a Kyocera Arena explodiu naquele já famoso coro de "Fora, Antonio Lopes".
Realmente, esta última passagem foi péssima. Com Lopes no comando, o aproveitamento do Furacão foi de somente 31,25%. O time perdeu sete partidas, empatou outras seis e conseguiu somente três vitórias.
Na partida de amanhã, os técnicos também serão protagonistas de uma curiosidade: aos 67 anos, Lopes é o mais experiente entre os treinadores do Brasileirão. Já Roberto Fernandes, com 37, é o mais novo.
Será uma reedição do duelo "pato velho" X "pato novo".
Que dessa vez o pato novo saia vencedor. Até porque seu aproveitamento no Atlético não é muito superior ao que Lopes conseguiu no ano passado, quando acabou demitido.

2 comentários:

Anônimo disse...

Amanhã no CALDEIRÃO vamos fazer um cozido de pato velho acompanhado de bolinho de bacalhau...

Anônimo disse...

eu acho o lopes mto massa!!!! curto ele demais