quinta-feira, 19 de junho de 2008

O exemplo da Microsoft e a vinda da Toyota

O blog Um olhar crônico desportivo traz uma notícia interessante: a Microsoft assinou com o Seatle Sounders, a 15ª equipe da Major League Soccer, dos Estados Unidos, um contrato de patrocínio de US$ 20 milhões, válido por 5 anos. A empresa vai estampar na camisa do time a marca de seu videogame, o Xbox 360.
Até aí, uma mera curiosidade. Mas o detalhe é que a gigante Microsoft poderia patrocinar qualquer clube do mundo. Barcelona, Manchester, Milan, qualquer um. Dinheiro pra isso não falta, e o retorno do investimento seria muitíssimo maior. Mas, então, por que raios patrocinar o Seattle - um clube fundado em 2007 e que só fará sua estréia na próxima temporada, num estado onde ainda são poucos os fãs do "soccer"? Bem, é claro, os Estados Unidos são seu principal mercado. Mas não é só por isso: a Microsoft tem sede na mesma cidade, Seattle, e resolveu prestigiar um time "da casa". "Nunca fizemos nada parecido antes, mas vimos o esforço do Sounder FC em trazer para Seattle o esporte mais popular do mundo, então o patrocínio ao time da nossa casa foi uma combinação perfeita", disse o presidente da Microsoft´s Entertainment and Devices Divison, Robbie Bach.
Uma atitude digna de elogios, convenhamos.
Enquanto isso, por aqui, no Paraná, vimos cada vez mais grandes empresas se estabelecerem às custas de uma série de incentivos fiscais e outros benefícios. A contrapartida para a sociedade da região bem que poderia vir, de maneira benéfica para todos, em forma de patrocínio para os clubes locais.
A Case New Holand, que tem fábrica na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), foi adquirida pelo grupo Fiat em 2000. É uma das unidades de máquinas e implementos agrícolas mais rentáveis do grupo. Mas a empresa prefere investir pesado no Palmeiras. Os clubes daqui ficaram com apenas algumas migalhas.
A Volkswagen e a Renault vieram para São José dos Pinhais no final dos anos 90, graças a uma paternal ajuda do governo estadual, que cedeu terrenos, abriu mão de impostos e ofereceumelhorias de infra-estrutura como a construção de estradas desde a porta das fábricas até as principais rodovias do estado, além de conceder uma redução de 25% na tarifa de energia elétrica por 5 anos.
Nenhuma das duas nunca investiu um real sequer no futebol paranaense.
Deveriam se espelhar no exemplo da Microsoft.
Agora, informam os jornais, a japonesa Toyota também está interessada em construir uma fábrica em São José dos Pinhais. A montadora, como todos sabem, é tradicional investidora em eventos esportivos, tendo patrocinado a Copa Libertadores da América por anos a fio, inclusive adquirindo os naming rights da competição.
Essa sim é uma empresa com a qual vale a pena o Atlético conversar. Até porque o clube já teve uma experiência satisfatória com outra companhia japonesa, a Kyocera.
A Toyota aparece hoje como um parceiro muito mais factível para o Furacão do que, por exemplo, a Emirates - empresa cuja marca alguns torcedores sonham em ver estampada no manto rubro-negro.
Não sei se alguma destas duas empresas virá a patrocinar o Atlético algum dia.
Mas, se fosse para apostar em uma delas, eu apostaria na Toyota.

8 comentários:

Fernanda disse...

Realmente... Há muito silêncio a respeito de um novo patrocinador, acho mesmo que virá um nome forte para o patrocínio do Atlético.

Flávio Vieira disse...

O nome da companhia aérea árabe é Emirates, Fly Emirates e uma expressão do tipo Voe Varig.

Agora, a pergunta é, o Atlético procura estas empresas com propostas de patrocínio? Apresentando custos, retornos e a exposição da marca?

O clube sempre está "conversando com empresas" e "estudando parceiros" mas realmente acredito que um trabalho de prospecção mais intenso deveria ser feito.

Anônimo disse...

Antes de ser dono do Atlético o petralia já era dono da INEPAR, e nunca patrocinou ninguem. Empresas do Paraná não patrocinam nada que é daqui.

Anônimo disse...

A Renault já patrocinou o finado Malutron e pasmem, a Batavo já patrociou o Corinthians, lembram?

Anônimo disse...

A Renault dava uma "ajuda de custo" para o Malutron, muito longe de ser um patrocinio. Ja vi a HM patrocinar o Santos, a Batavo o Corinthias e agora a New Holand patrocinando o Palmeiras. Em relação ao Petraglia, lembro que qdo assumiu o atletico, foi logo avisando que a Inepoar não patrocinaria o furacão. Ele deve saber das coisas...

Anônimo disse...

Voces estão viajando com a Emirates e agora a Toyota

Anônimo disse...

Do jeito que anda o time acho que o melhor patrocínio pra gente seria uma marca de papel higiênico, pra patrocinar esses cagões.

Anônimo disse...

A TOYOTA PATROCINA A FIORENTINA DA ITALIA A ANOS. MESMO O TIME ITALIANO FALINDO A ALGUNS ANOS ATRAS, A TOYOTA SEMPRE DEU APOIO AO TIME "VIOLA" DE FLORENÇA. SE FOSSE PRA ESCOLHER, TEMBÉM ESCOLHERIA A TOYOTA POR TODO ESSE HISTÓRICO DENTRO DO FUTEBOL...

MICHAEL.