sábado, 28 de junho de 2008

E não é que os porcos são mesmo porcos?

Eu pensava que chamar os coxas pela alcunha de "porcos" era apenas uma zombaria, mas na verdade a analogia é plenamente justificável e, mais que isso, comprovada cientificamente.
Chegou-me às mãos um exemplar do livro Curitiba e suas variantes toponímicas, do renomado professor e pesquisador Francisco Filipak, mestre em Letras pela UFPR e membro da Academia Paranaense de Letras. A obra mostra, definitivamente, que chamar os torcedores do time verde de suínos não tem nada de pejorativo e que o termo "coxa porco" é, na verdade, uma redundância:

Ou seja, pode chamar os coxas de porcos mesmo, sem problema algum. Estaremos apenas fazendo jus à história do rival. Isso sim que é tradição!!!!
Portanto, amanhã, na Baixada, vamos pra cima da porcarada!

4 comentários:

marcus disse...

HAHAHAHAHAHA.... È SÓ QUE TENHO A DIZER!!!

Anônimo disse...

ta.. mais e quem nasce em curitiba nao pode ser tbm?

GUERRILHEIRO DA BAIXADA disse...

Segundo o livro, não.

Curiy = pinhão
Coré = porco

Portanto:

- Curiytuba, depois Curitiba = muito pinhão;

- Coré-etuba, posteriormente Coretiba e Coritiba = muito porco, abundância de porcos.

SRN!

Anônimo disse...

Putz.. em 19 de maio de 1770, mandaram matar os porcos a mais na cidade...
Então é por isso que eles têm menos torcida?