sexta-feira, 30 de maio de 2008

A vez de Wally

Alex Mineiro e Kleber. Washington e Dagoberto. Dênis Marques e Marcus Aurélio. Na história recente do Atlético, tornou-se comum a formação de duplas de ataque com alto poder de foto, acostumadas não só a marcar gols, mas a fazer golaços inesquecíveis. Isso apenas falando nessa década, sem contar os craques do passado.
Por isso a torcida rubro-negra, acostumado com duplas matadoras, está tão ressabiada com o desempenho dos setor ofensivo. No ano passado, já foi necessário deslocar o meia Ferreira para o ataque, ao lado de Marcelo Ramos - o que acabou por garantir bons resultados.
Este ano, já se tentou de tudo. Mas a dupla ideal ainda não se formou.
Marcelo Ramos é artilheiro e titular. Para jogar com ele, já se testou Willian, Pedro Oldoni, Rogerinho. Wallyson também entrou durante algumas partidas. Já se testou até uma formação com apenas um atacante - com no primeiro Atletiba da final do Paranaense.
Agora, Roberto Fernandes deve lançar Wallyson como titular ao lado de Marcelo Ramos na partida de domingo, contra o Palmeiras. Um desafio e tanto para o garoto de apenas 19 anos. Decisão acertada, na minha opinião. Acho que esse moleque vai engrenar e fazer a torcida sorrir novamente. Mas é preciso ter paciência - um dos motivos de ainda não termos um segundo atacante titular é a falta de seqüência dos jogadores na posição.
Minha teoria é: Marcelo Ramos e Wally titulares; Pedro Oldoni reserva imediato. Rogerinho é mais meia do que atacante e Willian só em caso de urgência.

Um comentário:

kalka disse...

Guerrilheiro, vc podia ter citado o Washiton sózinho. Não precisava lembrar a gente que esse porco do dagobosta jogou aqui. Dá nauseas.

Da-lhe Wallyson. Vai fazer a diferença no furacão.