sexta-feira, 30 de maio de 2008

Paranaenses querem a volta da Copa Sul

Está na Gazeta do Povo desta sexta-feira:
Clubes querem a volta de competição entre clubes do Sul do país

Uma das principais ambições da recém-criada Associação dos Clubes Profissionais do Paraná (Futpar) começa a tomar corpo. O presidente da entidade, Joel Malucelli, apresentou ontem ao presidente da Federação Paranaense de Futebol, Hélio Cury, os planos para resgatar a partir do ano que vem a Copa Sul – que agregaria representantes do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Competição similar foi realizada em 1999, antes de absorver times mineiros e ser chamada de Sul-Minas nos anos seguintes. Em 2003, ela e os demais torneios regionais foram extintos por pressão das federações estaduais.

“Mas, desta vez, a organização seria das próprias federações, não de ligas independentes”, afirmou Malucelli, que vê no projeto uma forma de diminuir as desigualdades, comerciais e técnicas, em relação a São Paulo e Rio de Janeiro. “Penso que o Paulista já é um campeonato forte, a televisão disponibiliza um bom dinheiro por ele. O Carioca também. Além disso, achamos que os clubes daqui entrariam mais bem preparados no Brasileiro.”

Segundo Cury, a proposta será cuidadosamente estudada. “Terei uma reunião com o Amilton Stival (vice-presidente da FPF) para fazer uma análise de tudo o que abrange o tema. Depois, entraremos em contato com as federações gaúcha e catarinense”, contou.

O problema seria o esvaziamento dos estaduais. “Não caberia todo mundo. Então temos de ver quais clubes se sentiriam prejudicados”, acrescentou Cury, lembrando que atualmente 16 compõe a Primeira Divisão paranaense.

A mesma observação foi feita pelo presidente da Federação Catarinense, Delfim de Pádua Peixoto Filho, apesar de se dizer simpático à idéia. “Acho excelente, desde que com verba da televisão. Agora temos de ver a questão do calendário. Não sei se o Campeonato Paranaense está desvalorizado, mas o nosso é muito valorizado e não pretendemos esvaziá-lo”, discursou.

Mais valorizado ainda é o Gauchão. Somente este ano, Grêmio e Internacional receberam R$ 4,5 milhões. “Para logo, ficaria difícil. Tenho o contrato com a tevê (por mais três anos) e precisamos cumprir”, explicou o presidente da Federação Gaúcha, Francisco Novelletto Neto, que só se mostrou suscetível à idéia ao ouvir o valor que a Futpar acredita valer a Copa Sul: R$ 20 milhões. “Estou aberto para conversar, como sempre. Mas sou realista, se não der certo na nossa visão, não deu”.

Segundo Malucellli, seriam cinco ou seis vagas por estado na Copa Sul e a coincidência de datas com os estaduais seria inevitável. “Os clubes teriam de usar um segundo time, quem sabe uma equipe de juniores melhorada”, observou.

De acordo com a idéia inicial, os três estados teriam o mesmo número de clubes rebaixados no torneio (um ou dois). A classificação para o ano seguinte se daria pelos estaduais ou outras competições, como a Copa Paraná. Já as vagas na Copa do Brasil viriam através do novo torneio.

Um comentário:

Anônimo disse...

Esta ai uma coisa que eu sempre falo ´´pq não volta a copa sul ´´ tomara que der certo.