terça-feira, 27 de maio de 2008

Fahel liberado

Segundo a Gazeta do Povo de hoje, o Atlético não será denunciado por ter escalado o volante Fahel e o jogador deve deve ficar à disposição e Roberto Fernandes:
Procuradoria descarta denúncia e Fahel deve ser liberado

Cheio de preocupações dentro de campo, fora dele o Atlético pode respirar aliviado. Se já eram pequenas, agora são mínimas as chances de o caso Fahel render alguma punição ao clube. O procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça (STJD), Paulo Schmitt, não oferecerá denúncia no tribunal sobre a questão.

Assim sendo, restará então apenas aguardar a decisão final do presidente do órgão, Rubens Approbato Machado, que não deve seguir rumo diferente. Procurado pela reportagem, Approbato preferiu aguardar o recebimento do parecer de Schmitt para pronunciar-se a respeito.

Com o provável arquivamento, Leandro Fahel poderá até ser escalado pelo Furacão. O jogador fez a sua estréia no Brasileiro contra o Ipatinga, na primeira rodada, mas com o imbróglio, foi afastado da equipe e não participou das partidas diante do São Paulo e do Atlético-MG.

“A CBF fez o registro do atleta em cumprimento a uma determinação judicial. Dessa forma, o STJD não tem elementos para oferecer a denúncia. Vou fazer isso até amanhã (hoje) ou quarta-feira”, disse Schmitt, que, entretanto, não descarta um novo pronunciamento da Confederação de Futebol (CBF).

Análise de caso

Vindo de um clube do exterior, o Beira-Mar-POR, Fahel “furou” a janela de inscrições para transferências internacionais (que abrirá novamente somente em agosto) graças a uma liminar obtida na 49ª Vara Cível do Rio de Janeiro. Procedimento que foi reprovado em parecer de Valed Perry, assessor jurídico da CBF. “Se a entidade quiser tomar algum tipo de providência, ou a Fifa, é outro problema”, afirmou Schmitt. Esse desfecho pode motivar o Rubro-Negro a buscar solução semelhante para as situações do meia Júlio César (Santa Clara-POR) e dos atacantes Joãozinho (ex-Monarcas Morelia-MEX) e Abdullah Al Kamali, (ex-Al-Wasl-EAU), impedidos de atuar em virtude da janela.

“Vamos analisar os termos do pronunciamento do STJD. E vamos estudar, para vermos se é possível corrigir essa janela e possibilitar que mais pessoas possam trabalhar”, declarou Domingos Moro, advogado do Atlético, e responsável pela manifestação do clube no caso Fahel.

3 comentários:

Anônimo disse...

Pois é...
A falha não foi do clube e nem do atleta. Será que não caberia punição a alguém da CBF pelos prejuízos causados a ambos?
Quando o erro é do clube, ele é "exemplarmente" punido. Mas e quando é da CBF??????
Abs
Carlos

Anônimo disse...

Não perdemos pontos no tribunal mas perdemos no campo...grande coisa esse fahel.

Anônimo disse...

eeera eera zé buceta eh da caveera