quarta-feira, 21 de maio de 2008

Estilo Felipão

O novo comandante do Furacão, Roberto Fernandes: "o melhor esquema tático é o que vence".
Em entrevista à Gazeta
do Povo, o novo técnico do Atlético, Roberto Fernandes, fala um pouco de sua carreira e do trabalho que pretende fazer no Furacão. Ele elogiou a estrutura do clube, lembrou sua passagem pelo Londrina e avisou: "Estou mais pra Felipão do que pra Parreira", mostrando que manterá o estilo linha-dura. E não só com os jogadores, mas também com a imprensa. Perguntado sobre o acerto de salário, cutucou: "Acho que isto é algo para ficar interno. Só no futebol se fala disso, ninguém procura saber quanto ganha a Hebe Camargo, o Chitãozinho e Xororó..."
Confira a entrevista:
“Estou mais pra Felipão”, diz Fernandes

André Pugliesi

Novo técnico do Atlético, a ser anunciado oficialmente hoje à tarde, o pernambucano Roberto Fernandes, de 37 anos, diz estar mais para Luiz Felipe Scolari do que para Carlos Alberto Parreira. Como Ney Franco (demitido na segunda-feira à noite) lembra mais o tetra do que o pentacampeão com a seleção brasileira, fica fácil concluir que a mudança no comando técnico do Rubro-Negro inaugura um novo tempo na Baixada. Alteração que não deverá resumir-se ao comportamento do comandante. A primeira promessa do ex-técnico do Náutico é recuperar a força ofensiva do Furacão. Fernandes traz o preparador físico Guilherme Bergamo para o clube – com isso, Walter Grasmann também foi dispensado. Assim como o auxiliar Luís Muller.

Após a campanha de recuperação do Náutico no Brasileiro de 2007, você era sempre cotado para substituir treinadores demitidos. O que pesou para finalmente deixar Recife?
O fato de o Atlético ter saído daquele campo do “todo mundo quer” para uma proposta oficial. Além disso, uma oportunidade de trabalho excelente.

No começo do ano, o seu nome chegou a ser especulado para dirigir o Coritiba. Aconteceu o contato?
Houve uma sondagem e, naquele momento, entendi que devia continuar o trabalho no Náutico.

Como ocorreu o acerto com o Rubro-Negro?
O Nivaldo (Gomes), procurador que tem ligação com o Atlético, fez o contato ontem à noite (segunda-feira), fomos conversando, ficou uma situação pré-acordada e fiquei de acertar com o Náutico.

E a multa rescisória? Especula-se que o valor é de R$ 300 mil...
Não confirmo o valor, e foi um ponto que eu tratei com o Náutico.

Sobre o salário, o que foi acertado?
Foi uma conversa boa e acho que isto é algo para ficar interno. Só no futebol se fala disso, ninguém procura saber quanto ganha a Hebe Camargo, o Chitãozinho e Xororó...

Você enxerga a vinda para o Furacão como um salto na carreira?
É a oportunidade de trabalhar em uma das melhores estruturas da América, talvez a melhor. Espero ter o mesmo sucesso no clube que tive em outras oportunidades.

Como foi a sua primeira passagem pelo Paraná, dirigindo o Londrina, em 2003?
Foi muito boa. O clube estava há mais de 10 anos sem chegar às finais do Paranaense e conseguimos ir à semifinal. Eliminamos o Atlético que tinha Adriano, Dagoberto e o Ilan. Na seqüência, ficamos de fora da decisão com dois empates diante do Coritiba. Depois, no Brasileiro da Série B, faltaram quatro pontos para a classificação.

Como você define o seu estilo?
Cada treinador tem a sua metodologia e sua filosofia. Eu tenho o meu próprio estilo. Agora, se você me perguntar se eu estou mais para o Felipão, Bernardinho, do que para o Parreira, digo que estou mais para Felipão.

O Ney Franco armava o Atlético quase sempre no esquema 3—5–2. Você já pensa nisso?
Eu acho que é cedo. Mas o melhor esquema tático é o que vence. Sou um treinador que tenho vitórias na minha carreira, não sou de empate. Evidente que eu vou procurar, com equilíbrio, ter um Atlético que seja agressivo dentro da Arena.

Quem você conhece do elenco?
O Danilo (zagueiro) eu conheço desde a época do Paulista (de Jundiaí), o Netinho, que já passou pelo Náutico, jogamos contra algumas vezes, o Marcelo Ramos, entre outros. Tem muita gente boa por aí.

Pretende indicar contratações?
O Atlético tem um elenco competitivo. Agora, é claro que em início de temporada não dá para se falar em elenco fechado.

5 comentários:

Anônimo disse...

Tá aí, gostei.

buenooo disse...

Se eu fosse ele armava um esquema suicida pros próximos jogos. Colocava o time pra frente pra ver o que é possível e acreditava mesmo na defesa. Ele ainda tem algumas vidas pra queimar mesmo. Se jogar pra cima e ganhar, vai ser bom. Se jogar pra cima e perder, pelo menos tentou. Enfim... Se vier com essa de Felipão e montar um esquema retranqueiro vai dar errado com certeza. Veremos...

Anônimo disse...

Concordo com o buenooo...
Colocar o time jogar pra frente... tira o AB e coloca mais um meia de armação... rolava um esquema netinho e rogerinho no meio e wally e mr na frente...e um lat esq de oficio...um dia algum vai ter que se acertar nessa posição maldita do clube..
CF

Anônimo disse...

vamos ver prefiro esperar pra me pronunciar....vlw rafael..

Fabricio disse...

O cara é muito bom na retórica... vou aguardar domingo para emitir alguma opinião a respeito!