quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

O Atlético ensinou João a gostar de futebol

Meus amigos*, estou lendo o ótimo livro João Saldanha – Uma Vida em Jogo, do jornalista André Iki Siqueira, que conta a história de um dos mais brilhantes jornalistas esportivos do país, cronista e comentarista, além de técnico em algumas poucas ocasiões – não um técnico qualquer, mas o que montou a base da seleção de 1970. Creio que sejam desnecessárias maiores apresentações sobre o mestre.
Pois vejam só, justamente na página 49 o livro conta a passagem de João, o “João sem Medo”, por Curitiba, ainda criança. E conta como, graças ao Atlético, Saldanha tornou-se um fã do futebol:
Morar em Curitiba afastou o menino de uma de suas fascinações: os cavalos. Mas o aproximou de um objeto que ele jamais esqueceria e ao qual estaria ligado até o final da vida: a bola. De cara, uma atração irresistível.
- Tinha a rua Iguaçu, que vai lá pelos lados de Água Negra. Eu morava em cima; a casa está lá até hoje, pertence à família Rocha Dutra. É uma casa grande, bonita. Os fundos dessa casa já davam para o território do Atlético, que estava começando nessa época. E era pelada – o dia inteiro era racha, o tempo todo. No campo tinha um brejozinho, e um pedacinho de um campo, uns 30 ou 40 metros. Os moleques da rua jogavam ali, e eu ficava lá, lógico.
Um dia, João resolveu conhecer o campo do Atlético. Passou a ir lá todos os dias.
- Fui lá ver como era e acabei escalado no Filhotes do Atlético. Dois caras tomavam conta: um da família Urtigas, tradicional, e outro de nome Nicanor. Engraçada a mentalidade perfeita deles: fora o goleiro, ninguém tinha posição. Só vi isso em 1969, na Alemanha. Se aos dezoito, dezenove anos a gente não sabe o que vai ser da vida, imagina se guri sabe a posição em que vai jogar?
Após ter vestido a camisa e defendido o clube paranaense, João adotou o esporte.
- Passei a torcer pelo Atlético e a gostar de futebol.
* * *
(*)
"Meus amigos..." Era assim que João Saldanha começava suas crônicas esportivas na Rádio Globo e seus artigos publicados em jornais de todo o país.
PS: João Saldanha foi líder estudantil e membro do Partido Comunista Brasileiro. Quanta diferença para os comunistas de hoje em dia...

Um comentário:

Gilberto disse...

O CAP já era invador naquela época, provavelmente o carrossel holandês do Rinus MIchels e Johan Cruijf, copiou os filhotes do atlético.