terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Revoluções

E Fidel Castro deixa o poder em Cuba, após quase 50 anos.
Gosto bastante da história da revolução cubana, de Fidel e de Che Guevara. Muito embora discorde da forma como foi conduzida a política do país através dos anos, das décadas, por seu comandante. Um colega que esteve na ilha me disse ao voltar:
Lá a população tem acesso a estudo, esporte e saúde. Agora, só falta comida... Lógico, o embargo norte-americano colaborou muito para que esta situação se prolongasse, principalmente após a queda do comunismo no leste europeu. Mas isso é outro papo.

Agora, não se pode negar: a revolução cubana é uma das mais belas e românticas passagens da história mundial.

O que me levou a comprar, certa vez, um livro chamado “Cuba por Korda”. Uma coletânea de fotos feitas por Alberto Korda, fotógrafo oficial de Fidel por décadas. Uma obra fantástica, que me despertou o interesse pela fotografia. Além de fotos oficiais, o brilhante Korda conseguiu muitos flagrantes de Che e de Fidel em sua intimidade. Momentos de lazer pós-revolução, como os dois líderes pescando, fumando charutos ou jogando golfe, estão lá. A mais engraçada é uma de Fidel esquiando na neve, totalmente desequilibrado, com um casaco de pele com capuz. Uma imagem semelhante àquela do terrível Pé Grande das histórias infantis.

A famosa foto de Che, com aquela expressão que o imortalizou, também está no livro. Korda conta como ela foi feita, em 1960: “Ao pé da tribuna, o olho fixado na minha velha Leica, eu metralhava Fidel e aqueles que o cercavam. De repente, através da objetiva de 90 mm, surgiu Che. Seu olhar me espantou. Num reflexo, bati duas vezes: uma tomada vertical, outra horizontal. Não tive tempo de fazer uma terceira, ele se retirou discretamente para a segunda fila. No entanto, a foto não foi selecionada naquela noite pela redação... pendurei, então, na parede do meu estúdio”.

Anos depois da morte de Che, em 1967, um designer italiano de nome Giangiacomo Feltrinelli recortou as laterais da tomada horizontal e transformou a imagem em um pôster. Resultado: o retrato virou mania mundial e foi mais estampado em camisetas do que o Mickey Mouse. Korda, no entanto, não levou um tostão sequer de direito autoral.

Mas a foto que mais gostei não traz Fidel. Nem Che. Mostra a população superlotando uma praça, esperando por um daqueles famosos discursos do presidente.

Imagem que, coincidentemente, me lembrou a galera rubro-negra tomando a praça Afonso Botelho, em 2001, esperando pelo primeiro título nacional do Furacão. Que também foi resultado de uma grande revolução, a maior da história do futebol paranaense...

Em praça pública em Cuba, povão espera pelo ídolo Fidel Castro.

Em praça pública em Curitiba, povão espera pelo gol do ídolo Alex Mineiro.

10 comentários:

Anônimo disse...

Impressionante a similaridade das fotos. Parabéns pela perspicácia, Guerrilheiro. É um orgulho para a nação atleticana existir um Blog tão inteligente como este.

Anônimo disse...

estás profundo guerrilheiro...parabéns!!

Anônimo disse...

Genial.... mto bom...

Luiz disse...

Desculpe discordar, mas Fidel não passa de um ditador assassino. proporcionalmente o maior da américa latina. Não vejo nada de romântico na história de um país que é uma prisão, pois boa parte da população tenta fugir de lá, mesmo a custa de suas próprias vidas.

GUERRILHEIRO DA BAIXADA disse...

Luiz,

Eu disse que bonita e romântica foi a revolução cubana propriamente dita, quando ela ocorreu, e não a ditadura castrista. Eu disse que discordo da forma como foi conduzida a política do país por seu comandante.

Anônimo disse...

soy cubana .. y con orgullo les digo que nuestra revolución es bonita si.. lean mas y se informen a respecto de la revolución cubana para luego dar palpites .. procuren y se informen a repecto del significado de dictador ... que saben ustedes de cuba ... naaaaada ... gracias

Anônimo disse...

hoy gente, será que soló los cubanos quieren dejar su país a procura de una vida mejor...? no voy a decir nada más....tengo amigos de varios países que dejaron su país atráz de sueños en otros países, pienso que ser dictador es una palabra muy fuerte para alguien que soló pensó en su pueblo, yo concuerdo en llamar dictador a los politicos que roban el dinero del pueblo para lucrar una vida ostentosa cuando miles y millones de niõs y ancianos mueren por falta de asistencia médica ...eso es dictadura ... gracias

eduardoedah disse...

galera, só digo uma coisa:
LEIAM sobrea revolução cubana antes de critica-la... aprendam a pensar por si mesmos, não so pelo q a globo fala...

Mylla disse...

Sensacional, hein, guerrilheiro!

Um post do guerrilheiro curitibano sobre o guerrilheiro cubano. Genial!

bjos

Anônimo disse...

Putz.....
Como diz meu pai.....
"Cagou no peidar".