segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

O artilheiro de Pentecostes

A Gazeta do Povo desta segunda destaca o novo candidato a craque do CT do Caju: o atacante Éderson, que já marcou cinco gols na Copa São Paulo de Juniores. O garoto, que veio do Ceará, nasceu na cidade de Pentecostes, próximo a Fortaleza. Confira a matéria:

Copinha apresenta novo goleador rubro-negro

Éderson (à esquerda): 74 gols pelo Ceará na temporada de 2006.

Enquanto espera pela recuperação de Wallyson “O Possesso” – revelação do ABC-RN recém-chegada ao CT do Caju, tratando do púbis – o torcedor atleticano já tem outro candidato a artilheiro na fila de espera. E também com direito a apelido: Éderson Cearense, goleador do Atlético na disputa da Copa São Paulo de Juniores.
E a esperança no garoto de 18 anos vai bem além do desempenho na competição nacional – na qual marcou cinco gols e foi fundamental na campanha rubro-negra. O que parecia lenda, é fato. Em 2006, ele marcou 74 gols atuando pelas categorias de base do Ceará, seu clube de origem.
“Nós temos tudo documentado. Foram 74 gols jogando em campeonatos estaduais sub-17, sub-18 e sub-20, além da Copa Alagoas que ele também jogou, não lembro o número de jogos. No profissional, atuou quatro vezes, mas não marcou”, revela Valdemir Patrão, o Mazinho, na época diretor do departamento amador do clube de Fortaleza, hoje na área administrativa. “Tenho os jornais comprovando: o Éderson fez 116 gols em um ano e oito meses no Ceará”, diz Valdemir Marinho, pai do garoto e ex-jogador.
Parceria
A promessa de atacante dos bons (podendo jogar na meia também) chegou na Baixada em janeiro de 2007, em de uma parceria do Rubro-Negro com o Vovô. Após ceder por empréstimo o zagueiro Juninho e o atacante Jorge Henrique, o Atlético recebeu Éderson e o meia Iran (que não foi aprovado e acabou devolvido).

Na transação, o clube ficou com 70% dos direitos federativos do atleta (sem custo), com o Ceará mantendo o restante. O contrato foi assinado até janeiro de 2012.

A reportagem da Gazeta do Povo tentou ouvir Éderson sobre seu atual momento, mas não foi autorizada a fazer contato com o atleta pelo Atlético. Sobre o futuro, fica a expectativa da família na pequena cidade de Pentecostes (de apenas 35 mil habitantes, a 90 km da Fortaleza), onde o jogador nasceu. “Aqui todo mundo torce muito, já está cheio de atleticano. É uma oportunidade muito boa, ele está muito animado e tem condições para aproveitar essa chance. E gostei do apelido!”, conta Marinho.

Nenhum comentário: