quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Não, não é só imaginação


Parece coisa da MTV, mas não é. Mais dia menos dia, o Atlético poderá enfrentar o time do Renato Russo. Calma, o homem não ressuscitou. Explico.

* * *

Em 1985, os versos da música “Será” (vídeo acima) ganhavam as rádios de todo o país. Era o primeiro álbum do Legião Urbana (os trintões, mesmo os que não foram grandes fãs, como eu, sabem bem o que a banda representou na época). Os brasilienses, liderados pelo polêmico Renato Russo, venderam nada menos do que 17 milhões de cópias em 10 anos – até hoje são um dos principais vendedores de discos da EMI-Odeon no mundo todo.

Depois de outros LPs de sucesso como Que país é este e As quatro estações, a banda entrou numa fase melancólica, considerada piegas por muitos, mas sempre conseguindo se manter no topo. Até outubro de 1996, quando Renato morreu.

Tá. Isso todo mundo já sabe. E daí?

Eis que, dez anos depois, em 2006, é fundado o Legião Futebol Clube, um time profissional da capital federal criado em homenagem a Renato e ao Legião Urbana. Tá. E daí? E daí que essa história, além de chamar a atenção pacas – a minha, pelo menos –, imagino que, logo, logo, irá se cruzar com a do Atlético. O Legião FC começou na terceira divisão do campeonato Brasiliense. Já está na primeira. Aliás, lidera o campeonato deste ano. Muito em breve, portanto, estará disputando uma Copa do Brasil. E aí, quem sabe, o Furacão vai ter que encarar o Legião.

As curiosidades sobre o clube não terminam por aí. A mãe de Renato Russo, Dona Carminha, é a madrinha da instituição. O filho, Giuliano, presidente de honra.

O Legião FC se intitula um clube-empresa, com modelo de gestão profissional. Já tem patrocinadores de peso. Entre eles, segundo o site do clube, o banco BMG e a Unimed. Criou a modalidade de “sócio-empresa” e já tem 47 associados. Lançou o plano de “sócio-torcedor” e quer logo chegar aos mil associados – que, além terem livre acesso às partidas, receberão anualmente uma camisa do clube e um DVD da temporada. O site do Legião promete ainda “atendentes uniformizados para receber e orientar os torcedores, bar/lounge temático aos sócios, cadeiras com protetores higiênicos personalizados, serviço de manobrista opcional, segurança, serviço de som ambiente para informações, sorteios e música nos intervalos, venda de camisas e bandeiras aos torcedores, e limpeza contínua dos banheiros”.

O clube manda seus jogos no estádio Mané Garrincha. Detalhe: para ser sócio-diamante do recém-criado Legião, o “torcedor” (coloco entre aspas porque um time que acabou de surgir terá no máximo simpatizantes, torcedor ainda demora pra formar) precisa desembolsar R$ 540. Muito próximo dos R$ 600 anuais cobrados este ano para os rubro-negros se tornarem Sócio-Furacão (menores pagarão só R$ 300).

Além de toda esta curiosidade, o Legião começa a chamar a atenção da mídia por sua estrutura e profissionalismo. Nada comparável, por exemplo, ao que o Atlético possui atualmente e coloca à disposição da torcida. Mas, convenhamos, já é muito mais do que oferece a grande maioria dos clubes que existem pelo Brasil afora.

Alguns, inclusive, aqui bem perto de nós.
PS: Fosse eu o cartola, teria criado o Clube Atlético Ultraje a Rigor ou quem sabe o Sociedade Alternativa Toca Raul Futebol Clube. E você, que clube fundaria?

7 comentários:

thyago disse...

O Sport Club Toca Painkiller.

Anônimo disse...

Correção: Giuliano é filho de Renato Russo e não irmão como afirma a reportagem.

Anônimo disse...

Correção: Giuliano é filho de Renato Russo e não irmão como afirma a reportagem.

Anônimo disse...

Seguindo a linha do Ultraje ainda temos: Independente Futebol Clube.
Já o RDP sugere o Clube Atlético Fuma Bebe!!!!

Edward O´Brian disse...

Slayer Futebol Clube!

GUERRILHEIRO DA BAIXADA disse...

Informação corrigida

Gustavo disse...

Slaaaaaaaaaaaaaaaayer !!!!!!

SDS RN
Gustavo