domingo, 27 de janeiro de 2008

Homem-gol

Após ficar afastado dos gramados devido a uma contusão, o atacante Marcelo Ramos entrou na partida contra o Cascavel e deu conta do recado. Reportagem da Tribuna do Paraná deste domingo fala sobre a volta de Marcelo Ramos ao time titular logo mais, contra o Paraná:

Marcelo Ramos sabe que gol no clássico pode garantir a 9

Ele está de volta e agora para se firmar no Atlético como artilheiro que é. Marcelo Ramos, 34 anos, faz sua reestréia como titular do Atlético exatamente contra o Paraná, equipe na qual assinalou seus dois primeiros gols com a camisa rubro-negra em 2007 e alcançou a prestigiada marca de 400 tentos na carreira. E já avisa: “Na minha concepção, camisa 9 tem que fazer gols”.

É com esse pensamento que Marcelo entra em campo logo mais, às 17h na Arena da Baixada, para balançar as redes do adversário, ganhar a artilharia do campeonato e fazer história no Furacão. Toda essa confiança pode parecer devaneio para muitos, mas vem de um jogador que sabe o que é ser artilheiro. Natural de Salvador (BA), o atacante já passou por grandes times do futebol nacional e tornou-se “matador” em todos eles. Cruzeiro, São Paulo, Palmeiras, Bahia, Vitória, Santa Cruz e outros tantos clubes do Brasil e exterior puderam contar com os gols de Ramos.

Clássico para ele também não tem segredos. Apesar de acreditar que cada um tem a sua própria motivação, em todos os clássicos o importante é balançar a rede para ficar com uma boa imagem até perante os eventuais cornetas. “Em minha carreira tive a oportunidade de jogar muitos clássicos e quando você marca gols, fica de bem com todo mundo: torcida, comissão técnica, todos”, brincou.

Marcelo lembrou dois derbies no qual sempre se destacou - Bahia x Vitória e Cruzeiro x Galo Mineiro. Nos clássicos em Minas Gerais alcançou a ótima marca de 17 gols em 10 jogos, conforme confessou.

Longa estrada

A experiência acumulada durante a carreira pode pesar a favor do atacante atleticano neste domingo, pois do outro lado estarão jovens atletas, recém-saídos dos juniores. “Experiência é importante, mas não ganha jogo. Quando se está iniciando (como profissional), você sente o clássico, não tem aquela mesma tranqüilidade (de um veterano)”, analisou.

Bastante rodado, Marcelo enumerou as qualidades para um jogador tornar-se artilheiro: bom posicionamento, tranqüilidade para finalizar, boa movimentação para receber a bola em condições de marcar, antecipar os zagueiros e colocar-se bem na área, “pois a bola tá sempre chegando”, explicou.

Para o clássico contra o Paraná, o camisa 9 espera jogar bem e preferencialmente assinalar gols, pois a disputa por uma vaga no ataque do Furacão está bem acirrada.

E nada melhor do que um clássico para assegurar posição. “Tenho muito respeito, mas já tive a felicidade de marcar contra o Paraná no ano passado. Se tiver a felicidade de marcar de novo, o torcedor vai ficar eufórico e eu marcado positivamente. É o que espero fazer”, finalizou.

Nenhum comentário: