domingo, 16 de dezembro de 2007

A união pela Copa e o choque de interesses

Leio na Furacao.com que o presidente da Paraná Esporte, Ricardo Gomyde, agora está pregando a "união de todos os paranaenses" para que Curitiba seja uma das sedes da Copa de 2014. Já na Gazeta do Povo On-line, fico sabendo que o mesmo Gomyde foi eleito hoje como membro do Conselho Administrativo do Coritiba, na chapa do presidente eleito Jair Cirino dos Santos. Tendo sido ele, junto com Onaireves Moura e Giovani Gionédis, um dos principais articuladores do "projeto Pinheirão" - o esquema armado no intuito de tirar a Copa da Baixada e levá-la para o estádio da Federação, que seria entregue em comodato ao Coritiba - fica agora muito estranho esse pedido de apoio e união. Isso deveria ter sido feito há uns sete meses, quando o Atlético foi o primeiro a levantar a bandeira da Copa em Curitiba e ofereceu seu estádio, o mais moderno do país até então, e construído com o esforço e o suor de toda a gente atleticana, para abrigar os jogos do Mundial.

Ao contrário, o que pregaram na época foi uma oposição burra, em prol de um dos piores estádios do mundo. O próprio Gomyde assumiu, em conversas no orkut, ter sido ele e Maurício Requião os únicos "coxas" a votar no projeto Pinheirão quando o governo do estado bateu o martelo e optou pelo óbvio: em Curitiba, somente a Baixada teria as mínimas condições de ser o estádio indicado. Mas o estrago já estava feito: graças a toda esta tramóia, criou-se o estúpido estigma de que a Copa beneficiará exclusivamente ao Atlético, e não à cidade de Curitiba e a todos os curitibanos. Balela. Babaquice. Ignorância. Como disse uma colega, "o estádio é apenas um item de uma Copa na cidade, mas isso, infelizmente, as pessoas de visão limitada não conseguem entender".
Agora Gomyde, o mesmo que tanto lutou pelo projetaço do Pinheirão, assume um cargo diretivo no Coritiba - o maior rival do Atlético. Se houvesse um pouco de bom senso, isso para não falar em ética, o jovem comunista veria que há uma clara incompatibilidade entre as duas funções; um escandaloso choque de interesses. A presidência da Paraná Esporte deveria ser ocupada, com urgência, por alguém que tenha disponibilidade e vontade para tratar de assuntos tão importantes como a realização de uma Copa do Mundo.
E mais: enquanto outras cidades se mobilizam com afinco, lançando ações promocionais e preparando lobbies no campo político, por aqui não se vê é nada. Nem uma menção sequer veio da Prefeitura da capital. Pouquíssimo foi feito até agora no âmbito estadual. Entidades de classe cujos associados seriam excepcionalmente beneficiados, como a Associação dos Hotéis, Bares, e Restaurantes e a Associação Comercial, parecem ignorar o evento.
Por isso, é sim urgente e necessária esta mobilização em prol da realização da Copa em Curitiba. Resta saber se todos os que estão falando isso agora, para ficar "bem na fita" com o eleitorado, na prática vão fazer alguma coisa de verdade.
A pessoa certa para encabeçar este movimento está ali no Centro Cívico. Chama-se Alexandre Curi. Em Brasília, o nome é Paulo Bernardo.

3 comentários:

Anônimo disse...

Caro Guerrilheiro.
Infelizmente ética e honestidade não se vende em supermercado.
Esse Gomyde ou Gomerda ainda vai conseguir estragar a nossa escolha como sede.
E como é próprio deste nosso estúpido povo parananese, ninguém abre a boca.
Morram coxas. Vão ganhar dinheiro como Paquitas.
Abraço amigo
Charlie

rogerio disse...

Se alguém ainda tem dúvida de que há uma união negativa para tirar a copa de curitiba então...... Como disse Mafuz, a diretoria do clube tem que para de chorar, reclamar e passar a dirigir o clube para nós atleticanos. Chega de criticas a torcida, proibições e tudo mais. Essa diretoria fez muito mas tem que parar de jogar isso na cara dos atleticanos. Acho que que eles não fizeram mais que suas obrigações já que quizeram ser mandatários do clube.Não achava mas minha opinião e garanto que a de muitos outros já começam a mudar. Me parece que está chegando a hora desta diretoria entregar o bonè, o crachá e as chaves da Arena. E se não houver copa em Curitiba, pois que se foda. O Atletico tem menos a perder do que própria cidade. Se nossos governantes não querem porque não gostam do Petraglia ou, não gostam do Atletico vamos fazer o que? A torcida quer um grande time e quer titulos! A torcida quer união e quer alegria! A torcida não quer mais acordar de manhã e ler que ao invés de uma grande contratação, os dirigentes anunciam uma venda ou anunciam que fulanos e siclanos perseguem o Atletico, que o Inter tem mais de mil sócios, que os Atleticanos só querem sombra e agua fresca...bla bla bla..UFA!!!

Saudações Atleticanas

Frajola disse...

Pelo menos é choro de gente grande. A torcida agora sempre deseja o melhor. Antigamente...

O Atlético quer até 40 mil sócios contribuindo com R$ 1000,00 por ano. Porém, se hoje pedisse R$ 100,00 não sei se conseguiria 1000 sócios.

Uma coisa é certa, se Curitiba for uma das sedes da Copa, recursos serão mais fáceis de se conseguir para terminar o estádio.