quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Fanfarrões

Duas notícias chamam a atenção nos jornais de hoje. A coluna do Mafuz, na Tribuna, informa que os Massa (Ratinho pai e Ratinho Junior) trocaram tapas com Doático Santos durante uma audiência judicial. Já a Gazeta do Povo, em matéria sobre os escândalos no Paraná Clube, entrevista o "araponga de araque", que conta como fez as gravações e assume tê-las divulgado.
São dois casos de fanfarronice explícita.
No primeiro, a audiência referia-se a um processo dos Massa contra Doático, presidente do ETA e do PMDB municipal, porque havia elaborado e divulgado pela cidade um "dossiê" atribuindo a eles a culpa pela turbulenta saída de Dagoberto do Clube. Na frente do juiz, disse que o fez a mando de um terceiro, mas não declinou nomes. Conta Mafuz que no tapa, contra os Massa, Doático levou a pior. Na Justiça, também: teve de pedir desculpas e está impedido de citar o nome dos dois, em qualquer lugar e por qualquer motivo, durante cinco anos. A fanfarronice, pelo menos neste caso, rendeu alguma punição.
Já a Gazeta publica matéria sobre as gravações telefônicas de dirigentes do Paraná Clube e entrevista o "araponga de araque", que se orgulha de ter tornado públicas as gravações. Mas o jornal pecou ao não informar: 1) que divulgar gravações de conversas alheias sem consentimento é crime; 2) que o "araponga de araque" tem um relacionamento íntimo com a LA Sports, a empresa que pagou propinas ao ex-presidente do clube, Professor Miranda. Na matéria, o sujeito ainda acabou passando por bom moço, por "justiceiro".
Neste caso, o fanfarrão ainda está rindo à toa. Vamos ver até quando.

Nenhum comentário: