terça-feira, 13 de novembro de 2007

Um novo Petraglia

Nesta terça, na Tribuna, Augusto Mafuz comenta a renovação com o técnico Ney Franco:
Lição
Quando o erro é corrigido a tempo, dele se extrai só boas lições. Mais do que nas ações da vida comum, no futebol o risco do erro é graduado pela consciência de que o homem tem dos seus limites.
Não se duvide que entre todos os atleticanos, que se angustiaram com as três rodadas do time na zona de rebaixamento, estava Mario Celso Petraglia. E não pense o leitor que a sua angústia era só por causa da Segundona, mas porque sabia que tinha a responsabilidade direta por ela. E não pense, tampouco, que essa responsabilidade decorria naturalmente do cargo, mas porque por uma decisão única, mandante, imaginou já conhecer tudo, e manteve o técnico Vadão.
Mas eis que surge um novo Petraglia. Resignado com a verdade de que também é humano, e que por isso está ao alcance do erro, fez o Atlético mudar a sua própria filosofia, que era não investir em um bom treinador.
A renovação do contrato de Ney Franco não foi nada de extraordinário, mas provou duas coisas: Petraglia deixou de querer ser Deus, e ganhou consciência de que é capaz de errar. Quando um homem inteligente e audacioso passa a conhecer os seus limites, torna-se insuperável.

3 comentários:

ricardo disse...

Não conheço o Mafuz, e nem o Petraglia. Mas acho muito interessante essa leitura que ele (Mafuz) sempre fez do nosso homem-forte. Sempre entrelaçada com a vida do clube. E concordo com ele.
Acho que o Petraglia viu que nem sempre é possível acertar e que erros acontecem, mesmo visando o melhor para o Atlético. Não são bem "erros", mas um passo maior que a perna, digamos assim. E essa abertura do clube para sugestões é a prova de que o clube está mais voltado a situação do torcedor. Demonstrou preocupação, carinho e lealdade com a Nação. Sei que as medidas tomadas serão bem mais atrativas a todos os rubro-negros. Agora, temos que fazer nossa parte.

Anônimo disse...

sou um grande fã do Manfuz.

nenhum comentario extra se faz necessario

Anônimo disse...

Petraglia é Deus!!!
Ninguém foi ou será maior que ele.
Pode errar, mas sempre pensando no Atlético.
Ele é o meu maior ídolo no futebol.