terça-feira, 6 de novembro de 2007

Onaireves é preso novamente

Está nos sites de jornais paranaenses: o ex-presidente da Federação Paranaense de Futebol, Onaireves Moura, e mais oito pessoas ligadas à entidade estão presas no Primeiro Distrito da Polícia Civil. Sim, aquele mesmo Onaireves apoiado recentemente por Giovani Gionédis, Professor Miranda e pelo "comunista" Ricardo Gomyde (candidato à Prefeitura de Curitiba), que formaram uma espécie de "eixo do mal" apenas com o intuito de tirar a Baixada do páreo pela Copa de 2014. O mesmo Onaireves que apadrinhou Nello (Nullo) Morlotti, dando ao ilustre desconhecido um cargo na Federação com status de diretor.
Moura é suspeito de criar a Igreja Rede de Deus para lavar dinheiro desviado dos campeonatos Brasileiro e Paranaense. O rombo pode chegar a R$ 5 milhões. As prisões foram feitas pelo Nurce - núcleo da Polícia Civil que investiga crimes econômicos -, que vinha fazendo investigações sobre a FPF.
Vale lembrar que o Atlético foi o único clube que teve coragem de peitar a administração Moura na Federação. Foi o advogado do clube, Marcos Malucelli, quem denunciou ao STJD o esquema da FPF com a empresa Comfiar para reter 2,5% da renda dos jogos. O esquema funcionava mais ou menos assim:
  • Uma empresa chamada Comfiar está nos estatutos da FPF desde 1994 como órgao de fiscalização.
  • Essa empresa, que tem na presidência o sr. Cyrus Itibere da Cunha, passou a ter participação nas rendas dos jogos do Campeonato Paranaense. Em todas as partidas, quando a FPF manda o borderô para os clubes, constava o percentual da Comfiar, de 2,5%. Apesar de estar no regulamento do Campeonato Paranaense, o Atlético não entregou este valor, mas depositou em juízo.
  • Já no Campeonato Brasileiro, o clube identificou que o borderô veio com uma adulteração. O documento tem dois campos, um da CBF e outro da FPF. A CBF não cobra nada. Então, a FPF bateu em cima do campo CBF “2,5% da Comfiar”, além dos 2,5% da própria FPF. Quando o Atlético entregou o borderô na primeira partida deste Brasileirão, contra o Internacional, lançou os 2,5% de cada um, mas reteve o valor porque não está no regulamento do Campeonato Brasileiro, além de apresentar denúncia ao STJD.

Essas denúncias resultaram no afastamento de Onaireves do futebol pelo STJD e na investigação policial que culminou na prisão de hoje.

4 comentários:

Anônimo disse...

Não era o Severiano ao contrário que queria tirar a Copa 2014 do Caldeirão?
O tal do prof. miranda (com letra minúscula) e o verdoso GG se merecem.
Cambada de safados. São a cara de seus times e da corrupta FPF.
Cana para eles, mas não a do lulla!!!
Abs.

Pai Mei disse...

Cana neles !!!
A capa da Tribuna vai ficar legal amanhã.

Anônimo disse...

Bando de safados!! Fora eixo do mal! O "Fessor Miranda" já foi, agora o "Severiano", só falta o "GG". Bem, esse último até sua própria torcida quer o pescoço.

Atlético, sozinho nas batalhas, mas digno nas guerras!

Anônimo disse...

eles terao o que merecem

xilindro pra eles