quarta-feira, 3 de outubro de 2007

De olho no apito

Coluna de Augusto Mafuz de hoje, na Tribuna do Paraná:
Coisas estranhas
O saudoso jornalista Sandro Moreira foi um dos maiores do seu tempo. Escrevia sobre futebol como poucos, e sobre o Botafogo, seu time do coração, como ninguém.
Não obstante ser brilhante em qualquer dissertação, tornou-se histórico com a frase “tem coisas que só acontecem com o Botafogo”. E a expressão é de uma época em que o time da “Estrela Solitária” só ganhava.
Não conheço a razão e a origem da frase. Mas dela é possível extrair a incompreensão de um torcedor, diante de um fato que tenha contrariado a sua paixão. Através dos tempos, maltrataram o verdadeiro sentimento de Sandro.
O próprio Botafogo passou a adotá-la para justificar os anos sem títulos e os fracassos contínuos. Agora é mais grave.
É que ao invés de ter o sentido de consolo ou resignação, como foi a proposta de Sandro Moreira, está sendo usada para outros fins. Como o de pressionar a arbitragem, por exemplo. A literalidade da frase já não identifica o sentimento do seu autor. Não será fácil a vida do Atlético no jogo da Arena.
A importância de uma vitória para o Atlético ganhou uma relevância maior com a goleada sofrida para o Náutico. Para ter uma noção do seu tamanho, basta imaginar o risco de um resultado diferente de vitória.
Com Rhodolfo na zaga, Valencia e Netinho no meio- de-campo, e com uma torcida humilhada pelo fracasso nos Aflitos, o Atlético deve ser outro. Aliás, a começar por seu treinador Ney Franco.

Nenhum comentário: