sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Atlético lucra com ingresso mais barato

Reportagem desta sexta-feira na Gazeta do Povo:
Preço baixo se mostra lucrativo para o Atlético
Com ingressos mais baratos, Furacão arrecada mais e ganha força dentro de campo
por ANDRÉ PUGLIESI
A reaproximação com o seu torcedor fez o Atlético ganhar em todos os sentidos. Desde que a diretoria atleticana decidiu por reduzir o preço dos ingressos pela metade, em campo o Furacão venceu as quatro partidas que disputou dentro da Arena. E, fora das quatro linhas, a promoção da meia-entrada para todos não fez diminuir a arrecadação do clube.
Em quatro jogos com a nova tabela de cobrança – que baixou para R$ 20 e R$ 15 o que custava R$ 40 e R$ 30 –, 71 mil torcedores já compareceram ao estádio, resultando em uma renda bruta de R$ 1.163.552. Nas médias, 17.750 pessoas e R$ 290.888 nos cofres atleticanos por partida. E vitórias sobre Atlético-MG, Palmeiras, Paraná e Botafogo, marcando 12 pontos.
Nos dez jogos que fez pelo Bra-sileiro com os valores antigos, foram apenas 318 pessoas a mais no total, e uma arrecadação de R$ 1.614.688. Calculando as médias de público e renda bruta, chega-se ao número de 7.131 torcedores e R$ 161.468, bem abaixo da nova realidade. No campo, a comparação vai no mesmo sentido: três vitórias, cinco empates e duas derrotas, alcançando somente 14 pontos.
Naturalmente, diversos fatores influem na diferença entre os dois cenários. O maior comparecimento de público não se deu apenas pelo ingresso mais acessível, mas também pela necessidade de fugir do rebaixamento, situação que mobilizou a galera atleticana. Assim como o melhor futebol apresentado pelo time após a chegada do técnico Ney Franco.
Se ainda não sabe como será a política de ingressos para 2008 – em virtude das eleições do novo conselho gestor ao final do ano –, o Atlético já admitiu rever pelo menos os valores praticados no Sócio Furacão, instituindo um pacote mais barato.
Entre os atletas – que teriam sido os articuladores da nova posição, com Alex Mineiro sendo o porta-voz –, a presença maciça da torcida e o incentivo têm sido fundamentais. “Jogar na Arena é diferente, devemos muito da recuperação a este apoio”, revela o volante Claiton.
Da mesma forma, Ney Franco valoriza a participação dos atleticanos. “A química entre a torcida e os jogadores na Arena é muito importante, e esperamos manter os 100% de aproveitamento até o fim do campeonato (serão mais cinco jogos). Só precisamos arrumar um jeito de jogar bem fora de casa”, avalia.
Como o confronto do próximo domingo é na Baixada, o Rubro-Negro ainda tem tempo para pensar como fugir da “Arena-dependência”.

Nenhum comentário: